Categoria(s) do post: Áreas da Vida

Toda semana eu separo alguns links que gostei para trazer para vocês. Os desta semana são:

Meus posts favoritos de março aqui no Vida Organizada:

Um bom finalzinho de Páscoa e uma excelente semana para vocês!

 

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.

Categoria(s) do post: Casa

Este texto foi originalmente publicado no site E-Cycle, parceiro do blog. Para conferir o texto original, clique aqui.

Imagem: E-Cycle
Imagem: E-Cycle

Quem aqui nunca jogou uma meia-calça fora porque ela rasgou ou desfiou? Veja algumas dicas para reaproveitá-la em vez de se desfazer dela:

1. Faça sachês

Corte e separe as pernas da meia-calça. Depois, corte cada uma das pernas, coloque uma essência com seu aroma favorito e amarre nas pontas para fazer bolinhas. Depois desse processo, basta colocá-las dentro de gavetas e armários.

2. Utilize na limpeza

Meias mais grossas podem servir para tirar o pó. Já as feitas com lã podem ser usadas em superfícies metalizadas e espelhos.

3. Suporte para plantas

Por serem finas e elásticas, as meias-calças podem servir para amarrar plantas em varetas e treliças, ajudando no crescimento sem danificá-las.

4. Proteja suas plantas

Corte a lateral, estique uma meia-calça e cubra sua planta para protegê-la de crianças ou de aves e insetos.

5. Brinque com as crianças

As meias podem ser utilizadas para fazer fantoches, animais de pelúcia ou até mesmo em fantasias confeccionadas para as crianças.

6. Utilize nos primeiros socorros

Seja como tipoia, para estancar o sangue ou para pressionar um curativo em um machucado, a meia-calça pode ser muito útil nos primeiros socorros.

7. Aqueça os braços

As meias-calças feitas de lã podem também servir como aquecedores de braços. Basta cortar as duas pontas.

8. Guarde suas coisas

Corte e utilize as pernas para guardar e organizar suas coisas. Seja papel de parede, pôsteres, jornais antigos ou cartazes que ficariam perdidos pela casa.

Tem alguma outra sugestão? Então escreva nos comentários!

Visite o site do E-Cycle para mais sugestões bacanas como essa.

Categoria(s) do post: Áreas da Vida
Imagem: Blog Officially Difrerent
Imagem: Blog Officially Different

Navegando pelo Pinterest (adoro!), encontrei esse projeto de uma blogueira chamada Stacie. Ela fez uma lista com “40 lugares para organizar” em casa e vai cumprindo uma tarefa por dia. Essa é uma excelente ideia para lidar com as listas de limpeza detalhada da FLY lady também (veja aqui como funciona a limpeza por zonas).

A lista acima é a seguinte:

  1. Armário de remédios
  2. Closet da Stacie
  3. Closet do Brad
  4. Closet de visitas
  5. Gabinete de temperos
  6. Despensa de alimentos
  7. Limpeza completa da geladeira
  8. Banheiro principal
  9. Armário de casacos
  10. Livros de receitas
  11. Coleção de DVDs
  12. Armário de jogos
  13. Tupperwares
  14. Correspondências
  15. Criado-mudo do Brad
  16. Criado-mudo da Stacie
  17. Gabinete de vidro
  18. Armazenamento da varanda
  19. Banheiro de visitas
  20. Freezer
  21. Armário de linhas
  22. Gavetas de utensílios
  23. Embaixo da pia da cozinha
  24. Gavetas do banheiro principal
  25. Gavetas do banheiro de visitas
  26. Carro da Stacie
  27. Carro do Brad
  28. Documentos importantes
  29. Contatos no celular
  30. Lixo da cozinha
  31. Lixeira do quarto de visitas
  32. Embaixo da cama do quarto de visitas
  33. Embaixo da cama do quarto principal
  34. Pilhas de roupas
  35. Gabinete de panelas
  36. Reciclar caixas
  37. Fotos/quadros
  38. Fotos/ímãs na geladeira
  39. Atrás da geladeira
  40. Microondas

A lista também serve como ideia para quem quer organizar a casa inteira e não sabe por onde começar. =)

Categoria(s) do post: Diário da Thais

martha-stewart-licoes

Acredito que seja claro para 99% dos leitores que uma das pessoas que mais me inspiram é a Martha Stewart. Para quem não a conhece, ela é uma apresentadora de TV, escritora e empreendedora americana que construiu um verdadeiro império em torno dos assuntos casa, decoração, confeitaria, organização, jardinagem, casamentos, entre outros. Seu negócio, segundo ela, é baseado em tudo o que ela ama, e esse é um conceito que eu tento trazer para a vida.

Eu listei neste post então as lições que aprendi com ela e que posso aplicar à organização no geral. São elas:

1. Gostar de coisas boas

A Martha tem uma espécie de bordão, que é “it’s a good thing” (é uma coisa boa). Se não me engano, ela até patenteou o termo “good thing”, pois ela usa muito. Toda a sua empresa é baseada em coisas que ela considera boas. É ok você gostar de um waffle com nutella no café-da-manhã, porque é uma coisa boa. Também pode ser uma experiência confortável receber seus amigos para jantar em casa no inverno. Como fazer isso? Que comidinhas fazer? Que bebidas servir? Sobremesa? E os pratos, quais irá usar? A toalha vai combinar com os guardanapos..? Enfim, entreter é uma coisa boa. Para quem gosta. E é isso o que ela fala: gostar de coisas boas é uma coisa boa!

2. Ser apaixonada pelo que faz

A gente sempre ouve dizer que, quando faz o que ama, não é trabalho. Nós também achamos que quem consegue trabalhar com o que ama é sortudo, e não obstinado, dedicado e sonhador. Porque é tão difícil né? Na vida real, temos contas a pagar, tempo mínimo e disposição zero. Mas é importante sim sempre termos um norte – aquela direção que nos serve de consolo quando deitamos a cabeça no travesseiro depois de um dia ruim. Aquele objetivo pelo qual trabalhamos. Sim, ele existe para todos nós, nos mais variados níveis! E isso sim significa ser apaixonada(o) pelo que faz! É fazer tudo ao seu alcance em busca daquilo que você quer para você, para sua família, para ser, ter e fazer aquilo que acha certo.

3. Sempre ter uma visão macro e uma visão micro das situações

Hoje eu vejo como muitas atitudes minhas foram prematuras quando eu era mais jovem. Eu sei que essa frase foi um completo clichê, porque afinal, que jovem não é imprudente? São raros. Mas eu atribuo tudo isso pela falta de visão micro/macro ao precisar tomar qualquer tipo de decisão. Hoje, ao ter objetivos de longo, médio e curto prazo, eu sei para o que eu preciso dizer sim ou não. Quando somos jovens, toda oportunidade é uma chance de mostrar ao mundo a que viemos ou, até mesmo, tentar descobrir por nós mesmos. E é por isso que nem todo mundo consegue se organizar desde cedo, trabalhar, cursar uma faculdade que realmente queria, fazer um estágio, ou passar em um concurso público, além de todas as outras infinitas possibilidades profissionais.

Pensar no que eu poderia ter feito não me levará a lugar nenhum e eu procuro não alimentar esse tipo de pensamento. O que importa agora é analisar a situação macro (objetivos de longo prazo, quem eu quero ser, onde quero estar) e aplicar na situação micro (o agora, o próximo).

4. Ensinar outras pessoas

Sempre gostei muito de compartilhar o que eu aprendo. Não sei explicar, mas é algo que tenho desde pequena. Sempre montei revistinhas, tive diário, participei do jornal da escola, produzi fanzines e, depois, sites e blogs. O próprio Vida Organizada nasceu dessa vontade de compartilhar as maravilhosas dicas de organização que eu estava conhecendo. E por que eu faço isso? Sinceramente, não consigo explicar em uma única frase. O que eu acho é que o mundo é enorme, somos em mais de sete bilhões de pessoas e existem MUITOS problemas a serem resolvidos. Não podemos resolver todos mas, se conseguirmos ajudar em algo, em uma parcela mínima, acho que já é bastante coisa. Então é um pouco o que eu acredito ao fazer minha parte por aqui.

5. Estar sempre apresentável

Eu já tive durante muito tempo aquele pensamento de que não preciso usar maquiagem, não preciso fazer isso ou aquilo, vestir roupa tal, pois o importante é o conteúdo. A vida me ensinou que não é bem assim. Cuidar de mim mesma mostra que eu me importo, e isso mantém minha auto-estima alta. Com a auto-estima alta, eu consigo ter mais pique para cuidar da minha vida diariamente (quem não?). Estar bem apresentável também proporciona uma sensação visual confortável para quem lida com você: família, colegas de trabalho, pessoas na rua. Não se trata de “ser quem não é”, mas de se cuidar. O nível que isso vai ser feito depende muito da personalidade de cada um. Mas eu aprendi que ficar sem fazer isso não é legal e não passa uma imagem superior de “não me importo com isso”, como muitas vezes pensamos. Hoje pelo menos eu penso assim.

Quando eu trabalhava em casa, costumava me levantar e ficar de pijama algumas vezes. Eu percebi que a minha produtividade piorava muito quando isso acontecia, então passei a me vestir como se fosse sair para trabalhar todos os dias. Isso faz uma diferença enorme! E, se você precisar sair de última hora, não precisa tomar banho, se arrumar e trocar de roupa, porque já estará pronto(a)!

6. Qualidade é importante

Sempre quando eu vou escrever um post para o blog, eu me pergunto se ele está com a melhor qualidade possível. Ortografia, coesão, elementos informativos suficientes, entre outros fatores. No meu trabalho, sempre me pergunto se, eu fosse dona da empresa, meu trabalho estaria me deixando satisfeita. Quando eu preparo uma refeição para a minha família, eu corto os ingredientes com amor, procuro usar sempre as partes mais fresquinhas, e cozinhar com cuidado. Ao limpar a casa, longe do perfeccionismo, mas eu tento sempre fazer o meu melhor. Se eu vou limpar a pia do banheiro, por exemplo, eu limpo direito – não deixo um pedaço de pasta de dente grudado ali. Essas pequenas coisas. Qualidade é sempre uma escolha diária, que fazemos o tempo todo. É um padrão que eu gosto de ter e que aprendi com a Martha também.

7. Saber trabalhar em equipe

Para todo trabalho solitário, existe uma equipe competente dando suporte por trás. Mesmo que você execute uma tarefa sozinha(o), você depende de outras pessoas para diversos assuntos. Saber se relacionar é importante. Isso vale para as tarefas domésticas também.

8. Focar no lado positivo

Imperfeições acontecem todos os dias. Muitas vezes, o que tínhamos planejado não sai como o esperado e imprevistos aparecem. Não podemos deixar a peteca cair! Se a cebola que você tinha comprado para preparar o almoço veio com um pedacinho estragado, corte fora e use o resto! Não deixe a cebola estragar a sua refeição! E sim, essa foi uma metáfora para diversas áreas da nossa vida. Eu aprendi a desapegar de certas atitudes e continuar com o jogo quando o imprevisto me alcança. Ser organizado(a) não significa ter controle de 100% do que é a sua vida, principalmente porque isso é impossível! Ser organizado(a) é ter foco e saber o que fazer nas mais diversas situações. Quase uma virtude de resiliência e adaptação. E focar no lado positivo quando os problemas acontecem é o que mantém o bom-humor e a vivacidade ao realizar tarefas e correr atrás de sonhos.

9. “Make it beautiful” – faça bonito

Isso lembra um pouco do que eu falei sobre qualidade, mas o fazer bonito é mais por uma satisfação pessoal mesmo. É fazer algo para ter orgulho de ter feito. Não consigo explicar nada mais além disso, mas eu tenho certeza que você me entendeu! Faça o que fizer, faça bem faça direito, faça bonito! Realizar qualquer coisa desta forma nos traz uma sensação de conquista maravilhosa e eu aprecio muito sentí-la com uma certa frequência. =)

10. Eu não preciso ser perfeita para ser organizada

No final das contas, algo muito importante que a Martha me ensinou é que ela é somente um ideal. Ela tem uma equipe gigantesca para trabalhar em seu site, nas suas revistas e blogs. Fotógrafos incríveis, jornalistas, escritores, editores, decoradores, artesãos e cozinheiros. O que ela passa é a imagem ideal, do sonho, do bom gosto, do chic, daquilo que achamos lindo de se ver. A vida real é assim? Não! Mas é bom ter um patamar muito acima do nosso para vermos todas as possibilidades que existem.

Além do que, quando eu li seu primeiro livro, o Entertaining, dá para ver como ela era uma pessoa simples – mesmo quando já “bem de vida”. Ela morava em uma fazenda enorme, mas cuidava pessoalmente da horta, das plantas, tinha uma cozinha cheia de cacarecos e ervas secando no teto, penduradas.

Ela não era perfeita. E continua não sendo. Ela é somente uma pessoa incrível, que ama o que faz e que construiu uma equipe competente. Eu espero que essas sejam as palavras usadas para me descrever também um dia. =)

Categoria(s) do post: Diário da Thais
Outono! Minha estação preferida.
Outono! Minha estação preferida.

Eu não gosto muito de agitação atualmente. Multidões, nunca gostei. Então, quando pensamos em viajar para Campos do Jordão (SP) nas minhas férias, minha única preocupação é que não estaria o friozinho que eu queria para curtir a cidade. Explico para quem não conhece: Campos é uma cidade serrana, que fica lotada de gente no inverno, pois acontecem muitos eventos bacanas. Mas já fui para lá no inverno de 2011 e achei tudo muito caro, além de não conseguir me divertir porque tudo era lotado, inclusive restaurantes.

Por sorte, quando faltava um dia para irmos, o tempo mudou completamente! Ficou frio aqui em Campinas, e eu já tinha esperanças de pegar um friozinho na serra. Ficamos poucos dias, passamos a entrada do outono lá, e foi uma delícia.

Nós não íamos viajar. Estamos em fase de contenção de despesas totalmente. Porém, eu estava muito cansada e fiquei chateada por desperdiçar a oportunidade de poder ir viajar (já que, férias agora, só em novembro). Pesquisei pela Internet e encontrei um hotel em promoção, que parcelava em até quatro vezes. =) E foi nele mesmo que nós fomos.

A grande surpresa é que o hotel tinha uma localização excelente, ao lado da praça onde fica a concha acústica, na Vila Capivari. Deixamos o carro no estacionamento do hotel e circulamos a pé quase o tempo todo.

Minhas dicas de organização para essa fase são as seguintes:

  • Pesquisar sobre o lugar onde você quer ir;
  • Definir um orçamento – quanto de diária você pode pagar? Nós resolvemos ficar apenas dois dias. Achei melhor do que não ir viajar!
  • Pesquisar diárias de hotéis no site Decolar.com;
  • Buscar o site oficial dos hotéis que parecem melhorzinhos no Google e dar uma olhada nas condições;
  • Pesquisar sobre o hotel no Google para verificar se há reclamações. Eu também costumo ver os comentários no Foursquare (um aplicativo para smartphones);
  • Ligar no hotel escolhido com uma listinha de perguntas e ter resposta para todas;
  • Se tudo der certo, pegar os dados para fazer o depósito da entrada. =)

Nós escolhemos o Hotel Nevada e nossa estadia foi perfeita. Recomendo bastante, fomos super bem atendidos. Desde o início eles mostraram preocupação com nosso filho, colocando uma caminha mais baixa só para ele, encostada na nossa, e passaram os procedimentos para esquentar a mamadeira, por exemplo. Todos nos trataram muito bem o tempo todo, então foi uma experiência ótima. Certamente vou ficar nesse hotel novamente quando voltar à cidade.

paul-campos
Nosso filho na frente do hotel.

Para mim, a melhor coisa foi chegar lá e já notar o friozinho! Quando chegamos, o termômetro marcava 18 graus, o que para mim é uma temperatura normal. Com o passar do tempo, foi esfriando e, da última vez que olhei, estava 14 graus, de noite. Não é um frio enorme para quem está acostumado com baixas temperaturas, mas para nós curtirmos a cidade estava ótimo. Gosto do ar frio puro, pois parece que limpa os pulmões.

Existem prós e contras de visitar Campos do Jordão fora de temporada. São os seguintes:

Prós

  • Você tem a cidade inteira para você. Nada de superlotações. Há turistas, mas nada que provoque filas, por exemplo. Dá para curtir os restaurantes preferidos e passear sem ficar se desviando ou perdendo tempo.
  • É friozinho de qualquer forma! Então, se você for para descansar e curtir a temperatura, vai gostar muito.
  • Os comércios estão com preços muito mais baixos! A uma semana da Páscoa, as lojas de chocolate artesanal famosas de Campos estavam com preços bastante acessíveis para ovos de Páscoa e os chocolates no geral, então vale a pena para quem gosta e tem um pouco mais de $$$ ir para lá comprar para a família. As malhas e artigos de couro também estavam muito mais baratos.

Contras

  • Algumas atrações só estão disponíveis na temporada de inverno ou aos finais de semana.
  • Se chover, não há muito o que fazer, pois muitas atrações são ao ar livre.

A nossa programação incluía visitar o Parque Encantado, que nada mais é do que um parque com casas dos personagens, tipo casa da bruxa, casa dos três porquinhos, casa da chapéuzinho etc. Porém, no único dia que tínhamos para fazer esse passeio, choveu. =/ Também queríamos ter visitado o Borboletário da cidade, que é famoso, mas as borboletas só voam quando está ensolarado, então não foi possível. Aproveitamos o dia então para conhecer a Fábrica de Chocolate Araucária, que é da cidade, e foi um passeio gostoso (literalmente). Nosso filho quis ficar um tempão vendo o pessoal fabricando os chocolates. Nem preciso dizer que ele teve que provar um pouquinho, né?

Delicioso chocolate quente cremoso Montanhês.
Delicioso chocolate quente cremoso Montanhês.

Aproveitamos para fazer todas as coisas que todo mundo faz quando vai a Campos, como comer no Pastel do Maluf, tomar uma cerveja Baden-Baden (só o meu marido, eu não bebo) e um chocolate quente cremoso no Montanhês. Sim, eu escolhi um único dia para sair da dieta lá, e ele me rendeu 5kg a mais! Isso porque não comi nada demais, somente tomei o café-da-manhã do hotel, almocei o pastel e comi chocolate depois de jantar. Mas já voltei para a dieta e em breve esses quilinhos irão embora de novo.

filhote-e-eu
Passeando no centrinho.

O que me surpreendeu em Campos foi o preço das roupas de inverno. Foi uma pena não ter muito dinheiro para gastar, porque compensava e muito. Acabei comprando algumas coisas para o nosso filho e eu (meu marido não quis). Para vocês terem uma ideia dos preços (não comprei tudo isso, mas precisei contar para vocês verem como realmente valia a pena):

  • Meias de lã para crianças: 3,00
  • Meias de lã para adultos: 3 por 10,00
  • Calça de lã para crianças: 10,00
  • Colete de lã infantil: 18,00
  • Cardigan de lã infantil: 30,00
  • Suéter de lã infantil: 35,00
  • Suéter de lã adulto: de 20,00 a 40,00
  • Jaqueta de couro: 150,00
  • Bota de couro: de 100,00 a 200,00
Botas de couro legítimo. Infelizmente não comprei nenhuma por causa do $$$.
Botas de couro legítimo. Infelizmente não comprei nenhuma por causa do $$$.
Jaquetas a 99,00.
Jaquetas a 99,00.
Nosso filho com o coletinho novo.
Nosso filho com o coletinho novo.

Enfim, acabei comprando algumas coisinhas para a gente, pois era inevitável. As roupas de inverno para o nosso filho foram inacreditáveis aquisições. Só as meias de lã e as calças já valeram a viagem, porque essas coisas são tão caras em São Paulo!

Também vimos que é possível comer em Campos do Jordão sem gastar muito. Os restaurantes do centrinho são bem caros mas, se você passear ao redor, encontrará muitas opções econômicas. Em média, cada refeição saía por 20 reais. No nosso hotel, eles servem sopa na janta como cortesia, e a sopa era uma verdadeira refeição!

Uma boa opção de lanche para crianças é o Pizza ao quadrado, com preços bem acessíveis.
Uma boa opção de lanche para crianças é o Pizza ao quadrado, com preços bem acessíveis.

Apesar de termos ficado poucos dias, foi uma viagem deliciosa e que valeu a pena, pois consegui descansar. Minha família também gostou muito. Espero voltar lá ano que vem para conseguir visitar os lugares que queríamos.

vista-campos
Vista chinesa.

Dicas finais:

  • Vale a pena ficar perto do centrinho, especialmente se você for sem carro. Em grande temporada, o trânsito é gigantesco e fica realmente muito difícil circular de carro, além de estacionar. Se você ficar em algum lugar perto do agito, a circulação vai ficar mais fácil.
  • Se for em um grupo grande, talvez compense alugar uma casa. Se for fora de temporada, os preços são mais baixos.
  • Durante todo o mês de julho, acontece o Festival de Inverno de Campos do Jordão. Para quem gosta de agito e atividades culturais, é uma delícia. Mas, como eu falei, é tudo muito caro e cheio. Claro que tem gente que gosta exatamente disso mas, se não for seu caso, você pode ir em outra época para aproveitar o frio.
  • Outra opção para conseguir curtir a cidade em alta temporada sem gastar muito é ficar de olho nos sites de compras coletivas. Vira e mexe aparecem promoções para Campos do Jordão, inclusive no inverno. Também sempre existe a alternativa de ficar hospedado em uma cidade próxima (como Taubaté) e subir/descer a Serra para Campos.
  • Seja a época que for, leve roupa de frio! Fomos agora em março e estava entre 14 e 18 graus! Você pode comprar roupas lá, mas calças, casacos e sapatos é melhor levar para não depender totalmente de compras e passar frio.
Minha família!
Minha família toda descabelada com o vento, rsrsrs
Categoria(s) do post: Tecnologia

rss-reader-keep-calm

Como vocês já devem ter percebido ao acompanhar o blog, eu sou fã dos serviços gratuitos do Google, e com o Reader não era diferente. Lamento muitíssimo o fim da ferramenta, que considero a melhor para leitura de feeds. No entanto, a vida continua, e desde a publicação da notícia eu venho procurando alternativas para este site que tanta falta me fará.

Para quem não sabe, um leitor de RSS é uma ferramenta utilizada para acompanhar as publicações dos seus sites preferidos, sem precisar acessá-los. A ferramenta unifica todas as atualizações em um só lugar. É muito útil, pois quem tem tempo para visitar todos os sites que gosta diariamente?

Para mim, um bom leitor de feeds deve ter as seguintes características:

  • Possibilidade de acesso via web
  • Opções de compartilhamento
  • Interface amigável e bonita
  • Leitura dos textos dentro da ferramenta
  • Separação por categorias
  • Alternativas para dispositivos móveis
  • Facilidade no gerenciamento dos feeds

Eu costumava utilizar o Reeder, que é um aplicativo para macbooks. Gosto muito do aplicativo, mas o problema é que ele é associado ao Google Reader. Muito provavelmente, com o fim da ferramenta do Google, o Reeder se torne uma ferramenta autônoma (nenhuma novidade sobre isso ainda na página do app). O fato de não ser acessado via web não me atrapalha tanto, pois utilizo outros leitores de feeds no celular e no tablet. Vou aguardando as novidades então.

De qualquer forma, a primeira alternativa que me veio em mente foi o Blog Lovin, que ainda é muito utilizado por blogueiros, especialmente fora do Brasil. É uma boa ferramenta, mas peca em alguns aspectos. Primeiro, porque não gosto do modo de visualização – a atualização aparece com uma imagem e um pequeno texto e, quando você clica para ler, abre o link em uma nova página. Segundo, porque não dá para exportar os feeds (acho isso um absurdo até). Eu estava usando essa ferramenta, mas não estava contente.

Então lembrei de outra que eu já tinha conta, mas não acessava há tempos: The Old Reader. Ela é muito parecida com o Google Reader no começo, quando era possível compartilhar os feeds com quem estava te seguindo. Mas ela deu muitos erros quando tentei exportar meus feeds do Google, além de não ter um sistema de pastas/categorias. Também não tem opções de compartilhamento por e-mail ou em redes sociais, por exemplo. Assim, não serve para o meu uso, pelo menos atualmente.

Aí, pesquisando alternativas, encontrei o Feedly, que por enquanto tem sido a ferramenta que eu tenho usado. Ela é agradável esteticamente e tem todas as funcionalidades citadas acima. Não gosto muito do modo como adiciona os feeds, mas isso é um detalhe. A visualização é muito boa e, por enquanto, tem me servido bem.

Nenhuma dessas ferramentas se compara ao Google Reader, ao meu ver. É uma pena que o serviço acabe.

Para acompanhar as atualizações do Vida Organizada, você pode cadastrar seu e-mail na caixa que está localizada na barra lateral. –>

E você, já encontrou uma alternativa ao Google Reader? Cite nos comentários!

Categoria(s) do post: Casa, Faça Você Mesmo/a

[quote class=”rosa”]Olá Thais,

Quando troquei minha cama comum por uma cama box, me vi diante de 2 problemas:

1) onde guardar o colchão antigo (não gosto de deixar meus colchões reserva a mostra, então os 2 que já tinha escondi atrás do guarda-roupa)

2) precisaria comprar uma cabeceira, mas não estava em meu orçamento para este ano!

Então resolvi colocar o colchão que estava “sobrando” no lugar da cabeceira, guardando-o de uma forma útil e divertida:

Assim não batemos a cabeça na parede, rsrsrsr e ainda posso trocar a cor da “cabeceira” quando não combinar com o jogo de cama!

Obrigada por todas as dicas que tem postado em seu blog… muitas delas estão sendo ótimas para minha organização.

Um grande abraço,
Elaine C. B.[/quote]

cantinho-da-leitora-marco

Excelente solução, Elaine! E o legal é que, para mudar a cara da sua nova cabeceira, basta trocar o lençol, não é mesmo? Obrigada por ter enviado uma foto do seu cantinho.

Quer participar também? Entre em contato.

Categoria(s) do post: Áreas da Vida

Toda semana eu separo alguns links que li e achei interessantes para compartilhar com vocês. Os desta semana são:

Pessoal, estive de férias nas últimas duas semanas e aparecendo bem pouco no blog. Espero que entendam. =)

Essa semana tem post sobre as alternativas ao Google Reader (que vai acabar). Como tem muita gente me perguntando, já deixo o recadinho aqui.

Boa semana para todos! Obrigada pelas visitas e pelos comentários, pessoal.

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.

Categoria(s) do post: Rotinas

Quando meu filho nasceu, eu estava bastante envolvida com o método da Tracy Hogg (a famosa “Encantadora de Bebês”), e segui bastante o que ela ensinava nos livros. basicamente, a conhecer seu filho e ficar atenta às suas necessidades, para que nunca nada lhe faltasse nada.

Muitas pessoas não gostam do método da Encantadora por acharem-no rígido demais, o que não concordo, mas respeito. Também concordo que, para quem amamenta em livre demanda, pode parecer confuso. Vou explicar um pouco como eu fazia, sem me ater muito ao método em si, mas à minha experiência pessoal.

diario-rotina-bebe

Eu tinha um caderninho que servia como uma espécie de diário na época, onde eu anotava tudo relacionado ao dia a dia do nosso filho. Eu não “impus” nenhuma rotina ao meu filho, cabe explicar. Não se pode impôr nada a um bebê que acorda com fome, obviamente, ou porque está assustado, com frio, com medo, com saudade etc. A ideia da rotina é anotar o que o bebê faz, no ritmo dele. Então, se ele acordava às 7h, eu escrevia: “07h00 – Acordou e mamou”. É só um registro.

Fazer essas anotações me permitiu compreender e prever acontecimentos. Eu sabia, por exemplo, que meu filho não ficava mais de três horas e meia sem mamar. Então, a cada três horas, eu o amamentava. Basicamente isso. Eu não esperava ele chegar ao limite dele de fome. Também sabia que, aos três meses, ele não aguentava ficar acordado mais de uma hora e quinze minutos, pois isso o estimulava demais e o deixava irritado, então, depois de uma hora acordado, eu iniciava a rotininha para colocá-lo para dormir. Esse é o método da Encantadora, em poucas palavras. Conhecer seu filho, observar sua rotina, para criar uma de acordo com as necessidades dele.

Se for o seu caso agora, eu sugiro que você tenha uma espécie de diário também e anote as atividades: quando acorda, quando mama, quando faz xixi, quando faz cocô. É até bom para a saúde dele você ter esse controle, pois pode perceber que ele fez, não sei, oito cocôs em um dia, quando na verdade ele costuma fazer uns três. Ou então percebe que já se passaram três horas desde a última vez que você trocou a fralda, essas coisas.

Depois de alguns dias anotando, você pode verificar alguns padrões e tendências no dia a dia do seu bebê: quando ele está com fome, quanto tempo aguenta acordado, quanto tempo dura uma soneca e por aí vai.

Claro que, só nesse parágrafo acima, já entram conhecimentos sobre n coisas. Por exemplo, saber que um bebê precisa dormir X horas durante o dia, para não ficar acordando à noite. Você sabia que um bebê que não dorme de dia pode ter o sono noturno perturbado? Que, se ele não dorme à tarde, pode dormir menos de noite porque está estimulado? Bebês não aguentam ficar acordados muito tempo. Logo, se o seu bebê não dorme de dia, não é porque ele não quer, mas porque o seu ritual de colocá-lo para dormir pode não estar adequado, ou você pode fazer cada vez uma coisa diferente. Repetição é a chave. Significa que, quando você fizer uma coisa sempre igual, o bebê já saberá o que esperar e seu corpo já reagirá inconsciente àquela movimentação.

Além dos livros da Encantadora (indico todos, muito), um livro que gostei bastante de ler na época foi o seguinte:

livro-solucoes

A doutora Elizabeth Pantley é especialista em sono infantil e o livro é muito amigável. Ela também é favorável à cama compartilhada. Nesse livro, ela traz algumas informações sobre a quantidade de horas que um bebê deve dormir, a saber:

tabeladesonecas

tabeladesono

Essas tabelas para mim foram (e continuam sendo) essenciais e sinceramente não entendo como há bebês e crianças que não dormem o suficiente, pois isso é extremamente prejudicial à sua rotina. Se nós, quando dormimos mal, mas entendemos o fato, ficamos “um caco”, imagine um bebê ou uma criança que não consegue ainda entender seu corpo e seus sentimentos? Nosso filho, até hoje, se dorme pouco, dorme super mal, ficando bastante enjoado no dia seguinte. Nada que uma soneca não resolva, mas ter a rotina deixa a vida dele bem melhor. Atualmente, ele está com quase três anos e seguindo a média dessa tabela acima (11 horas de sono noturno e uma soneca de 1h30 à tarde).

Além do padrão de sono e da rotina de cada bebê, é importante atentar para os saltos de desenvolvimento e os picos de crescimento, a saber:

picosesaltos

A explicação acima é bem didática e diz o que ocorre toda vez que a criança passa por um pico de crescimento ou salto de desenvolvimento. Essa informação é importante porque muitas mães e pais se desesperam quando um bebê que dormia bem de repente muda e passa a acordar à noite, e pode ser simplesmente uma dessas fases. A recomendação da Encantadora nesses casos é manter a rotina e esperar passar. Tem que ter perspectiva e saber que passa, não alterar nada, senão só piorará a situação.

Muitas mães e pais se perguntam quando o bebê passará a dormir a noite inteira, pois estão cansados. Meus amigos, eu passei por isso e sei muito bem como é. Para piorar, eu sou daquelas pessoas que demoram para pegar no sono então, mesmo cansada, eu não conseguia dormir logo. Foi bem difícil. Porém, eu fui firme com as orientações da Tracy e, aos três meses, ele já dormia a noite toda sem acordar (com uma “mamada dos sonhos” de madrugada) e, aos seis meses, sem mamar de madrugada.

Essa “mamada dos sonhos” nada mais é do que você amamentar seu filho sem acordá-lo – ele mama dormindo. Eu não pude fazer desde o começo porque ele tinha refluxo mas, assim que passou, eu comecei a fazer e deu certo. A ideia é mostrar para ele que não precisa acordar chorando quando estiver com fome – ele não ficará com fome. Aos poucos, essa mamada da madrugada vai sendo estendida (eu comecei dando às 3h, depois 3h30, 4h etc, até chegar às 6h), quando é hora de acordar. Geralmente essa fase bate com a introdução de alimentos sólidos na dieta do bebê, então você sabe que ele não ficará com fome de noite porque os alimentos sólidos demoram mais para digerir e dar fome. E, mais uma vez, aos poucos, esse horário vai sendo estendido também.

É muito particular esse tempo do bebê dormir a noite inteira e depende de n fatores. Eu não poderia explicar melhor que a doutora Elizabeth Pantley e a Tracy Hogg, então recomendo fortemente os seus livros. Eu li todos e consultei inúmeras vezes enquanto nosso filho era um bebê e me ajudou muito. Não é possível resumir em poucas palavras “o que fazer”, por isso recomendo a leitura completa. Para o bem do seu filho, faça esse esforcinho, mesmo se você não gosta muito de ler. Garanto que não irá se arrepender. Mesmo que não siga o método, terá contato com informações importantes a respeito da qualidade de vida do bebê, e isso sem dúvida poderá ser implementado na sua vida.

Construir uma rotina para um bebê não é impôr nada, mas observá-lo e ver como ele age. É entender o seu filho e sempre fazer o melhor por ele, sem deixar que ele passe necessidades. Para a gente, funcionou muito bem.

A Tracy Hogg tem três livros no mercado brasileiro e, a doutora Elizabeth Pantley, dois (que eu saiba). Eu tenho todos, são excelentes. Como sempre me perguntam qual a diferença entre eles, vou fazer um guia rápido aqui:

livro-rosa

Livros da Tracy Hogg:

  • Livro azul: explica o método e pode ser lido quando você estiver grávida, para entender. Mas não necessariamente – pode ler depois que o bebê nasceu também. Ele traz a raiz do método. Recomendo que comece por ele, não o pule, pois senão o seu conhecimento do método ficará “banguela”;
  • Livro rosa: voltado para a parte mais prática, trazendo soluções para os problemas mais comuns entre os três e os 18 meses do bebê. Serve como guia de consulta;
  • Livro verde: o livro verde é para bebês de um a três anos. Fala da parte do desfralde, dos primeiros passos, das birras etc. É o complemento dos outros dois.

Livros da doutora Elizabeth Pantley:

  • Soluções para noites sem choro: livro excelente sobre todas as suas considerações sobre o sono dos bebês. Indispensável, para ler antes do outro. Especialmente recomendado para mães e pais de bebês até um ano de idade;
  • Soluções para noites sem choro para crianças de um a seis anos: como o próprio livro diz, é para crianças maiores de um ano de idade. Livro muito completo que fala sobre todos os temores das crianças à medida que crescem, além de trazer soluções.

Enfim. Cuidar do sono de um bebê dá muito trabalho sim, não vou mentir. Mas, se você tiver conhecimento e um direcionamento, tudo fica mais fácil. Você acha mais fácil fazer um bolo de cabeça ou seguindo uma receita, mesmo que a modifique colocando os ingredientes que quiser? É basicamente isso. Tem quem combine mais com um tipo que com o outro, mas eu, pessoalmente, jamais descartaria ao menos obter mais informações sobre algo que poderia melhorar a vida do meu filho, mesmo que eu não utilizasse depois.

Bons sonhos. =)

Categoria(s) do post: Carreira, Áreas da Vida

Sexta-feira, mesmo para quem não trabalha fora, é um dia voltado a conclusões. Queremos encerrar tudo antes de o final de semana chegar, para na segunda-feira não termos muitas pendências e incêndios para apagar antes de termos entrado novamente no clima da semana. Veja então 10 coisas para você organizar nesta sexta-feira:

1. Faça uma lista de pendências para resolver ainda hoje!

Liste logo pela manhã as três tarefas mais importantes do seu dia. Depois, liste o restante. Mas atenção: somente as tarefas que precisam invariavelmente serem feitas hoje. Nada de adicionar tarefas que seria bom se fossem feitas hoje. Ok?

Duração estimada desta tarefa: 5 minutos.

2. Planeje o seu final de semana

Faça uma listinha simples de tudo o que precisa resolver nesse final de semana, antes da segunda-feira chegar. Liste tudo o que vier à sua cabeça. Mais uma vez, atente para a regra do necessário: colocar somente o que precisa ser feito nesse final de semana em questão, e não o que seria bom se você fizesse nesse final de semana. A ideia é verificar o que você não pode deixar de fazer de jeito nenhum. O supérfluo pode ser feito depois que você concluir essa lista essencial.

Duração estimada desta tarefa: 2 minutos.

3. Esvazie a sua bolsa ou mochila

Ao chegar em casa, esvazie a sua bolsa ou mochila em cima da mesa. “Ah, mas vai ficar uma bagunça…” Exatamente, meus queridos. A ideia é deixar aquela bagunça te incomodando muito a ponto de você dar um jeito nela o mais breve possível. A bolsa? Guardada no seu devido lugar, claro.

Duração estimada desta tarefa: 1 minuto para esvaziar a bolsa, 1 minuto para guardá-la e 10 minutos para organizar a tralha que estava dentro.

4. Separe a sua roupa suja

Se você costuma juntar as roupas semi-limpas durante a semana para lavar tudo de uma vez aos finais de semana, junte todas hoje para não precisar se preocupar com elas amanhã e tê-las todas em um só lugar.

Duração estimada desta tarefa: 5 minutos.

5. Esvazie a sua caixa de entrada

Se você tiver uma caixa de entrada física em casa, esvazie-a hoje guardando os papéis que ali estão nos compartimentos adequados. Esvazie também a sua caixa de e-mails.

Duração estimada desta tarefa: 15 minutos para a caixa de entrada física e 15 minutos para o seu e-mail (faça o melhor que puder nesses 15 minutos e não perca mais tempo com isso hoje).

6. Troque as toalhas dos banheiros

Pode parecer bobagem, mas tomar um banho em uma sexta-feira à noite usando toalhas limpinhas parece ser uma excelente forma de começar o final de semana.

Duração estimada desta tarefa: 2 minutos.

7. Guarde a roupa que estiver fora do lugar

Nada de deixar casacos pendurados na entrada de casa, suéteres no sofá e roupas em cima da cama. Dê um jeito nessas peças antes que virem pilhas (você sabe do que eu estou falando). Guarde-as.

Duração estimada desta tarefa: 5 minutos.

8. Dê uma destralhada básica

Pegue sua sacolinha e percorra a casa em busca de embalagens vazias, papéis sem sentido e outros artigos que são simplesmente lixo. Mas não perca muito tempo com isso. A ideia é fazer o que puder na duração estabelecida. Confie em mim: você pode precisar de mais de uma sacola, se não fizer isso com frequência.

Duração estimada desta tarefa: 15 minutos.

9. Guarde o que estiver fora do lugar

Se a sua casa inteira estiver uma bagunça, faça apenas o melhor que puder. Não veja o cenário inteiro, mas vá aos poucos. Se a sala inteira estiver uma bagunça, comece guardando o que estiver em cima da mesa, por exemplo, depois do rack e assim por diante. Não é para se estressar, mas sim guardar as coisas aos poucos. Um pouco hoje, um pouco amanhã e um pouco diariamente.

Duração estimada desta tarefa: 15 minutos.

10. Esvazie seu carro

Se você tiver um carro, vá com uma sacolinha e retire tudo de dentro dele.

Duração estimada desta tarefa: 5 minutos.

11. (Plus para quem não tem carro – mas também serve para quem tem)
Esvazie sua geladeira

Dê uma olhada de leve na sua geladeira e jogue fora alimentos vencidos ou estragados.

Duração estimada desta tarefa: 7 minutos.

Pode parecer bastante, mas são tarefas rápidas que colocam a sua vida minimamente em ordem nesta sexta-feira. Bom final de semana. =)

Categoria(s) do post: Diário da Thais, Carreira

Oi gente! Muitas pessoas me escrevem diariamente, seja através de comentários aqui no blog, seja através de e-mails e mensagens nas redes sociais. Algumas dúvidas acabam gerando assunto para posts, como é o caso deste aqui, em que resolvi falar sobre como organizo as ideias para o blog. Já comentei um pouco aqui sobre como eu me organizo com o blog, mas a dúvida é sobre a organização das ideias, então vamos lá:

Caderno “caixa de entrada”

Caderno e caneta

Como eu já comentei em outro post, carrego sempre comigo um caderno e uma caneta. Esse caderno serve como caixa de entrada, ou seja: escrevo TUDO lá! Tarefas, ideias, notas, lembretes. Prefiro centralizar tudo em um só lugar para garantir que o caderno esteja sempre comigo e para não ter que carregar diversos cadernos para cima e para baixo. Praticidade. Mas é claro que, diariamente, ou a cada dois dias, eu preciso fazer uma revisão e processar o que eu coloquei ali, senão cai no esquecimento. Falo sobre isso no post sobre como eu utilizo o método GTD.

Enfim, eu anoto minhas ideias nesse mesmo caderno. Quando vou processar a informação (favor ler texto linkado acima, onde eu explico o que isso significa), passo para “o lugar certo”.

O lugar certo: calendário editorial do blog

Tenho um calendário editorial no gerenciador de conteúdo do blog, que fica online. É um plugin do WordPress chamado WordPress Editorial Calendar, que considero excelente. Antes, eu anotava no Google Calendar (serve também). Se a ideia para o post já cabe em uma data específica, já incluo no calendário. Se não, deixo sem data específica e, quando eu estiver procurando ideias para postar, basta dar uma olhada nessa lista.

Isso me ajuda muito quando eu tenho uma ideia para uma série de posts, por exemplo, mas tenho medo de esquecer e não planejo escrever em uma data específica. Escrevo ali e, quando for o caso, escrevo o post.

Outras fontes

Acompanho as atualizações de diversos blogs que eu gosto através do cadastro de feeds e, sempre que tenho uma boa ideia a partir de outro post de outro blog, já anoto o que eu pensei. Outras vezes, tenho a ideia na rua, ou no trabalho, ou lendo um livro ou revista. Sempre que isso acontece, anoto no que estiver mais perto: no meu caderno ou no calendário direto.

Não tem muito segredo. Sei que é uma graça ter um caderninho bonitinho e cheio de divisórias, mas não acho nada prático. Não estarei sempre com ele (e posso ter uma ideia logo quando ele não estiver por perto) e uma divisória pode acabar antes da outra, por exemplo. A experiência ensinou que, para mim, uma caixa entrada com texto corrido funciona melhor.

Categoria(s) do post: Lazer
Imagem: Marco Vanzo
Imagem: Marco Vanzo

Veja 20 dicas de organização para fazer nesta estação:

  1. Destralhar a casa é uma terapia. De verdade! Liberar espaço em casa e saber que você está doando objetos que não usa para quem precisa faz um bem danado. Não precisa estabelecer um dia durante toda essa estação para fazer um grande bota-fora – basta pegar uma sacolinha e ir, diariamente, passeando pela casa separando o que não usa mais ou é lixo. Tenha uma caixa para colocar o que deseja doar e, quando ela estiver cheia, faça a doação.
  2. Cuide melhor da sua pele no dia a dia. Pesquisa sobre os melhores produtos e faça esse investimento. Organize sua rotina para ter cinco minutinho de manhã e cinco de noite para se cuidar. Aparentar estar saudável pode fazer milagres no dia a dia, especialmente se você trabalha diretamente com clientes. Se você parar para pensar, todas as pessoas que lidam conosco são clientes… vendemos uma imagem nossa a todo momento! Portanto, cuide-se. Pela internet há montes de sugestões naturais para deixar a pele mais saudável, se não for adepta(o) dos cosméticos.
  3. Habitue-se a tomar uma xícara de chá após as refeições para facilitar a digestão. Além de esquentar no friozinho que logo vem aí, uma boa digestão nos deixa mais dispostos para cuidar do que realmente importa no decorrer do dia. Ninguém merece perder a concentração porque está com gases e cólica!
  4. Simplifique, simplifique, simplique, já dizia Thoreau. Você não precisa fazer tudo ao mesmo tempo agora. Pare um pouco e veja o que pode tirar da sua vida que esteja te levando à loucura. Priorize seus projetos. Viva com mais tranquilidade. Faça menos coisas.
  5. Você não precisa tomar banho de banheira com uma paisagem deslumbrante para relaxar. É claro que não é a mesma coisa, mas faça do seu banho diário, aquele no chuveiro mesmo, um ritual de purificação. Quando entrar embaixo da água, sinta toda a sujeira, estresse e sentimentos negativos indo pelo ralo abaixo. Feche os olhos, respire, curta o seu momento. Deixe a água cair nas costas e massageie seus ombros levemente. Use uma bucha natural para estimular a circulação do corpo. Funciona!
  6. Coma mais alimentos naturais. Vivemos cercados(as0 de alimentos industrializados por todos os lados. Pequenas escolhas que fazemos no dia a dia fazem toda a diferença no nosso corpo e estado mental. Procure ingerir menos elementos químicos e conservantes.
  7. Beba mais água! Você sabia que beber água desperta o corpo pela manhã e traz oxigênio imediato ao cérebro, nos deixando mais espertos? Nem estou falando do bem que fez à saúde no geral – estou focando no aspecto prático mesmo. Toda vez que se sentir meio para baixo no trabalho, beba água e sinta a diferença. Você pode estar somente desidratado(a)!
  8. Traga o outono para dentro de casa. Eu adoro pegar folhas pelo chão e deixá-las secarem dentro do livro que eu estou lendo no momento. Você pode usá-las em um mural ou montar um móbile. Usar cores quentes na decoração também ajuda a deixar a casa com a cara da estação.
  9. Coma mais grãos. Fibras são boas para o organismo e muitas pessoas que não se alimentam com carnes e derivados de animais mantêm uma nutrição balanceada através da ingestão de grãos.
  10. Providencie um tempinho livre ao menos uma vez por semana para fazer um escalda-pés em casa. Não precisa ser nada muito elaborado: uma bacia com água quente do chuveiro e óleo de qualquer essência já aliviam o inchaço inevitável nos pés. Se quiser, você ainda pode massagear a si mesma(o) ou pedir uma massagem ao companheiro (ou companheira).
  11. Ouça música durante o dia, mas procure ouvir músicas mais calmas, que elevem seu estado de espírito. Não precisa ser música clássica, apesar de eu achar uma delícia! Pode ser qualquer música dentro do estilo musical que você preferir, desde que ela seja calma e lhe desperte sentimentos bons sobre a vida.
  12. Se tiver a possibilidade, tire uma soneca durante o dia. Diversos estudos garantem que dormir um pouco, nem que sejam 20 minutos após o almoço, te deixam com outro pique para enfrentar o resto do dia. Se não puder dormir, procure ao menos ter momentos tranquilos durante o seu horário de almoço, sem se empanturrar de comida e alimentar conversas desgastantes.
  13. Invista em um novo hobbie. Você sempre gostou de desenhar mas nunca se dedicou a isso? Pergunte-se o motivo. Muitas vezes, basta um passo inicial para transformar sua vida (de verdade). Os hobbies nos levam a um mundo só nosso, onde obtemos satisfação fazendo algo que gostamos e que faz toda a diferença no ânimo para encarar o dia a dia.
  14. Coma alguma coisa diferente! Já experimentou a culinária tailandesa, indiana ou mesmo japonesa (muito além do sushi)? Se não puder ir a um restaurante, procure receitas simples pela internet e prepare em casa. Muitas vezes, basta juntar ingredientes diferentes para preparar e você já terá uma surpresa de sabores.
  15. Fique em contato com a natureza. Passeie em um parque, viaje para algum lugar nas montanhas, caminhe descalça(o) na areia, tome banho de cachoeira. Essas coisas nos revigoram. Se você não é muito fã dos ambientes naturais, tome sol pela manhã ou deixe o vento bater no seu rosto. Já faz diferença.
  16. Invista na comida confortável no seu menu semanal. Comida confortável é aquela que você faz quando está com muita vontade de se aconchegar no sofá e ver um filme. É aquela comida com sabor de infância. Aquela que te aquece. Com certeza você deve ter uma listinha mental com cinco ou seis delas. Tente fazer uma delas ao menos uma vez por semana.
  17. Lembra da boa e velha bolsa de água quente? Esse é um costume que se perdeu um pouco nos dias atuais, mas você ainda pode utilizá-la toda noite quando for dormir, posicionando a bolsa sobre a sua barriga, especialmente se você tiver jantado um pouco mais tarde. Você também pode usar a bolsa de água quente para aquecer sua cama antes de você ir dormir (a não ser que você goste de entrar sob o lençol gelado quando está frio!).
  18. Use roupas mais coloridas. Quando o frio se aproxima, a maioria das pessoas sai de casa com roupas em tons de preto, cinza, marrom, vinho. São cores lindas e que definitivamente combinam com o frio, mas você concorda que um laranja pode te deixar com outra cara quando você se olhar no espelho? Ou outra cor bem viva, que demonstre seu humor (ou o humor que você gostaria de ter naquele dia)?
  19. Faça mais atividades dentro de casa. Sair é ótimo, especialmente com as pessoas que gostamos. Mas há quanto tempo você não organiza um encontrinho em casa? Chame seus amigos ou organize um jantar romântico. Veja filmes, jogue vídeo-game, organize um campeonato de qualquer jogo aleatório que faça com que todos se divirtam.
  20. A velha tática do leite com canela ainda funciona. Mas, se você preferir, uma xícara de chá também é excelente antes de dormir. Um banho morno bem gostoso também, para relaxar o corpo. Cuide da postura. Evite pensamentos negativos. Pense nos seus objetivos quando for dormir, para sonhar cada vez mais alto com eles. Uma coisa é certa: uma boa noite de sono cura qualquer coisa e nos deixa prontos para tudo!

É outono!