Categoria(s) do post: Diário da Thais, Mudanças

Não há muitas novidades em nosso processo de mudança – continuamos fazendo as mesmas coisas do post anterior, incluindo recolher caixas por aí, se desfazer do que não vamos usar e encaixotar o que já temos. Também estamos em busca do imóvel perfeito, que parece cada vez mais distante (aluguéis caríssimos). Enfim, nada de novo no front.

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.

Categoria(s) do post: Carreira

Sem delongas, três dicas para melhorar sua produtividade na segunda-feira:

1. Planeje seu dia o quanto antes possível

O ideal seria ontem à noite mas, se você não conseguiu, faça isso imediatamente. Liste as prioridades e tarefas que precisam ser realizadas – incluindo processar e responder e-mails. Não comece a trabalhar sem um rumo, deixando coisas importantes de lado. Esse planejamento pode ser feito em 15 minutos, se você focar. Não atrapalhará o seu dia, mas ficar sem fazê-lo sim!

2. Use sua agenda

Eu utilizo uma agenda do Google Calendar para registrar o que estou fazendo e quanto tempo fiquei em uma determinada tarefa. Me ajuda bastante a definir os rumos do restante do dia e planejar tarefas semelhantes, pois sei quanto tempo passo nelas. Também é importante  para ver se estou demorando demais em alguma tarefa que teoricamente é simples. Veja outras maneiras para utilizar sua agenda.

3. Beba mais água

Quando nosso corpo está desidratado, ficamos irritados(as). Beba bastante água para não correr esse risco, ao menos.

Boa semana para você.

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.

Categoria(s) do post: Saúde

O vídeo mostra uma pessoa com um guarda-roupa bagunçado que é organizado por uma profissional (vejam que dicas bacanas ela dá para etiquetar as caixas de sapatos e guardar as bijous). Depois, um psicólogo fala sobre pessoas desorganizadas. Ele diz que muitos hormônios que surgiram na adolescência são responsáveis por essa falta de noção de determinar o que é prioridade, e que aí a pessoa começa a fazer uma coisa e termina fazendo outra, nunca conseguindo se organizar. A bagunça é um problema? Somente se isso estiver atrapalhando o dia-a-dia da pessoa. Se for o caso, é interessante ela procurar formas de se organizar melhor ou até orientação profissional.

O psicólogo também dá dicas para conviver com pessoas desorganizadas. Ele diz: “não é para cobrar, e sim ensinar como se organizar“.

E aí, vocês concordam?

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.

Categoria(s) do post: Rotinas
Imagem: Getty Images

Ficaram noivos? Sabe que existe um casamento pela frente mas não sabe por onde começar, especialmente porque a ideia ainda parece muito distante? Veja quais são os primeiros passos a dar depois do noivado:

Comunicar às pessoas

Afinal, quem fica noivo(a) quer compartilhar a alegria. Existem diversas maneiras de se fazer isso. Você pode simplesmente comunicar ou preparar uma festinha, por exemplo. Isso depende muito do estilo de vocês. Não se prendam a regras e convenções somente “porque é assim que se faz”. Alguns noivos gostam de manter a decisão em segredo durante algum tempo, o que é ok. O importante é fazer o que importa para vocês dois.

Se decidiram contar, com quem falarão primeiro? Com seus pais? Com os pais dele(a)? Com seus amigos? Algumas pessoas podem formalizar com um anúncio no jornal (especialmente em famílias mais tradicionais). Seja qual for a escolha de vocês, é uma decisão a ser tomada assim que ficarem noivos.

Pensar na data do casamento

Assim que vocês comunicarem o noivado, a grande pergunta será: “qual a data do casamento?”. Preparem-se para ouvir muitas e muitas vezes. Quando vocês ficarem noivos, pode ser que já tenham uma data em mente.

“A data do nosso aniversário de namoro no ano que vem.”
“Quando completarmos cinco anos juntos.”
“Assim que ele(a) terminar a pós-graduação.”
“Quando terminarmos a reforma do nosso apartamento.”

Seja a data que for, é bom ter um plano – mesmo que ainda demore mais de um ano. As pessoas naturalmente perguntarão e é bom para vocês mesmos se organizarem, economizarem dinheiro, fazerem contas e planejar tudo com calma. Por exemplo, se quiserem ter um casamento convencional, na igreja católica, precisarão reservar a data e existem igrejas com lista de espera de mais de dois anos (sim, acredite). Por isso, definir a data é importante.

Pensar no cenário geral

Como vocês imaginam o casamento de vocês? Algo simples, somente no cartório, ou um casamento pomposo e tradicional, com festa para muitos convidados? Certamente, algumas imagens já vêm em mente. Vocês não precisam definir nada agora, mas é legal ir tendo ideias. Talvez você queira se casar na praia, por exemplo, ou usar o vestido que era da sua avó. Tudo isso são peças-chave que ajudarão vocês a montar o casamento com a sua cara.

Definir um orçamento

Depois de ter uma ideia de como vocês querem se casar, dá para pesquisar quanto vai sair a brincadeira. Comecem a solicitar orçamentos para ver quanto sairá tudo e adaptar o orçamento de vocês. Talvez alguns membros da família queiram contribuir. É a hora de sondar! O quanto vocês poderão gastar é o que definirá o evento, pois de nada adianta querer um casamento dispendioso se vocês não têm condições financeiras para tal.

Fazer uma lista de itens para a futura casa

Talvez vocês já até morem juntos mas, se não morarem, pode ser uma boa ir pensando em como será a futura casa de vocês. Isso também inclui orçamento, mas é uma das partes mais gostosas porque envolve decoração, pintura, ideias com a cara de vocês.

Decidir que quer se casar e ser pedido(a) em casamento é um passo e tanto, mas muitas pessoas ficam em dúvida sobre o que fazer depois. As dicas acima servem como uma sugestão de guia para esses primeiros passos rumo ao grande dia da vida de vocês.

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.

Categoria(s) do post: Casa

A foto inspiradora de hoje é para realmente nos deixar com vontade de ter uma escada só para ter mais espaço para esses armários perfeitos cheios de coisas guardadas. Daqui.

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.

Categoria(s) do post: Casa

Morar em uma casa minúscula pode não ser uma possibilidade para todo mundo, mas há boas lições de organização que podemos aproveitar de quem vive desse jeito. Não tem como não pensarmos em simplicidade voluntária e viver com o essencial quando moramos em uma casa tão pequena. As dicas servem também para quem vive em imensos apartamentos de 50 metros quadrados (perto dessas casas, certamente o são):

1. Ter somente o essencial

Viver com o mínimo essencial é básico, simplesmente porque não cabe tralha em uma casa tão pequena.

2. Otimizar os espaços

Aproveitar o máximo possível cada lugar da casa, deixando alguns respiros para não ficar tão cheia de coisas. O importante é aproveitar o espaço embaixo da cama por exemplo, ou pequenos vãos para instalar estantes.

3. Viver sustentável

Aprender maneiras de reutilizar tudo, especialmente embalagens, a fim de reduzir o lixo.

4. Comprar menos

Já que você não tem onde guardar, não compre – a não ser que seja extremamente necessário.

5. Decoração funcional

Móveis e eletrodomésticos devem ser pequenos. Luzes devem ser instaladas na parede, em vez de ocupar espaço no chão ou em móveis. Muitas soluções de decoração devem ser encontradas com base na funcionalidade.

Veja o vídeo de uma pessoa que mora em uma casa minúscula:

E aí, você encararia?

Categoria(s) do post: GTD™, Carreira

Toda segunda-feira tem aquele toque de recomeço mas, muitas vezes, precisamos de um estímulo para alavancar. Veja então cinco coisas para fazer toda segunda-feira, começando por hoje:

1. Defina um menu para a semana

Se você não fez isso no final de semana, não tem problema. Defina algumas ideias do que pode fazer todos os dias para não ter que pensar isso na hora de fazer. O que você pretende jantar hoje? Se tiver dificuldade, leia o artigo sobre como planejar o menu semanal.

2. Faça um pouco de exercícios

Nem que isso signifique simplesmente se alongar ao acordar ou levantar para dar uma volta a cada 1h30 no trabalho. Movimente-se para não enferrujar, essa é a verdade. E é aquilo: exercício libera endorfina, que nos deixa bem. Faz bastante diferença naquele dia sem muito pique (como costumam ser as segundas-feiras).

3. Planeje a semana com a sua agenda

Verifique seus compromissos para hoje, amanhã e os outros dias, até o final de semana. Tome providências antecipadas para não deixar para última hora. Dificuldade para definir prioridades? Saiba como definí-las e executar tarefas.

4. Trabalhe no destralhamento da sua casa

Sempre é bom fazer uma vistoria para se desfazer do que só está ocupando espaço. Quando puder, pegue um saco de lixo, marque 15 minutos no timer ou no alarme do seu celular e passe pela casa recolhendo embalagens vazias, correspondências inúteis e o que mais achar que pode jogar fora. Para mim, fazer isso sempre dá a sensação de dever cumprido com relação à casa.

5. Não bagunce

Quando chegar em casa, de noite, não deixe o casaco em cima do sofá e os sapatos no meio do corredor. Guarde-os no lugar certo. Lave a louça. Limpe a pia do banheiro. Dê uma geral básica (e sem perder um tempo enorme com isso) na casa apenas para não começar a semana no meio da bagunça.

Toda segunda-feira pode ser um pouquinho melhor do que já é, então espero que você consiga despertar legal por aí colocando a mão na massa.

Cadastre seu e-mail para receber as atualizações do blog
(não se preocupe – eu NUNCA enviarei spam):

Por FeedBurner

Categoria(s) do post: Áreas da Vida

Boa segunda-feira.

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.

Categoria(s) do post: Carreira, Rotinas, Áreas da Vida

Ter uma rotina não é uma coisa chata. Quando falo sobre rotinas, muitas pessoas me dizem que “não são de ter rotina” ou acham que “rotina é um tédio”. Mas já foi provado que ter uma rotina é a melhor forma de tornar a vida de um ser humano de qualquer idade mais tranquila, porque gostamos de um mínimo de previsibilidade.

É sabido que o corpo necessita de rotina para seu funcionamento adequado. Da mesma forma, a mente precisa de tempo e calma para organizar o pensamento lógico, que reúne elementos, avalia cenários e toma decisões. O processo acadêmico, portanto, se desenvolve a partir de rotina para os estudos, de forma que basta a sua carência para comprometer significativamente o processo de aprendizagem do jovem, além de afetar sua integridade emocional. Ora, a espontaneidade nunca deixará de ser um valioso ativo – mas nada se constrói sem disciplina e organização. (trecho do texto Conversa sobre a importância da rotina)

Benefícios de ter uma rotina

  • Nosso corpo (metabolismo) se acostuma
  • Nossa mente também, pois sabemos o que vem a seguir
  • As crianças vivem de forma mais tranquila
  • Os adultos também
  • O tempo é melhor aproveitado
  • A casa nunca fica um caos
  • Não somos pegos de surpresa por ações que poderiam ter sido antecipadas
  • Seu desemprenho profissional melhora
  • Sua produtividade pessoal também
  • Fica mais fácil de lidar com imprevistos
  • Sobra tempo para fazer o que realmente importa
  • O dia-a-dia fica mais tranquilo
  • O dia-a-dia fica mais tranquilo
  • E, caso não tenha ficado claro: o dia-a-dia fica mais tranquilo

Como criar uma rotina

Faça listas – Abrace o maravilhoso e prático mundo das listas listando o que você precisa fazer, simplesmente. Eu sugiro a você que faça uma lista do que precisa fazer todos os dias de manhã, antes de sair de casa, e uma com todas as tarefas para fazer antes de dormir. Só essas duas listas já ajudam muito porque te colocam no piloto automático nos momentos do dia em que você costuma estar mais cansada(o).

Não acredite em soluções da noite para o dia – O que constrói uma rotina é o hábito – o ato de fazer a mesma coisa todos os dias. Então não pense que uma rotina de três dias deu certo ou errado, pois ninguém incorpora um hábito de um dia para o outro.

Foque nos períodos mais críticos do seu dia – Quando você costuma ficar mais cansada(o) e sem pique para fazer nada? Em que situações você se sente frustrada(o) por não estar conseguindo se dedicar 100%? Pense em como você pode se equilibrar quando estiver passando por isso. Antecipe determinados momentos e pense em soluções para não perder a cabeça quando acontecer.

Se você está acostumada(o) a “apagar incêndios diários”, ter uma rotina pode te ajudar a ter mais tranquilidade. Sabemos como o dia-a-dia é cansativo. Mesmo que você seja dessas pessoas que dizem não gostar de ter uma rotina, se sua vida é uma bagunça, por que não tentar?

Categoria(s) do post: Casa
Imagem: Getty Images

Sem hipocrisia: todo mundo tem tralha em casa. Todo mundo tem aquele objeto boboca (ou vários, convenhamos) que não quer se desfazer de forma alguma. O problema aparece quando a vida começa a ser prejudicada pelo excesso da bagunça. Sempre que eu fico em dúvida se devo me desfazer de algo ou não, eu tenho em mente esses três conceitos:

1. Objetos não são pessoas. O amor não é feito de plástico. Nada é mais importante que a família, as pessoas que amamos, nossos amigos, enfim, os relacionamentos de verdade. Muitas vezes dizemos que “amamos” determinada coisa quando na verdade isso é um conceito perigoso. Será que você “ama” a tralha mais do que ama a sua família, que está sendo prejudicada pela presença da bagunça? Lembre-se também que objetos que pertenceram a alguém que já se foi não são a pessoa em si. Pergunte-se se vale a pena manter somente porque pertenceu a algum parente ou pessoa querida. Você encontra lembranças no objeto ou no seu coração?

2. Foque no que você pode fazer, não no que já foi feito. Eu tenho aqui em casa todo meu equipamento de camping que não uso há mais de dois anos (desde que engravidei). Fico guardando porque espero voltar a fazer hiking e acampar, mas será que voltarei a fazer isso tão cedo? E mais: será que a dúvida sobre algo que eu supostamente queira fazer daqui a alguns anos é mais importante que a minha convivência diária com aquelas coisas dentro da minha casa? Por exemplo, você pode manter em casa alguns retalhos de tecido que costumava usar quando costurava há tempos. Se você não está se dedicando a essa atividade há tanto tempo, será que vale a pena manter esse material? Não seria muito melhor abrir espaço na casa para o novo ou mesmo para o que você já está fazendo e não encontra tempo ou espaço para se dedicar mais? Todos nós temos objetos que usamos e ficamos em dúvida sobre se desfazer ou não porque, afinal, “usamos durante tanto tempo, pode ser que a gente volte a usar qualquer dia desses”. Se esse dia não tem uma perspectiva tão breve de volta, considere o descarte.

3. Não é uma competição sobre quem tem mais. Eu sei como comprar é gostoso. Sou, como muitas pessoas, uma consumista em potencial. Mas aprendi a pensar da seguinte forma: “prefiro isso ou o dinheiro que isso vale?” Ou além: “esse objeto vale o espaço que ele vai ocupar em casa?”. Quantas vezes deixei de comprar uma revista porque eu não tinha o menor interesse em guardá-la depois de ler? O conceito fundamental para ter em mente é: sempre existirão produtos novos, com mais tecnologia e maravilhosos. Nunca vai acabar a oferta de itens bacanas que podemos comprar. Nós é quem precisamos colocar um limite, senão a situação se torna insustentável, além de nada saudável financeiramente. Não importa se outras pessoas têm determinado produto e você “se sente de fora”. Foque em sentimentos mais importantes.

Uma das maiores dificuldades encontradas na hora de destralhar a casa é o apego que é desenvolvido por coisas, objetos. Por algum motivo, queremos manter itens que, para qualquer outra pessoa, são inúteis, mas para nós têm uma importância imensa. Por que será que nos apegamos a coisas que aparentemente não têm valor algum?

O que você faz quando precisa decidir se vai jogar algo fora ou não? Compartilhe suas dicas nos comentários. Se você não consegue se desfazer da maioria das coisas descritas neste post, quais seus motivos?

Categoria(s) do post: Áreas da Vida
Imagem: Getty Images

Se você quer se tornar uma pessoa organizada, seguem algumas dicas de organização que eu já experimentei no meu dia-a-dia e funcionaram para outras pessoas que eram desorganizadas.[list]

[/list]Para se tornar uma pessoa organizada, você precisa adquirir alguns hábitos aos poucos, no decorrer do tempo. Ninguém se torna organizada(o) da noite para o dia porque são muitas mudanças de paradigma. É como fazer dieta – se você voltar aos antigos hábitos alimentares, engordará novamente.

As dicas acima são um primeiro passo para você começar hoje mesmo a se organizar.

Qual a sua principal dificuldade? Compartilhe nos comentários para trocarmos figurinhas!

Cadastre seu e-mail para receber as atualizações do blog
(não se preocupe – eu NUNCA enviarei spam):Por FeedBurner

 

Categoria(s) do post: Saúde, Família, Áreas da Vida

Eu estava vendo este pedaço do quadro “Lar Doce Lar”, do programa do Luciano Huck, e fiquei pensando sobre o assunto desde então. No vídeo, vemos uma família que teve a casa limpa e organizada voltar a uma bagunça semelhante a como estava antes. Por que será que isso acontece? Por que será que, mesmo depois de ter a casa arrumada e organizada, os moradores voltaram a bagunçar e sujar tudo?

Cheguei à conclusão que organização é como reeducação alimentar para emagrecer – não adianta fazer dieta, emagrecer um monte de quilos e depois voltar aos antigos hábitos alimentares, pois obviamente acabará engordando de novo. Eu diria que organização se trata de uma reeducação também, um hábito que deve ser alimentado dia-a-dia.

Por esse motivo, nunca tive interesse em trabalhar como personal organizer. Nunca acreditei, no fundo, que uma pessoa bagunceira passasse a ser organizada depois de um pequeno treinamento e uma reorganização da casa. Sei que existem excelentes profissionais no mercado e, se você realmente deseja se organizar e não consegue, começar por eles é um excelente primeiro passo. Mas não pare por aí. Não acredite que o personal organizer fará milagres, porque não fará. Ele não estará ao seu lado durante o resto da sua vida. Você precisa ter força de vontade, se realmente quiser se tornar uma pessoa organizada.

Já li alguns estudos que mostram que a maioria das pessoas que guarda tralha em casa também tem excesso de peso, pois se cercar de coisas traz uma falsa sensação de segurança e bem-estar. Não quero nem de longe julgar as motivações pessoais de cada um, mas o que eu vejo em comum entre as pessoas que sempre acabam voltando à bagunça é o seguinte:

  1. Elas sempre arranjam desculpas sobre não ter tempo ou espaço em casa para se organizarem.
  2. Elas sempre deixam para depois, mesmo se não estiverem fazendo nada.
  3. Elas não têm força de vontade para as pequenas tarefas do dia-a-dia.
  4. Elas não vêem a sua casa como um santuário, onde só entram os objetos que são úteis ou elas amam.
  5. Elas compram coisas demais.

Se você possui uma das características acima, questione se elas não estão te prejudicando um pouco (ou muito) nesse sentido. Não dá para ser organizada(o) sem boa vontade, e isso é o princípio de mudança de todos os fatores acima. Acho que é um assunto para reflexão constante – eu pelo menos tenho pensado demais sobre o assunto!

Você conhece alguém que seja bagunceiro assim? Que características você consegue identificar nessas pessoas? Por que você acha que elas são desse jeito?