Categoria(s) do post: Casa, Áreas da Vida
Imagem: Children`s Dayton
Imagem: Children`s Dayton

Com toda a coisa da busca por um apartamento e a reflexão sobre os bairros que gostaríamos de morar, decidimos manter o filhote na escola em que ele estudou este ano até ele estar preparado para o ensino fundamental, quando buscaremos uma escola onde ele possa estudar até o ensino médio, provavelmente. A escola entrou em contato conosco facilitando o pagamento da matrícula do ano que vem (50% agora e 50% em dezembro), o que foi ótimo para aliviar as despesas de final e início de ano.

Por esse motivo, pensei em fazer um post para o blog lembrando as mães e pais de plantão, além do pessoal que estuda em cursos particulares diversos, que muito em breve chega a época de refazer matrículas e que é bom começar a guardar um pouco de dinheiro todo mês ou contar com essa despesa lá na frente.

Além da matrícula, lembre-se da taxa de material (ou a compra do material), dos livros, dos itens pessoais novos (mochila, tênis) e das peças de uniforme complementares. Faça as contas de acordo com a estimativa do ano anterior ou com base nas informações que já foram fornecidas pela escola e planeje-se! Não deixe para fazer essas contas no final do ano, quando o décimo terceiro já tiver sido gasto com presentes de Natal.

Para organizar no Evernote

Primeiro eu tenho um projeto, cuja tag eu intitulo como:

! Família – Fazer matrícula do Paul na escolinha

Essa tag fica em Projetos em andamento.

Dentro dessa tag, coloco todas as notas relacionadas a esse projeto: tarefas, informações.

Quando finalizar o projeto, eu o renomeio para:

2013 -Família – Fazer matrícula do Paul na escolinha

E movo essa tag para dentro de Projetos concluídos 2013.

O que tiver de documentação necessária para arquivar, eu tageio com:

E – Escolinha

P – Paul

Assim, fica fácil encontrar a referência quando for necessário.

Essas são as tags que funcionam para mim. Você pode querer optar por algo diferente, como M – Matrículas ou E – Escolinha 2014. Cada um deve usar como for mais intuitivo.

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.

Categoria(s) do post: Áreas da Vida

Algumas dicas práticas para organizar o setor da cozinha onde ficam a pia, o tampo e os armários inferiores.[list]

  • Deixe a área da pia sempre limpa. Lave a louça todos os dias e faça uma limpeza geral na pia antes de dormir. No método FLY Lady, é indicado “deixar a pia brilhando” antes de dormir porque isso eleva o moral – ter a pia limpa instantaneamente passa uma sensação de dever cumprido e de que a cozinha está em ordem – mais ou menos a mesma sensação de arrumar a cama no quarto. A diferença é que uma pia limpa também proporciona saúde aos moradores da casa, pois ali se concentram muitas bactérias. Por isso, tenha uma rotina diária de limpeza da pia, mantendo o mínimo de coisas possíveis sobre ela. Se possível, não deixe o escorredor e a lixeirinha sobre ela.
  • Instale travas de segurança nas portas do armário inferior se tiver crianças em casa, especialmente se forem pequenas. É claro que a observação constante é a melhor aliada, mas evite acidentes. As travas podem continuar ali depois que elas crescerem para inibir a bagunça.
  • Procure não guardar panelas nesse gabinete, pois a umidade pode danificá-las. Aqui em casa, infelizmente temos somente essa opção, então procuro deixar o gabinete aberto sempre que possível. As panelas estão bem conservadas, mas isso porque temos poucas (somente as necessárias e que usamos sempre). Tente não guardar alimentos também, pelo mesmo motivo.
  • Utilize um escorredor de pratos para organizar baixelas, tampas de potes e outros recipientes rasos. Eles são uma opção barata e muito fácil de organizar esses itens, e o resultado visual fica muito bom.
  • Caixas e cestos de plástico ou metal podem ser usados para setorizar os itens guardados embaixo da pia. Você pode guardar artigos de limpeza, panos, luvas, sacos plásticos, detergentes, esponjas e outros do tipo dentro desses compartimentos. Não faça isso se você guarda panelas e outros recipientes utilizados para armazenar alimentos, para não correr o risco de contaminação.
  • Se o espaço for grande, use pequenos armários ou sapateiras pequenas vendidas de forma avulsa. Elas formam uma espécie de prateleira baixinha ideal para otimizar tais espaços.

[/list]Organizar cozinhas hoje em dia é um grande desafio, porque temos cada vez menos espaço. Com algumas soluções simples, organizar esse espaço vira um processo um pouco mais tranquilo.

Categoria(s) do post: GTD™, Áreas da Vida

Muitas pessoas têm pedido para que eu compartilhe como eu organizo a minha estrutura de tags no Evernote, e hoje eu estou postando alguns prints para exemplificar.

Como comentei, eu uso somente dois cadernos: Inbox e Processed. Quando uma nova nota entra, ela entra como padrão no caderno Inbox. Depois que eu processo – ou seja, organizo com as tags adequadas – ela vai para o caderno Processed. Não sei se esse é o modelo ideal, mas tem dado certo para mim. Não existe jeito certo de usar – eu mesma posso acabar mudando daqui a um tempo. O legal do Evernote é que dá para mudar facilmente sempre que houver necessidade.

Outro ponto importante é que a busca do Evernote é tão boa que, se você não quiser se organizar com tags, simplesmente não precisa. Eu faço isso porque curto o processo e porque, para o GTD, para mim é importante.

Minhas tags estão estruturadas assim:

Captura de Tela 2013-09-23 às 22.23.50

Acima estão as quatro macro-tags principais. Em GTD é onde eu administro tudo relacionado a projetos, tarefas, objetivos etc. Em Arquivo, arquivo todas as referências em ordem alfabética, conforme meu hábito com o próprio GTD (e porque é intuitivo). Em MPN estão as notas master de todos os projetos em andamento, caso eu queira ter uma visão rápida de todos eles. E em Compartilhados estão as notas que compartilhei com outras pessoas, apenas para ter controle.

Captura de Tela 2013-09-23 às 22.24.15

Acima está um print do segundo nível de tags.

Captura de Tela 2013-09-23 às 22.25.42

Tirei o último print acima detalhando mais um nível. No Arquivo, a letra I está destrinchada para vocês verem como eu organizo as tags por assunto. A ideia é deixar a tag mais intuitiva possível, como palavra-chave.

Preferi deixar com a letra inicial na frente porque facilita identificar um arquivo de referência na hora de tagear.

O ideal do uso de tags, em vez de cadernos, é que você pode usar diversas tags por nota, enquanto que caderno só pode ser um.

É isso. Espero que os prints tenham ajudado a entender melhor como estou fazendo.

Para quem não tiver entendido nada e quiser saber do que eu estou falando, leia: Organizando projetos no Evernote – o processo.

Categoria(s) do post: Áreas da Vida
Imagem: Moleskine.com
Imagem: Moleskine.com

Ainda estou no meio do processo, será demorado, pois tenho muito papel, mas gostaria de ir compartilhando com vocês.

Depois da minha febre com o Evernote, resolvi digitalizar tudo e manter em papel somente o estritamente necessário.

Isso está revolucionando a nossa casa e o meu trabalho. Uma das estantes do meu escritório já saiu, deixando um espaço que vai ser utilizado de outra forma. A estante foi para o quarto do nosso filho, já que a dele quebrou.

Incrível como acumulamos papéis! Mesmo eu, que já me desfiz de tanta coisa na vida, tenho muitas pastas e estou digitalizando tudo aos poucos.

Ferramentas que estou utilizando: câmera do tablet e do celular, scanner portátil da Epson (falarei sobre ele em outro post) e o Evernote. Todos os dias, invisto um pouco do meu tempo digitalizando alguns papéis. É chato? Sim. Parece interminável? Sim. Mas eu acredito nos benefícios, e por isso estou fazendo.

Recentemente fiz uma viagem internacional e, graças ao Evernote, consegui ter tudo sempre à mão, de passagens a recibos. Foi muito útil e nem tão trabalhoso como parece – bastou o hábito, usar a câmera do celular e postar no aplicativo.

Para mim, tem sido muito impactante no estudos, no gerenciamento da casa e no meu trabalho. Detalhes e dicas virão em posts futuros (prometo). Como ainda é tudo muito recente, não quero compartilhar informações incompletas ou que podem não estar corretas. Gosto de experimentar um tempo.

Este tem sido meu grande projeto de primavera.

Categoria(s) do post: Áreas da Vida

Esta é você completando 32 anos de idade. Sim, você virou adulta! Aproveite os seus 16 anos, porque vem muita coisa por aí. Eu quis escrever essa carta para te dar alguns conselhos. Ok, eu sei que você provavelmente não vai seguir nenhum deles. Porém, se eu realmente pudesse escrever para você, eis o que eu te diria.

Aproveite a fase do vestibular para estudar e passar em uma boa faculdade. Você não sabe ainda que curso quer fazer, mas tem gente com 40 anos que ainda não sabe o que quer fazer da vida. Não coloque muita pressão sobre essa escolha. Pense em todas as coisas que você gosta de fazer: ler, escrever. Mas pense também em quem você pretende se tornar profissionalmente. Quer trabalhar em um escritório? Em um jornal? Em uma agência? Ao ar livre? Pense nisso, mais do que qualquer outra coisa. Não tome nenhuma decisão baseada em parâmetros que não foram definidos por você mesma.

Sua avó quer que você passe em um bom concurso público. Preocupe-se com o vestibular, foco total, e depois você pensa nisso. Pode ser uma boa ideia sim, mas uma coisa de cada vez.

Não se estresse tanto com a sua família. Sei que é difícil (eu estive lá!), mas procure focar nas suas realizações, nos seus objetivos. Cuide do seu pai.

Assim que passar no vestibular, procure um emprego. Comece a trabalhar logo, seja onde for, para conseguir juntar algum dinheiro e ir morar sozinha. Isso vai melhorar sua sanidade em uns 500% e vai ser uma experiência de vida incrível. Você vai ver como é gostoso ter o seu próprio cantinho, com as suas coisinhas, mesmo que fique sem dinheiro no final do mês. Tudo compensa, e dinheiro é para isso mesmo, não para gastar com besteiras. Eu sei que besteiras são importantes, mas não gaste todo o seu dinheiro com elas.

Não compre roupas porcaria! E pare de usar essas roupas meio hippies. Os anos 90 já estão acabando.

Pegue leve nos livros que você comprar. Compre somente aqueles que você realmente ame.

Cuide dos seus discos.

Aprenda a tocar guitarra direito! O tempo vai passar e você não vai conseguir se dedicar a isso mais tarde.

Aproveite para dormir bastante, pois um dia você pode ter filhos e vai se lembrar com nostalgia dessa época.

Não engorde! Você tem um corpo saudável e no peso adequado à sua altura. Agora que você está parando de praticar esportes as coisas ficarão mais complicadas e, para emagrecer depois, vai ser muito, muito difícil. O metabolismo muda e fica mais lento – não confie nessas dietas doidas que você faz quando engorda um pouquinho no Natal. Sério, não engorde! Controle seu peso e já tome providências assim que passar um pouquinho.

Não leve os relacionamentos tão a sério. Você é jovem e está conhecendo o mundo. Tem muito tempo para conhecer “a pessoa certa”, mas você a reconhecerá quando ela aparecer. Confie em mim.

Procure controlar esse seu nervosismo. Leia sobre o budismo. Você vai gostar, e vai te fazer um bem danado. Não vale a pena ser uma pessoa nervosa, por nós mesmas. Aprenda a relevar a opinião dos outros e não caia em joguinhos emocionais.

Curta mais as viagens que você faz para São Manuel e os seus bisavós que moram lá, porque a vida é curta. Passe mais tempo com eles.

Tem um montão de gente que gosta pra caramba de você e nunca vai te deixar sozinha. Mas você vai descobrir que, na verdade, você prefere mais ser essa companhia que a pessoa acompanhada. 

Você não tem ideia das coisas maravilhosas que vão acontecer com você nos próximos 16 anos. Você vai passar por períodos difíceis também, mas vai superar. Não quero te dar nenhum spoiler, mas posso dizer que você ficará bem. E é uma sensação incrível poder escrever isso nesse momento.

Parabéns pelos seus 16 anos. E parabéns por chegar aos 32! Seja feliz!

Ass: Thais, em 2013

Categoria(s) do post: Áreas da Vida
Imagem: The Daily Flows
Imagem: The Daily Flows

Quando eu estava nos Estados Unidos, conheci um programa de tv chamado Storage wars (algo como “guerra de depósitos”), que passa no canal A&E. Acredito que não tenha previsão para ser transmitido no Brasil (as leitoras lindas disseram que passa no Brasil com o nome Quem dá mais! obrigada!), mas achei divertidíssimo! Basicamente, nos Estados Unidos é comum as pessoas alugarem pequenos depósitos para guardar coisas que não cabem em suas casas. Já tinha visto alguns exemplos no programa Acumuladores (que passa no Discovery Brasil), mas nesse Storage Wars são mostradas grandes áreas com pequenas portinhas de depósitos – como se fossem pequenas garagens.

Pois bem, o programa se baseia no seguinte: quando o aluguel do depósito não é pago depois de três meses, tal depósito vai a leilão. Então existem pessoas que fazem disso um verdadeiro negócio, comprando o que há dentro do depósito, analisando e, muitas vezes, encontrando verdadeiros tesouros que podem ser vendidos para casas de antiguidades e colecionadores. Os apostadores não podem analisar detalhadamente cada depósito – eles podem somente olhar superficialmente o que há lá dentro durante alguns segundos e, em seguida, fazer seus lances.

Imagem: Pop Tower
Imagem: Pop Tower

É divertidíssimo ver o que as pessoas guardam! Tem muita tralha, mas também muitos itens valiosos.

Mesmo para quem não entende inglês, no vídeo abaixo dá para ter uma ideia de como funciona o programa:

Curioso ver como nos apegamos às coisas. Às vezes uma pessoa guarda a vida inteira algum artigo para depois ele simplesmente ser leiloado desse jeito, porque não pagou o aluguel do depósito. Para refletir! Será que precisamos mesmo ficar guardando tudo o que temos?

Categoria(s) do post: Áreas da Vida

A primavera chegou no hemisfério sul e você pode acompanhar no blog alguns textos já publicados com dicas para se organizar nesta estação. Confira:

[list]Como celebrar o fim do inverno

Ideias de decoração para deixar seu quarto com cara de primavera

5 dicas para deixar sua casa em clima de primavera

Artesanatos de primavera para fazer com as crianças

Como fazer a transição do guarda-roupa de inverno para o de primavera

5 dicas para se organizar nessa primavera

Checklist de limpeza para a primavera[/list]

Você costuma se organizar com as estações? Deixe algumas dicas nos comentários!

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.

Categoria(s) do post: Áreas da Vida

lasvegas-flamingo

Estou escrevendo este post no último dia da minha viagem a Las Vegas, nos Estados Unidos. Passei nove dias na cidade, onde participei de uma conferência de negócios e fiz dois cursos, tudo relacionado ao meu trabalho na área de segurança da informação.

No geral, não consegui passear muito, pois os cursos tomaram praticamente todo o meu tempo, e eu ficava bastante cansada depois. Somem a isso o fato de ter ficado durante uns três dias com uma gripe muito forte que me derrubou, e passei todas as horas livres dormindo. Mesmo assim, consegui conhecer diversos lugares e foi divertido sair do país pela primeira vez (em uma viagem de verdade – já tinha cruzado a fronteira em Foz do Iguaçu ano passado mas praticamente não contou).

O que eu realmente gostaria de falar nesse post é como as coisas são diferentes entre os Estados Unidos e o Brasil. Toda a estrutura, os aeroportos, as ruas, a acessibilidade no transporte público, os Walmarts 24 horas, enfim… mostra como o que consideramos bom-senso ainda não é aplicado em nosso país. Achei muito triste.

No mais, Las Vegas é uma cidade que definitivamente não é para mim. Muito barulho, muito calor, muita gente, bebida, cigarro, os casinos. É extravagante demais para o meu gosto mais caseiro. Mas foi incrível conhecer e eu só pude fazer isso graças ao meu trabalho, então agradeço. Mas passar nove dias na cidade, até minha chefe disse que foi demais para ela.

Claro que, para quem mora aqui, Las Vegas é uma cidade completamente diferente. Existe um mundo a parte da agitação, que só os moradores conhecem. Minhas percepções são as de turista mesmo.

Aproveitei para conhecer as lojas que eu sempre tive curiosidade e comer comidinhas idem, mas isso é um assunto que vou destrinchar em outros posts.

Categoria(s) do post: Áreas da Vida

Baseada na minha ídola Nicole Balch, eu montei uma lista com algumas coisas divertidas que eu gostaria de fazer na minha vida. Não é uma lista de objetivos, obrigações ou projetos, mas coisas que, quando eu parei para pensar e escrever essa lista, me deixaram feliz ao me imaginar nessas situações.

Como a própria Nicole disse, uma lista assim nunca deveria fazer a gente se sentir culpado por não conseguir cumprir tudo! É apenas diversão. A gente já tem cobranças demais na vida para ficar se lamentando por não ter feito determinadas coisas.

Eu pretendo voltar neste post sempre que possível para atualizá-lo quando eu realizar algum item dessa lista.

Experiências de vida

  • Viver em outra cidade durante um ano
  • Hostear um jantar de Natal na nossa casa
  • Ir à KISS cruise
  • Ficar sem Internet durante uma semana
  • Ter uma horta em casa
  • Ser madrinha de casamento
  • Participar de uma corrida
  • Viver completamente sem dívidas

Família

  • Levar o meu filho para conhecer o mar
  • Fazer uma festa de casamento para renovar nossos votos
  • Adotar um animalzinho de estimação
  • Ter outro filho
  • Viajar para a Disney
  • Tirar uma foto linda de nós três juntos

Casa

  • Morar em uma casa com quintal
  • Ter um apartamento perfeitamente decorado e organizado
  • Ter uma estante de livros com uma escadinha
  • Ter uma batedeira vermelha da Kitchen Aid

Habilidades

  • Aprender a tocar violino
  • Montar uma banda tocando bateria
  • Fazer um curso sobre estilo pessoal
  • Aprender a costurar
  • Fazer um curso de encadernação artística
  • Aprender a usar minha câmera no modo manual
  • Aprender italiano
  • Fazer um curso sobre decoração de interiores

Profissional/carreira

  • Publicar um livro
  • Passar em um concurso público
  • Dar aulas
  • Ter uma coluna mensal em uma revista
  • Ser editora de uma revista
  • Ter um programa de TV
  • Fazer algum trabalho relacionado com moda

Lugares para conhecer

  • New York
  • Londres
  • Itália
  • Egito
  • Irlanda
  • Escócia
  • País de Gales
  • Austrália
  • Grécia
  • Serras gaúchas
  • Chapada dos veadeiros
  • Paris

Coisas divertidas no geral

  • Fazer um piquenique no parque
  • Viajar somente com as minhas amigas
  • Preparar um cheesecake
Categoria(s) do post: Áreas da Vida

Continuando o assunto sobre malas de viagem, gostaria de falar um pouco sobre a mala de bordo. O conteúdo dela pouco muda de viagem para viagem, pois costumo levar nela somente o necessário e o que precisa estar comigo.

Como eu viajo muito (praticamente toda semana), eu já deixo a mala praticamente pronta, de modo que, quando vou viajar, as únicas coisas que preciso colocar dentro dela são as roupas que eu vou usar, minha carteira e o computador.

Minha listinha é a seguinte:
[list]Par de meias
Blusa de frio
Medicação com receit
Notebook e carregador
Pashmina
Livro
Revistas
Almofada para pescoço
Máscara de olhos
Fones de ouvido
Troca de roupa
Lingerie
Necéssaire com shampoo, condicionador, hidratante e sabonete em miniatura
Protetores auriculares
Adaptador de tomada
Carregador do tablet
Pasta com documentos e arquivos importantes[/list]

Na bolsa de mão, vão as seguintes coisas:

[list]
Hidratante para o rosto
Elásticos de cabelo
Absorvente diário
Lenços de papel
Castanhas
Barrinhas de cereal
Manteiga de cacau
Lenços umedecidos
Colírio
Solução nasal
Mini álcool gel
Mini desodorante
Mini hidratante para mãos
Caneta e bloco de notas
Lanterna de bolsa
Fones de ouvido
Chaveiro
Tablet
Passaporte
Carteira
Óculos de sol[/list]

Com essas listinhas, eu nunca fiquei na mão. Pode parecer bastante coisa, mas não é. A maioria dos itens da bolsa de mão vão dentro de uma pequena necéssaire. Gosto de comprar produtos pequenos que deixo para usar exclusivamente em viagens.

Antes de entrar no vôo, eu seleciono na mala de bordo o que pode ser útil durante o vôo em si (pashmina, revista) para não precisar acessar minha mala no compartimento superior enquanto estiver voando (acho chato), assim só preciso fazer isso em caso de extrema necessidade. A bolsa de mão vai embaixo da poltrona, conforme permitido pela companhia aérea.

Vale lembrar que a mala de bordo deve ser a mais leve possível, pois o limite nacional permitido é de até 5kg e, para alguns vôos internacionais, de 7 a 10kg. Eu comprei uma mala bem leve, da Benetton, mas já vi outras ainda mais leves da Stradda e da Sansomnite; tem que garimpar. O peso deve ser diminuído ao máximo através de itens leves (imagine trocar três livros por um kindle, por exemplo, ou um notebook normal por um Macbook Air).

Minha bolsa de mão geralmente é de tamanho médio, pois não gosto de ficar desconfortável na viagem, desviando de uma bolsa muito grande.

Como eu disse, costumo deixar a mala de bordo já pronta com praticamente todos os itens listados lá em cima, pois posso ficar sabendo hoje de uma viagem que farei amanhã logo cedo, por exemplo, de bate-e-volta no Rio de Janeiro, que é perto, e tê-la pronta me ajuda bastante. Algumas pessoas gostam de deixar inclusive as roupas dentro já prontas, mas isso eu prefiro escolher de acordo com o dia mesmo.

Para quem viaja bastante a trabalho, eu recomendo que deixe a mala de bordo sempre pronta também, pois facilita demais a vida. Já aconteceu de eu ficar sabendo de uma viagem no mesmo dia e, por ter a mala pronta, não demorei nem cinco minutos para pegá-la e descer de volta ao táxi para ir para o aeroporto, portanto, vale a pena.

Categoria(s) do post: Áreas da Vida

Desde que entrei no meu emprego atual, tenho viajado muito. Isso porque a empresa tem mais duas unidades, e o tempo todo precisamos ir para lá e para cá por causa de reuniões, cursos ou eventos. Por esse motivo, eu acabei ficando apaixonada pela coisa de escolher malas, e aqui vai a minha opinião sobre as malas que todo mundo que viaja bastante tem que ter.

Uma boa mala de bordo

A mala de bordo é essencial! Basicamente, você pode levar uma mala junto com você no avião, sem despachá-la no momento do check-in. Essa mala acaba sendo a mais utilizada por quem faz viagens de um dia para o outro a negócios, porque você leva somente o necessário e o que for importante. Eu coloco notebook, necéssaire, documentos, pashmina, tudo ali dentro. Antes eu levava uma mochila, mas ela ficava muito pesada e cheia. Agora, levo sempre a mala de bordo e as minhas costas agradecem.

O bom da mala de bordo é que ela não precisa ser necessariamente de alta qualidade, pois você não vai despachá-la (então ela não sofrerá danos de batidas etc). Mas eu recomendo que ela tenha um sistema bom de rodinhas, pois você precisa dessa mobilidade sem problemas e entraves.

Quando eu uso: em viagens de um dia para o outro ou de no máximo dois dias.

A mala de bordo deve medir no máximo 55cm x 40cm x 20cm, sendo 115cm a medida total.

Uma mala de tamanho médio

A mala de tamanho médio serve para viagens de dois a cinco dias. Com isso, estou contando que você levará roupas para o dia e roupas para usar de noite – ou seja, bastante coisa. Também vai levar necéssaire e outros materiais que pode precisar (livros, talvez). Se você for minimalista, pode ficar só com a mala de bordo. Eu tento ser mas, quando se trata de viagens, prefiro pecar pelo excesso porque já fiquei na mão várias vezes.

Se você vai levar a mala média, precisa de uma bolsa ou pasta de mão para levar notebook e documentos.

Quando eu uso: em viagens de até cinco dias.

Uma mala grande para viagens longas

Eu nunca tinha precisado de uma mala grande até viajar ano passado para um evento da empresa e precisar levar duas malas que eu tinha (uma pequena e uma grande) pelo simples fato de ter que levar roupas para dia e noite, além de livros (estava finalizando meu TCC da pós-graduação). Foi ridículo ter que andar com duas malinhas pelo aeroporto, e naquele dia eu decidi que compraria uma mala grande.

Isso aconteceu somente este ano, quando soube que faria uma viagem internacional de mais de uma semana. O bom de levar uma mala grande é que ela pode ir mais ou menos vazia e voltar cheia de comprinhas.

Com certeza a mala grande não será tão usada quanto a mala de bordo, mas é bom ter porque você não sabe quando pode precisar. E, se decidir fazer uma viagem mais longa, tudo o que você não vai precisar é gastar dinheiro com uma mala boa. Porque sim, essa tem que ter boa qualidade, já que vai aguentar conexões e despachos mundo afora.

Quando eu uso: em viagens de uma semana ou mais.

O único cuidado que temos que ter é com relação ao peso! Geralmente, vôos internos (ou seja, dentro do país) permitem até 23kg por mala e vôos internacionais, 32kg por mala. Se a sua mala tiver capacidade para 32kg e o vôo for interno, e você ultrapassar 23kg, você terá que pagar pelo excesso de bagagem, então tem que ficar atento(a)!

Para mim, o principal problema é guardar essa quantidade de malas! A grande fica no escritório, ao lado da minha escrivaninha (não cabe no armário). As outras duas ficam no armário do quarto.

E para você, quais são as malas essenciais?

Categoria(s) do post: Áreas da Vida

Há cerca de três semanas, eu viajei a trabalho e foi bastante intenso, pois não descansei direito e acabei ficando meio mal de saúde. Nesta semana, estou fazendo um curso no exterior (com fuso horário diferente) e tem sido bem complicado lidar com a questão do bem-estar, porque o curso é das 8 às 19h, já bem cansativo naturalmente, e ainda tem todo o outro lado do fuso.

Por isso, o que eu tenho feito é priorizar o meu descanso. E só depois daquela semana que eu tive há um tempo atrás é que eu percebi como descansar bem faz toda a diferença. Talvez seja coisa da idade…

Eu sei que muitas vezes temos fases na vida em que é simplesmente difícil descansar. Lembro de quando eu fazia estágio e estudava à noite, que eu chegava em casa meia-noite e precisava acordar às 6h, mas ainda tinha que tomar banho, arrumar minhas coisas para o dia seguinte e pegar no sono (demoro para dormir). Com isso, eu facilmente dormia apenas de 4 a 5 horas por noite, e o resultado foi ter tido uma crise de labirintite e engordado uns 10kg.

Depois da semana passada, quando passei mal, eu decidi que meu descanso é mais importante que o trabalho. Simples assim. Então, se eu estiver cansada, dou um jeito de descansar e compensar depois. Tiro um cochilo na hora do almoço, durmo 1h em casa antes de voltar ao trabalho e atitudes do tipo. Aqui no curso, tenho dormido um pouco na hora do almoço e isso tem feito toda a diferença para aguentar o restante das horas no período da tarde.

Portanto, pode parecer que saúde não tem nada a ver com organização, mas tem sim! Se eu não estiver bem e descansada, não consigo fazer 50% das coisas que eu teria que fazer no dia em questão. Priorizar o descanso é tão importante quanto trabalhar e fazer todas as outras coisas que você tem para fazer, então tenha esse compromisso com você mesmo(a)!

Por exemplo, dormir de 10 a 20 minutos já dá outra carga de energia para aguentar o restante do dia. Algumas empresas inclusive estão investindo nessa horinha da soneca depois do almoço, ao redor do mundo (tomara que a moda pegue!). Quem consegue dormir entre 1h e 1h30 fica bem, mas deve evitar, caso tenha problemas para adormecer à noite. A experiência tem me mostrado que o sono de 20 minutos já é bastante revitalizante, e vale a pena.

O problema é encontrar lugar para dormir quando se trabalha fora, não é mesmo? Se você tem carro, pode tirar uma soneca lá dentro. Algumas pessoas procuram lugares mais tranquilos da empresa onde trabalham para fazer isso (tinha um amigo que dormia no banheiro!). Eu certamente acho que as empresas deveriam providenciar um cantinho assim para as pessoas descansarem um pouco.

Como funciona na sua empresa? Você tem algum lugar para descansar? O que você pensa sobre esse assunto?