Categoria(s) do post: Estudos

Cada vez mais nós temos à nossa disposição cursos e formações que podem ser feitos ou total ou parcialmente online.

Eu já cheguei a começar a fazer duas graduações online e me dei relativamente bem com o sistema na época. Só acabei saindo quando desenvolvi o conceito de universidade pessoal, em que vi que fazia mais sentido estudar de maneira autodidata o que estava vendo naqueles cursos (eu já tinha um diploma universitário).

Quando a gente está matriculado em um curso presencial, precisa participar das aulas nos dias e horários estabelecidos. Os cursos online podem ter aulas ao vivo assim, que basta você colocar na agenda. Agora, quando você precisa montar sua agenda de estudos, existem duas maneiras de fazer:

A primeira é a maneira livre. Você entende, na sua rotina, quais os melhores momentos do dia para assistir as aulas e estudar, e aproveita tais contextos para acessar o ambiente EAD e fazer isso. Na minha estrutura atual, por exemplo, do meu dia, eu consigo fazer isso em pelo menos dois momentos do dia, e isso funciona muito bem para mim porque gosto de ter essa liberdade de escolher como vou alocar o meu tempo.

A segunda maneira é aquela em que você escolhe um dia e horário e insere o bloco de estudos na agenda, que é uma forma mais fixa. Ela serve se você tem dificuldade de seguir o modelo mais livre anterior, ou se tem uma agenda tão cheia que, se não marcar, não consegue tempo para estudar.

Não existe certo ou errado, mas você entender como você “funciona” na sua rotina e buscar esse tipo de solução.

No momento, além do que citei na universidade pessoal, tenho alguns compromissos de estudos atuais:

  • meu curso no centro budista (presencial)
  • meus grupos de pesquisa da universidade (presenciais)
  • um curso de dinacharya (rotina diária ayurvédica – online)
  • minha certificação de coaching de carreira (online)
  • minha certificação do nível 3 do gtd (agora o restante é online)

Eu consigo encaixar a minha demanda atual de cursos online no esquema que descrevi no post sobre a minha rotina e vou definindo uma próxima ação depois da outra, que executo em tais contextos, e faço um acompanhamento do status geral dos cursos semanalmente, na minha revisão semanal.

É basicamente assim que eu faço, sem maiores complicações, e é como recomendo.

Você pode se perguntar onde organizo os arquivos. Tudo no Evernote, que é minha ferramenta de referência principal.

Você tem dificuldades com cursos online? Se quiser, comente aqui no post, para que eu possa ajudar! Obrigada.