Construção do estilo de vida

38
10757

Ao pensar sobre o calendário editorial (a programação de posts) desta semana, eu achei que seria bastante pertinente falar sobre construção do estilo de vida. Talvez você se pergunte o que esse assunto tenha a ver com saúde. Na verdade, ele está relacionado tanto ao tema do mês quanto a um processo mais amplo, que abriga todas as áreas da vida, e por isso ele está aqui hoje.

Construção do estilo de vida não tem apenas a ver com independência financeira (a meta da moda), apesar de que buscar independência financeira pode ser algo que você queira para você. Construção do estilo de vida tem, acima de tudo, a ver com auto-conhecimento. A você se conhecer verdadeiramente e, no dia a dia, tomar decisões, realizar atividades, fazer pequenas e grandes coisas que estejam alinhadas com quem você é de verdade. Isso é coerência. Isso é ter uma vida organizada.

No ano passado, eu desenhei um mapa que o David Allen (autor do método de produtividade GTD, que uso há muitos anos) chama de “treasure map”, ou “mapa do tesouro”. Você pode criar esse mapa com colagens, desenhos ou simplesmente palavras. Eu fiz em formato de mapa mental, com desenhos e palavras que me representassem. Pensei no meu futuro – não em um período de vida específico, mas no futuro de maneira geral – e desenhei o que parecia ter a ver com o futuro que eu queria construir para mim, em todos os aspectos. Pensei na minha casa, nas minhas atividades profissionais, hobbies, relacionamentos, finanças, dia a dia mesmo. E o resultado foi bem interessante (compartilho um pouco abaixo).

Tenho esse mapa digitalizado em meu Evernote e também inserido no mapa mental de visão, que diz respeito a um horizonte de mais longo prazo da minha vida (já mostrei em outro post – clique aqui para ver).

Revisar esse mapa regularmente me ajuda a ter tranquilidade e perspectiva sobre a vida que estou construindo para mim. Me ajuda a tomar decisões até mesmo para aspectos mundanos demais, como por exemplo decidir que atividade física vou investir meu tempo (eis aqui porque tem a ver com atividade física este post!). Quando eu pensei nesse estilo de vida que tinha mais a ver comigo, eu mencionais as seguintes atividades físicas:

  • caminhada e corridas
  • tênis
  • vela e vida náutica
  • natureza e aventuras

Do meu ponto de vista, faltou algum esporte de grupo (que hoje sinto falta), mas talvez, quando tivesse feito esse desenho, tivesse pensado tanto a longo prazo que não tenha me visto mais fazendo um esporte assim, e sim atividades mais calmas (esse raciocínio me parece fazer sentido).

Atividade física, como as outras áreas da nossa vida, devem ter a vida com o estilo de vida que queremos construir. Se eu não me vejo fazendo alguma coisa nessa “vida ideal” que quero ter, por que eu investiria tempo agora? (E não estou dizendo que não pode; apenas quero dizer que vale a reflexão para evitarmos perder tempo naquilo que não tem a ver com a gente).

Eu quis falar sobre esse assunto hoje, e na verdade eu poderia fazer vários textos apenas sobre isso, porque mais do que nunca eu tenho aplicado esse estilo de vida que quero construir (e estou construindo diariamente). Tive inúmeros exemplos nas últimas semanas em que precisei tomar decisões – de assuntos grandes, do inventário, até assuntos menores, do cotidiano (devo ou não comer tal coisa?), e que pensar em “o que a Thais faria?” (rs) me foi útil.

Outro dia li sobre o Salvador Dalí. Que, quando ele acordava sem inspiração, ele se perguntava: “o que o maravilhoso artista Salvador Dalí faria em um dia como hoje ou em uma situação como essa?”. E então ele se inspirava em seus próprios insights para poder viver um dia (e uma vida) feliz.

Sei lá – penso que, muitas vezes, buscamos tanta inspiração fora da gente que esquecemos que a principal fonte está aqui dentro. Com o passar dos anos, vou aprendendo mais sobre mim mesma, entendendo o que é natural para eu fazer, como eu penso, como eu me sinto, o que é coerente com quem eu sou, e consigo aplicar isso – sem culpa – no dia a dia, em áreas diversas. Eu diria que isso tem me mantido a salvo de uma depressão maior. (Para quem não sabe, já passei por alguns momentos de depressão severa na vida. A depressão é uma doença que você mantém sob controle, basicamente, e precisa ficar de olho para que ela não volte em momentos difíceis.)

Às vezes, quando acordo chateada ou desanimada, eu pergunto: “o que a Thais do Vida Organizada faria em um dia como hoje?”. E pode parecer besteira, mas isso me inspira a “lembrar” mesmo quem eu sou de verdade e a fazer as coisas com alegria e senso de aproveitamento. É, em resumo, pegar quem eu sou de verdade e trazer para todas as atividades do cotidiano, de modo que, cada vez mais, eu viva a vida que acredito ser a melhor vida que eu possa viver. Posso não estar vivendo hoje, a vida ideal que imagino para mim. Mas sei que, buscando dentro de mim, cada dia que passo eu chego mais perto. E, igualmente, aproveito cada um dos meus dias, o que para mim é muito mais importante nessa jornada inteira.

38 comentários

  1. Bom dia, Thaís! Estou num processo de tentar descobrir quem sou de verdade, o que quero da vida…mas como é difícil…faço do seu blog minha leitura diária e tem me ajudado muito em tudo! Muito obrigada pelo seu trabalho! Estou sempre aqui =*

  2. Que texto inspirador! Serenidade, sinceridade e profundidade nas redes: belo. Acompanho o blog há anos e continuo me inspirando por ele no dia a dia.

  3. Adoro seus textos,acompanho a muito tempo.vc escreve de um jeito tão simples que parece que estamos conversando com vc.Parabéns,sucesso!!

  4. Olá Thais, gosto muito da sua organização, dos seus pensamentos, sabe ? Acho que falta ainda para eu chegar em um mapa deste, acho importante para termos um rumo na vida. Acho que não tenho todas as ideias em vários campos da vida, somente de algumas. Gostei da sua ideia de se ver, outro dia estava pensando nisso.. consegui passar no vestibular, emagrecer, correr 5 k, com foco e determinação, mas já me vi desistindo de algumas coisas, desistindo… vou tirar férias por esses dias e vou fazer essa reflexão.. bjs

    • Mas a ideia é ir construindo aos poucos, Debora! O que coloquei nesse mapa acho que não estaria aí se eu tivesse feito 10 anos atrás. Essa é a coisa mais legal da vida toda. <3 Obrigada por comentar.

  5. Thaís, que texto incrível. Sabe, textos assim resumem tudo. Englobam e ao mesmo tempo vão além de todos assuntos, é sobre a vida. Quem somos e quem queremos ser. Minha visão sobre essa construção tornou-se uma necessidade depois que conheci seu blog e sou agradecida a Deus por isso. Obrigada por tudo. Você faz parte disso.

  6. Inspiradora como sempre! Eu entro no seu blog e já fico leve..rs Tenho identificação com essa sua coerência em realizar coisas que tenham a ver de verdade com quem você é…Eu tomo isso como uma resolução de vida porque quando eu faço coisas que não tem muito a ver comigo, eu sinto que me traí. Mas essa percepção só veio depois de um processo de autoconhecimento, como você mencionou. E tem sido muito gratificante, mesmo que às vezes eu me depare com minhas sombras. 😉

  7. Thais, hj essas palavras parece que vieram pra mim… ando pensando e refletindo mto sobre mim msm. Autoconhecimento é trabalho pra vida toda, mas acho q o maior e mais necessário…obrigada!

  8. Que texto mais inspirador!!! Leve. Delicado. Profundo. Te acompanho já há tanto tempo que nem sei quanto! Só sei dizer que tenho usado essa inspiração que encontro nos teus escritos pra viver a minha vida. O processo é looooongo… e por vezes bastante doloroso, mas também recompensador! A cada dia que passa consigo olhar pra mim com olhos mais cheios de compaixão, com mais carinho e menos cobranças. Sinto que começo a delinear a vida que é realmente coerente com quem eu sou de verdade. E devo muuuuito disso tudo a ti! Obrigada por me mostrar o tempo todo que a vida pode (e deve) ser leve e feliz!!!!

    • Que maravilhoso, Regiane. Sabe, a vida dói, algumas vezes. Por isso é importante a gente se conhecer. Porque, sem a gente se conhecer, fica muito mais difícil. Simples assim. <3 Obrigada por escrever.

  9. Nossa, Thais! Que texto inspirador!

    É isso. Buscamos várias inspirações externas, mas sempre estamos nos construindo – e quando as coisas não vão bem é muito importante olhar para essa construção que fizemos.

    Muito obrigada pelo seu trabalho que sempre me inspira por aqui 🙂

    PS: tu tá belíssima nessa foto! tu realmente fica incrível de branco! não lembro se branco tá na tua paleta e sei que teu estilo é mais o preto haha mas, sério, ficou linda demais!

    Abraço!

  10. Foi muito legal e particularmente direto esse texto pra mim hoje, que em plena segunda-feira e no meio de um projeto …me bateu aquela tristezinha e falta de energia típica de quem luta consigo mesmo pra se manter no trilho.
    Tenho acompanhado sua criação rotineiramente, e tem sido um farol pra mim. Obrigada por lutar e mostrar que é possível. Obrigada por mostrar que dá pra ser “normal” nesse mundo que cobra o tempo todo que pra ter valor tem ser #foda. Obrigada por inspirar.
    Beijo enorme. :*

  11. Nossa, Thais!

    Mais um texto tão profundo e sincero, para nos chacoalhar e fazer despertar (e sorrir) para a vida!

    Amei essa história do Salvador Dali e como vc transportou isso para sua vida… E posso confessar uma coisa? Muitas vezes, em momentos de desânimo ou desorientação, pensei – o que a Thais do vida organizada faria? Hahahahaha E sempre encontrava nos seus textos uma resposta e um caminho feliz.

    Obrigada por nos ajudar a viver melhor há tantos anos!

  12. Amei o post, achei sensacional e um assunto pouco explorado, coerência, às vezes ficamos tão focados em metas da moda como você disse, que esquecemos ou pior nem sabemos o que queremos, de tanta informação que temos hoje em dia. Estou numa fase de busca por transformações, mudanças de hábitos, de trabalho, mas me sinto tão perdida que não sei por onde começar, dicas?

    • A recomendação é ir aplicando um pouco por dia, justamente seguindo o que cada post propõe. caso você queira um assunto específico, pode usar a busca, pois já tem bastante conteúdo publicado por aqui no blog.

  13. Gostei muito do texto, a jornada do autoconhecimento é longa, é sempre bom quando estamos consciente do que queremos conquistar ao longo da vida. Sempre visito o blog, tem sido uma inspiração, para lembrar do tipo de mulher que quero me tornar.

  14. Que texto inspirador ! Realmente o auto conhecimento é fundamental para uma vida com qualidade ! Quando nos conhecemos somos mais capazes de nos dominar, no sentido de fazer escolhas inteligentes no dia a dia !

  15. Taís, sua linda, acompanho teu blogue há tempo, é a primeira vez que vejo vc falar em depressão. Poderia comentar mais sobre como lidou com isso ? Bjao

  16. Caraca Thais. Todo dia eu me pergunto se dá pra gente amar de verdade quem a gente não conhece hahahah mas claramente conheço um pouco de você e amo tudo aquilo que conheço de ti <3
    Também gostaria de ler algo sobre a depressão, tem o livro do Daniel Burd mas eu gostaria de saber a sua perspectiva também.
    Tô aqui desejando tudo de bom, sempre, pra você e todos aqueles ao seu redor <3

  17. Olá.
    Que grata surpresa esse texto. Já fazia algum tempo que eu não conferia seu conteúdo. Me parecia, pra mim pessoalmente, um tanto rígidas demais as suas propostas e visão de mundo, percepção de vc mesma. Não chega a ser uma crítica, pq não te conheço o suficiente pra isso, só mera leiga percepção. Mas nesse texto acontece o que ouso dizer a humanização do método. Realmente útil pra vida real. Fico feliz com seu sucesso íntimo e verdadeiro e por seu talento de falar/escrever sobre isso. Um grande abraço que sua vida seja plena o quanto mais for possível.

Deixar uma resposta

Por favor, insira seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui