Categoria(s) do post: Saúde

Quando falamos sobre a organização da rotina para a realização de atividades físicas, geralmente ouvimos recomendações como “acorde mais cedo” ou “aproveite o seu horário de almoço”. Não acredito que seja a intenção das pessoas que dêem tais recomendações, mas durante muitos anos eu falhei na tentativa de adequar esses horários para atividade física na minha rotina e me sentia muito frustrada por não conseguir implementá-los, simplesmente porque queria fazer como as pessoas recomendavam, em vez de buscar algo personalizado e que atendesse as minhas necessidades.

Meu histórico de horários para atividade física

Pela manhã, sempre foram dois tipos de problemas. O primeiro, com relação ao horário em si. Quando eu trabalhava fora, em um emprego sem flexibilidade de horário, fazer atividade física antes de ir trabalhar significava acordar muito, muito mais cedo. Fazendo uma breve continha aqui, se eu tivesse que entrar às 8h no trabalho, eu precisaria sair de casa às 7h30 (isso quando morava em Campinas. aqui em São Paulo não saberia mensurar, pelo trânsito). Para sair de casa às 7h30, eu teria que tomar banho e me arrumar no máximo até 7h10. Para eu fazer isso às 7h 10, teria que ter feito a atividade física até umas 7h (isso levando em conta que a academia era perto de casa). O que significava acordar antes das 6h para tomar café-da-manhã e ir para a academia.

Some-se a isso uma rotina de trabalho que iria facilmente até às 17h ou 18h, depois o deslocamento para casa, tempo com o Paul (que era bem pequeno), as atividades domésticas e, muitas vezes, minhas atividades relacionadas ao blog, que ainda não eram a minha atividade principal em termos profissionais. Sinceramente, não era factível.

Na hora do almoço, também não dava. Eu não dirigia e trabalhava no meio da Unicamp, que não tinha academia e qualquer deslocamento via transporte público era um martírio, super demorado.

Quando eu mudei a minha configuração de trabalho e comecei a ter horários mais flexíveis, trabalhando por conta própria, eu achei que seria mais fácil. Comecei a fazer atividade física de manhã, mas acordando em um horário não tão agressivo. O problema é que, assim, eu “perdia” metade da minha manhã. Começava a trabalhar por volta das 10h.

Foi quando eu comecei a mudar para o período da tarde – depois do almoço. Em vez de tentar trabalhar, talvez naquele momento que costuma dar sono, por conta da digestão, eu ia para a academia. Funcionou bem durante um tempo, mas ainda caía na questão de ser horário comercial e eu ter que estender o meu dia de trabalho para além do horário que eu queria estar trabalhando.

A importância do auto-conhecimento

No último ano, eu mergulhei no tema “personalização do trabalho”. Isso aconteceu em detrimento da produção do meu terceiro livro, mas também porque eu estava imersa, interessada nesse assunto.

Foi quando eu comecei a analisar a minha rotina de trabalho do ponto de vista do que realmente funcionava para mim.

Por exemplo, ajeitando os meus horários, eu percebi que, pela manhã, eu acordo com a mente descansada e muito inspirada para escrever. É o melhor momento do dia para a produção da minha arte, e eu precisava aproveitá-lo. Quando eu desperdiçava essas preciosas horas do dia para executar quaisquer outros tipos de atividades, minha arte acabava ficando de lado.

Por isso, decidi que, ao acordar, é simplesmente o melhor momento do meu dia para escrever, revisar ou traduzir textos, trabalhar concentrada.

Gosto também de concluir tudo aquilo que for mais importante e tiver prazo até a hora do almoço. Isso me dá uma sensação de “dia pago”.

Deixo para a parte da tarde as pendências restantes – atividades que eu gostaria de terminar naquele dia, pendências de terceiros (demandas que chegaram no próprio dia) e processar as caixas de entrada de mensagens.

Como é um trabalho mais exaustivo (estou cansada de ter me esforçado inteletualmente na parte da manhã e me comunico muito com outras pessoas na parte da tarde, o que também exaure as minhas energias), eu costumo chegar ao final da tarde bem cansada, pedindo por descanso mental mesmo, sabem?

A solução

Foi aí que eu resolvi me dar de presente, por um bom dia de trabalho, fazer uma atividade física. Vantagens:

  • sinto que foi realmente um presente por ter tido um dia produtivo
  • no final da tarde o clima está mais fresquinho
  • é uma boa maneira de esquecer o lado profissional e focar no meu corpo
  • é um ótimo ritual de transição entre o dia de trabalho e a rotina pessoal em casa, de noite

Já faz algumas semanas que eu comecei a fazer dessa forma e sinto que descobri que é o melhor horário que funciona para mim, por todos os motivos acima. E o que eu quero incentivar você é que você procure conhecer o seu dia a dia, mas acima de tudo o seu ritmo, de modo que você consiga encontrar o melhor horário para você também.

Tem pessoas que preferem fazer atividade física de manhã. Isso me deixava exausta e, às 10h, já estava cansada e com sono, e meu dia não rendia. Eu tentava aplicar essa rotina e isso foi muito ruim para mim. Só quando passei a me entender e buscar a solução personalizada é que as coisas funcionaram e eu pude incorporar esse hábito na minha vida.

Fazer atividade física muito mais tarde (por exemplo, de noite, depois das 20h) também me deixava muito agitada e era um momento que eu preferia já estar de boa em casa, com meu filho, lendo e fazendo atividades mais tranquilas, mas sei que para muitas pessoas esse é o melhor horário e ajuda inclusive a ter um sono melhor. Então busque aquilo que funcionar para você.

Hoje eu tenho alternado seg-qua-sex (corrida e caminhada) com uma amiga e às ter-qui faço academia, mas substituirei a academia por algum esporte nos próximos meses (neste exato momento da minha vida estou buscando as melhores opções de esportes aqui perto de casa).

Fazer atividade física todo dia sempre foi a minha meta mas eu demorei ANOS para encontrar o melhor formato. Só quando eu passei a me conhecer e a respeitar o meu ritmo que eu encontrei a maneira de fazer que fosse menos agressiva para mim (isso diz respeito ao ritmo do corpo, ao ritmo da casa, ao ritmo de trabalho).

Espero que este post te ajude a estruturar uma rotina assim também.