Categoria(s) do post: Diário da Thais

Todo mês eu gosto de fazer um post resumindo como ele foi para mim, tanto pessoal quanto profissionalmente, além de fazer um apanhado dos meus conteúdos preferidos.

Novembro foi o mês mais tranquilo e feliz do ano até aqui. Eu estava revisando os resumos dos outros meses e vi como o ano foi difícil. Estou preparando os conteúdos para o mês de dezembro, em que vamos falar sobre planejamento, e revisando o ano como um todo eu vi que ele teve muitos desafios, mas também muitas coisas boas e aprendizados.

Tive finais de semana de folga este mês, o que sempre acho incrível. Nos últimos anos, concentrei muitos dos meus cursos nos sábados, e isso me deixava com poucos finais de semana livres. O primeiro final de semana do mês, que foi feriado de Finados, foi inteirinho de folga, praticamente. Nem acredito o quanto eu consegui descansar. Foi ótimo.

Já no final de semana seguinte eu ministrei o curso presencial de GTD Nível 3: Foco & Direção aqui em São Paulo. Fiquei muito contente porque dois amigos instrutores vieram de Brasília para este curso, e depois jantamos juntos. A minha amiga querida Liz Kimura também estava lá. Todos os alunos eram conhecidos, então foi uma turma muito feliz mesmo.

Muitas pessoas têm me perguntado sobre as datas dos próximos cursos em 2020, e eu ainda não planejei cursos presenciais para o ano que vem. Pretendo investir mais nos meus cursos online e fazer menos cursos presenciais, mas ainda realizar alguns esporadicamente, sem uma agenda tão extensa como foi nos últimos anos. Não haverá curso presencial em janeiro e fevereiro, pois costuma ser pouca a demanda, então planejem-se para depois do Carnaval.

Sabe, desde 2014 eu viajo o Brasil inteiro para ministrar cursos e isso me toma muita energia, muitos recursos financeiros, além de ficar longe da minha família. É uma delícia viajar e receber o carinho dos leitores e alunos em tantos lugares, mas a gente não pode fazer tudo ao mesmo tempo. Fiz bastante isso nos últimos cinco anos então agora pretendo investir minha energia em outras iniciativas.

No final de semana seguinte eu fiz o último workshop do ano de Planejamento de Vida, um curso que amo fazer presencialmente, mas atendendo a pedidos estou desenhando uma versão online. Não é a mesma coisa que o presencial, mas abriga mais pessoas e tem seu valor também.

Eu gosto muito de aproveitar cada curso para fazer as atividades junto com os alunos, e nesse foi bastante especial pois tive a oportunidade de repensar diversos aspectos importantes da minha vida. Já até revisei com a minha psicóloga.

Nesse meio tempo, entre esses dois cursos, eu ministrei um curso de GTD: Fundamentos na World Animal Protection, aqui em São Paulo. Não tenho mais feito cursos em empresas, mas essa é uma ONG internacional que fala diretamente a uma causa que acredito, então eu mesma pedi para ser a instrutora! Adorei conhecer o espaço, o trabalho deles e a equipe. Trabalhar com propósito é outra coisa.

Ainda na mesma semana, meu marido fez um show no Paris 6 Burlesque, também em São Paulo, e foi bem legal poder assistir o show porque ultimamente não tenho saído muito.

Ainda falando sobre trabalho, este mês continuamos com a turma dois da mentoria, que já chegou ao décimo encontro! Nem acredito no quão rápido tem passado esse segundo semestre. A próxima turma da mentoria acontecerá no ano que vem e será oferecida apenas a quem já participou do curso principal do Método Vida Organizada (Organize-se em 2019), pois entendo que seja essencial ter aprendido alguns conceitos para participar dela. Portanto, se está nos seus planos fazer parte desse grupo mais seleto para aprofundamento do seu processo de organização, aproveite a promoção da Black Friday e matricule-se no curso. 😉

No dia 20 (feriado) eu fui para Santos participar de um curso de queijos veganos. Foi muito divertido. Teve post sobre o curso especificamente, então você pode ler lá para saber como foi.

(Eu ainda não fiz nenhum dos queijos do curso! Mas farei!!)

O último final de semana de novembro, que é este, de hoje, estou no curso da minha amiga e parceira Wanice Bon’Ávigo, sobre as energias que regem 2020. Ela tem a versão online e em breve divulgarei aqui para vocês também.

Minha última semana foi bastante intensa com a Black Friday, a Semana de Planejamento semana que vem, o desenho do curso Organize-se em 2020 – Método Vida Organizada, que abre as matrículas em dezembro, além de outros projetos em que fico muito contente por estar tocando. 2020 será o ano do Vida Organizada e vocês saberão sobre novidades bem bacana à medida que os projetos forem acontecendo.

Ah, em novembro também finalmente resolvemos toda a migração dos nossos cursos de uma plataforma EAD para outra. Esse projeto iniciou em fevereiro. Foi super trabalhoso, mas finalmente concluímos. Inclusive, se você for aluna/o de algum curso online, se você fez sua matrícula até esta data de hoje, você ainda tem direito ao acesso ao curso. A plataforma anterior teve muitos erros, e perder dados de alunos inativos foi um desses problemas. Se isso aconteceu, encaminhe seu comprovante de pagamento (o e-mail, com a data) para a Andréia no e-mail atendimentovidaorganizada@gmail.com, diga que viu meu post, informe o curso e peça para ela gerar esse novo acesso para você. 😉

No lado pessoal, aconteceram muitas coisas boas. Reatei uma amizade de infância que tinha quase se perdido depois das eleições. Paul foi super bem em todas as provas finais e já pode se considerar de férias mesmo sem as aulas terem acabado. Marido está sofrendo com uma hérnia de disco mas estou pentelhando ele para tratar o quanto antes. Minha sogra teve um problema de saúde mas já está melhor. Minha mãe está bem.

A grande conquista do mês foi o Paul resolver assistir Harry Potter comigo! Fiquei até emocionada! Potterheads, esse momento é meu! (Em troca, preciso assistir todas as temporadas de Steven Universo.)

Aqui no blog nós falamos sobre colocar a vida em ordem e eu estou testando um novo formato que me deixou muito satisfeita e que alguns de vocês já comentaram estarem gostando também, que é alternar posts maiores com posts menores, com dicas e tutoriais. Pretendo continuar desenvolvendo esse formato nos próximos meses.

Vamos lá para o último mês do ano! Gratidão. <3

Categoria(s) do post: Novidades

Breve adendo: Pessoal, não gosto de ficar fazendo propaganda pois sei que é chato. Peço a compreensão de vocês esta semana, pois é Black Friday, então é normal termos mais posts assim. Também gostaria de pedir essa compreensão pois a publicidade é necessária para o trabalho que eu faço. Recebo frequentemente mensagens de leitores que dizem que não viram que ia ter tal curso, que não sabiam de tal promoção, justamente porque não quero ficar usando o espaço do blog para divulgações. Além disso, se eu não divulgar meu trabalho, eu não consigo obter um faturamento essencial para sustentar a minha empresa e a minha família. Por favor, fiquem felizes por eu conseguir viver deste trabalho, que também financia todo o conteúdo gratuito nos nossos diversos canais. Se não gostar de propagandas, peço que ignore esses conteúdos e não poste reclamações, pois eu dependo deste trabalho para viver, como 98% dos brasileiros. Obrigada. <3

A Editora Gente está em Black Friday hoje e todos os meus livros estão com 40% de desconto no site. Clique aqui para conferir.

Você pode completar a sua coleção ou comprar para dar de presente de Natal. 🙂

Na verdade, todo o site está em promoção! Aproveito para indicar outros livros que gosto muito da editora:

Lembrando que até domingo todos os cursos online do Vida Organizada também estão em promoção, com 50% de desconto em todos. A ideia é abrir essa oportunidade para quem não pode pagar pelo preço cheio ao longo do ano. Há cursos custando 15 reais. Obrigada!

Categoria(s) do post: Novidades

Todo ano eu faço uma pesquisa com o público do blog (você!) para formatá-lo cada vez mais para atender as necessidades de organização. O blog já existe há mais de 13 anos e muita coisa foi publicada, mas ainda existe muito conteúdo por vir, além de atualizações de conteúdos antigos. A vida muda, eu mudo, então novos pontos de vista sempre são bem-vindos.

[button-blue url=”https://forms.gle/k9JieCvXN6bY2Azg9″ target=”_blank” position=”center”]Responda a pesquisa 2019[/button-blue]

No ano passado, eu imprimi o resultado da pesquisa com o que deveria ser melhorado e o que vocês gostariam de ver por aqui, e separei tudo em cinco diferentes categorias:

  1. Mudanças imediatas, mais rápidas de fazer
  2. Projetos maiores, que demandam maior tempo e esforço
  3. Sugestões de conteúdos
  4. Melhorias voltadas ao design e usabilidade
  5. Melhorias de maneira geral

Com base nisso, ao longo do ano fui implementando a maioria das sugestões. Veja alguns exemplos abaixo.

Mudanças imediatas

✅ Uma área separada para todos os produtos e livros indicados pelo blog
✅ Reorganização das categorias para facilitar a busca por temas
✅ Textos serem agendados para mais cedo (em média saem antes das 8h)

Projetos maiores

✅ Curso em vídeos gratuito (Semana de Planejamento)
✅ Usar mais imagens minhas nos posts (banco de imagens próprio)
✅ Plataforma que permita a inscrição nos cursos para quem mora fora do Brasil (migramos)
✅ Centralizar tudo em um único blog em vez de ter vários
✅ Melhorar a edição dos vídeos (temos um editor agora)

Sugestões de conteúdos

✅ Séries de e-mails gratuitas com conteúdo (Mês da Organizacão, Semana de Planejamento)
✅ Mais resenhas de livros: Indicações > Livros
✅ Mais tutoriais em texto e vídeo
✅ Posts “definitivos” sobre determinado assunto: hoje em dia todo post é escrito com foco em ser referência dentro do blog sobre aquele tema
✅ Mais posts para iniciantes
✅ Mais vídeos no YouTube
✅ Alternar textos maiores com textos mais curtos
✅ Menos indicações de conteúdos em inglês
✅ Divulgar mais no blog os vídeos do YouTube
✅ Divulgar mais os cursos para as pessoas saberem que eles existem
✅ Em vez de explicar de novo, linkar textos antigos que expliquem
✅ Voltar com a Linkagem de domingo
✅ Mais posts sobre organização da casa
✅ Mais conteúdo no feed do Instagram
✅ Falar menos sobre GTD / falar mais sobre GTD (rs)
✅ Trazer mais dicas rápidas e notícias sobre aplicativos, produtividade etc.
✅ Mostrar mais a rotina nos stories do Instagram
✅ Vídeos mais curtos no YouTube
✅ Todo post traz uma “chamada para a ação”, para a pessoa implementar
✅ Trazer receitas de comidas

Melhorias voltadas ao design e usabilidade

✅ Tirar o pop-up lateral com sugestão de outro post
✅ Resumir os textos no início deles
Seção com perguntas mais frequentes
✅ Fonte sem serifa no texto
✅ Botão de imprimir nos posts
✅ Nuvem de tags na lateral
✅ Categorias de assuntos no menu principal
✅ Deixar o campo de busca no topo da barra lateral

Melhorias no geral

✅ Melhorar a formatação da newsletter
✅ Melhorar a revisão dos textos

O que ainda queremos fazer, mas leva mais tempo…

❎ Podcasts
❎ Mais collabs, experiências de outras pessoas e estudos de caso
❎ Mais “antes e depois”
❎ Aplicativo do Vida Organizada
❎ Outros…

Depoimentos incríveis

Recebemos mais de 5 mil respostas à nossa pesquisa e eu li TODAS. Agradeço de coração o tempo disponibilizado para responder essas perguntas, porque isso nos ajuda demais a melhorar cada vez mais o blog e os outros canais de conteúdo. Mas muitas pessoas nos enviaram depoimentos incríveis através da pesquisa, e eu fiquei até emocionada com alguns deles. Muito obrigada mesmo!

Pesquisa 2019

Chegou a hora de uma nova pesquisa! Se você puder tirar 5 minutinhos do seu dia para responder e ajudar este blog que vos fala, clique aqui.

Como você viu, todas as respostas são lidas e tratadas cuidadosamente, sempre visando melhorar o que apresentamos por aqui. Por isso é tão importante que você participe.

Eu realizo a pesquisa nessa época do ano porque imprimo e encaderno os resultados para ler antes da virada do ano e assim planejar ações para o ano seguinte.

Muito obrigada por estar aqui e participar!

Categoria(s) do post: Rotinas

Em novembro estamos refletindo sobre aspectos que colocam a nossa vida em ordem.

Falamos sobre arquivos e documentos (que são um volume imenso da tralha para a maioria das pessoas), falamos sobre alinhamento de expectativas e sobre ter um olhar compassivo para si mesmo/a nessa jornada que é a vida, e hoje eu quero falar sobre a rotina.

Alguns anos atrás eu escrevi um post sobre ter tempo para fazer tudo e conciliar pessoal / profissional. O texto continua atual. E, nele, eu falo sobre a Pirâmide de Maslow, que foi uma ferramenta criada para a publicidade. Apesar dessa finalidade original, eu acho que ela nos diz muito a respeito de como usamos o nosso tempo hoje e do que deve ser prioridade.

Eu estou preparando uma série de posts para o mês de dezembro, em que vamos falar sobre como foi este ano e como planejar o próximo. E uma das minhas descobertas em 2019 foi a medicina ayurveda. Durante o meu mestrado, um dos assuntos que eu estudei foram os ritmos circadianos. O ser humano mudou completamente os seus hábitos depois da invenção da luz elétrica. Enquanto antes quem ditava o ritmo da humanidade era a luz solar, depois da eletricidade tudo mudou e, essencialmente, tudo AUMENTOU em termos de volume. Para o trabalho, a evolução da tecnologia, em vez de nos ajudar a trabalhar menos tempo, pelo contrário – fez com que a gente trabalhasse mais para alcançar o ritmo das máquinas. O resultado é estamos todos exaustos pois o mundo agora é 24/7 e ninguém pediu para fazer parte desse cenário, mas aqui estamos.

Ayurveda significa, literalmente, ciência da vida. E um dos diversos aspectos que a ayurveda observa é a nossa relação com o ritmo da natureza – as estações e os dias (a luz solar). Recentemente meu livro de cabeceira tem sido o livro “Culinária Ayurvédica”, cujo foco está na alimentação realmente. Eu comecei a prestar mais atenção aos meus próprios ritmos circadianos desde o momento que li sobre isso a primeira vez, no ano passado, no mestrado. E aí cheguei na ayurveda, que observa e respeita tais ritmos. Estou completamente apaixonada. Ainda pretendo falar mais sobre esse assunto aqui no blog, pois estou bastante envolvida nele.

Minha interpretação da realidade dos ritmos circadianos diz que devemos começar ajustando o nosso sono. Dormir mal acaba com qualquer técnica de organização ou produtividade. Dormir bem muda tudo. E é claro que, nesse momento, você pode estar passando por uma fase da vida que não permita que você durma como gostaria, como por exemplo:

  • bebês
  • faculdade
  • emprego noturno
  • etc.

Quando meu filho era recém-nascido, eu considerava sono de sucesso conseguir dormir enquanto ele dormia e, depois, dormir 4 horas seguidas, 6 horas seguidas etc. Então não se trata de um ideal, mesmo porque isso não existe, mas de tirar o melhor proveito da sua situação atual.

Vale dizer que as situações acima são temporárias e a vida e as suas circunstâncias mudam.

Alguns pontos que, para mim, significam ter o sono em ordem são:

  1. Conhecer a quantidade de horas que preciso dormir para ficar bem (7h30, no meu caso), e também o mínimo de horas caso eu tenha algum dia complicado (ex: dormir no mínimo 4h em uma noite).
  2. Padronizar o horário de acordar todos os dias, incluindo finais de semana. “Compensar o sono” é um mito e só bagunça o nosso relógio biológico.
  3. Se algum dia eu dormir menos, dormir mal, bola pra frente e volto para o ritmo no dia seguinte em vez de deixar que bagunce e desregule tudo.
  4. Desligar telas pelo menos duas horas antes de ir dormir. Assistir menos tv à noite durante a semana e nunca mais mexer no celular na cama antes de dormir. Algumas vezes por semana eu vejo filme ou tv, mas é exceção. De modo geral, prefiro ler e fazer outras atividades off.
  5. Não comer comidas pesadas antes de dormir. Procuro fazer meu jantar por volta das 18h e, depois, só coisas leves SE tiver fome (sopas, saladas, chás, frutas).
  6. Meu parâmetro de sucesso é acordar no horário sem necessidade do despertador! Toda vez que isso acontece, fico muito contente.

Depois, tem a questão da alimentação. Tão importante quanto o sono, uma alimentação encaixada faz toda a diferença. Consulte médicos, teste comidas que te fazem bem ou mal, e vá implementando aos poucos na sua rotina. Eu sou uma das pessoas mais ocupadas que eu conheço e mesmo assim consigo me organizar para cozinhar pois isso é uma prioridade para mim. Depois que descobri algumas alergias e intolerâncias, cuidar da minha alimentação foi um processo fundamental, pois sem isso eu ficaria à mercê de comer na rua e poderia comer algo que me fizesse mal.

Só depois de colocar esses aspectos em ordem é que você pode começar a encaixar atividades diversas: exercícios, meditação, limpeza da casa, estudos e outros.

Veja que “colocar a vida em ordem” parece um todo enorme mas é apenas uma maneira de a gente ir começando com um passo de cada vez, sem perder as prioridades de vista.

Qualquer dica, método ou técnica de produtividade não vai fazer qualquer diferença se você não estiver descansada/o e se alimentando corretamente.

Como falei, pretendo trazer mais elementos da ayurveda para o blog nos posts futuros porque isso tem me ajudado em diversos aspectos e acredito que tenha tudo a ver com o que falamos aqui no blog.

Este foi então o último post da série sobre colocar a vida em ordem e eu espero que, além de ter gostado dos posts, você tenha implementado o que eu sugeri também. 🙂 Caso tenha alguma dúvida, deixe nos comentários. Muito obrigada!

Categoria(s) do post: Finanças

Comprar os presentes de Natal deveria ser algo divertido e não estressante. Mesmo assim, todos os anos, milhões de brasileiros deixam as compras para a última hora e acabam ou gastando a mais, ou fazendo dívidas, ou comprando coisas inúteis ou que não vão agradar os presenteados.

Nós já falamos sobre algumas técnicas aqui no blog, como guardar um pouco por mês em um envelope de “presentes de Natal” ao longo do ano. Mas uma que venho particularmente usando nos últimos anos é a de comprar os presentes na semana da Black Friday.

Hoje em dia já temos a Black Week inteira, pois muitas empresas aproveitam esse momento para movimentar o varejo com ofertas incríveis (e outras nem tanto – fique de olho).

Minha sugestão é que você elabore a sua lista de presentes e tenha seu radar sintonizado na Black Friday / Week para já comprar mais barato o que deseja presentear. Apenas preste atenção ao prazo de entrega para garantir que as compras sejam entregues antes do Natal!

Outra regra que me ajuda a comprar os presentes é estabelecer tetos de gastos de acordo com o grau de intimidade da pessoa comigo. Por exemplo: colegas (até 20 reais), amigas (até 30 reais), família (até 50 reais) e marido e filho (até 100 reais). Lembrando que Natal é lembrancinha e não presente especial. O exemplo de teto anterior é apenas um exemplo – adapte à sua realidade. Pode ser mais ou menos para cada um.

Eu gosto do teto de 20 reais porque eu já vou direto em duas coisas: livro ou comida. Facilita horrores a escolha, porque com até 20 reais você compra um bom livro, mas dificilmente comprará, sei lá, um brinquedo legal por esse preço. Se a pessoa não gostar de livros ou você não quiser dar livro para ela, comida sempre é uma boa opção. 😉

Como regra geral, todo mundo sabe que eu gosto de presentear com livros. É a minha maneira de dar um recado ao universo dizendo: leiam mais, por favor. Mas tenho algumas pessoas no meu círculo de amizades e familiar que não gostam de ler, ou que me falam “Thais, eu ainda não li nenhum dos livros que você me deu!”, então eu sei que é hora de ter ideias diferentes. Aí geralmente vou para comida. 🙂

Se comida não for suficiente, gosto de ir para artigos de decoração (quadrinhos, enfeites, relacionados a algum assunto que a pessoa goste, ou um porta-retrato mais genérico) ou artigos pessoais (necéssaire, kits etc).

Dificilmente eu dou roupa, a não ser que eu tenha certeza do tamanho e do gosto da pessoa, pois detesto dar um presente que a pessoa precise se dar ao trabalho de trocar depois, se não gostar ou não servir. Isso também exclui perfumes, por exemplo.

Eu amo presentear com livros porque sempre há um livro que sirva para o momento que a pessoa está vivendo e esse é um cuidado que você acaba tendo com ela, pois significa que pensou antes de presentear. Mesmo no caso de crianças um livro pode ser bacana, especialmente hoje em dia que a maioria está ligada nas telinhas.

Eu também sou adepta da regra: seja feliz! Se comprar presentes é algo que você não pode fazer no momento, por qualquer motivo, simplesmente não faça dívidas só para “participar”. Explique aos seus amigos e familiares sobre o seu momento e bola pra frente.

Você costuma aproveitar a Black Friday / Week para comprar os presentes de Natal? Quais são as suas estratégias? Deixe um comentário. Obrigada!

Categoria(s) do post: Novidades

Nós finalmente concluímos um projeto de MESES que foi migrar todos os nossos cursos online ativos para uma nova plataforma, muito mais prática e otimizada para os alunos.

Para comemorar, faremos da Black Friday uma Black Week e você terá até domingo de noite para se matricular em todos os cursos online do Vida Organizada com 50% de desconto!

Confira abaixo os cursos em promoção:

Para quem está começando:
Introdução à Organização & Produtividade

Para quem já começou 🙂 e quer se organizar de vez – Método Vida Organizada:
Organize-se em 2019

Cursos de organização sobre assuntos específicos, que complementam seus aprendizados em qualquer fase da sua vida, de acordo com o que você precisa no momento:

Organização do guarda-roupa

Organize seus estudos

Organize suas finanças

Organize o seu menu semanal

Organização para blogueiros e criadores de conteúdo

Como se organizar para conseguir emprego

Organize-se com Todoist

Organize sua agenda

Organize sua rotina doméstica

Organização para empreendedores

Aproveite, é só até domingo! O sistema voltará aos preços normais de forma automática depois disso.

E mais: em 2020, com a mudança de plataforma, pretendo revisar e atualizar todos os cursos e, você se cadastrando neles (com exceção do curso Organize-se em 2019, que tem nova versão anual) receberá essas atualizações com o valor pago hoje, que possivelmente sofrerá alterações no futuro! Então é uma promoção com muitas vantagens!

Muitas pessoas aproveitam essa época do ano para comprar coisas, cursos e serviços que queriam há tempos. Então espero que você que aguardava por essa oportunidade possa aproveitar esse presente. <3

Não conseguimos fazer essa promoção para os cursos presenciais, que já operam a preço de custo, mas para todos os cursos online ela foi aplicada! Obrigada!

Esta oferta é exclusiva para o período entre 25/11 e 1/12/19, e não se aplica a quem comprou os cursos antes ou comprar depois desse prazo.

Categoria(s) do post: Linkagem

A linkagem de domingo é uma coletânea de posts que eu li e gostei durante a semana anterior. Os assuntos não necessariamente têm a ver com organização, mas definitivamente sempre são relacionados ao blog.

  • Eu gravei alguns vídeos e podcasts com a minha Wanice Bon’Ávigo este mês, e o primeiro vídeo / podcast saiu no canal dela, onde a gente fala sobre o ano novo e as relações com a nossa organização pessoal.
  • Eu assisti essa entrevista um pouco polêmica com a chef Drica Avelar, que é vegana e participou do Masterchef. Entendo o ponto dela e respeito o processo, mas discordo de algumas coisas. Acho sim que ela perdeu uma oportunidade de mostrar como a criatividade de um chef pode atuar para mostrar pratos veganos bacanas.
  • Estou bastante envolvida com o assunto da medicina ayurveda e encontrei um vídeo de 5 minutos que explica um pouco do que se trata, para quem tiver interesse.
  • Meu novo canal de vício no momento tem sido o do Nando Reis, no YouTube. Que época maravilhosa essa que a gente vive, por poder acompanhar os nossos ídolos de perto.
  • Uma versão mais atual de uma palestra do David Allen, na Austria, ainda este ano, sobre o GTD (em inglês).
  • Eu sempre, sempre falo sobre a importância de ter a agenda livre, quando alguém me pergunta se eu acho uma boa blocar a agenda inteira com coisas a fazer. Eu talvez não tenha calibre para falar, então que tal Bill Gates e Warren Buffet falando a mesma coisa que eu? Talvez valide? 😉

Bom domingo para vocês. Amanhã começa a Black Week no Vida Organizada. <3 Fique atenta/o.

Categoria(s) do post: Comida, Receitas

Esta tem sido uma das minhas receitas preferidas desde que me tornei vegana. Eu faço pelo menos uma vez por mês porque gosto muito! Ela permite que você faça em maior quantidade e congele o que sobrar. Fica bom quando descongela.

Eu absolutamente AMO estrogonofe. Quando descobri o universo dos leites vegetais, eu passei a fazer algumas experiências. O creme de leite deste estrogonofe será feito com amendoim, mas se você tiver alergia a esse ingrediente, você pode elaborar o leite com outro cereal ou grão, até arroz.

Para preparar o estrogonofe eu uso os seguintes ingredientes:

  • 100g de amendoim sem casca e, de preferência, sem sal
  • água (uso de 1 a 2 canecas, meio a olho mesmo)
  • 1 xícara de soja texturizada pequena escura
  • 2 dentes de alho
  • 1 cebola pequena ou média (a seu gosto)
  • salsinha (um punhado)
  • mostarda
  • molho de tomate (pode ser pronto ou caseiro)
  • sal a gosto
  • pimenta do reino a gosto
  • noz moscada (importante)
  • champignon (opcional)

Hidrate a soja texturizada colocando em uma tigela e cobrindo com água quente (não precisa estar fervendo). Deixe hidratando enquanto você cuida dos outros ingredientes.

Você pode usar a proteína de soja que desejar aqui. Já testei com a mais clara, que simula frango, e já testei com a maiorzinha, que parece uns pedaços grandes de carne. Particularmente, prefiro a pequena, mas fica totalmente a seu critério. Quem não gosta de soja ou tem alergia pode substituir por grão de bico. Nunca fiz, mas já vi algumas receitas usando. Na verdade, qualquer legume pode substituir a proteína. Vai do seu gosto pessoal mesmo. Eu prefiro a soja, neste caso.

Enquanto a soja hidrata, eu pico o alho e a cebola e deixo na panela (desligada) enquanto cuido dos outros ingredientes. Eu pico em pedaços bem pequenos mesmo, para só darem o gosto no molho.

Coloque o amendoim e a água no liquidificador e bata. Vá adicionando água se sentir que falta. O que estamos buscando é uma textura de creme. O legal é que, quando bate o amendoim com água, ele fica branquinho, como um creme mesmo. Eu não coloco sal nesse momento, pois prefiro temperar na panela. Se o amendoim tiver sal, será melhor para você ponderar.

Creme de amendoim pronto, reserve. Tire a água da soja. “Aperte” a soja entre as mãos para que ela fique o mais sequinha possível. Reserve.

Vá para a sua panela (eu uso uma frigideira grande funda) e refogue em óleo o alho e a cebola. Eu prefiro usar óleo de canola, mas qualquer um serve. Quando a cebola estiver transparente, eu jogo a proteína de soja na panela e coloco um pouco de sal (bem pouco, só pra “grudar” um salzinho quase natural nela mesmo). Refogo até dourar um pouco.

Dourou, é hora de colocar o creme de amendoim. Coloque e dê uma primeira misturada. Sinta o sal. Se precisar mais, é hora de colocar. Coloque também o champignon, se quiser usá-lo.

Depois do sal no creme, vamos aos temperos de modo geral. Eu uso mostarda a gosto – vou colocando e experimentando. O molho de tomate, se usar pronto, é equivalente a um saquinho. Muitas vezes, é mais prático. Coloco cerca de duas colheres de chá de noz moscada, mas você pode ir colocando pouquinho e testando, sempre misturando. Pimenta à gosto. Nem precisa colocar, se não for fã.

Agora é misturar, provar e ver se o sal etc está a seu gosto e ir ajustando. Por último, antes de desligar o fogo mesmo, eu coloco um punhado de salsinha e mexo bem, aí desligo.

Eu aaaamo esse prato e acho que ele fica muito saboroso.

Você pode preparar o arroz (de acompanhamento) como você preferir. Devido à minha cirurgia de redução do estômago, os grãos integrais não são muito digestivos para mim, por isso prefiro fazer arroz branco. Gosto mais do parabolizado, mas no caso do estrogonofe eu acho que o branco comum fica melhor porque ele absorve mais o molhinho do prato. Mas use o que você preferir como acompanhamento! Eu também coloco batata palha ao servir.

Se fizer a receita, me conta como foi. 🙂 Vou adorar saber.

Categoria(s) do post: Lifestyle

Nessa experiência de testar formatos de posts aqui para o blog, eu pensei que talvez fosse uma boa mostrar qual é o meu processo de organização das roupas a serem usadas em diversas situações do dia a dia, tanto do trabalho quanto da vida pessoal, pois acredito que, de alguma maneira, isso possa ajudar quem passar por situação semelhante, por mais que tenhamos estilos diferentes.

Hoje eu quero falar um pouco sobre o tipo de roupa que eu visto quando é dia de gravação.

O meu dia a dia de trabalho tem muitas gravações. São vídeos para o YouTube, vídeo-aulas, reuniões virtuais gravadas, aulas ao vivo virtuais e outras relacionadas. Quando eu vou gravar, eu prefiro alocar um bloco de tempo para fazer diversas gravações no mesmo dia, pois assim eu trabalho concentrada e depois apenas passo os vídeos para o meu marido, que faz a edição, e ele vai trabalhando no tempo dele, dentro dos nossos prazos.

A maquiagem tem que ser básica, pois vou mudando o batom ao longo das gravações, para não parecer sempre a mesma. Também vario o cabelo – solto ou amarrado. E o look tem que ser confortável, pois gravo em diversas posições (sentada, de pé, me movimentando) e com uma parte de baixo mais básica, pois alterno as partes de cima quando gravo muitos vídeos de uma só vez.

Nesse dia eu ia gravar em casa, portanto escolhi algumas peças bem mais informais. A camiseta é da Renner, o colar também. A calça jeans é da Zara. A sapatilha é Melissa. Não dá pra ver muito bem na foto acima mas tirei uma com mais detalhes, abaixo.

Eu adoro esse detalhe de colocar uma parte da blusa para dentro da calça, para ela não ficar completamente solta. Faço isso sempre com blusas mais larguinhas, como essa.

Como eu falei, é um look básico e confortável que me permite variar à medida que eu vou gravando os vídeos. Gravo alguns desse jeito como estou nas fotos, depois prendo o cabelo, mudo o batom e o colar, ou depois troco a camiseta. Fica bem bom e variado para quem está assistindo.

O que você achou desse formato de post? Acha que vale a pena continuar fazendo, com outras ocasiões da minha vida? A ideia não é fazer deste um blog de moda, mas continuar mostrando situações práticas da vida em seu cotidiano. Por favor, deixe um comentário. Obrigada.

Categoria(s) do post: Diário da Thais

Ontem estive na cidade de Santos para participar de um curso de queijos veganos com o Flávio Giusti, que tem um canal no YouTube chamado Vegetarirango. Neste post vou contar um pouco como foi e do que eu aprendi.

Queijo sempre foi um alimento que eu gostei e consumi muito a vida toda. Tanto, que acho que fui castigada com a alergia à lactose, que descobri este ano. Quando virei vegana, percebi que todos os alimentos podem ser substituídos com sucesso, incluindo queijos, mas eu confesso que sempre achei o alimento mais difícil de produzir, pois tem muitos processos técnicos. Por isso, resolvi fazer esse curso. Acredito que me ajude assim como ajudará aqui em casa o filhote e o marido a curtirem as receitas com esses ingredientes também.

É importante ter em mente que, se a gente for fazer em casa um queijo com leite de vaca, por exemplo, esse processo não será nada fácil ou simples. Logo, o processo do queijo vegetal também não é super simples (alguns sim), mas é ainda mais fácil que o processo do queijo de leite de vaca (e sem crueldade animal).

O que eu peguei de mais fundamental ontem, para mim, é que existem dois processos básicos que a gente precisa aprender para fazer queijos vegetais em casa e que, aprendendo esses dois, eles servem como base para qualquer receita de queijo que você queira fazer.

O primeiro é um processo de fermentação. Você aprende como produzir um líquido que vai funcionar para ajudar na fermentação dos queijos de maneira geral. O segundo é um processo de produção de iogurte. Esse iogurte servirá como base para muitos queijos, especialmente os mais cremosos.

Considerei esses dois processos tão importantes que tomei como lição aprender a fazê-los direitinho antes de me aventurar com as receitas de queijo que dependem delas em si. (Existem receitas que não dependem de nenhuma das duas e são mais simples.) Por exemplo, o processo de fermentação dura dias, tem todo um esquema de ficar cuidando, deixar em ambiente escuro etc. E o Flávio enfatiza diversas vezes que o “mundo da fermentação” é todo um universo à parte, e que existe muito material para se aprofundar, para quem quiser.

O primeiro queijo que ele ensina a fazer é a mussarela de búfala vegana. E ele explica como faz muito, muito em detalhes, porque é o processo mais difícil, e aí ele vai ensinando de maneira muito didática, em camadas mesmo, explicando “agora a gente vai fazer um queijo que tem o mesmo processo do anterior, mas em vez deste ingrediente eu vou colocar aquele, por tais efeitos”. Ele é um excelente professor. Recomendo demais o curso. Fora que ele é engraçadíssimo e zoeiro, exatamente como ele é no canal dele, interagindo com os alunos e fazendo brincadeiras. Uma moça levou o filho e o menino não conseguia parar de dar risada, se divertiu muito.

Galera interagindo, preparando a mussarela de búfala, usando chapeuzinhos divertidos de bichinhos
Teve banho de polvilho (socorro!)
Apostila do curso com fotos e todas as receitas
Mussarela de búfala servida com tomate e manjericão

De modo geral, quando você aprende os processos, o resto é só personalização de ingredientes. Por exemplo, os ingredientes que fazem um queijo fermentar mais (para fazer queijos tipo brie ou chevré), os ingredientes para o queijo ficar puxa-puxa (cheddar, mussarela), pra ficar tostadinho se fizer na chapa ou gratinado na pizza etc.

Todas as receitas feitas no curso ele tinha os queijos prontos para a gente experimentar, dentro de uma receita que combinava. Por exemplo, a mussarela de búfala veio num formato meio caprese. O chevré foi servido com uma torrada e damasco. O parmesão ralado veio num pratinho com macarrão e molho de tomate. Isso ajuda a ver como aplicar as receitas no dia a dia e como é fácil fazer substituições, mesmo para quem não é vegano. Aliás, a maioria das pessoas na sala não era vegana, e sim gente que queria aprender a comer de forma mais saudável.

O legal é que abre um mundo de possibilidades. Aprendendo a fazer, você pode personalizar as receitas como quiser, colocando seus próprios temperinhos. Por exemplo, se você aprende como faz a manteiga, pode colocar sua preferência de quantidade de sal, pode fazer com ervas, com alho etc.

Enfim, gostei muito do curso e recomendo. Você pode acompanhar o Flávio pelo canal no YouTube e no Instagram, onde ele divulga os cursos. Se não me engano, a próxima data será em Sorocaba, daqui a alguns dias. Vale muito a pena tanto para quem é quanto para quem não é vegano, mas tem intolerância à lactose, por exemplo, ou simplesmente quer aprender coisas novas.

Categoria(s) do post: Novidades
Photo by Marta Bockhorny

Quando chega o final de ano, existem duas perguntas
que quase todo mundo se faz:

1) O que aconteceu com o meu tempo que voou em 2019?
2) Como eu consigo me organizar melhor e planejar 2020?

Atendendo a pedidos, teremos uma semana inteira de curso online GRATUITO com aulas te ensinando a planejar seu ano novo. É isso mesmo o que você ouviu: eu vou pegar toda a minha experiência sobre planejamento pessoal e organização e te ensinar a planejar para que o ano novo seja melhor aproveitado por você.

Quem sou eu

Sou publicitária por formação e sofria com a sobrecarga de trabalho.

Meus amigos diziam que eu era a sua “amiga imaginária”, pois eu nunca podia estar presente nas festas de aniversário e encontros do grupo. Eu estava sempre trabalhando.

Apesar de trabalhar o dia inteiro, eu ainda achava que aquele tempo não era suficiente. Então eu ficava até mais tarde trabalhando ou respondia e-mails de casa.

Mas eu sabia que alguma coisa eu não estava fazendo certo. E aí comecei a ir atrás de informações.

Comecei a procurar técnicas e métodos de organização para ter uma vida melhor aproveitada.

Hoje trabalho com organização pessoal, da casa e do trabalho. Tenho três livros publicados e atuo essencialmente através de palestras, cursos online e presenciais.

A Semana de Planejamento

Essa semana acontecerá entre 2 e 6 de dezembro, porque sabemos que é uma época do ano em que você tem bastante coisa para fazer mas NÃO TANTO quanto as semanas seguintes antes das festas. 🙂 Logo, é o momento ideal para se permitir pensar na vida um pouquinho e planejar melhor o seu ano que vem.

O que você vai aprender:

Segunda, 2/12
Aula 1: Como começo a me planejar?
Princípios do planejamento pessoal. Um pouco da minha história e da minha experiência pessoal com o planejamento.

Quarta, 4/12
Aula 2: Planejamento do dia funciona?
Como ele está vinculado a um planejamento maior? Que ferramentas utilizar para organizar o que se planeja.

Sexta, 6/12
Aula 3: Como garantir que o planejamento funcione em 2020
Vou trazer mais um pouco da minha experiência com dicas finais para que você se organize no ano que vem, mas desde já!

Domingo, 8/12
Tirando dúvidas
Vídeo-aula respondendo as dúvidas e perguntas feitas ao longo da semana.

Por que eu faço isso? Porque não me custa nada organizar esse conhecimento que eu tenho de ANOS estudando e trabalhando com organização para te ajudar a viver de uma maneira que seja mais satisfatória para você. 🙂 Simples assim.

Como terei acesso às aulas?

As aulas serão enviadas todos os dias acima por e-mail aos cadastrados no curso. Você pode se cadastrar clicando aqui.

Atenção: as aulas ficarão disponíveis apenas durante a Semana de Planejamento! Caso você não consiga assistir no dia da aula em si, você tem toda a semana para conferir. Pretendo deixar até o domingo, dia 8/12, as aulas disponíveis.

Espero que seja útil para você!

Categoria(s) do post: Livros

Recentemente terminei a leitura do livro “A Casa Minimalista”, do Joshua Becker, publicado recentemente (2019) em português pela editora Agir aqui no Brasil.

O Joshua ficou mais conhecido aqui no Brasil no último ano devido à sua participação no evento Organize Brasil, em que esteve como palestrante convidado. Lá nos Estados Unidos ele é bem conhecido – tem um blog com milhões de acessos e outro livro sobre minimalismo já publicado, o “Becoming Minimalist”.

O que eu mais gosto nessa história é o fato de termos um homem escrevendo sobre organização da casa. Pensem bem a respeito! Por mais privilegiada que seja a posição dele, temos um homem falando sobre organização da casa. Acho isso muito importante e um marco da mudança que estamos vivendo culturalmente no mundo, ainda que aos poucos.

As imagens acima são promocionais da editora e foram retiradas da página do livro na Amazon. 😉

Veja a sinopse oficial da editora: “Gastamos muito dinheiro comprando coisas para nossas casas, e muito tempo na organização, na limpeza e na manutenção dessas coisas. Nos raros momentos de folga para curtirmos a casa, ela ainda não se parece com o local onde gostaríamos mesmo de morar. O que fazer? Este livro vai apresentar um novo jeito de viver, tendo menos coisas em casa — menos bens materiais, menos itens de decoração, menos acúmulo – e mais espaço e tempo para apreciar o que realmente é importante para você. Uma casa (e uma vida) minimalista. Um guia prático para ajudar todas as pessoas a aderirem a esse estilo de vida.”

O que me chamou a atenção nessa leitura?

Em primeiro lugar, a capa lindíssima. Parabéns, Agir, pela escolha.

Em segundo lugar, minha profissão. Leio TODOS os lançamentos relacionados a organização pessoal, da casa e produtividade.

Mas acho que o relevante aqui é explicar por que eu passei essa leitura na frente de tantas outras que estou fazendo nesse momento, e não dá para explicar isso sem contar um pouco do teor do livro.

Existem muitas pessoas falando sobre minimalismo hoje em dia. O assunto é uma tendência mundial, e fico feliz pela abrangência. No final das contas, acredito mesmo que todos nós devamos focar no que é essencial e nos livrarmos do resto, mesmo que isso seja um movimento que leve mais tempo (veja este vídeo recente em que conto exatamente sobre essa mudança de perspectiva para períodos mais conturbados na vida).

Acredito muito no poder da compassividade. De a gente ter um olhar para a gente mesmo e para os outros com mais compaixão. Isso se chama empatia, também. Entender que cada pessoa tem o seu momento, a sua situação, e que provavelmente está fazendo o melhor possível dentro das circunstâncias em que está inserida.

Mas eu também sei que existem fatores internos que, muitas vezes, nos bloqueiam para coisas que gostaríamos de fazer e isso nos prejudica, que seja transbordando um sentimento de frustração. Por isso recomendo que todos façam terapia, pois faz muita diferença nesse entendimento como um todo. Além de ser saudável ter um profissional da mente sempre de olho em você para perceber nuances que talvez você não tenha percebido.

Cada vez mais eu vejo que cresce uma consciência de que os recursos naturais do nosso planeta são finitos, e que quando jogamos um objeto no lixo, a gente só está delegando o problema para o governo, que jogará aquilo em um aterro, ou para um catador de lixo, que aproveitará o objeto. Não existe “jogar fora” do planeta Terra. Então cada vez mais as pessoas estão desenvolvendo essa percepção e comprando menos, usando menos sacolinhas plásticas, a coisa toda.

Por outro lado, estamos cada vez mais envolvidos em muitas atividades e com menos tempo para fazer qualquer coisa que não seja estritamente necessária. Lembro de quando eu era pequena e ia visitar minha bisavó no interior, e todas as amigas velhinhas dela tinham aquelas casas com cristaleira, objetos de prata etc etc – que até hoje algumas pessoas ainda têm, mas sabemos que cada vez menos. Por quê? Porque tomam tempo. Muitas vezes, não encontramos tempo sequer para lavar a louça e cuidar da roupa – quanto mais lustrar a prataria!

E existe outro aspecto também, que é a diminuição do tamanho das casas. Vivemos em apartamentos e residências cada vez menores, ou pela questão do preço ou porque não precisamos ter um lugar tão grande para limpar! Lembro que, em 2016, quando nos mudamos para um sobrado de três andares (!), o primeiro arrependimento veio nesse sentido. Uma casa enorme dá mais trabalho de limpar. Uma casa enorme pode nos fazer criar uma necessidade esquisita de preenchê-la com mais coisas.

Bom, e aí a gente chega no conceito de casa minimalista.

Vale relembrar o que já disse algumas vezes aqui no blog que o minimalismo não tem a ver com ter poucas coisas. Não tem a ver com escassez. Tem a ver com você ter o mínimo essencial necessário para você viver. E é óbvio que esse mínimo essencial varia de pessoa para pessoa. Adoro quando o Joshua (outro desta vez, o do Minimalists) diz: “se você ama seus livros, fique com seus livros! não é para se desfazer de coisas que sejam importantes para você!”. Apesar de eu ter algumas ressalvas com o trabalho deles, ainda acho que eles têm bons insights a respeito do minimalismo.

Vale a pena ler mais um livro sobre minimalismo?

Uma seguidora no Instagram pediu para eu escrever a resenha para ela avaliar se valia a pena comprar esse livro, já que ela já tinha lido muitos outros sobre minimalismo. Penso que apenas cada pessoa pode fazer essa avaliação. Gostos são muito pessoais. Recomendo ir até uma livraria e dar uma folheada, pois acredito que só assim sua avaliação pode ser mais completa sobre ele servir ou não para você.

Particularmente, por mais que a gente saiba sobre um assunto, a gente nunca sabe TUDO. Eu sou uma pessoa apaixonada pelo conhecimento e por estudar, então todo livro que sai sobre os temas de meu interesse eu quero ler porque acredito que sempre aprendo alguma coisa nova.

O que diferencia esse livro do livro da Marie Kondo, por exemplo? Bem, ela tem um método e um passo a passo. O Joshua não tem esse passo a passo, apesar de ele dividir os capítulos do livro de acordo com o “como destralhar” cada ponto da casa, começando pela sala de estar, depois os outros. Então também tem uma espécie de tutorial, mas é diferente. O livro traz muito mais inspiração, dicas práticas e insights mesmo.

O livro é dividido em três partes: 1) você, 2) espaços (cômodos da casa) e 3) futuro.

Na primeira parte, ele apresenta o método dele e faz uma introdução para que o leitor entenda o que ele quer passar como casa minimalista.

Na segunda parte, ele traz um passo a passo para minimizar a casa. Achei os primeiros capítulos muito bons e robustos e depois achei que ficaram mais abstratos e menos complexos. Pode ter sido só impressão minha mesmo. Talvez eu que estivesse mais empolgada no início e depois me acostumei com o ritmo.

Na terceira parte, ele traz algumas ideias para que você repense a casa onde vive hoje.

Ao longo de todo o livro você encontra frases impactantes, depoimentos e muitas dicas adicionais. Considero o livro bastante interessante para todo mundo que se interesse pelos assuntos de organização da casa e sobre minimalismo, mas claro que apenas cada um pode tirar suas próprias conclusões.

Você pode comprar seu livro aqui pela Amazon e, comprando por esse link, você ajuda o Vida Organizada a ganhar uma pequena comissão, que sempre ajuda na manutenção deste canal. Obrigada!

Você já leu esse livro? O que achou dele? E, se ainda não leu, comenta aqui embaixo o que você pensa sobre minimizar a casa? Um beijo.