O mapa de visão (Horizonte 4)

11
3250

Observação: Os conceitos e práticas citados neste post foram inspirados no GTD (um método de produtividade que uso há mais de 12 anos, criado por um norte-americano chamado David Allen). A base do método GTD é um livro publicado no Brasil com o título “A arte de fazer acontecer” (David Allen). Você também pode conferir a agenda de cursos, se quiser. O conceito de “horizontes de foco” funciona como se dividíssimos a nossa vida em “camadas”, de modo que possamos gerenciar cada uma delas de maneira diferente (especialmente no que diz respeito ao foco).


O mapa de visão para mim é um dos mais importantes porque mostra o estilo de vida que eu estou construindo para mim. O que quero que aconteça até o final da vida. E ter trabalhado esse mapa esta semana foi fundamental porque muitas coisas que eu tinha nele estavam previstas para acontecer só lá na frente. Com a morte da minha avó, muitos elementos vieram para mais perto, então essa reanálise foi totalmente necessária.

Com relação a estilo de vida (life style), eu insiro elementos que já consigo enxergar e que quero para mim, como morar fora um tempo (talvez no pós-doc?), desenvolver um estilo de vida ativo e saudável para preparar o meu corpo para a velhice, viver sempre uma vida culturalmente rica e outros desse tipo. Como eu falei, são construções. Não se tratam de objetivos “smartificados”, mas de cenários.

Em trabalho (work), eu tenho elementos como “construir um estilo de trabalho que me permita trabalhar em qualquer lugar do mundo”, “construir uma empresa com legado para pelo menos 50 anos”, “me aposentar como professora” e outros desse tipo. É bem interessante porque pensar sobre esses cenários me ajuda a ver se o que eu estou investindo meu tempo hoje tem a ver, colabora para isso que eu quero. Me ajuda a ter uma vida mais focada e em encontrar significado naquilo que realmente precisa.

Em segurança da casa e da família (home & family safety), eu tenho basicamente os cuidados com a nossa casa e os cuidados com os membros da família. Garantir que tenha um patrimônio para o Paul, que eu proporcione a melhor educação possível para ele, que meu marido e eu possamos envelhecer bem, cuidar dos nossos pais. Nada de muito extraordinário.

Em prosperidade e propriedades (wealthe & property), eu insiro elementos que quero ter, como comprar um terreno nas montanhas, um valor X em investimentos, investimentos para a aposentadoria e independência financeira e outros relacionados.

Já tive esse mapa mais detalhado e complicado, dividido por áreas e especificado para caramba um plano para cada um dos elementos. Hoje, para mim, basta revisar cada um dos itens e refletir: o que tenho feito, hoje, para alcançar esse objetivo mais de médio ou longo prazo? Muito provavelmente isso vai gerar alguns projetos, e os projetos entram no meu sistema.

Se você quiser saber mais sobre GTD, consulte nossa agenda de cursos. Obrigada.

Amanhã eu entrarei com o resumo do mês no blog e, na semana que vem, continuarei com os mapas.

11 comentários

  1. Bom dia, Thaís. Amo estes posts. Estou numa fase de vida na qual ando me questionando muito sobre o que deveria ter como objetivos, como perseguí-los, se o “sucesso” dos outros deve ser o meu, se estou deixando passar iniciativas que deveria tomar, etc…é proximidade dos trinta anos rs. Utilizo o GTD (pelo menos considero que sim rs) no nível térreo somente. Vou me esforçar para implementar estas visões, será muitíssimo útil. Obrigada, seu trabalho é maravilhoso. Sempre aqui S2.

    • Não especificamente, mas já fiz em instituições do Governo de maneira geral. Atualmente, não tenho feito mais treinamento em empresas, mas abro exceções para servidores públicos. Por quê? Fiquei curiosa. 🙂

  2. É incrível como a morte nos impacta.
    Semana passada também tive uma morte na família. Nos faz refletir e viver cada momento, manter o foco no futuro, planejar, mas aproveitar aquele cafezinho gostoso, aquele almoço em família, aquela amiga que encontramos no ônibus sem combinar . A vida é um eterno “carpe diem” juntamente com ‘plan the future”.
    Quero um mapa desses pra mim também. Vou fazer amanhã (Feriadinho)!!!!

  3. Olá, Thais.
    O que você quer dizer com “legado para pelo menos 50 anos”? De alguma maneira você mensura legado e não captei bem como.
    Parabéns pelo post, sempre com o mesmo padrão de qualidade e envolvimento pessoal.

    • Uma empresa que não busque apenas resultados a curto-prazo, mas durar pelo menos 50 anos, envolvendo outras pessoas que não eu no comando, trazendo impacto na sociedade e no mercado como um todo. Basicamente isso. 🙂 Obrigada por perguntar, gosto muito do assunto.

  4. Oi Thaís, que lindo tudo isso .. me emocionei com o poder da visão. Tenho pesquisado muito este assunto e ler esse post tocou fundo no meu coração .

    Obrigada por dividir … Muita gratidão pelo VO.

    Alessandra

  5. Boa tarde Thais! Amo suas dicas e acompanho sempre seus posts e videos. Lembro que você gravou um vídeo sobre esse mapa de visão e explicou um pouco sobre ele. Tentei rever o vídeo mas não consegui localizar. Poderia deixar o link ou o nome do vídeo? Gratidão!

Deixar uma resposta

Por favor, insira seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui