Categoria(s) do post: Carta da Editora

O processo de planejamento dos temas que vão entrar no blog ao longo do mês já foi parecido com o planejamento de uma revista impressa. Apesar de serem publicações temáticas, existem duas características dos blogs que os diferenciam das revistas.

Uma é, evidentemente, a frequência das postagens. Enquanto que uma revista precisa ser preparada com meses de antecedência, os textos dos blogs podem ser modificados até mesmo um dia antes de irem ao ar e, uma vez publicados, ainda podem ser editados, se necessário. Isso traz um ar de novidade e mais atualização que às revistas.

A segunda é o caráter pessoal das postagens. De de modo geral, a boa prática nas publicações impressas é a de que as reportagens devem ser sempre imparciais, contadas sob um ponto de vista de primeira pessoa apenas quando forem colunas ou reportagens específicas, de estudos de caso. Em um blog, todos os textos são parte de uma narrativa pessoal escrita pela blogueira. É completamente diferente. Textos imparciais ficam até um pouco deslocados.

Uma das inúmeras tentativas que deixam meu trabalho próximo ao das revistas é a previsão de temas que possam ser interessantes para os leitores, combinada a essa tal narrativa pessoal. Então trata-se de uma conversa interna (e muito gostosa) para ver tudo o que está acontecendo na minha vida e de que modo o compartilhamento disso poderia ser útil para outras pessoas nesse momento em que estamos vivendo.

Acrescente aí outro desafio que é o de entender que tipos de conteúdos ficam melhores no formato de texto, lista, tutorial, para que faça sentido entrarem aqui no blog e não em um vídeo no canal, por exemplo. Um texto como este poderia ser em formato de vídeo? Se sim, como seria elaborado? O que demanda para ser produzido? Tudo isso são questões de backstage que quem não trabalha com isso pode não ter muita ideia.

O fato é que, mês a mês, existem alguns temas que norteiam os próximos conteúdos, que podem vir na forma de um parâmetro ou simplesmente na forma de uma série de posts. E isso vai depender essencialmente desta que vos fala, pois não é possível que uma pessoa escreva sem estar desvinculada dos sentimentos, momentos e sensações.

Para mim, fevereiro ainda tem o mesmo ar de novidade de um ano novo que janeiro, com a diferença que já sentimos o tempo urgir e a vontade de tocar as coisas em frente antes mesmo do “depois do Carnaval”. Pelo menos, eu sou assim. Esse clima todo de volta às aulas colabora com esse sentimento, e eu penso que os diversos aprendizados, a não linearidade das novas (e velhas) carreiras, estudos e, acima de tudo, nossa evolução pessoal sejam temas ainda urgentes, pois somos tais seres em evolução. De alguma maneira, esses serão os temas-norte aqui no blog nesse mês de fevereiro.

Não teria como ser diferente porque, uma vez concluindo o meu mestrado, também pretendo fazer novos posts a respeito do processo como um todo e, por estar escrevendo um novo livro (justamente sobre estudos), o tema estará bem latente por aqui. Então é isso. Temos bastante coisa para conversar em fevereiro, e você sabe que pode me encontrar não apenas no blog, mas no YouTube, no Instagram, no Pinterest, no Telegram…

Bom mês de fevereiro para você.

Thais