Categoria(s) do post: Finanças

Este artigo foi publicado no site da revista Vida Simples. Aliás, recomendo a leitura. É uma ótima revista.

Tenha intimidade com os preços: Pesquise os preços em lugares diferentes e encartes de jornais para ter parâmetros e saber se um item está caro ou barato. “Uma pessoa familiarizada com os preços consegue economizar cerca de 40% em relação a um leigo”, diz o economista Luís Carlos, autor de Sobrou Dinheiro! – Lições de Economia Doméstica (Sextante).

Leve uma lista ao supermercado: Com ela em mãos, você não esquece o que precisa comprar. Antes de sair de casa, cheque na despensa, armários e geladeira os produtos de que precisa. Você também pode planejar as listas de acordo com o cardápio programado para a semana.

Não fique zanzando pelas gôndolas: No supermercado, marque na lista o que você coloca no carrinho. As listas são divididas em segmentos como mercearia, limpeza e hortifrúti – do mesmo jeito que se encontram os itens nos mercados. Assim você não fica andando para lá e para cá. E gasta menos tempo.

Não vá ao supermercado com fome: A chance de você colocar quitutes a mais no carrinho quando a barriga está roncando é grande. Evite levar crianças para as compras; elas geralmente vão pedir para você comprar tudo e mais um pouco.

Compra da semana: É recomendada para produtos que estragam rápido, como frutas, verduras, carnes e frios. Deixe para a compra do mês itens duráveis, de higiene pessoal, limpeza etc. Quem mora sozinho deve fazer compras semanais.

Depois das compras: Primeiro guarde os produtos que vão na geladeira – esses itens entram por último no carrinho para não estragarem durante as compras. Na despensa ou no armário, coloque os produtos que vencem antes na frente.

Complemente sua leitura com o texto Economizando nas compras.

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.

Categoria(s) do post: Lazer, Viagens

Decidir o que vai levar na mala ou mochila quando for viajar é algo muito pessoal, pois cada um tem seu estilo e necessidades. No entanto, algumas regrinhas básicas podem ser seguidas para quem for viajar e não sabe o que levar. No caso do Carnaval, no Brasil, nós sabemos que ainda estamos no verão, mas que um friozinho ou chuvinhas podem nos surpreender, então essa será a nossa base. 🙂

Outro fator decisivo: o lugar para onde você vai. A mala será diferente se você for pra praia, pro interior, para uma chácara, para um sítio, para outra metrópole. Então, tenha em mente que, por mais sugestões que eu dê aqui, você deve sempre se lembrar das suas próprias necessidades. Logo, pense agora, se você for viajar: o que eu tenho que levar? O que será realmente necessário?

Se você vai para a praia ou para um lugar que tenha piscina, deverá levar seu biquíni e chinelos de dedo. Parece óbvio? Pois então, vamos à nossa lista!

Para quem vai para a praia…

  • Mochila de viagem: Independentemente do modo como você vai viajar (carro ou ônibus), a mochila sempre garante que você não levará coisas demais, além de ser muito mais prática para carregar por aí. A mochila não deve ser enorme, nem aquela que você usa no dia-a-dia.
  • Bolsa para levar suas coisas para a praia: A não ser que você queira levar câmera, protetor, pente, carteira etc na mão.
  • Protetor solar: Sempre sempre sempre, a não ser que você esteja a fim de um câncerzinho de pele.
  • Biquíni ou sunga: Se você tiver dois, leve. Sempre é bom ter a opção sequinha quando você quer usar biquíni com roupa por cima mas o seu está molhado. E biquíni quase não faz volume na mochila, então nesse caso tudo bem.
  • Par de chinelos: Para usar na praia, quando sair do banho e o tempo inteiro.
  • Par de calçados confortáveis: Para usar na viagem e para andar no local, tipo a feirinha do fim de tarde e coisas assim. Pode ser uma papete, um tênis, um mocassim – qualquer coisa, desde que seja extremamente confortável, pois ele será seu calçado de “caminhar”.
  • Calçado mais “bonitinho”: Se achar que vai sair à noite, por exemplo. Para as mulheres, uma sandália de cor neutra que combine com todas as roupas, como uma prateada ou cor de pele. Tente usar do modelo “rasteirinha”. Salto alto, mesmo em “balada”, não combina com praia. Mas depende exclusivamente do lugar para onde você vai. Às vezes o salto combina.
  • Roupa para usar na praia: Para os homens, bermuda e camiseta branca. Para as mulheres, camiseta branca e shorts, ou saia, ou vestidinho. Enfim, o que você comprou para usar na praia. Mas tente aproveitar a camiseta, assim você não se expôe tanto ao sol.
  • Roupa para ir viajar: Esta roupa será a mesma que você usará na viagem de ida e na de volta. Use uma roupa confortável, como bermuda e camiseta. Se quiser usar calça jeans, tudo bem, porque você diminui o volume de roupas na mochila e acaba levando uma calça, caso faça frio.
  • Casaquinho: Leve um, é imprescindível. Sempre tem aqueles momentos no final da tarde ou à noite em que bate um ventinho e não é nada legal ficar com frio enquanto todo mundo está curtindo. Para os meninos, serve um suéter ou moletom (mas tentem não levar moletons enormes, que só fazem volume). Você pode inclusive levar a blusa amarrada na cintura, quando for viajar, para economizar espaço na mochila (mas sei que você vai ter espaço, se seguir essas dicas, rs).
  • Roupa mais arrumadinha para sair: Isso pode ser um vestidinho, para as mulheres, e uma calça cáqui com pólo, para os homens. Mais uma vez, depende exclusivamente do lugar onde você vai. Se for um lugar mais chique, você já sabe o que levar.
  • Roupas para ficar lá: Isso exclui a roupa para sair (que já vimos acima) e a roupa para usar na praia (mais acima). Então aqui temos aquela roupa que você vai usar depois que chegar da praia e tomar um banho. A roupa tem que ser fresquinha, como um shorts e uma camisetinha. Você pode optar por uma saia. Leve somente uma parte de baixo. Blusinha, você pode usar uma para cada dia que ficar lá. Se serão quatro dias, leve quatro blusinhas.
  • Roupa para dormir: Leve um pijaminha leve, daqueles de regata + shorts. Para os homens, bermuda + regata serve.
  • Roupa íntima: Homens, levem uma cueca para cada dia que forem ficar. Mulheres, dois sutiãs bastam, e uma calcinha para cada dia em que ficarem lá. Eu sempre levo uma a mais, porque podemos ter que trocar duas vezes no mesmo dia, aquela coisa.
  • Remédios: Leve o que você já toma normalmente e o básico: anti-térmico, analgésico, band-aid e remédio para dor de estômago. Você também pode querer levar um spray repelente de insetos. Fica a seu cargo e depende da praia para onde você vai.
  • Guarda-chuva: Daqueles de $5, baratinhos e pequenos. Se chover, você vai me agradecer por ter levado. Se não chover, você pode usar para ir até a padaria, se estiver muito sol.
  • Canga ou toalha de praia: Porque você sempre vai precisar de um lugar para se sentar. Não use essa canga ou toalha como saia, pois ela ficará suja e cheia de areia. Use-a somente para a função que tem.
  • Chapéu ou boné: Para proteger a cabeça do sol muito quente.
  • Óculos escuros: Para você conseguir enxergar com todo o sol refletindo na areia.
  • Artigos pessoais: Um livro, uma revista, um diário, câmera fotográfica etc. Só não exagere.
  • Artigos de higiene pessoal: Shampoo, condicionador, pente, escova de dente, pasta, lâmina de barbear, hidratante e desodorante. Você pode levar algo além disso se realmente fizer questão, mas tente se manter no básico para não exagerar. Tente conseguir aquelas necéssaires que vêm com potinhos pequenos para shampoos etc. Você vai economizar bastante espaço se não precisar levar os potes grandões. Se for possível, leve sempre um rolo de papel higiênico também. Ele serve aos mais diversos apuros.
  • Maquiagem: Meninas, maquiagem não combina muito com praia, mas se vocês gostam de ficar arrumadinhas mesmo lá, levem o que tem “a cara do verão”, por assim dizer: gloss, rímel transparente e, no máximo, uma sombra pra dar um brilho. Sinceramente, só. Faça as unhas antes de ir viajar com um esmalte rosa pastel (as outras cores “amarelam” com o sal do mar) e esqueça o assunto.

Adapte a lista acima de acordo com o lugar que você for viajar, pois cada lugar requer uma necessidade. Mas a estrutura básica está ali em cima; é só ir substituindo. Qualquer dúvida, deixem um comentário a
baixo.

E boa viagem! 🙂

Categoria(s) do post: Diário da Thais

Já mais de uma vez me perguntaram como eu atualizo a minha agenda, então resolvi colocar um passo-a-passo para mostrar a quem tiver interesse nesse método.

Em primeiro lugar, descobri que trabalhar com cores é altamente eficaz. Assim, eu anoto os eventos diariamente divididos por cores, formando categorias. Ela são as seguintes:

Preto = tarefas relacionadas ao trabalho;
Azul = tarefas relacionadas a trabalhos paralelos (sites, blogs, bandas);
Verde = tarefas pessoais (em casa, compras, estudos);
Vermelho = compromissos (consultas médicas, shows, vencimento de contas);

Você pode usar outras cores se achar necessário. Anotações diversas eu faço a lápis (número de gastos, por exemplo). Depende da sua necessidade. Se você tem alguma atividade que requer muitas tarefas (exemplos: faculdade, banda, um site que você atualiza), talvez seja conveniente ter uma cor de caneta só para isso. Eu, no entanto, acredito que, nesse caso, quanto menos, melhor, senão complica muito. E essas quatro cores de caneta que eu uso são fáceis de achar, além de existir a clássica caneta com quatro cores.

Eu sempre anoto as tarefas com um quadrado ao lado, para atualizar seu status. Veja abaixo como faço:

Esses são os risquinhos que eu faço nos quadradinhos que ficam ao lado das tarefas. No final do dia, eles me dão uma boa orientação.

Quando a tarefa é adiada para outro dia, eu sempre anoto, à lápis, na frente da tarefa, a data para a qual eu a designei. Isso me ajuda a localizar na agenda, mais para a frente. Quando a tarefa é delegada, eu coloco entre parênteses o nome da pessoa que agora está cuidando do assunto, para que eu possa ter controle.

Outros símbolos simples que eu uso são esses:


Círculo = tarefas que devem ser realizadas no período da manhã;
Quadrado = tarefas que devem ser realizadas no período da tarde;
Triângulo = tarefas que devem ser realizadas no período da noite;

Isso também facilita muito a minha vida, pois quando bato o olho na agenda, já sei o que deve ser feito, quando, onde e a que horas. Por exemplo, se antes de sair de casa eu olho a agenda, vejo direto as tarefas em verde (que são as pessoais) e que têm o círculo, pois sei que são as tarefas que devo fazer de manhã em casa, como colocar o lixo para fora, ligar para alguém ou coisas do tipo.

Agora, uma questão muito importante: a freqüência de atualização da agenda.

É fundamental que a sua agenda seja atualizada sempre que você conseguir fazer isso. Ela deve ser uma fonte confiável de seus compromissos e tarefas, por isso não pode ter informações antigas. Para sua agenda não se tornar uma bagunça que arrasta as tarefas de um dia para o outro, você terá ao seu lado outro grande aliado: o caderninho de anotações!

 

Esse é o caderninho que eu uso atualmente.
Ele é da marca Tilibra e custa $2!


O seu caderninho de anotações deve andar sempre com você. Sempre. Na rua, no mercado, no shopping, na fila do banco, no cinema, ao lado da cama quando for dormir. Nele, você irá anotar tudo o que vier à sua cabeça. Eu costumo chamá-lo de “penseira”, pois é nele que eu faço um verdadeiro “descarrego mental” antes de dormir, anotando tudo o que tenho em mente, para que eu fique mais tranquila e consiga pegar no sono. Isso dá uma aliviada, porque quando encosto a cabeça no travesseiro, minha mente começa a trabalhar incessantemente, pensando nas coisas que tenho que fazer no dia seguinte, durante a semana, enfim, qualquer coisa!

E então, você terá que investir alguns minutos do seu dia na manutenção das suas tarefas. Eu garanto: é a melhor forma de aproveitar o tempo, pois você renderá horrores otimizando as suas tarefas.

Suponhamos que você possa atualizar a sua agenda todos os dias à noite, antes de dormir.

1. Você pegará então a sua agenda, suas canetas e o seu caderno de anotações.


2. Fará uma revisão do seu dia (na agenda) e anotará o que fez, o que adiou, o que não tem mais necessidade.


3. Verificará o dia seguinte.


4. Fará uma revisão do seu caderno de anotações. Se executou alguma tarefa que está lá e sequer conseguiu passar para a agenda, risque-a imediatamente.


5. Veja, no caderninho, as tarefas que podem ser feitas no dia seguinte. Anote-as na agenda. Risque no caderninho e coloque a informação “NA” (“na agenda”, que significa que a tarefa foi colocada na agenda).


6. Depois, distribua algumas tarefas pela sua semana, também na agenda. importante: seja realista! Ninguém consegue fazer um milhão de coisas em um só dia!


7. Atualize, no decorrer do dia, a sua agenda, com o status das tarefas. Se novas tarefas surgirem, anote primeiro noc aderno de notas para não se esquecer delas, e assim que tiver um tempinho, passe-as para a agenda.

Bom, é assim que eu me organizo no dia-a-dia, com a agenda e o bloco de notas. Espero que este pequeno e rápido tutorial tenha sido útil e, se tiver alguma dúvida, deixe nos comentários deste post, logo abaixo.