Categoria(s) do post: Áreas da Vida

Lembram do que eu falei de cama compartilhada, lindo, maravilhoso etc? Pois é. Nem precisamos intelectualizar muito. Nosso filho ariano super independente não quer mais dormir com a gente. É só colocar na cama que ele chora, chora, chora. Colocamos no berço, ele encosta o rostinho no protetor e dorme quietinho.

O que será de nós quando ele sair de casa? haha, meldels. Ande já está todo nostálgico, achando que ele está com algum tipo de problema, pois antes era só abraçá-lo e ele dormia feliz. “Queridan, aceite a situação. Criamos nosso filho para o mundo”, eu disse.

Ele ainda lamenta. Eu acho fofo.

Sexta ele estava com uma tosse leve. Ontem piorou, ficou com catarro e dificuldade para respirar. Era meia-noite e eu já fiquei desesperada, mas ele dormiu. Hoje, primeira coisa foi ligar pra minha mãe nos levar de carro no pronto-socorro (será que os ônibus estariam demorando em dia de eleições?). Votamos e fomos. PS tranquilo, a médica nos atendeu e disse que o pulmão estava vazio (graças) e era só um resfriadinho. Disse que seria normal se ele tivesse febre. Recomendações:
– banho e paracetamol se passar de 37,5º;
– pingar rinossoro no nariz 4x por dia;
– fazer inalação antes de dormir.

Não precisou muito. Ele já melhorou demais e não está com catarro nem febre. Só a tosse prossegue, bem melhor que ontem, e uns espirros esparsos. Hoje já está dormindo melhor. Ontem foi beeem difícil… ele ficou chorando de olhos fechados, sem conseguir dormir, até às 21h30. Dei outra mamadeira (tinha mamado às 18h, mas chorar dá fome), ele tomou metade e dormiu, mas ficou acordando de hora em hora, por causa do catarro. À meia-noite, dei a mamada dos sonhos e ele acordou às 6h. Hoje minha função foi colocá-lo para dormir cedo, e às 18h demos banho, mamadeira e dormiu antes das 19h. Está lá, tadinho. Deu umas acordadas bem de leve, só querendo a chupeta, e continua bem. A mamada dos sonhos será às 23h e pronto. Espero que amanhã ele já esteja 100%.

Queria escrever aqui também como ele está comendo bem! A ideia de “degustação” desde que completou 4 meses (segundo orientação da pediatra antes que o povo venha me encher a paçoca) foi perfeita, porque agora ele come tudo o que oferecemos – é um esganado, na verdade, haha. Continuo mantendo o esquema fruta – papinha salgada – sopa ou papinha de fruta e tem dado certo. A segunda soneca do dia é a principal e sei que, quando ele estiver maiorzinho, vai tirar fácil a da manhã e ficar só com essa.

Agora ele também pseudo-engatinha. Não é só se arrastar – ele dá uns impulsos com as pernas e pula para a frente. É super rápido – quero só ver daqui a algum tempo quem segura esse menino! Já fica de pé segurando no cercadinho, mordendo a barra, quando eu o coloco. A gengiva debaixo está durinha e dá para sentir os dentinhos quando passo o dedo, então logo logo eles devem aparecer (não tão logo, porque não está inchada como deveria, eu acho!).

E sim! Temos uma mulher presidente! Independente de qualquer coisa, isso é MUITO legal.

“Os pais e as mães das meninas devem olhar hoje nos olho delas e dizer, sim, a mulher pode.”

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.

Categoria(s) do post: Áreas da Vida

Finalmente consegui jogar em uma planilha todos os nomes das concorrentes do sorteio (veja o post e os comentários aqui) e já temos uma vencedora!

Foram 59 participantes (tirando algumas repetidas):

E a vencedora, número 27, éééééééééé:

Ghislaine Pelat, de São Paulo! Queridan, vou te mandar um e-mail hoje pedindo seu endereço para enviar o livro na próxima semana.

Obrigada a todas que participaram! Em breve tem mais presentinhos.

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.

Categoria(s) do post: Áreas da Vida

O Halloween é o festival de Samhain que acontece no dia 31 de outubro. Nos Estados Unidos, a celebração do Halloween é mais popular que na Grã-Bretanha (onde se originou), e no Brasil também já se tornou uma festa bastante popular. Para as bruxas, porém, o Halloween é uma ocasião séria, embora celebrada com alegria. Ele é a antiga véspera celta do Samhain (pronunciado algo como “souen”). Samhain significa “O Fim do Verão”, quando o inverno de metade do ano começa no dia 1º de novembro (hemisfério norte). Essa noite e toda a primeira semana de novembro no passado resplandeciam com fogueiras rituais.

Com a chegada do Cristianismo, a Igreja tentou cristianizar o antigo festival tomando o dia 1º de novembro o Dia de Todos os Santos, ou All Hallows como era o antigo termo usado. Assim a Véspera do Samhain tornou-se a Véspera do All Hallows, ou Halloween. Mas as tentativas de desencorajar as celebrações pagãs foram tão em vão que o festival por fim foi banido do calendário da Igreja.

As celebrações deste festival duram três dias, começando na véspera (noite de 31 de outubro) e indo até o dia 2 de novembro. Era um tempo de propiciação, adivinhação e comunhão com os mortos, mas também uma festa desinibida onde se comia e se bebia, mostrando a face desafiadora e fértil da vida à própria face da escuridão.

Apesar de todo o bafafá comercial em torno da data, essa época do ano sempre será importante para mim. É quando simplesmente todo mundo parece se interessar por Bruxaria, bruxas, gatos, abóboras etc. Se eu fico irritada com quem faz festa sem saber o significado? Eu não! Fico mais irritada com quem diz que é uma festa estrangeira e que, por esse motivo, não existe motivo para celebrá-la. Mas o que a maioria das pessoas se esquece é que muitos dos nossos feriados (especialmente os religiosos) são estrangeiros. Natal, Páscoa, São João, Finados, até Carnaval. E, pasmem: esses cinco, coincidentemente, têm origem pagã. Mas são celebrados há tanto tempo por aqui que já fazem parte da nossa cultura, desenvolveram particularidades etc.

O preconceito com o Halloween, então, é puramente religioso. Instituiu-se um “dia do saci” para tentar substituí-lo por um mito puramente nacional, o que me dá sono. Quer dizer que, para valorizar o folclore nacional, precisamos atacar ou rebaixar festas estrangeiras? Sinceramente, acho isso de uma hipocrisia enorme. Vamos todos parar de comemorar o Natal, então, ou o Carnaval. Nada de festas juninas ou ovos de Páscoa. Não? E por quê? É o mesmo raciocínio.

Aqui em casa, como é tradicional todos os anos, faço um montão de atividades durante todos os dias, até o segundo de novembro. Nesse ano, tenho duas particularidades: o Paul e a ausência do meu pai. Meus costumes incluem: comidinhas, meditações, rever fotos, juntar os amigos e familiares, fazer pedidos, ler tarô, fazer uma lanterna de abóbora e receber visitantes esparsos pedindo doces. Para mim é uma época maravilhosa e especial, porque faz parte da minha espiritualidade, sendo considerada até um “ano novo” das bruxas. No passar dos anos, tenho sentido dessa forma também. São três dias de transição, com o véu entre os mundos realmente tênue. Se eu vou aproveitar? Podem apostar!

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.

Categoria(s) do post: Rotinas

Acho que finalmente nos estabilizamos por aqui. Nossa rotina está bem definidinha assim:

06h00 – acorda e toma o leitinho (210 a 270ml). troco a fralda. depois disso, organizo meu dia e começo a trabalhar, enquanto ele fica no cercadinho. já peguei a manha do tédio e, quando ele começa a resmungar, faço um rodízio de brinquedos. deixo no máximo três por vez. se preciso trabalhar em algo importante que demanda concentração ou telefonar para alguém, ligo a tv no discovery kids durante alguns minutos.

08h00 – já começa a ficar irritado, mas percebi que, se eu o coloco para dormir nesse horário, ele acorda rápido e fica com sono novamente por volta do horário do almoço. então tenho esticado até às 9h. aproveito esse tempo para brincar com ele ou fazer atividades pela casa em que ele possa estar comigo.

08h30 – tomo meu café-da-manhã enquanto dou uma frutinha para ele. dá tempo de lavar a louça, limpar a mesa, a bancada e deixar tudo pronto para preparar o almoço.

09h00 – hora da soneca. ele já está tão acostumado que nem preciso ficar muito tempo junto. primeiro troco a fralda e a roupa (se estiver molhada ou suja). fecho a porta do quarto, as janelas, coloco no colo e dou a chupeta. ele fecha os olhos na mesma hora, e então é só colocar no berço. fico um tempinho no quarto para garantir que ele não vai acordar e saio. essa soneca dura em torno de 1h ou 1h30. aproveito para trabalhar em algo que demande concentração e, depois, troco de roupa e me preparo para sair.

10h00 – acorda. fica brincando no cercadinho enquanto eu termino de me arrumar. se eu não vou sair, o coloco na cadeirinha enquanto arrumo a casa ou preparo o almoço.

11h00 – saio com ele para resolver qualquer coisa que eu precise resolver. essa saída precisa ser rápida, pois preciso voltar antes do almoço. geralmente vou ao mercado, ao correio, à farmácia – lugares do tipo.

12h00 – almoço. dou a papinha dele e, em seguida, preparo o meu almoço ou esquento o que sobrou da janta do dia anterior. não vejo a hora de ele começar a comer a mesma coisa que a gente! essa papinha geralmente é a mais substanciosa do dia, com alguma carne e legumes. depois de comer, lavo a louça, arrumo a cozinha e subo com ele para arrumar os quartos. ele fica na cadeirinha ou no cercadinho enquanto eu faço isso.

13h30 – segundo momento crítico do dia, quando ele já está ficando com sono e bate a fome de leite. largo tudo para ficar com ele brincando.

14h00 – dou o segundo leitinho do dia. a ideia é espaçar essa mamada para as 15h, mas ele ainda sente muita fome porque não come uma super quantidade no almoço. às vezes dou essa mamadeira até antes, mas de uns dias para cá estou conseguindo estabilizar às 14h. pelo menos conseguimos tirar sem neuras uma mamadeira do dia, pois os sólidos estão suprindo essa necessidade.

14h30 – segunda soneca do dia. geralmente ele já mama fechando os olhos, mas ainda troco a fralda antes de ele dormir. faço o mesmo procedimento: fecho a porta e a janela, coloco no colo e dou a chupeta. nessa soneca ele dorme super bem e eu aprendi a estendê-la até 2h de duração. se ele acorda chorando, volto lá e faço o PU/PD. tem dado muito certo e ele acaba dormindo até umas 16h ou 16h30. aproveito para trabalhar ou descansar. se dormi mal na noite anterior, dou uma cochilada com ele, mas só se eu estiver realmente cansada. senão, prefiro fazer coisas minhas: estudar, ler um livro, ver algum filme. momentos de lazer são tão importantes quanto qualquer trabalho, senão acabo pirando.

16h30 – acorda e já diminuo o ritmo de atividades. deixo-o brincando no berço enquanto arrumo o quarto. uma técnica boa é deixar um brinquedinho no berço, para ele ver quando acordar. ele adora a surpresa e fica uns bons minutos se divertindo sozinho!

17h00 – terceira e última refeição do dia. normalmente dou uma sopinha ou papinha de frutas.

17h30 – deixo-o no cercadinho enquanto resolvo as últimas pendências do dia.

18h00 – minha avó chega e fica com ele um tempinho. aproveito para tomar banho e, em seguida, organizar tudo para o banho dele: coloco a banheira no box, separo a roupa que ele vai usar, assim como o óleo, ad-til, fralda, pomada etc.

18h40 – deixamos somente o abajour ligado no quarto. ande dá o banho nele e faz todo o ritual noturno: massagem, vestir roupa etc. enquanto isso, já deixo a mamadeira prontérrima, senão vem escândalo. quando o ande termina de vestí-lo, a mamadeira já está no criado-mudo. saio do quarto e fecho a porta. ele toma o leitinho e logo dorme.

19h00 – já está dormindo, na maioria das vezes. tem dias em que ele fica mais agitado e acaba pegando no sono pouco antes das 20h, mas são exceções. ah, ele dorme no berço (agora e em todas as sonecas diurnas).

19h30 – ande faz qualquer coisa para descansar e eu fico trabalhando no computador. encerro meu expediente por volta das 20h, quando começamos a providenciar nosso jantar. um dos dois fica no quarto com o paul enquanto o outro vai cozinhar. como o ande adora fazer comida, ele acaba fazendo na maioria das vezes.

21h00 – jantamos vendo a novela! temos um tempinho só nosso até a mamada dos sonhos às 23h.

22h30 – se ele está resmungando e começa a se mexer muito, já damos a mamadeira. senão, esperamos até às 23h mesmo. o fato é que, mamando às 22h ou à meia-noite, ele acorda sempre no mesmo horário, então não faz diferença. algumas vezes ele acorda antes do horário da mamada, mas não o tiro do quarto nem acendo a luz.

23h00 – mamada dos sonhos. se ele está acordado, troco a fralda. senão, coloco de volta no berço ou na cama com a gente.

23h30 – hora de dormir.

As variações na rotina são aquelas de sempre: fome e sono. Outra coisa que varia é o horário em que ele acorda. Às vezes ele acorda às 7h, às 8h… mas daí já regulo tudo a partir do café-da-manhã. Estabelecer duas sonecas em horários mais ou menos fixos foi a melhor coisa. O objetivo é ter uma rotina parecida com a das escolinhas, para não ficar aquela bagunça de sono e fome. Tendo esses horários, ele se alimenta bem e dorme melhor.

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.

Categoria(s) do post: Viagens

Demorei para postar sobre o que levamos na viagem, mas aqui está! Espero que ajude bastante quem está planejando viajar com um bebê – apesar de existirem tantas particularidades de caso para caso (quem amamenta não precisa levar mamadeiras, aquecedor etc, por exemplo).

A primeira providência foi conferir a previsão do tempo no Climatempo. Vendo de 2 a 3 dias antes, é super confiável. Depois, fiz uma simulação dos dias da viagem. Assim: viajaríamos na sexta e voltaríamos na terça à tarde. Separei umas listinhas tipo: “sexta: viagem de van, duas paradas, chegada no hotel”. Assim, eu saberia o que seria necessário em todos esses momentos (número de papinhas, mamadeiras, fraldas), além de reservar extras.

No dia da viagem, garanti que ele tomasse um leitinho imediatamente antes de viajarmos, para dormir em seguida. Se você puder viajar de acordo com os horários do bebê, certamente é a melhor opção. Então ele mamou, entramos na van e logo ele dormiu. Acordou 2h depois, pouco antes de pararmos. Na primeira parada, troquei a fralda e dei a papinha. Voltamos a viajar e eu sabia que ele não dormiria novamente. Ele foi bem quietinho, na cadeirinha. Quando começou a ficar enjoado, tirei o brinquedo favorito da mochila (o super patinho) e dei a ele, que ficou entretido durante algum tempo. Quando enjoou, dei um brinquedinho novo (um controle remoto que a minha mãe comprou, que toca umas musiquinhas). Isso funcionou bem e acredito que, com crianças maiores, o efeito deva ser ainda melhor. Veja o resumo mais para baixo.

O que eu levei, afinal:

Mochila do Paul:
– 10 camisetas/bodies de manga curta
– 5 camisetas/bodies de manga comprida (para usar de noite)
– 7 calças (2 a mais)
– 7 shorts (2 a mais
– 4 pares de meias (se usar
– 1 boné
– 1 casaquinho de frio com touca
– 1 manta de lã
– 1 lata de NAN 900g (enorme)
– 1 garrafa de bonafont (enorme)
– 10 fraldas (vamos comprar mais lá)
– 1 pacote de fraldas p/ água
– 4 papinhas
– 1 pacote de lenços umedecidos
– 4 fraldas de pano grandes (para as golfadas)
– protetor solar
– 1 pomada anti-assaduras
– 1 caixa de lenços
– 1 shampoo que também sirva como sabonete
– 1 óleo
– 1 colônia
– álcool gel
– escova de cabelo
– ad-til (vitamina)
– rinossoro
– aquecedor de mamadeiras (que também aquece papinhas e esteriliza chupetas etc)
– detergente (para lavar as mamadeiras)
– escova de lavar mamadeiras
– toalha

Bolsa de passeio:
– 2 mamadeiras
– 1 mamadeira para água
– frasqueira térmica
– porta leite em pó
– 2 porta-chupetas
– 2 chupetas
– correntinha de chupeta
– 1 casaquinho de frio com touca
– estojo com 2 colheres
– 2 papinhas
– trocador dobrável
– 1 muda de roupas
– 10 fraldas
– 1 pacote de lenços umedecidos
– 1 caixa de lenços
– 3 babadores de plástico (medo)
– 1 fralda grande (golfadas)
– paracetamol
– nenê dent
– luftal
– termômetro
– 3 brinquedos
– 3 sacos plásticos (lixo, roupa suja e um sobressalente)
– nossos documentos
– agenda com todos os telefones úteis
– cadeirinha (não na bolsa, claro)

Veja aqui os posts durante a viagem:

Dia 1: a chegada.
Dia 2: Paul surpreendendo.
Dia 3: chegando em São José do Rio Preto.
Dia 4: altas aventuras.
Dia 5: a volta.

No geral, deu tudo certo. Fiquei mais tranquila pensando todos os detalhes desse jeito.

A ideia foi:

– Não precisar lavar nenhuma roupa durante toda a viagem (sobraram umas duas mudas de roupas limpas, bem o que eu tinha planejado de extras mesmo).
– Comprar bastante coisa chegando no local, para evitar bagagem extra.
– Não se basear muito no “e se”. Se for assim, vamos levar MUITA coisa.
– Tentar manter a rotina dele o máximo possível (ele ficou mais agitado que o normal mas a rotina se manteve dentro do possível, o que foi fundamental).

A única coisa que eu não levei e senti muita falta foi da banheira do Paul. Ele estranhou o chuveiro (sendo que aqui em casa às vezes toma banho nele, então fiquei surpresa) e chorou todas as vezes que demos banho nele. Aquelas piscinas infláveis são boas quando o bebê já senta sozinho, eu acho, porque no banheiro do hotel não tinha espaço alto para apoiar. Eu deveria ter comprado uma bacia na cidade em que chegamos. Seria mais barata e mais eficiente (sinceramente).

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.

Categoria(s) do post: Áreas da Vida

As nuvens são sombrias
Mas, nos lados do sul,
Um bocado do céu
É tristemente azul.


Assim, no pensamento,
Sem haver solução,
Há um bocado que lembra
Que existe o coração.


E esse bocado é que é
A verdade que está
A ser beleza eterna
Para além do que há. 

Fernando Pessoa

Para Aline.

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.

Categoria(s) do post: Áreas da Vida

Sou aquela pessoa organizada que, de repente, se vê em um mar de tarefas e precisa, de vez em quando, fazer uma “limpa” para conseguir dar conta do recado. No momento, as seguintes coisas estão acontecendo:

Arrumação da casa no geral – Nós estamos sempre arrumando a casa, não é? Pois aqui, depois da morte do meu pai, ficou muita coisa para arrumar e tem um montão de tralha separada para vender – tudo anunciado no Mercado Livre e que demora para alguém comprar. Caixas, retornos, mesas de som, microfones e outros do tipo. Além dos instrumentos mesmo que antes ficavam guardados no estúdio e, agora, não têm lugar, como a bateria (enorme). Na última semana, buscamos na casa de um amigo do meu pai algumas outras coisas que estavam lá e a sala está lotada novamente. Nossa missão, então, é arrumar tudo aquilo. Também estamos providenciando caçambas para ir tirando aos poucos o entulho da obra. Custa caro uma caçamba!

Natal – Esse será o primeiro Natal do Paul e, apesar de eu não ser cristã, gosto da data e acho tradicional na família. Depois da arrumação da sala, quero providenciar uma árvore decente (a da minha avó está em frangalhos). Além disso, tenho aqui a minha listinha de presentes, que venho comprando (e fazendo) há mais de um mês, já. Adoro chegar na semana do Natal e ver todos aqueles presentes. Sou muito Papai Noel e adoro presentear os outros. Fora que a visão da árvore com os presentes embaixo é supimpa, imaginativa etc. As crianças ficam rondando, vendo de quem é o presente maior, tentando adivinhar o que tem em cada um dos pacotes. Tem como não amar? Esse Natal será também o primeiro em que a minha avó (garantiu que) não fará nada, deixando todas as comidinhas a cargo das outras mulheres da família. Justíssimo! Mas então precisamos nos organizar e, apesar de as tarefas já estarem distribuídas, não sabemos exatamente o que mais vamos fazer. Também quero costurar uma toalha nova para a ceia. Nhai!

Batizado do Paul – Projeto abortado por enquanto.

Procurando emprego – Refiz meu cadastro na Catho e paguei durante 6 meses (investimento, certo?). Este é o meu prazo para conseguir um bom emprego, e até lá o Paul completará 1 ano, poderá ir para a escolinha ou ficará com o Anderson (tudo depende do novo emprego dele também). Sei que este é o meu prazo e estou muito focada nele, mandando currículos diariamente (dezenas de currículos).

Mestrado ou especialização – Vai depender do emprego. Se eu começar a trabalhar logo, farei a especialização na PUC mesmo, porque é o link que eu preciso para pedir bolsa para o mestrado na USP depois. Pensei bem e acho que é a melhor opção, pois como não sou formada na área do mestrado (História Social, e sou formada em Publicidade), preciso “entrar para a área”, estudar o básico, além de encontrar o tema perfeito. Já tenho a ideia, mas a especialização dará profundidade. Agora, se eu não conseguir um bom emprego até o início das aulas (fevereiro/2011), continuo estudando a bibliografia para tentar o mestrado em agosto. De qualquer forma, acho que fazer a especialização antes é o mais apropriado. Meu pré-projeto precisa ser excepcional para eu conseguir uma bolsa não tendo me formado pela USP nem na área do mestrado.

Música – Vamos voltar com a nossa banda cover de Paul McCartney e Wings, mais por diversão que por outro motivo. Começaremos a ensaiar em breve.

Meu livro – Ainda em processo de revisão. Por uma imensa sorte, comecei a ler um livro muito bom nesse meio-tempo e fiquei contente por lê-lo antes de terminar o meu, pois ele está me dando vários insights que quero aproveitar.

Meus sites – Trabalhando neles sem parar! Atualizações diárias, mudanças de servidor, leituras, códigos-mil.

Só hoje preciso ir ao pediatra, posto (vacinas dos 6 meses), correio e comprar algumas roupinhas para ele. Conseguirei? São 14h.

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.

Categoria(s) do post: Áreas da Vida

Voltando à nossa programação normal, ontem e hoje a alimentação do Paul foi assim:

07h00 – leite
10h00 – fruta
12h00 – papinha
13h00 – leite
16h00 – papinha
19h00 – leite
23h00 – leite

Diminuí uma mamadeira no total, que acredito estar sendo compensada pela comida. Ele não é muito afins de comer de manhã. Almoça bem, porém chora de fome 1h depois, quando dou o leite e ele toma tudo. Depois de tomar leite, ele aguenta bem 3h antes de outro alimento, mas um alimento não sustenta por 3h – preciso dar em um intervalo menor. Não dá para tirar aquela mamadeira depois do almoço, porque ele sente falta do leite no meio da tarde.

Eu fiquei meio confusa com relação à parte de alimentação no livro rosa da Tracy Hogg. Não sei se entendi direito. Ela diz para dar o alimento antes do leite, para o bebê se alimentar de 4x4h? Eu acho ok ele se alimentar de 3x3h, que é o padrão alimentar de um adulto saudável. No mais, estava relendo hoje e ela realmente diz que o leite deve ser dado ao acordar e antes de dormir, mantendo a mamada dos sonhos até os sólidos estarem bem estabelecidos. Foi distração minha mesmo. Meldels, agora estou vendo como passa rápido. Meu filho não depende só de leite para viver, oh ceos!

A coisa boa é que ele tomado bastante água. Isso mudou depois que passei a dar água no copinho, em vez de dar na mamadeira.

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.

Categoria(s) do post: Decoração

>

1. A parte de dentro de uma estante ou aparador.
2. Luminárias.
3. Teto.
4. Escadas.
5. Rodízios nos móveis.
Fonte: Apartment Therapy

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.

Categoria(s) do post: Áreas da Vida

Graças ao horário de verão, Paul tem dormido mais tarde naturalmente – 19h virou o horário oficial. Damos banho às 18h30, ele toma o leitinho e, no meio da mamada, recusa e fica querendo a chupeta. É só dar que em três segundos ele dorme, agarradinho em mim ou no pai dele. Colocamos no berço e ele vai bem até a hora da mamada dos sonhos.

Desnecessário dizer que o fato de dormir mais tarde não faz com que ele acorde mais tarde. Ele tem acordado às 6h, porque já está claro, mas esse horário é cedo demais. O que temos feito é trocar a fralda, dar o leitinho e colocá-lo para dormir de novo. Às vezes dá certo, às vezes não. A ideia é acostumá-lo a acordar um pouco mais tarde, nem que seja às 8h. E ele nem toma muito leite quando acorda. Não é fome, mas hábito mesmo.
Anderson e eu conversamos e temos um prazo para colocá-lo na escolinha: completar 1 ano de idade. Eu comecei agora a procurar emprego com mais efetividade e vou conseguir antes de ele completar 1 ano. O Ande está querendo mudar de trabalho também, então se eu conseguir, ele vai usar esse meio tempo para ir atrás de outra coisa sem se preocupar com o emprego atual. Ele vai ficar cuidando do Paul se isso acontecer – uma coisa meio John/Yoko nos anos 1970. Sinceramente? Achei um ótimo plano. Vai ser bom trabalhar fora novamente, ter dinheiro para investir na pós-graduação e ficar um pouco mais segura com relação ao nosso futuro. Porque, afinal, não posso jogar fora a minha carreira e depender do marido nunca combinou comigo. Apesar de eu me virar legal com os trabalhos que faço em casa, nem se compara com o salário certinho que eu ganhava antes de engravidar. Então farei isso pelo Paul (segurança), por mim (independência, sair de casa, investir na carreira) e pelo Ande (que procurará outro trabalho).
Sobre a questão especialização X mestrado, eu acho impossível me dedicar a uma dissertação se eu estiver trabalhando na minha área. Publicidade é coisa de maluco, tem hora extra e precisa de muito tempo empregado. Portanto, se eu conseguir um bom emprego, meu prazo é de dois anos – tempo que usarei para fazer a especialização. As aulas são às sextas e sábados e fazer esse curso me dará o link que eu tanto preciso entre a faculdade o mestrado, além de nortear melhor o tema a ser trabalhado. Esse link é o que vai me dar força na hora de pleitear uma bolsa e, se tudo der certo, então poderei me dedicar exclusivamente ao mestrado, voltando somente depois a trabalhar, possivelmente dando aulas ou escrevendo artigos. Claro que isso é só o planejamento – sei bem que a vida dá mil voltas, então vamos ver.
* * *
Momento saco cheio do dia: andar pelas calçadas do bairro com o Paul no carrinho. A gente só percebe como as calçadas são ruins quando passa por esse tipo de situação. Imagino quem anda sozinho de cadeira de rodas, por exemplo. Agora estou começando a bancar a mãe maluca e ir para cima das pessoas com o carrinho, haha. Estou brincando, mas às vezes dá vontade. Você precisa passar pelo ponto de ônibus, por exemplo, e fica aquele monte de árvore plantada na sua frente. E no supermercado? Os corredores já não são tão amplos e o povo deixa o carrinho (de compras) no meio ou então de atravessado, enquanto pegam algum produto. Fora que comandar o carrinho é um capítulo a parte. Nosso carrinho é supimpa, todo cheio de frufrus, mas de qualquer forma é complicado. E sei que nem aqueles carrinhos de passeio, mais leves e compactos, são melhores. A coisa toda está nas rodinhas mesmo. Quando será que inventarão carrinhos flutuantes? Bom, só sei que, até lá, não estaremos mais usando.
* * *
Minha avó disse que eu preciso ir eliminando mamadas gradualmente. Será? Estou confusa com relação a isso. Estou fazendo assim:
7h – leite
9h – fruta (come super pouco)
11h – leite
13h – papinha salgada
15h – leite
17h – sopinha ou fruta
19h – leite
23h – leite
Minha vó sugere que eu faça assim:
7h – leite
9h – fruta
11h – almoço (papinha salgada)
13h – leite (ou mesmo mais papinha)
15h – fruta
17h – sopinha ou fruta
19h – leite
23h – leite
Ela diz que ele precisa começar a comer nos horários certos de comer (café-da-manhã, almoço e janta) e tomar leite somente quando acorda, antes de dormir e às 23h. O que vocês acham? Realmente não sei.

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.

Categoria(s) do post: Casa

>

  1. Se algo cheira mal na cozinha, jogue fora. Não é só comida não. Serve para aqueles potes antigos, talheres etc.
  2. Tire do seu guarda-roupa tudo o que você não usou no último ano. Doe, venda, dê adeus.
  3. Jogue fora, venda ou doe aquilo que está quebrado e você disse que consertaria, mas nunca consertou.
  4. Se você esconde alguma coisa, é porque tem vergonha de mostrá-la. Por que você a guarda?
  5. Limpe embaixo da cama.
  6. Tire todas as roupas do chão da lavanderia. Dê um jeito nelas, nem que seja apenas transferindo-as para um cesto, provisoriamente.
  7. Processe seu e-mail todos os dias. Separe o que é lixo, o que precisa responder, o que é referência etc. Quando tiver 15 minutos livres, responda o que puder.
  8. Todos os dias, antes de dormir, arrume as mesas da casa. Tire de cima o que não lhes pertence.
  9. Tenha um lugar para guardar artigos de craft (cola, tesoura, papéis, canetas), nem que seja uma caixa de papelão. Melhor do que deixar em cima da mesa de jantar.
  10. Mantenha a pia do banheiro limpa.

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.