Categoria(s) do post: Linkagem

A linkagem de domingo traz indicações de links com temas gerais ou específicos que tenham a ver com o blog, mas vêm de outras fontes.

Boa semana para você.

Categoria(s) do post: Diário da Thais

Todo mês eu gosto de fazer uma retrospectiva do que aconteceu na minha vida, como forma de reflexão, e também para compartilhar com vocês um pouco da minha vida pessoal além do Vida Organizada.

Eu sempre leio o resumo do mês anterior para entender como estava a minha energia. Maio foi um mês difícil. Junho entrou comigo ainda muito introspectiva, com dúvidas sobre o que eu queria em termos de trabalho e até vida pessoal. Hoje, eu consigo resumir o sentimento como: alcancei tantos objetivos que eu queria nos últimos anos, que agora me sinto um pouco desconectada dos objetivos que esperava alcançar nos próximos. Me vi em uma rotina que talvez não tivesse mais a ver comigo. A vida acontece. As coisas mudam. E eu estava sentindo necessidade de uma mudança, mas não sabia que mudança seria, ainda.

Quando isso acontece, gosto de me dar um tempo. Foi por isso que, quando viajei para a Holanda, optei por não escrever. Precisava dessa folga mental. E ela foi bem importante, porque voltei focada.

Bem, o mês começou com uma viagem a Belo Horizonte para ministrar um curso de GTD na cidade. Foi a última viagem que fiz para realizar cursos abertos. Não tenho previsão de voltar a viajar com essa finalidade por enquanto; pretendo ficar um tempo assim. Fiz isso para ficar mais perto do meu filho, essencialmente, e também para ficar mais sossegada em casa. Adoro viajar, mas organizar uma turma fora do estado estressa demais. Não falo no mal sentido, como se fosse algo negativo, mas o estresse precisa ser levado em conta. Comprar passagens baratas, para reduzir o custo, encontrar o local, garantir que estará tudo certinho quando você estiver lá, despachar materiais, cuidar das sobras… enfim, é um trabalho que eu simplesmente senti que precisava diminuir.

Para que outras pessoas não fiquem sem esses cursos, estamos (o Daniel e eu) organizando uma logística para que os outros instrutores possam organizar e realizar essas turmas. Meu propósito é que todos os estados sejam atendidos. Creio que para o segundo semestre a gente já consiga.

Caso você queira fazer o curso de GTD™ comigo, por favor, venha a São Paulo, se puder. Nós oferecemos um desconto de 20% na inscrição para compensar seus custos de viagem.

Além desse curso em BH, realizamos outro curso de GTD™ em São Paulo, desta vez no Nível 3 (Foco & Direção) e estreiando a nossa sala da Oficina. Foi ótimo! Tivemos bons aprendizados e já aplicamos nas turmas que vieram depois. Ao final do dia, estouramos um espumante para comemorar com os alunos. Foi um dia ótimo.

Esse dia era um dia antes da minha viagem para a Holanda e, pouco antes de liberar a turma para o almoço, recebi um SMS dizendo que nosso vôo tinha sido cancelado. É nessas horas que você vê como o GTD™ funciona. Como eu poderia me engajar apropriadamente naquilo? – pensei. Liberei a turma normalmente para o almoço e, quando eles saíram, liguei na companhia aérea para resolver. Foram mais de 50 minutos de espera até conseguir falar e encontrar a melhor opção de vôo. Eu teria que ir cedo para o Rio de Janeiro (GIG) e lá pegar o outro vôo direto para Amsterdam (AMS). Consegui passar as instruções para a Martinha (instrutora da Call Daniel que iria comigo no mesmo vôo) e conseguimos viajar juntas, conforme o planejado.

Ainda antes de falar sobre a viagem, na segunda semana de junho aconteceu uma reunião de revisão do planejamento da Call Daniel para o ano. Foi uma ótima reunião. A equipe está com uma dinâmica cada vez mais legal e já considero todos como a minha família.

Sobre a viagem e o evento em si, já fiz um post contando como foi, com muitas fotos, e ainda pretendo escrever outros sobre a organização da viagem, a organização para a palestra que eu fiz etc. Em julho pretendo postar todos esses artigos.

Junho também marcou o último mês de aulas do meu mestrado – deus abençoe! Minha programação com relação ao mestrado em julho é escrever dois capítulos e a introdução da minha dissertação, além dos dois artigos da disciplina que cursei e do evento que participei, mas está tudo sob controle. Entreguei os relatórios de créditos que precisava entregar na secretaria até o dia 28 e deu tudo certo. Agora é focar na dissertação.

Na última semana do mês, em São Paulo, também ministrei a primeira turma em formato de dois dias do curso de Fundamentos do GTD™. Foi incrível. Apesar de serem dois dias, não me senti cansada em nenhum momento. Pelo contrário, saí energizada. Meu filho até comentou que estava feliz de me ver animada daquele jeito.

A última semana foi bem difícil porque, voltando de viagem, precisei tomar algumas decisões que impactaram a empresa e a vida de algumas pessoas. Para preservá-las, falarei melhor sobre isso daqui a algum tempo. Mas eu só posso dizer que, com grandes poderes, vêm grandes responsabilidades. E a gente precisa ser o melhor ser humano possível quando precisa assumir tais responsabilidades.

O mês de junho também foi marcado pela leitura do livro do Tim Ferriss, “Tribe of Mentors”, que renovou minha paixão pelo que esse cara ensina. Sei que ele é controverso, e nem todo mundo gosta dele, mas eu adoro. Gosto muito de como ele nos ensina a sermos disruptivos com a produtividade. Os livros dele me influenciam muito. Estou até relendo o “Trabalhe 4 horas por semana” para elaborar alguns conteúdos por aqui.

Falando em livros, estou com dois projetos de escrita aprovados pela editora. Um é a revisão do livro “Vida Organizada”, que foi meu primeiro livro, lançado em 2014. Ele terá uma nova edição, mais atualizada. A previsão de lançamento é o primeiro semestre de 2020. O segundo projeto é um livro sobre organização de estudos, que provavelmente será lançado na Bienal do Livro de SP no ano que vem.

Quando voltei de viagem, escrevi um dos textos que considero mais sinceros que já escrevi: o “quem sou eu” do blog. Aquilo ali sou eu, na forma mais pura. Fiquei feliz por tê-lo escrito, em termos de estado da arte mesmo.

Consegui ir em uma única festa junina (no último dia do mês!), mas em contrapartida os nossos dois cursos na Oficina tiveram o coffee da tarde temático com comidinhas de festa junina, hehe.

O tema do mês de maio foi “hábitos” e é claro que eu não consegui explorar todos os textos que queria sobre esse tema. Todos os assuntos e ideias que sobraram serão abordados ainda em posts futuros, não se preocupem. 😉

Alguns textos do mês de junho que me fizeram sorrir:

Paul está bem, marido também.

E você, o que fez em junho? Deixe um comentário. <3

Categoria(s) do post: Diário da Thais

Durante os dias 20 e 21 de junho aconteceu um evento global do GTD™, chamado GTD Summit, em Amsterdam, na Holanda. Eu estive lá para esse e outros eventos, e este post traz um resumo de como foi, para quem tiver curiosidade.

GTD™, se você for nova/o por aqui e não conhece, é o método de produtividade, organização e gerenciamento da vida que eu utilizo. Você encontra muitos posts sobre GTD™ aqui no blog, se quiser saber mais.

Photo by Dan Taylor

Em 2009, David Allen, autor do método GTD™, organizou um GTD Summit nos Estados Unidos, onde ele morava, e o GTD™ tinha totalmente outra configuração da que tem hoje. Hoje, o método se tornou global. Temos dezenas de franquias em diversos países (aqui no Brasil, é a Call Daniel, que eu represento). O livro foi publicado em diversos idiomas.

Dez anos depois, David sentiu que era a hora de realizar o evento novamente. Não é para ser algo recorrente. Ele fez questão de dizer que seria um evento único, especial. E foi.

O resultado foi um evento com o dobro de pessoas da primeira edição. Tínhamos quase mil pessoas presentes e mais de oito mil expectadores online. Para quem se inscreveu, os vídeos ficam disponíveis até 1/9. Não é possível se inscrever depois do evento.

Photo by Dan Taylor
Photo by Dan Taylor

O evento aconteceu no Amsterdam Theather durante os dias 20 e 21. No dia 19 à noite, houve o evento de abertura em uma casa noturna local. David compareceu, falou um pouco, deu as boas-vindas. No evento, também tinha um comediante de stand-up e uma banda tocando. Para os palestrantes, foi oferecido um jantar em um barco, que passeou pelos canais de Amsterdam e ofereceu um pouco da gastronomia holandesa aos presentes. Como eu era palestrante, tive a oportunidade de ir aos dois.

Vale abrir parênteses aqui para contar um pouco o meu envolvimento com o evento. Em setembro do ano passado, quando eu tinha ido à Holanda para a minha capacitação como Master Trainer do Nível 3, eu fiquei sabendo sobre o evento e fui sondada para ser uma das palestrantes. Parecia muito surreal para mim até eu receber o convite oficial, no início do ano. Mal pude acreditar. Nunca tinha me sentido tão valorizada ou honrada. Aceitei de imediato, lógico.

Comprei as minhas passagens para ficar uma semana na cidade. Seria a minha sexta vez em Amsterdam (um privilégio), e além do Summit em si a gente teria o encontro das franquias no dia 22 e a possibilidade de um evento com os Master Trainers no dia 18 (acabou não acontecendo), por isso fiquei mais dias. O que acabou sendo muito legal porque vários brasileiros também foram para o evento, e tivemos a oportunidade de passar um tempo de qualidade juntos.

A Marta, instrutora de GTD™ aqui da Call, mesmo sem falar inglês e nunca ter viajado para fora, resolveu ir! #loka E foi ótimo, porque ela ficou hospedada comigo e isso foi incrível porque me animou ainda mais – eu teria companhia para mostrar a cidade para alguém que estava viajando para fora pela primeira vez. Estava tão empolgada com a ida dela que quase não pensei nas minhas coisas kkk

Além da Marta, foram, da Call, o próprio Daniel, o Sérgio (vendas), o Fábio (vendas) e o Jacques (instrutor), o que foi muito legal. E também outros brasileiros, GTDers!, que estavam lá: Milena, Luca (e sua adorável mãe), Erlo e sua equipe e Marcelo (com sua esposa Celina). Foi tão legal! Na terça, dia 18, nós organizamos um jantar com os brasileiros que já estavam na cidade. Comemos pizza + vinho em um barco que fez um passeio pelos canais. Foi super gostoso e estávamos todos animados e empolgados para o evento, e pela oportunidade incrível que a vida nos proporcionou de estarmos todos ali, juntos.

Marta, Daniel, eu, Jacques, Fábio e Sérgio – a equipe da Call em Amsterdam!
Um pouco do jantar no barco (muito chic)
“Pra onde eu vou?” Brasileiros em Amsterdam

Eu compartilhei todos os dias um pouco da viagem no meu Instagram (do blog). Se você olhar nos assuntos em destaque, encontrará uma bolinha que é apenas de Amsterdam, onde eu salvei todos os stories. Lá, você pode conferir alguns videozinhos da noite de abertura do evento, na casa noturna, além de trechinhos dos outros dias.

A Martinha e eu chegamos na segunda-feira depois de todo um trâmite com o nosso vôo cancelado um dia antes e a gente ser realocada em uma conexão do Rio de Janeiro (aff). Chegamos na segunda à tarde e, sinceramente, conseguimos apenas ir ao mercado e descansar! Na terça sim passeamos um pouco antes do jantar com o pessoal.

Adendo: eu sou uma pessoa que sofre MUITO com a mudança de fuso horário. Amsterdam está 5 horas à frente de São Paulo, então todos os meus esforços foram para me acostumar logo (aliás, estou preparando posts sobre a viagem nesse sentido, sobre como me organizo nos diversos aspectos, inclusive fuso horário – entram em breve). Então isso começou a pesar com o passar dos dias.

Na quarta-feira, eu tinha uma agenda relativamente cheia, pois tinha o ensaio do evento na parte da tarde e, à noite, o jantar dos palestrantes no barco e a abertura do evento na casa noturna. Fui ao ensaio no local (Amsterdam Theather) com a minha amiga Milena, que tinha acabado de pousar, e ela filmou um pouquinho (tá lá nos stories) e tirou essa foto:

Essa sou eu tentando me vestir como os caras do Vale do Silício para ver se boto banca e passo a impressão de ser uma palestrante super keynote speaker internacional kkk Estava curtindo muito meu momento, gente.

Foi muito emocionante conhecer o espaço, entrar no palco e vivenciar mesmo tudo aquilo ali. Era inacreditável. Me senti privilegiada e honrada o tempo todo. Larger than life.

De noite, já no jantar eu comecei a ficar meio “zoada”. Uma dor de cabeça forte pra caramba – eu sei que é sono, fuso horário. No dia seguinte, o evento – e minha palestra era de manhã. Então eu precisava estar bem. De alguma maneira, consegui dormir (!!!) e acordamos cedo para ir.

Deu tempo de tirar a tradicional fotinho com o David ao final do jantar com os palestrantes

Como é verão na Europa, escurece por volta das 23 horas. Isso é bem difícil de acostumar.

Photo by Dan Taylor
Photo by Dan Taylor
Photo by Dan Taylor
Photo by Dan Taylor
Photo by Dan Taylor

Você pode conferir a programação das palestras aqui. Mas eram apenas pessoas muito especiais para o David, de alguma forma. Além de mim, apenas dois Master Trainers palestraram (Inglaterra e Alemanha). O restante eram pessoas muito queridas ao David (Dean Acheson, que foi mentor dele, por exemplo) ou pessoas que ele conheceu e que fizeram um trabalho extraordinário usando o GTD™.

As palestras não foram “sobre GTD™”, mas sobre como as pessoas que usam GTD™ o usam e fazem coisas extraordinárias. Tinha uma astronauta. Um músico. Gente incrível de todos os tipos, de fato.

As palestras foram todas curtas, naquele modelo tipo TED. A minha palestra se chamava “Projects for breakfast” (projetos para o café-da-manhã) e se baseou no conceito do “algum dia, talvez”. Demonstrei como alguns dos projetos mais legais da minha vida um dia saíram dessa lista, inclusive nosso filho! Foi uma palestra bem humorada e com foco em dizer que o GTD™ me ajudou a ter uma vida legal, e não uma vida sobrecarregada, mesmo tendo tantos papéis e tantas ideias de coisas legais para fazer.

Photo by Dan Taylor
Photo by Dan Taylor
Photo by Dan Taylor
Photo by Dan Taylor
Photo by Dan Taylor
Photo by Dan Taylor

Eu realmente não consigo descrever como me senti durante todo esse momento da palestra. No pré, eu precisava ficar no backstage já esperando a minha vez para conversar com o apresentador (primeira foto). Eu meditei. Respirei fundo. Tentei me concentrar. Mas, quando ele estava me apresentando, meu coração parecia que ia sair pela boca! Nem me lembro da última vez que me senti assim! Um sentimento de medinho, aquele frio na barriga, mas o medinho bom, gostoso! Aquele que dá antes de você mergulhar de um trampolim de 5 metros! E aí, quando eu entrei, simplesmente vivi o momento. Entrei em fluxo. Foram os minutos mais gostosos de todos. Tinha um timer na frente do palco para eu me localizar. Acabei faltando 7 segundos! <3

O retorno que tive sobre a minha palestra foi incrível. Pessoas que nunca me viram na vida me parando nos intervalos para agradecer, para dizer que gostaram, para fazer perguntas, para dizer que admiraram a minha coragem de palestrar em inglês mesmo sendo nativa no português (kkk esse foi o maior desafio, de fato!).

Alguns de vocês podem perguntar se a palestra será disponibilizada. Não tenho autorização para disponibilizar porque é propriedade intectual do evento. Mas quem se inscreveu teve a oportunidade de ver online e ainda pode ver até o início de setembro.

Mas não se preocupem porque vocês aqui recebem informações que essa palestra não tem a capacidade de fornecer! Vocês estão bem, lendo todo esse conteúdo em português. Fiquem tranquilos. 😉

No evento da noite, a Marta e eu fomos para o jantar dos palestrantes. Lá estava eu com dor de cabeça de novo. Porém, foi ótimo, porque tivemos conversas muito profundas e divertidas!

O evento continuou no dia seguinte e, depois, teve um happy-hour de encerramento e os brasileiros saíram para jantar juntos novamente.

Vandi (mãe do Luca), Jacques, Daniel, Luca, Milena, Fábio, sérgio, Marta, Marcelo e eu
Milena, Vandi, Daniel, Marta (de olhos fechados kkk), Jacques, Marcelo, Luca e eu

A Milena e eu ainda tivemos pique para ir em um karaokê no red light district! Ave maria.

No dia seguinte, sábado (22), teria o encontro das franquias mundiais do GTD™. Esse evento é organizado pela SMCOV, empresa que gerencia todas as franquias. Estavam muitos franqueados do mundo todo e toda a equipe da David Allen Co. (que estava em Amsterdam). Foi um dia muito gostoso, mas o cansaço começou a bater! No final da tarde, a dor de cabeça veio forte e fiquei com enxaqueca. Nem consegui sair para jantar. Fui para o hotel ficar quietinha, deitada, e descansando após uma longa semana.

Photo by Arif (India)
Todos os franqueados que estavam no evento

Uma das coisas mais legais desse encontro anual dos franqueados é encontrar um pessoal que já está virando família, sabe. Eu comecei as minhas certificações em 2015, e desde então venho convivendo com esse pessoal, trocando ideias, falando sobre o nosso amor coletivo pelo GTD™. Foi muito bacana encontrar com todos eles novamente.

No domingo, a Martinha e eu tiramos o dia para fazer passeios mais leves, algumas comprinhas, e retornamos na segunda de manhã dessa viagem mágica. <3 A maioria dos brasileiros retornou no domingo mesmo.

Das palestras do Summit, eis os meus momentos preferidos:

Photo by Dan Taylor

O painel de encerramento do primeiro dia, com o David, Dean Acheson e Russell Bishop. Melhor momento do evento como um todo, para mim. Dean Acheson é citado no livro do GTD™ como o cara que ensinou o David sobre o conceito de próxima ação, que ele incorporou no método. Russell foi o cara que abrigou o David no mundo corporativo. A palestra dele, antes do painel, foi muito emocionante. Ele se emocionou. Emocionou todo mundo. E, nesse painel, ele mesmo perguntou: você darão continuidade a falar sobre o fluxo de trabalho da humanidade nos próximos 30 anos? Esses caras vivem para isso. São palestrantes, consultores, coachs renomados. Estão aí há décadas, trabalhando naquela selva corporativa que são os Estados Unidos. Foi sensacional ouví-los e fazer parte desse privilegiado momento.

Photo by Dan Taylor

Todas as intervenções do Marko Kasenaar – historiador que trabalha no Rijksmuseum e foi convidado pelo David a apresentar 4 personalidades holandesas sensacionais em alguns momentos do evento. Ele falou sobre Rembrandt, Spinoza, Aletta Jacobs (incrível) e o Cruyff. Isso deu um toque maravilhoso ao evento. Amei a forma apaixonada como ele apresentou todos.

Amsterdam é uma cidade incrível. Incrível.

Photo by Dan Taylor

O professor Theo Coppernole, que apresentou logo depois de mim. Ele é autor de “Brain Chains” e outros livros muito interessantes sobre o melhor uso do cérebro. A palestra dele foi muito técnica, porém bem-humorada, e me instigou a querer ler tudo o que ele já escreveu.

Photo by Dan Taylor

Richard Levi, que falou sobre o conceito de “serendipity” e o GTD™ contando a incrível história da sua vida que o fez entrar em uma academia de dança em Paris e se tornar dançarino e coreógrafo profissional. Muito inspiradora a palestra.

Photo by Dan Taylor
Photo by Dan Taylor

Daniel Pink e Charles Duhhig, que entraram à distância mas foram muito fofos. Amei conhecer os dois.

Photo by Dan Taylor

General Mandal Fulhart, que fez uma palestra sobre os horizontes do GTD™ e trazendo exemplos de filmes e da aviação. Aff, simplesmente incrível.

Photo by Dan Taylor

Essa galarinha todo em um painel sobre GTD™ para crianças e adolescentes. Para quem não sabe, foi lançado um livro ano passado chamado “GTD for teens”. Mike, o que está ao lado do David, é um do autores. O outro é o Eric, que simplesmente educou sua filha (ao lado) desde bebê com o GTD™ kkk A melhor parte foi ela comentando quando descobriu que seus colegas de faculdade, quando ingressou, NÃO usavam GTD™. Maravilhoso.

Eu também tive a oportunidade de ser entrevistada pela Ana Maria ao lado dele. Falamos sobre criatividade e GTD™.

Agora, sinceramente, o que me emocionou de verdade foi ver como o David estava feliz por ter realizado tanta coisa. Não falo apenas do evento, mas do legado como um todo. Nem consigo descrever mais o quanto eu me sinto honrada por fazer parte disso. Voltei renovada. Algo muito profundo mudou dentro de mim nessa viagem. Cheguei lá com uma cabeça, voltei outra. Estou muito inspirada, focada e dedicada. Obrigada, David.

Photo by Dan Taylor
Photo by Marta Bockhorny

Love is all, love is you.

Categoria(s) do post: Tecnologia, Ferramentas de organização, Rotinas

Eu não sou uma pessoa muito fã de notificações. Detesto tecnologia me dizendo o que eu devo ou não fazer, olhar ou prestar atenção. No entanto, os alarmes do celular podem ser usados de maneira inteligente, como uma ferramenta proposital mesmo, e não no piloto automático.

Um uso que costumo fazer é para lembretes no próprio dia. Por exemplo, outro dia eu estava realizando um trabalho em uma empresa e precisei usar minha extensão no fundo da sala. Com certeza eu acabaria esquecendo até o final do dia, ao arrumar as minhas coisas! Para não esquecer, coloquei um alarme no celular para 15 minutos depois do fim do treinamento, me lembrando de pegar. Eu acabei pegando antes de o alarme tocar, mas tê-lo programado me deu segurança para usar, sabendo que eu não esqueceria o negócio. Então eu sempre uso esse tipo de alarme como recurso inteligente, sob demanda.

Além, é claro, do despertador. Mas esse já é o uso comum que todo mundo faz.

Desde que eu comecei o blog eu uso um método para organizar a rotina da casa chamado FLY Lady. Aliás, o blog nasceu da minha vontade de traduzir e compartilhar o que eu estava implementando com sucesso tanto desse método quanto do GTD™. Breve comentário: quando criei o blog, absolutamente ninguém falava sobre isso na Internet (o famoso “aqui era tudo mato”). Quando eu compartilhava coisas da FLY Lady, eu traduzia por conta própria os termos, não tinha referência naquela época. Lembro que algum dia eu comentei aqui que eu tinha traduzido o termo declutter para destralhar e uma pessoa ficou muito irritada comigo porque “até parece que foi você que traduziu esse termo, amiga”. Não sei se fui a primeira, mas na época não tenho nenhuma outra referência. Aliás, se você tiver, compartilha comigo aqui. Será um prazer consultar (metade de 2006). Obrigada.

O fato é que o método FLY Lady é um bom método para cuidados com a casa, mas criado para os Estados Unidos. Lá, cuidar da casa (e acho que a Martha Stewart teve todo um papel nisso) é quase uma religião. Existe toda a questão do american way of life, em que as esposas desempenhavam um papel importante, de gestão de uma casa e de uma família equilibradas (pelo menos por fora…). Mas, sinceramente, acho que o método evoluiu muito nesse sentido. Começou a ser personalizado para mulheres que trabalhavam fora. Enfim, deu uma gingada que era importante. Eu nunca deixei de usar. Aos poucos, fui personalizando com o método que estou criando (um trabalho autoral leva anos) com o Vida Organizada e eu compartilhei o início no meu livro “Casa Organizada” (2016).

Hoje, uso uma versão adaptada do método (como já faço há anos), mas se tem algo que eu aprendi com o próprio GTD™ é a importância de voltar ao método original de tempos em tempos. Se é um método, é porque o modo de fazer as coisas como ele propõe simplesmente funciona. Às vezes a gente acaba personalizando tanto que foge do core, da essência do negócio. Então voltar às origens sempre parece uma boa ideia, para mim.

Eu resolvi personalizar os meus alarmes do celular de acordo com o método FLY Lady.

Eles têm uma recorrência diária, mas quando vou trabalhar fora ou estou viajando, desabilito alguns deles que não conseguirei executar (alguns dá, mesmo fora de casa). Vou compartilhar neste post o que estou usando.

Esses são os meus alarmes da manhã.

Bem, eu sempre personalizo. Nem todos os dias eu acordo às 6h45, mas é o padrão. Quando for o caso, apenas mudo na noite anterior. A frase “sucesso é uma decisão” me ajuda a não apertar o snooze rsrs

O segundo alarme é para me lembrar de encher a moringa com água para deixar na mesa enquanto trabalho de manhã. Eu percebi que ficar lembrando o tempo todo de beber água é chato, mas deixar sempre o copo cheio do meu lado facilita dar uns golinhos ao longo do dia. E controlar com uma moringa de 1 litro também me ajuda a ver se bebi pelo menos 2 litros de água por dia (encho à tarde também).

O terceiro alarme (swish and swipe) é da FLY Lady, para lembrar de dar aquela geralzinha nas pias dos banheiros depois de escovar os dentes, de manhã. É um bom lembrete, porque às vezes eu esqueço, mesmo tendo isso no automático há anos.

Quando estou viajando ou em um compromisso externo, eu ajusto os alarmes para tocarem antes, enquanto ainda estiver em casa, ou simplesmente desabilito. O da água eu deixo, porque uso em qualquer lugar.

Costumo almoçar ao meio-dia, religiosamente, depois de implementar algumas mudanças na minha alimentação e na minha rotina de sono. Mas eu coloquei um lembrete para me lembrar de fazer algum tipo de exercício depois do almoço. Geralmente eu dou uma caminhada mas, se não der, faço uns 15 minutos de polichinelo, alongamento ou algo similar, onde quer que esteja.

(Acabei de ver que o alarme de água da tarde está com um errinho rs) Encho a garrafa de água para a parte da tarde.

Tem um lembrete para o meio da tarde para me lembrar de colocar uma carga de roupa para lavar, se eu estiver em casa. Geralmente eu coloco de manhã, antes de sair, quando vou trabalhar fora. Mas, se estiver em casa e ainda não tiver colocado, este é um bom lembrete que funciona. Hoje mesmo usei, hehe.

O lembrete às 16h45 sobre o jantar é excelente, porque muitas vezes meu marido vai preparar algo e eu mando uma mensagem para ele perguntando se ele já comprou tal coisa ou se precisa de algo. De qualquer maneira, é um bom lembrete. Mesmo planejando o menu semanalmente, é uma cutucada que me ajuda a pensar “opa, tá tudo certo”.

Eu simplesmente ADORO esse alarme do “onde estão seus sapatos?” da FLY Lady. Sabe, eu sou uma pessoa um pouco bagunceira com os sapatos (admito kkk). Porque aqui em casa a gente tem o costume de chegar e tirar os sapatos na porta para não circular com eles pela casa. Temos um local na entrada para eles, mas eu não gosto de deixar (permanecer) ali (senão no dia seguinte já chegam outros e acumulam, virando bagunça!). Por isso, ter esse lembrete é totalmente excelente porque me lembra de ir ali, pegar os benditos pares e guardar nos lugares certos, limpar se tiver necessidade (antes de guardar), enfim, é um lembrete certeiro.

Pia brilhando é um clássico FLY Lady. Não gosto de ir dormir com a louça suja. Geralmente meu marido lava mas, se por acaso não tiver lavado, eu lavo. E, se tiver lavado, dou aquela geral tirando restos de alimentos, limpando a cuba etc. Vale a pena. Não faço toooodo o procedimento que ela ensina para a pia brilhar, mas gosto do hábito de dormir com ela vazia e limpinha de modo geral.

Minha rotina noturna na verdade é um gatilho para ver a previsão do tempo, separar minha roupa para o dia seguinte, organizar a bolsa, tomar minhas vitaminas etc. Me ajuda a parar o que estou fazendo e ir cuidar disso, caso ainda não tenha feito.

Aliás, vale dizer que os lembretes são isso mesmo. Te lembram de coisas que você não quer ou não pode esquecer, mas muitos deles tocam quando você até já fez as atividades, o que mostra que elas já são bons hábitos incorporados na sua vida.

23h15 é meu horário de estar na cama para ler. Às vezes vou antes. Adoro esse alarme, porque ele me lembra que eu preciso descansar. E é isso.

Vale dizer que esses lembretes são enviados por e-mail quando você se cadastra no site do método. Eu achava os e-mails bem pentelhinhos, até perceber que o problema era o meio – e-mail não rolava, eu estava no trabalho. Colocar os alarmes no celular foi mais assertivo para mim.

Categoria(s) do post: Novidades

Atualizei o meu texto na página de “sobre” do blog e achei que ficou bastante sincero e inspirado. Compartilho aqui com vocês, para ficar registrado na época em que foi escrito, mesmo que eu o atualize depois.


Em algum momento da vida você diz para você mesmo que não dá para continuar trabalhando e vivendo desse jeito.

Meu nome é Thais Godinho e eu sou uma pessoa que acredita que dá para descansar e trabalhar. Que dá para ter uma vida legal, sem sobrecarga, sem tanto estresse e sem tanta culpa por tomar a decisão de dormir mais em vez de fazer outra coisa.

Sou publicitária. O que não deixa de ser irônico porque publicitários, de modo geral, trabalham muito. Eu não era exceção. Sempre trabalhei demais. Já tive todos os problemas de saúde possíveis com relação ao excesso de trabalho. Com 20 anos de idade, uma crise de labirintite me deixou de cama durante um mês. Motivo: excesso de trabalho. Com 25, tive um burn-out completamente intenso que me levou a uma depressão. E a depressão me levou a uma decisão importante: não quero mais isso para mim.

Mergulhei na meditação, no budismo, nas artes (meu refúgio). Meu pai era músico. Minha mãe, artista plástica. Ambos dois hippies que se amavam e criaram uma filha com pouco dinheiro mas boa intenção. A filha cresceu e foi morar com a avó (advogada), que a colocou na faculdade (mas também queria que ela passasse em um concurso público). Demorou para a menina aprender a pegar todas essas referências e encontrar dentro de si mesma quem ela era de verdade. Terapia ajuda. Uma vida desde bebê vivida em um ambiente criativo, e depois o caos da publicidade, me levaram a ficar completamente apaixonada por organização pessoal e “gestão do tempo”.

Mas tinha um lance – eu nunca me identifiquei com o papo de organização se resumir a guardar seus pertences em caixas brancas e etiquetadas. Pode ser que você ainda não me conheça pessoalmente, mas eu não sou aquele tipo de pessoa que usa tailleur branco e faz escova no cabelo. Eu sou uma mistura de Nikky Sixx com Arya Stark e uma pitada de Chandler Bing simplesmente porque sim. Porque a vida é imperfeita, mas criativa. Eu também. Ser engraçadinha, curiosa, “roqueira” (péssimo termo para quem efetivamente é roqueiro) faz parte da minha personalidade e ter a criatividade como princípio em meu dia a dia faz toda a diferença na forma como eu lido com o meu trabalho.

Organização não é sobre engessar a vida. Organização tem a ver com viver uma vida coerente. Desculpe, eu disse coerente? Quis dizer do caralho. A vida tem que ser foda. Saber que a atividade que você está fazendo agora está, de alguma maneira, conectada com os seus valores, com o seu propósito de vida, se você tiver um. É parar de perder tempo com besteira, sabe? Com coisa que te agride, que te faz mal, que não tem nada a ver com você, que não te leva a nada que você queira para a sua vida.

Claro, todos nós precisamos pagar as contas e declarar o imposto de renda. A vida é feita de burocracias e trâmites chatos muitas vezes. Mas todo o resto que pode ser mudado, vamos tentar mudar. Vamos tentar viver uma vida que permita a gente sorrir todos os dias. Que possa ser curtida. Que não se resuma a responder What’sApp oito horas da noite porque seu chefe não encontra o arquivo para a reunião de amanhã.

E aí, o que acontece quando você quer sair de uma depressão e viver a vida de outro jeito? Você diz para o Deus da Morte: hoje não – e sai cantando pneu com a sua Harley (não que eu tenha uma… algum dia, talvez). Ou sai dando espadada, o que muitas vezes dá no mesmo, especialmente naquelas reuniões chatas que poderiam ser resolvidas com um e-mail.

sobre05

Naquele momento, mergulhar no budismo e na meditação me ajudaram a ver que a mente estar calma é tudo. Foi um momento de epifania. Percebi que, se a minha mente estiver bem, eu fico bem. Mas ok, como eu faço isso?

Pesquisando sobre dicas de bem viver, produtividade, organização, me deparei com um método chamado GTD™ – Getting Things Done. Americano demais para você? Amigo, eu estava desesperada na época. Americano ou chinês, se o cara me ensinasse a viver meu dia de maneira melhor, eu ficaria grata para sempre.

E o livro começa te dizendo que o princípio é ter a “mente como água”. Pure bliss.

Descobri o GTD™ antes da minha “longa noite”. Foi usando o método que eu percebi que não estava fazendo absolutamente nada do que eu gostava. Que meu dia a dia era só responder e-mail, trabalhar até tarde (“vou esperar passar o horário de pico”), reclamar do colega puxa-saco, ficar cansada, exausta, e compensar o sono no final de semana. Tirar as coisas da mente significa que você tem que encará-las. E aí, quando você coloca tudo na sua frente e percebe, olhando no espelho, que você não gosta de nada do que se tornou, como você volta a enfrentar a realidade?

A girl has no name.

Dizem que a depressão é uma das doenças mais racionais que existem. Você está deprimido porque sabe como as coisas são. E as coisas são difíceis, cara. A vida não é para amadores. Mergulhar dentro de você e não encontrar nada, ou não encontrar algo que te motive, é quase enlouquecedor.

Em algum momento, descobri um poema budista sobre acalmar a mente, que compartilho abaixo com você.

Muito conhecimento conduz à super-atividade;
É melhor acalmar a mente.
Quando mais você considera, maior é a perda;
É melhor unificar a mente.

O pensamento excessivo enfraquece a vontade;
Quando mais você sabe, mais a sua mente fica confusa.
Uma mente confusa faz surgir a irritação;
O enfraquecido obstruirá o caminho.

Não diga que não há mal nisso;
A dor resultante pode durar para sempre.
Não pense que nada há a temer;
As calamidades agitam-se como as bolhas em uma panela fervente.

A água gotejando incessantemente
Preencherá os quatro oceanos.
As manchas de poeira não varridas
Se tornarão as cinco montanhas
[Ching-shan, Pei-shan, Nan-shan, a montanha do rei Ashoka e T’ai-po-shan].

Proteja os galhos para salvar as raízes;
Apesar de ser uma questão pequena, não é trivial.
Feche os sete orifícios [os dois olhos, os dois ouvidos, as duas narinas e a boca],
Fecha os seis sentidos [a visão, a audição, o olfato, o paladar, o tato e a consciência].

Não preste atenção às formas,
Não ouça os sons.
Ouvindo os sons, você se torna surdo;
Observando as formas, você se torna cego.

A literatura e a arte
Nada mais são que mosquitos ocupados no ar;
A técnica e a habilidade,
Uma lamparina solitária ao sol.

Aqueles capazes e talentosos
São realmente companheiros estúpidos.
Descartando o puro e o simples,
Eles afogam muita beleza.

A consciência é um cavalo indomado,
A mente é um macaco teimoso.
Se a mente estiver superativa,
O corpo ficará doente e morrerá.

A conduta errônea termina na delusão;
Aqueles que seguem por este caminho tornam-se atolados na lama.
Considerar a habilidade como preciosa
É chamado “confusão”.

Exagerar a indelicadeza e a habilidade arqueada
Não conduz à grande virtude.
De muita fama, mas com pouca contribuição,
Suas reputações desintegram-se rapidamente.

Meramente ler livros
Não é de valor duradouro.
Ser orgulhoso internamente
Traz a inimizade dos outros.

Usar a fala
Ou palavras escritas
Para ganhar o louvor dor outros
É algo muito repulsivo.

O que as pessoas comuns consideram como auspicioso
O sábio toma como mal.
O deleite obtido é passageiro,
Mas a tristeza é duradoura.

Esteja consciente das sombras e rastros;
Quando mais você os deixar, melhor.
Sentando-se ereto à sombra de uma árvore,
Nem rastros nem sombras permanecem.

As preocupações do nascimento e o estresse da velhice
São produtos dos seus próprios pensamentos.
Se o pensamento da mente for terminado,
O nascimento e a morte serão cortados para sempre.

Não morto, não nascido,
Sem forma ou nome,
O caminho é vazio e tranqüilo.
Os fenômenos miríades são iguais.

O que é de valor? O que é barato?
Onde está a vergonha ou a glória?
O que é excelente ou inferior?
Como pode haver pesado e leve?

O céu claro coloca pureza na vergonha.
Nenhum brilho compara-se ao sol brilhante.
Estável como o monte T’ai,
Firme como um muro dourado.

Respeitosamente apresento este poema a todos os virtuosos,
De modo que este caminho permaneça para sempre.

Shih Wang Ming (séc. VI)

E isso mudou a minha vida.

Algo tinha se quebrado dentro de mim. Mas, de alguma maneira, pegar os caquinhos um por um me ajudou a colocar no lugar o que fazia sentido. Fui aprendendo quem eu era de verdade. Levou tempo. Foi difícil. Mas eu sentia que estava indo. Muitas vezes, isso é o suficiente.

Meditação me ajudou muito. GTD™ consolidou as coisas. Me deu estrutura, framework pro raciocínio. Mergulhar nas artes me conectou com quem eu realmente era (música, pintura, desenho, escrita, poemas, compôr). Lia um livro por dia. Em algum momento, me sentia pronta para voltar ao “mercado de trabalho”. Mas eu era outra pessoa.

Em algum momento, já trabalhando, já casada, já com filho… eu percebi que amava esse negócio de verdade. As pessoas estavam ficando doentes por causa do trabalho. E nem tinha What’sApp na época. Eu criei o blog em 2006, mas demorei uns outros seis anos para perceber que queria trabalhar com aquele assunto. Não tinha ideia como. GTD™ me ajudou, claro. Estruturei um projeto, objetivos, visão do que eu queria. Não sabia como fazer. Só sabia o que eu queria. (Ufa, de boa, esse é o passo mais difícil)

Comecei a estudar de verdade. Livro eu já lia pra caramba. Comecei a fazer cursos. Ler artigos acadêmicos. Montar um plano de negócios para o blog (foi o tema do meu projeto de conclusão da pós em mídias digitais). Me certifiquei. Certificar te coloca em outro nível. E, aos poucos, comecei a ser chamada para trabalhos.

Em algum momento, você tem que fazer a escolha. Ninguém disse que seria fácil. Ninguém disse que eu teria certeza. Mas, em algum ponto do tempo e do espaço, você sente dentro de você que é o momento. E, em 2014, foi o meu. Entreguei minha carteira de trabalho, a cartinha de demissão, e com o salário do mês eu peguei a minha família e me mudei para São Paulo de volta (moramos três longos anos em Campinas zzz), com a promessa que só os loucos (muito loucos, às vezes), porém cheios de sonhos, entendem.

Não foi loucura total. Consegui um primeiro (bom) contrato, que me garantiria o sustento durante alguns meses. Nunca vou me esquecer de quem me deu a mão. Aqui, foi o Daniel (Burd, da Call Daniel). Gratidão eterna. O resto eu fui criando. Não foi fácil. Foi sem foco pacas. Um empreendedor não existe do nada. Nasce e vai aprendendo. Não é fácil para ninguém que sempre foi funcionário, e nem é para todo mundo. É difícil. Mas tem algo, que hoje eu sei que é o propósito, que te mantém ali, forte, fazendo e correndo atrás das coisas. Revisões semanais também ajudam.

As coisas foram acontecendo. Não tinha como dar errado. Você entende? Eu tinha um filho que dependia de mim e um marido que abdicou de sua vida para que eu vivesse o meu sonho. Eu não podia deixar que desse errado. Precisava dar certo, porque era tudo o que eu tinha. Lancei meu primeiro livro. Comecei a dar aula. Fui me aprofundando nas certificações. Virei referência no método. A empresa começou a crescer. Contratei pessoas. O resto é história.

Em 2015, conheci o David Allen (autor do método GTD™). Acho que junto com o Paul McCartney e o Dumbledore (sim, o Albus), não tinha mais ninguém que eu gostaria de conhecer tanto pessoalmente. Meditei um mês antes de ir. Foi sensacional (ele mora em Amsterdam).

Yo, David! What’s your next action?

Resumindo o papo todo, hoje eu tenho uma empresa, chamada TGO, que é uma consultoria com foco na cultura do trabalho. Envolvo-me com três públicos: o corporativo (empresas, equipes), o empreendedor (o cara que fez a transição que eu fiz, para ajudar) e o trabalhador (o indivíduo que não tem empresa mas precisa ou quer ter uma vida melhor, mais legal, sem tanto estresse). De modo geral, mulheres com filhos se identificam mais comigo, por eu ser quem eu sou, mas eu atendo homens e mulheres igualmente. Estresse e caixas de e-mails lotadas unem as pessoas, não importa seu sexo, gênero ou cor de pele.

Ainda me considero uma pessoa bastante maluca por ter a coragem de todos os dias viver daquilo que acredito. Não é fácil você ir na contracultura da produtividade quando o mundo é um trator capitalista sem dó. O sistema DESTRÓI, amigo. Nunca se engane quanto a isso. Tá aí pra colocar pra baixo o cara desempregado, que precisa aceitar o emprego pagando menos porque não tem comida na mesa da família. E esse é o cara que precisa responder mensagem do chefe com desaforo porque ele atrasou 5 minutos em dia de enchente em São Paulo, depois de duas horas no trânsito. Como eu posso ajudar essas pessoas? Como eu posso ajudar a mim mesma, quando EU estiver no trânsito na enchente? OMG.

Produtividade serve para ajudar a gente a ter uma vida legal. A melhor coisa que você pode fazer pela sua produtividade é dormir bem. Esqueça a técnica pomodoro. Durma bem. Coma direito. Beba água. Descanse. Faça sexo. Dê risada. Troque a faxina pelo Netflix.

Ok, tem coisas que a gente precisa fazer, mas dá pra fazer mais legal. É isso. Não precisa ser escravo da rotina. É o que eu ensino, então. E, pra falar a verdade, se resume muito mais em aprender, porque cada pessoa é um universo e as soluções são personalizadas. Todo dia um leque imenso se abre à minha frente, o que considero um privilégio.

Neste blog, eu tento trazer diariamente, há mais de uma década, um pouco desses aprendizados, aplicados na minha vida. Não teria como ser diferente. On bended knee is no way to be free*.

*”De joelhos não tem como viver livre”. Trecho da música “Guarantee”, do Eddie Vedder, trilha sonora do filme “Na natureza selvagem”.

MINHAS CERTIFICAÇÕES RELACIONADAS A ORGANIZAÇÃO E PRODUTIVIDADE

  • Personal Organizer – OZ (2012)
  • Office Organizer – OZ (2014)
  • GTD Level 1: Fundamentals – Master Trainer (2015)
  • GTD Level 2: Projects & Priorities – Master Trainer (2015)
  • GTD Level 3: Focus & Direction – Master Trainer (2018 – em andamento)
  • Personal & Professional Coaching – Sociedade Brasileira de Coaching (2016)
  • GTD Coaching (2017 – em andamento)
  • Coaching de Carreira – Sociedade Brasileira de Coaching (2018 – em andamento)

MEUS LIVROS

  • Vida Organizada (2014)
  • Casa Organizada (2016)
  • Trabalho Organizado (2018)

Contato: Twitter @thais

Categoria(s) do post: Ferramentas de organização

A agenda do Google tem uma das características que eu mais gosto, que é a possibilidade de criar várias agendas diferentes. Como dá para mudar a cor dos compromissos, eu não usava tanto o recurso de agendas em si, mas faz algum tempo que eu voltei a usar e tenho gostado dos resultados.

De modo geral, minha abordagem do uso da agenda vem do método GTD™, e o que ocorre é que o David (autor do método) ensina a gente a ser bem espartano com a agenda: coloca só o que precisa ser feito em um dia ou horário específico. Agenda não é lista de desejos. Sua agenda é território sagrado.

Mas eu também levei em consideração a recomendação de que o calendário deve ser um guia para a gente. E eu senti que a minha rotina – como empresária, mãe, escritora, criadora de conteúdo, professora, pesquisadora – estava tendo alguns “gaps” justamente porque eu não estava usando a agenda para colocar exatamente coisas que eu deveria fazer em um dia ou em um horário específico. E aí a gente chega no nosso tema do mês, que são os hábitos.

(Esta semana vou escrever um post sobre como foi o evento do GTD em Amsterdam, que teve uma participação do Charles Duhhigg, autor de “Poder do Hábito”, e falarei sobre alguns insights legais que tive ao ouví-lo.)

Foi então que eu resolvi fazer um teste com o meu calendário ao longo deste mês e, apesar de ter seus contras, estou gostando muito. Tem me ajudado com alguns hábitos e a ter disciplina. Criei várias agendas de acordo com as categorias de coisas que entram no meu calendário. A saber:

Vou comentar agenda por agenda para vocês entenderem para que eu uso cada uma delas.

Agenda – Thais (Geral) é a agenda onde eu insiro vôos, agendamentos, reuniões, cursos, aulas, enfim, basicamente, onde me deslocarei fisicamente ou preciso estar. Essa é a agenda principal. Quando preciso ter uma noção de volume de tudo o que terei no mês ou na semana, seleciono para visualizar apenas ela. E esse é o grande ganho de você usar diferentes agendas e não apenas mudar as cores – poder escolher o que você quer visualizar, o que ajusta o foco momento a momento. Essa agenda também é compartilhada com o meu marido, então ele consegue ver onde vou estar, informações de vôos e outras importantes.

Perceba que todas as agendas têm cores clarinhas, mais ou menos pastel. É proposital, para a agenda não parecer um carnaval (nada contra carnaval, mas tenho dificuldade de visualizar coisas que sejam muito poluídas visualmente).

Isso também é bom porque me permite ter noção do volume. É isso. Vejo quando tenho dias ou semanas mais cheias, e isso me permite tomar decisões importantes sobre como alocar o tempo nos outros momentos.

Academia / Ativ. Física é a minha programação de exercícios. Eu coloco as aulas da academia que gosto de fazer e a minha programação para o final de semana ou sempre que encaixo alguma atividade que não era habitual. Por exemplo, às vezes gosto de correr no parque. Não faço isso sempre. Mas, quando planejo a minha semana, e vejo que tenho a possibilidade de fazer isso, talvez, no domingo, eu insiro esse compromisso no horário que pretendo ir. Isso me ajuda a programar aquele dia em questão, frente a outras coisas que eu queira fazer. É bem interessante porque é um compromisso comigo mesma. Marcando, eu me programo para ele no dia anterior dormindo em um horário bom, separando a roupa, deixando o café-da-manhã meio no esquema etc.

Tem a ver com implementação de hábitos porque eu não costumava fazer atividade física de manhã, mas ao final da tarde. Tem sido uma mudança significativa para mim mudar esse horário, então fez todo sentido colocar na agenda para seguir e me programar. Procuro me exercitar sempre nos mesmos horários para ensinar meu metabolismo o ritmo que seja mais natural a ele.

Ações – Dia Específico é uma agenda onde eu insiro ações pontuais que preciso fazer em dias específicos do mês ou da semana, mas que podem ser feitas a qualquer horário, contanto que sejam naquele dia. Eu tenho duas outras agendas que são parecidas, que contém rotinas da casa e do trabalho. Esta é diferente. Ela traz ações que não são rotina, mas coisas pontuais. Sei lá, para mim fez sentido categorizar assim.

Para inserir as ações ali em cima, eu marco como compromisso de “dia inteiro” na configuração do evento. Eu sei que o Google tem uma agenda para isso chamada “lembretes”, mas não gosto de usar (fica fora do padrão com aquela caixinha de check e prefiro manter um padrão visual).

Contas é uma agenda excelente, pois me permite ver todas as contas e vencimentos delas de uma só vez na agenda.

Eu consigo fazer o controle dos pagamentos das contas de maneira muito organizada com o calendário. Eu sempre insiro o $ para saber de cara que é uma conta. Também coloco a informação se ela precisa ser paga com a minha conta de pessoa física ou de pessoa jurídica (coloco um PJ). E, quando ela é paga, eu coloco esse ✓ antes. Aliás, faço isso com tudo na agenda, pois assim mantenho um registro do que foi feito. Apenas dá um prazer visual de ter as coisas assim.

Para as contas, o calendário acaba sendo uma ótima fonte de consulta. Nessa última viagem, por exemplo, não lembrava se eu tinha pago uma conta que ia vencer esta semana. Em vez de ter que acessar aplicativo de banco etc, eu apenas olhei na agenda, e vi que ela já tinha sido paga porque estava com o ✓ nela.

Conteúdo é uma agenda que simplesmente assum que precisava criar e que me ajuda MUITO a direcionar no dia a dia para o conteúdo que eu crio gratuitamente para os diversos canais.

Eu faço um X quando não teve aquele conteúdo só para me cutucar mesmo. “Olha lá, tá vendo, aquele dia ficou sem vídeo”. Não que eu me cobre horrores com relação a isso, mas acho importante ter o controle. E, no dia a dia, ter isso visualmente me ajuda a ficar tranquila com o que já fiz. Por exemplo, eu acesso a minha agenda e vejo que já fiz stories naquele dia, no Instagram. Então tá tudo bem, não preciso mais me preocupar com esse conteúdo – tem outros canais precisando da minha atenção. Desde que comecei a fazer assim, melhorei muito minha relação com a produção de conteúdo e tenho conseguido organizar melhor minha rotina de postagens.

Vale lembrar que a agenda é apenas uma das ferramentas que a gente usa para se organizar. Não é TODA a minha organização que entra na agenda. Por favor, leia um outro artigo aqui no blog em que explico mais sobre isso.

Eventos – Oficina é uma agenda que não está marcada porque é a nossa agenda da sala de treinamentos, que usamos para organizar quando ela estiver locada para algum curso. Quem atualiza é a Silvia, e eu visualizo como referência, quando preciso. De modo geral, quando são os meus cursos, entram no meu próprio agendamento porque demanda o meu deslocamento. Nessa agenda, nem sempre (estamos alugando para terceiros).

Informações Relevantes é uma agenda que trazer informações que possam ser úteis em dias específicos, como o dia do rodízio do carro ou um lembrete de algo que preciso saber no dia (marido vai tocar em tal lugar ou Paul tem prova de georgrafia na escola). Também uso para prazos importantes de projetos, como “último dia para submeter os documentos na secretaria do mestrado”. Ao planejar a minha semana, já vejo essas informações e tomo providências, quando posso antecipar. Tem coisas que basta saber no próprio dia mesmo. Por exemplo, saber que o Paul tem prova de geografia me lembra de perguntar para ele como foi, depois.

Lembretes, como comentei, é um recurso que eu não uso.

Menu Semanal é a maravilhosa agenda que me lembra dos lanchinhos que preciso fazer e que me ajuda a programar o que vamos jantar e almoçar todos os dias da semana. Costumo planejar quando faço o planejamento semanal, e já programo o menu de acordo com os compromissos da família. Já consigo ver os dias que meu marido pode cozinhar, os que eu posso, os que a gente pode comer fora, os que a gente pode comer o que sobrar do dia anterior etc.

Eu tenho uma rotina de alimentação bastante regrada, e gosto muito de tê-la, porque me ajuda a ter uma saúde melhor. Ter criado essa agenda me ajuda a ficar ligada nos horários e não me esquecer de fazer os lanchinhos, especialmente, ou de não marcar nada no horário das refeições principais.

Sobre jantar às 18h, leia outro post em que comento sobre isso. Não é a minha última refeição do dia. Meu marido e meu filho jantam mais tarde, e eu faço uma espécie de lanche com eles, para termos nosso momento juntos. Mas começar a jantar (uma refeição mais substanciosa) cedo mudou a minha vida. Faço ainda uma ceia, caso vá dormir mais tarde (um cházinho). Nossa, eu amo essa agenda.

Aí vamos para duas agendas sensacionais.

Rotina da casa traz todas as ações que preciso fazer em dias da semana e do mês de maneira recorrente, como colocar o lixo para fora, limpar a geladeira e outras. Eu também insiro, semanalmente, as missões do método FLY Lady e outras infos dele. Eu amoooo essa agenda, porque me ajuda a ter foco quando estou em casa, executando tarefinhas que não posso esquecer de fazer.

Como dica, recomendo evitar “lotar” essa agenda. Nem tudo entra na agenda. Existem tarefas que devem entrar na lista de tarefas, em outra ferramenta. Tem que tomar um super cuidado para não sobrecarregar a agenda quando você começa a categorizar muito assim que nem eu estou fazendo, senão corre o risco de cair no micro-gerenciamento.

Rotina de trabalho vai na mesma linha, mas com atividades profissionais. Tem sido excelente porque eu tenho bastante coisa que é recorrente. Separar um pouco das outras agendas me ajuda a ver o volume.

Rotinas do GTD não tem muita coisa. Basicamente, uso para programar a minha revisão semanal semanalmente, e também as outras revisões. Tem dias também que gosto de bloquear horários para esvaziar caixas de entrada, especialmente agora esta semana que estou voltando de viagem. Enfim, eu uso o bloqueio de horários com bastante parcimônia, mas de vez em quando vale a pena.

Eu tenho duas outras agendas que também ficam selecionadas para o dia a dia e me ajudam muitão, que são os feriados brasileiros e as fases da lua.

Um outro recurso que comecei a implementar de novo este mês (com foco em hábitos) são os alarmes do celular, para lembretes ao longo do dia, mas isso é assunto para um outro post. Espero que este aqui tenha sido útil para trazer ideias. Lembre-se que tudo na organização é um processo pessoal e que precisa fazer sentido para você. E que você pode mudar a qualquer momento, se sentir que já não funciona. Você tem toda a flexibilidade do mundo para lidar com a sua própria maneira de gerenciar o tempo.

Categoria(s) do post: Novidades

Eu cheguei ontem de viagem e hoje tirei o dia para organizar as coisas, me recuperar do fuso horário, resolver pendências da empresa, organizar os próximos cursos e iniciativas. 🙂 Por isso, uma das coisas que fiz foi reunir em um único lugar todas as soluções de organização, trabalho, produtividade e planejamento que faço.

Basicamente, eu trabalho com três tipos de públicos: empresas (corporativo), empreendedores (personal organizers formadas ou em formação, coaches etc.) e indivíduos (a maioria). Como a maioria é de indivíduos, neste post vou trazer as soluções para esse público. Caso você tenha foco corporativo ou empreendedor, verifique nossa página da consultoria para mais informações.

Se você estiver buscando soluções de organização e produtividade para você, sem fins de empreendedorismo ou atuação coletiva dentro de empresas, este é o lugar certo para você.


Conteúdo gratuito

Todos os dias, em nossos diversos canais, produzimos e publicamos conteúdo gratuito de alta qualidade para ajudar você a se organizar, ter uma vida mais significativa e dias mais produtivos. Confira o blog, o Instagram (com dicas mais rápidas), nosso canal no YouTube, nosso Pinterest (para referência e indicações de outros sites) e nosso grupo no Facebook. Em breve, teremos também um podcast.

Temos uma checklist para organização da casa (que impacta todas as outras áreas da vida), que pode ser baixada mediante cadastro nesta página. O envio é automático após o cadastro.


Livros

Temos três livros publicados com foco em organização:

  1. Vida Organizada (2014). Neste livro, você aprende sobre como a organização é um processo para a sua vida, contemplando lado pessoal e profissional. Você aprenderá como o planejamento de vida mais macro conversa com o seu dia a dia. Além de dicas gerais para se organizar hoje mesmo. (link para comprar na Amazon)
  2. Casa Organizada (2016). Livro que apresenta o método Vida Organizada para a organização de qualquer área da vida – neste caso, casa e vida doméstica. Aprenda como cuidar da casa para que ela te sirva, não o contrário. Foca não apenas na organização dos ambientes e espaços, mas na rotina de comida, limpeza, lavanderia etc. (link para comprar na Amazon)
  3. Trabalho Organizado (2018). Livro voltado para a organização da rotina de trabalho em suas diferentes nuances, além de orientações para estudos e formação contínua. (link para comprar na Amazon)

Não há ordem certa de leitura. Comece por aquele que fizer mais sentido para você no momento e depois leia os outros se sentir necessidade.

O preço de capa de cada livro é de R$30, mas você frequentemente encontra em promoção por até R$15 nas diversas fontes de venda, além da versão em e-book que pode sair mais barata ou até de graça em alguns momentos (fique ligado/a na Amazon para tais promoções!).

O livro do método GTD™ (que falamos bastante no blog) chama-se A Arte de Fazer Acontecer. (link para comprar na Amazon)


Curso Online de Introdução à Organização

O propósito deste curso é ser um curso de entrada para quem quer aprender a se organizar mas ainda não sabe exatamente que caminho seguir, se deve utilizar algum método ou não, quais são os métodos enfim, os caminhos, as técnicas etc.

Neste curso de introdução, com cerca de 1h de duração, você vai aprender os conceitos básicos de organização e como começar a se organizar com o método Vida Organizada. O valor do curso é de R$197.

O curso é 100% online. Clique aqui para saber mais informações, se inscrever e ter acesso imediato.

Temos também uma palestra gravada de introdução ao método GTD™ que você pode acessar clicando aqui. É específica para o método GTD™, apenas. Pode ser uma boa se você quiser conhecer o método para ver se gosta do jeitão dele antes de investir em outros cursos ou iniciativas pessoais.


Curso Online: Organize-se em 2019

“Organize-se em 2019” é nosso programa completo de organização, em formato de vídeo-aulas e textos, que ensinam passo a passo, com detalhes, como se tornar uma pessoa organizada em todas as áreas da sua vida. É o curso definitivo que você precisa fazer para aprender a se organizar e implementar o hábito em sua vida. Inclui todos os conteúdos ensinados pelo Vida Organizada com foco em VIDA, CASA e TRABALHO, além de tutoriais para ferramentas. São muitas, muitas horas de aulas, além de infinitas horas de dedicação individual, de acordo com a sua vontade para a realização dos exercícios (no entanto, nossa programação para realizar todas é de até 1 ano!). O valor do curso é de R$2.400 (pode ser parcelado).

Trabalhamos com turmas e vagas limitadas (para o atendimento aos alunos) e as inscrições são abertas apenas em alguns momentos específicos do ano. Clique aqui para saber mais e se inscrever.


Cursos Presenciais: Método GTD™

O método GTD™ é o método de produtividade que eu utilizo. Existe um programa educacional, desenvolvido pelo autor (David Allen), e que no Brasil é distribuído pela Call Daniel (franquia brasileira que detém exclusividade sobre o método aqui). Eu realizo as turmas abertas em parceria com eles.

Existem três cursos, que englobam todo o conteúdo da metodologia. O curso 1, chamado de Fundamentos, é o curso definitivo para aprender e implementar. Contempla dois dias de curso + 2h online para Revisão Semanal. O curso 2, chamado Projetos & Prioridades, é realizado em 1 dia e meio e tem foco no planejamento de projetos e em como desenvolver um sistema totalmente integrado. O curso 3 chama-se Foco & Direção e é focado na integração de todos os horizontes do GTD (ações, projetos, objetivos, áreas de foco, visão e propósito).

Esses cursos são realizados mensalmente por mim em São Paulo. Confira a programação de cursos no site da nossa Oficina de Organização. Para cursos em outras cidades, estamos organizando aprogramação com outros instrutores.


Workshop Presencial: Planejamento de Vida

O propósito deste workshop é ensinar a minha técnica de planejamento de vida de curto, médio e longo prazo. Ele precisa ser presencial porque tem muita troca de experiências, olho no olho, atividades em papel e interação com um grupo menor e presente pessoalmente.

Gostamos de definir este curso como um “coaching em grupo”. Por um valor muito menor que qualquer processo individual de coaching, você aprenderá as principais técnicas para aplicar ao planejamento de sua vida, para sempre! E também como fazer os reajustes necessários. O valor do curso é R$997 e inclui 1 dia de curso (8 horas) + grupo no What’sApp para suporte depois.

O curso acontece regularmente, normalmente a cada 2 ou 3 meses, apenas em São Paulo. Confira no calendário da nossa Oficina de Organização quando será a próxima data e inscreva-se direto por lá.


Mentoria de Organização

Desenvolvemos um programa avançado de organização que consiste na combinação de encontros em grupo (apenas com pessoas selecionadas), coaching individual e desenvolvimento de hábitos com nosso suporte. É a nossa mentoria de organização, que dura seis meses e tem o valor de R$6.000 (pode ser parcelado). O valor será reajustado em 2020.

  • 12 encontros (aulas) em grupo
  • Acesso irrestrito ao curso online Organize-se em 2019
  • 6 encontros individuais com a Thais (30 minutos cada) virtuais, através da ferramenta Zoom
  • Atendimento diário via e-mail e grupo exclusivo no What’sApp para suporte e tirar dúvidas diretamente com a Thais

As inscrições são abertas semestralmente e há um processo seletivo para preenchimento das poucas vagas. Confira mais informações sobre a segunda turma de 2019.


Atendimento Individual

Caso você precise de uma experiência mais personalizada de organização, temos atendimentos individuais realizados com a Thais Godinho. Como se trata de um atendimento individual, a agenda é bastante restrita para esse tipo de atendimento e o valor representa esse serviço mais VIP, de fato. Todo o nosso programa educacional foi desenvolvido para que o indivíduo consiga aprender com a Thais e nosso time de especialistas sem precisar fazer o investimento em um trabalho individual. Por isso, recomendamos todos os cursos anteriores e o atendimento individual apenas se realmente sentir necessidade, tiver pressa ou quiser ter esse trabalho individualmente com a Thais.

Os formatos que temos são:

Reunião virtual única para tirar dúvidas sobre assuntos diversos ou específicos em organização
1h de atendimento via Zoom (ferramenta)
Valor: R$500 a hora
Para contratação ou tirar dúvidas, entre em contato

Programa semanal para tirar dúvidas sobre aplicação da organização aprendida com o blog ou outros recursos
4 a 8 reuniões via Zoom (ferramenta) de até 1h cada, semanais
Valor: R$1.800 (4 encontros) ou R$R$3.600 (8 encontros)
Esses valores já estão com o desconto para contratação do “pacote”, comparado à hora individual
(pode ser parcelado)
Para contratação ou tirar dúvidas, entre em contato

Coaching de vida
8 a 12 sessões via Zoom (ferramenta) de até 1h cada, semanais
Valor: R$8.000 (8 sessões) ou R$12.000 (12 sessões) (pode ser parcelado)
Programa individual da mentoria, mas personalizado e com atendimento individual maior.
Caso tenha participado do curso de Planejamento de Vida, o valor do curso pode ser abonado do valor final do coaching.
Caso tenha participado do curso online Organize-se em 2019, recomendamos 8 sessões.
Para contratação ou tirar dúvidas, entre em contato

Coaching para aplicação do método GTD
Presencial, 2 dias, + 2 sessões virtuais de acompanhamento (via Zoom)
Valor: R$8.000 (pode ser parcelado)
Recomendamos a realização dos outros cursos do método GTD em vez do coaching. O coaching é recomendado para quem não tem tempo de fazer os cursos e precisa de uma experiência mais personalizada. O coaching precisa ser realizado na residência ou local de trabalho do coachee. Custos de viagem serão incluídos, caso seja em outra cidade, estado ou país que não em São Paulo, SP, Brasil. Recomendamos o coaching para quem não tem tempo de realizar os três cursos.

Coaching para ajustes personalizados no sistema GTD
Presencial, 1 dia, + 1 sessão virtual de acimpanhamento (via Zoom)
Valor: R$4.000 (pode ser parcelado)
Este atendimento é recomendado caso você precise de suporte para ajustes em seu sistema GTD. É recomendável ter realizado pelo menos um dos cursos do programa oficial ou ter experiência na metodologia. O coaching pode ser realizado em nosso próprio espaço em São Paulo (região de Perdizes) ou na residência ou local de trabalho do coachee. Custos de viagem serão incluídos, caso seja em outra cidade, estado ou país que não em São Paulo, SP, Brasil.

Coaching virtual para aplicação do método GTD
Virtual (via Zoom), 8 sessões semanais de até 1h
Valor: R$3.600 (pode ser parcelado)
Recomendamos a realização dos outros cursos do método GTD em vez do coaching. O coaching é recomendado para quem não tem tempo de fazer os cursos e precisa de uma experiência mais personalizada. Para o formato virtual, o indicado é que o coachee tenha uma certa experiência com o método, para que as sessões sejam melhor aproveitadas. Caso esteja começando “do zero”, recomendamos os cursos (para quem tiver mais tempo) ou o coaching presencial de 2 dias (para quem quiser ir mais rápido), que tem esse foco.

Consultoria para organização de espaços
1 reunião virtual (via Zoom) + 1 dia de atendimento em sua residência ou local de trabalho para orientações + 1 reunião virtual de suporte (via Zoom)
Valor: R$5.000 (pode ser parcelado)
Você receberá um guia em PDF para que possa aplicar a organização do seu espaço de maneira personalizada, com nosso suporte para tirar dúvidas
Para contratação ou tirar dúvidas, entre em contato

Organização de ambientes
Caso precise do serviço de organização em seu ambiente, trabalhamos por ambiente (quarto, closet, cozinha etc). O valor depende da complexidade do local (tamanho, quantidade de coisas). É necessária uma avaliação, que pode ser feita virtualmente, através do envio de fotos e informações por e-mail. Realizamos esse atendimento apenas na cidade de São Paulo, com a ajuda de outros profissionais para a realização do serviço. Entre em contato descrevendo de modo mais detalhado possível o ambiente que deseja organizar.
(Nós também oferecemos um valor diferenciado para a organização de mais de um ambiente. Entre em contato!)

Obrigada!

Categoria(s) do post: Diário da Thais

Queridos/as,

Esta semana estou em Amsterdam para o GTD Summit, um evento global e único para o método GTD. Serei uma das palestrantes do evento.

Devido à agenda de compromissos realmente intensa por aqui, resolvi tirar a semana de “férias” na produção de conteúdo e outros trabalhos, pois ficaria muito corrido lidar com isso e outras atividades.

Aproveito para dizer que já finalizei a seleção dos participantes da mentoria, mas ainda não contatei todos que entraram nem os que não foram selecionados – o farei na semana seguinte, justamente, por estar no evento. Obrigada a todos que se inscreveram. Temos uma lista de espera, pois muitas pessoas incríveis se inscreveram, mas temos poucas vagas. Assim que você receber nosso contato, por favor, garanta a sua, pois temos pessoas muito bacanas que infelizmente não vão conseguir entrar por termos poucas vagas.

Estou cinco horas à frente no fuso horário para o Brasil e com uma agenda bastante intensa mesmo de compromissos, então não conseguirei fazer outras coisas além de me dedicar ao evento esta semana, por isso estou postando este recado. Estou tentando postar nos stories do Instagram sempre que possível. Acompanhe por lá, se quiser.

Fiquem bem. Volto logo. Um beijo.

Categoria(s) do post: GTD™, Planejamentos

Gosto de pensar nos meus objetivos como de curto, médio e longo prazo.

Os objetivos de curto prazo são aqueles que quero alcançar em até dois anos. Isso vem da noção de objetivos (Horizonte 3) do método GTD, que aplico pessoalmente.

Para mim, funciona ter um mapa no Mind Meister, onde faço uma descrição de cenário (como eu quero que a minha vida seja, em todos aspectos, em até dois anos), e onde listo as metas e objetivos específicos para este ano, ano que vem e o outro (horizonte de até dois anos).

Reviso sazonalmente esse mapa, ou sempre que sinto necessidade de ter mais foco.

Esta semana, com a aproximação do solstício, eu senti necessidade de revisar o mapa, e foi muito bom porque me permitiu ter um alinhamento legal do que ainda quero alcançar este ano, do que já alcancei, e do que faz mais sentido esperar para o ano que vem.

Eu desfoquei as metas que ainda não foram alcançadas para não dispersar as energias. Acredito muito que é importante guardar os objetivos em segredo para que o foco seja pessoal e a gente celebre apenas quando conquistá-los.

Consegui alcançar três objetivos que, para mim, eram muito importantes este ano.

Trocar de carro

Trocar de carro era importante porque nosso carro estava pequeno para nós, e desconfortável. Meu marido é músico e precisa se deslocar com equipamentos, e não cabiam no nosso carro antigo. Qualquer viagem de final de semana que a gente fizesse não cabiam as pessoas e as malas, mesmo que pequenas, o que não era nada confortável.

Eu sinceramente não sou uma pessoa aficcionada por carro (nem tenho carta de motorista e me desloco de transporte público e Uber tranquilamente, pois moro em uma região boa em São Paulo), mas com o filhote e a profissão do marido, precisamos.

Trocamos então para um carro maior, sem exageros, que atende as nossas necessidades.

Ministrar um curso em Portugal

Mais ou menos desde 2016 venho pesquisando e explorando as possibilidades de trabalho em Portugal, já prevendo que nosso país não seria uma opção muito legal com os direcionamentos políticos que vinham se desenhando.

No entanto, muita coisa aconteceu de lá para cá. Coisas pessoais, na nossa família, e coisas profissionais, que me fizeram entender que seria melhor continuar focando no Brasil nos próximos anos.

De qualquer maneira, atravessar o oceano para realizar um curso em Portugal foi algo que me encheu de um orgulho bom por tê-lo feito. Conhecer pessoalmente os alunos que me acompanhavam de longe há tanto tempo, dizer para mim mesma que eu podia fazer aquilo – tudo isso foi muito importante para mim.

O curso deu um trabalhão para a gente aqui no Brasil (só tenho a agradecer a equipe do VO por isso) e na verdade nós tivemos problemas diversos que não vêm ao caso, mas valeu demais a experiência.

Fora que adorei conhecer Lisboa. Fiquei apaixonada por Portugal. 🙂

Ter a nossa própria sala de treinamentos

Esse foi um passo bastante largo que nós demos este ano. Tínhamos um gasto fixo mensal com sala para cursos, e vimos que era um dinheiro que estávamos praticamente jogando fora. Pelo mesmo valor, poderíamos ter a nossa sala e aproveitá-la melhor.

Por isso, durante alguns meses pesquisamos qual seria a melhor solução, e alugamos e configuramos uma sala para que possamos fazer nossos cursos e atendimentos presenciais.

Nossa ideia é ficar pelo menos um ano com essa sala antes de irmos para um espaço maior, onde poderemos juntar escritório e sala para cursos no mesmo ambiente.

Eu estou curtindo e celebrando muito essa conquista, pois ela significa MUITO para nós!

Outras metas

Tenho outras metas e objetivos ainda para este ano que, como comentei, “borrei” na imagem para não dispersar as energias. Mas eu prometo compartilhar assim que cada meta for alcançada. 🙂 A próxima delas serea alcançada na próxima semana.

Vale dizer que eu tenho um plano para alcançá-las. As metas não são simplesmente algo que eu escrevo e fico olhando todos os dias esperando a sorte me levar até elas. Acredito sim que seja importante ter sorte, mas não é o suficiente. Para cada meta e objetivo, eu tenho projetos factíveis que me permitem trabalhar naquilo que eu quero alcançar, semana a semana. Por isso, consigo dizer se uma meta é realmente algo factível para este ano ou prefiro colocar para o ano que vem, por exemplo.

E tá tudo bem renegociar esses prazos comigo mesma. Eu tinha metas para este ano que repensei depois de um tempo, pois vi que não eram o momento ou se tornaram irrelevantes perto de outras coisas que eu queria fazer. Isso serve para o lado pessoal e o lado profissional.

Por exemplo, eu gostaria de fazer uma viagem com a minha família de férias, uma viagem mais longa, mas eu percebi que não era o momento. Preciso focar em algumas outras coisas e adiei a viagem por alguns meses, para um momento que será mais apropriado para todos nós. Simplesmente fez sentido e estou bem com relação a essa decisão. Não adiantaria nada eu ser teimosa e manter a viagem em outubro apenas porque, em algum momento, eu defini que outubro seria a data da viagem. Não, eu pensei melhor, refleti, e outras coisas que aconteceram este ano me fizeram perceber que seria mais adequado deixá-la para o ano que vem, pois em outubro eu estarei defendendo minha dissertação do mestrado, por exemplo, além de outros projetos profissionais importantes.

Falando em trabalho, eu também tinha alguns projetos profissionais que gostaria de iniciar nesse segundo semestre e acabei mudando de ideia. Quero focar em outras questões, também fundamentais para mim e para a empresa. E é isso, é assim que funciona. Não se trata de lidar com perdas ou desistências, mas de rearranjar prioridades.

Organização é isso mesmo, não é? Um reconstante reequilíbrio perante as coisas que vão acontecendo, tanto externa quanto internamente. E é muito bom ter um processo pessoal para administrar tudo isso, além de contar com boas ferramentas.

O que eu tenho feito mais ultimamente é revisar e comemorar as conquistas tanto quanto olho com alegria aquilo que ainda está por vir a ser conquistado. Cada meta é celebrada sempre, e não apenas quando foi alcançada. Isso me permite curtir mais a vida, sabe? Ficar mais feliz pelo que já tenho, além de pensar no que ainda quero conseguir.

Categoria(s) do post: GTD™

GTD (Getting Things Done) é o método de organização e produtividade que eu utilizo desde 2006 e é o sangue que corre nas veias do Vida Organizada.

Este post é uma dica para quem usa GTD e conhece a recomendação da organização das listas de próximas ações por contexto. Caso você seja novo/a por aqui ou nesse assunto, leia os seguintes posts:

Uma das dores de quem usa GTD, que eu ouço muito em sala de aula e nos grupos que participo, é sobre “nunca conseguir ter tempo de acessar as listas por contextos”. O dia a dia é tão atribulado, ou o calendário é tão cheio, que mal sobra tempo para outras atividades. Com isso, as listas de próximas ações acabam esquecidas, o que é péssimo, pois temos lá ações avulsas e de projetos que precisam andar.

Muitas vezes, por conta desse problema, algumas pessoas acabam colocando prazo em suas ações (mesmo que elas não tenham prazo), o que acaba tirando um pouco a estratégia de executar de acordo com o contexto. Em vez de fazer isso, tenho uma dica que eu faço e que acredito que pode ajudar.

Toda vez que eu executo uma ação que esteja no meu calendário para o dia, eu aproveito para dar uma olhada na lista do contexto daquela ação em si. Por exemplo, se precisei pagar uma conta hoje no Internet Banking, aproveito para executar pelo menos mais uma ação sem prazo que esteja na minha lista de ações para resolver no banco.

Se eu tiver que fazer alguma coisa em casa hoje, eu aproveito para executar pelo menos uma ação sem prazo que estiver naquele contexto.

Tem dias tão cheios que eu não consigo fazer isso em todos os contextos. Mas minha disciplina é para me forçar (de leve) a fazer em pelo menos um deles.

Claro que não é o melhor dos mundos, mas quem está falando em vida ideal mesmo? Muitas vezes, tem dias que a gente se dá por satisfeito/a só por ter conseguido concluir os prazos. Então, se você conseguir executar pelo menos uma próxima ação das suas listas por contexto, que não tenha prazo, isso te dará a sensação de que você andou com algo que era importante sem ter recorrido à tática do prazo, e isso te ajudará a cada vez mais entender a importância de executar as ações por contexto dentro do GTD.

Tenta essa tática e depois me fala. 😉

Categoria(s) do post: Novidades

A vida é muito curta para a gente passar sem aproveitá-la, apenas em “modo sobrevivência”. Se a gente deixar, o estresse toma conta de tudo e a pressa domina o dia a dia. Sério: você realmente quer continuar vivendo nesse ciclo?

Justamente por saber viver de uma outra maneira eu elaborei esse programa de atendimento / coaching / curso / encontro / consultoria / “pegar na mão” chamado Mentoria de Organização. É um conjunto de:

  1. coaching individual
  2. aulas em grupo sobre temas aprofundados de organização
  3. desenvolvimento pessoal de um processo de organização que durará para sempre

Eu adoro fazer atendimentos individuais mas, pela demanda, infelizmente não consigo atender todo mundo da maneira como gostaria, com o cuidado e atenção que eu gostaria. Por isso, desenhei esse programa de mentoria, que dura SEIS meses, e que tem como objetivo fazer esse atendimento personalizado, mas também aliar com muito aprendizado e troca entre o grupo, com pessoas que serão cuidadosamente selecionadas para que sua dinâmica funcione entre todos.

Serão 12 encontros em grupo (um a cada duas semanas), em que discutiremos temas avançados de organização, que serão a pauta de suas atividades individuais a serem trabalhadas nesse período entre um encontro e outro. Sim, é uma imersão! E, nesse processo, você terá o meu suporte INDIVIDUAL, fazendo o acompanhamento com você diretamente, para tirar dúvidas e personalizar o seu processo.

Para participar da mentoria, eu elaborei um formulário, que me ajudará nesse processo seletivo. Cada pessoa está em um momento, e é importante que ela esteja no momento certo para participar da mentoria. Tem que ter compromisso, vontade de mudar, vontade de encarar a própria vida e redesenhar todos os seus processos pessoais de organização.

O processo seletivo ficará aberto até o dia 30 de junho, ou até todas as vagas serem preenchidas. É possível que eu não preencha todas as vagas, se entender que a pessoa não está no momento certo para entrar nesse programa. Nesse caso, entrarei em contato com indicações personalizadas para que ela possa prosseguir em seu caminho da organização!

O primeiro encontro acontecerá em julho. Os encontros em grupo são virtuais, através de um sala de webconferência (uso uma ferramenta chamada Zoom). Na primeira turma de mentoria, tivemos participantes de todos os estados do Brasil e também de outros países. Realizamos os encontros em grupo às segundas-feiras à noite, mas todos eles são gravados, de modo que, se você não conseguir participar ao vivo, pode assistir depois a gravação. Além do que, a gravação permite que você assista e reassista a aula quantas vezes quiser, sem tempo determinado, mesmo após o término da mentoria.

O desenvolvimento individual também terá o acompanhamento mensal, através de um encontro (também virtual) apenas comigo, onde vamos tirar dúvidas e ajeitar seu trajeto. Em paralelo a isso, manteremos contato praticamente diário ou sempre que for necessário por e-mail ou What’sApp.

Há alguns anos, eu comecei um trabalho de coaching e consultoria de organização aqui no blog. É um trabalho que venho fazendo há bastante tempo, com ótimos resultados. Tive que parar de fazer em detrimento de outras atividades (não dá pra gente fazer tudo), mas sempre senti falta. Se tem algo que gosto no meu trabalho é de estar com as pessoas, perto, para ajudá-las com suas questões pessoais e em como isso afeta a organização da vida.

Por isso, organizei a agenda para conseguir abrigar uma mentoria de organização que durará simplesmente seis meses. Ou seja: durante seis meses, eu estarei do seu lado, segurando a sua mão, trazendo soluções personalizadas de organização. Será um atendimento exclusivo, em que vou reservar meu tempo exclusivamente para esta atividade.

Iniciei este trabalho no primeiro semestre e foi uma turma incrível, que está terminando agora. É o meu principal projeto com o Vida Organizada, ao qual dedico a maior parte da minha atenção. Adoro realizar este trabalho.

A grande verdade é que a organização é um processo artesanal, de muita mão na massa, mas essa prática deve vir do auto-conhecimento e da aplicação de ferramentas que simplesmente façam sentido, mais do que copiar modelos. E eu entendo que fazer tudo isso sozinha(o) possa ser complicado ou até mesmo assustador, e justamente por esse motivo que me proponho a estar ao seu lado para te ajudar nesse processo.

Vamos conversar sobre comportamento de organização, entender a sua rotina, suas responsabilidades, as demandas, as pessoas que se relacionam com você em casa e no trabalho. Vamos falar sobre como dizer mais “não” para o que agride e mais “sim” para o que for coerente, e como estruturar a nossa rotina para que nos atenda melhor, usando ferramentas que dêem suporte certeiro e de maneira simples ao que precisamos fazer.

Serão seis meses para aprender e incorporar o hábito da organização na vida. Era o passo que você você precisava para se organizar de verdade, ou simplesmente melhorar o seu processo de organização pessoal.

Com dois encontros por mês, você terá a possibilidade de trabalhar nas mudanças necessárias durante duas semanas antes do próximo encontro. Esse programa está sendo construído de modo que não te sobrecarregue – pelo contrário. É para ajudar a diminuir a sobrecarga e pensado para trazer o melhor resultado possível para você.

Quem entrar no programa da mentoria também terá acesso imediato ao curso Organize-se em 2019, nosso curso-base de organização, além de ter 50% de desconto em qualquer outro curso do Vida Organizada (online ou presencial) durante o período da mentoria.

Caso o grupo tenha muitas pessoas de uma mesma cidade, podemos organizar um encontro presencial para nos conhecermos ao final do processo! Afinal, certamente teremos um vínculo muito legal a ser alimentado mesmo após o final do processo.

Lembre-se: as vagas são limitadas e, quando atingir o número suficiente de selecionados através das inscrições, serão fechadas. Portanto, não demore para decidir! Obrigada!

Aviso: As inscrições foram encerradas no dia 30 de junho, conforme combinado neste post. Todas as pessoas que enviaram seus formulários serão contatadas durante o mês de julho. Peço por gentileza que aguarde. Obrigada!

Categoria(s) do post: Social

Este é um blog sobre organização para a vida real e, nos últimos 12 anos (desde quando o blog existe), muita coisa já foi publicada aqui sobre dicas do que fazer no Dia dos Namorados, dicas de organização para jantares, presentes, relcionamentos etc. Mas o post de hoje é um pouco mais compassivo. Quero conversar com você que não conseguiu planejar nada, lembrou que hoje é “o Dia” e gostaria de aproveitar de alguma maneira, sem tanto estresse.

A primeira coisa é definir o propósito dessa celebração. Pode parecer óbvio, mas cada relacionamento está em um momento. O propósito pode ser celebrar que vocês estão juntos, mas também pode ser algo sobre reconciliação, pensar em planos para o futuro, entre outros. Apenas você pode definir o propósito desse encontro.

Uma vez definido, tente imaginar como você se sente ao final da noite, quando a ecelebração for concluída. Pense também em como o seu parceiro se sente. Esse exercício de visão é importante porque ele despertará sentimentos e vontades que delinearão o restante do planejamento.

Com base no que você pensou, faça uns rabiscos no papel, como brainstorm mesmo, de ideias. Que ideias vêm à sua cabeça para fazer essa visão do exercício anterior efetivamente acontecer? Restaurante? Jantar em casa? Cinema? Enfim, anote todas as ideias, sem filtro.

Na etapa seguinte, você vai selecionar as ideias e efetivamente definir o passo a passo, ou as coisas por ordem de prioridade. Presente, reserva, passar no mercado, roupa, enfim.

Por fim, você chegará nas próximas ações apropriadamente ditas. Mandar uma mensagem para a sua namorada perguntando o que ela acha do programa. Ligar no restaurante para fazer a reserva. Passar no shopping na hora do almoço para comprar um presente. Enfim, aqui é onde a coisa pega de fato e você definirá o que precisa ser feito para alcançar a sua visão.

Como dica adicional, eu recomendaria que você tentasse fazer algo leve. Muito provavelmente, os restaurantes hoje já estarão lotados e, muitas vezes, com valores mais caros por ser Dia dos Namorados. Busque um programa diferente, uma experiência diferente – ou até cozinhar em casa pode ser uma boa pedida. Se você tiver filhos, verifique a possibilidade de dormirem na casa dos avós ou programe-se para fazer as coisas depois que eles dormirem. É uma chance legal para o casal estar junto, com ou sem filhos.

Se você for solteira/o, obviamente pode planejar uma noite de mimos só para você para demonstrar como você se ama independente de ter um relacionamento amoroso no momento.

O Dia dos Namorados é uma data comercial, mas eu acho que vale a pena aproveitarmos essas datas para lembrar das pessoas que gostamos e fazer algo diferente ou gostosinho. Espero que você consiga aproveitar.