Colocando a vida em ordem

14
8496

Espero que este post fique como referência para todo mundo que esteja passando por fases de reajustes ou queira colocar a vida em ordem, porque aqui eu mostro como eu faço de acordo com o GTD (um método de produtividade que uso há mais de 12 anos, criado por um norte-americano chamado David Allen).

No sábado eu mostrei que estava voltando aos eixos depois da morte da minha avó, pensando na vida e tendo clareza sobre as minhas “coisas”. Esse é o melhor tipo de trabalho que posso fazer nesses momentos, pois colocar as coisas em ordem em horizontes mais elevados me ajuda a puxar essa clareza para o presente e saber falar “não” para aquilo que não tem nada a ver ou incubar aquilo que pode esperar.

A base do método GTD é um livro publicado no Brasil com o título “A arte de fazer acontecer” (David Allen). Você também pode conferir a agenda de cursos, se quiser.

Tudo começou com a criação de um mapa chamado “Thais’ World” (mundo da Thais). Todos os mapas mostrados aqui foram feitos em um programa chamado Mind Meister. A ideia desse mapa é ter um panorama atual do meu mundo e prioridades de maneira geral. Tem um vídeo na casa do David, filmado pelo Daniel, que vai entrar em breve no YouTube, em que o David mostra que tem esse mapa. Ele não ensina isso em nenhum material do GTD (por enquanto – tem um curso novo vindo aí em setembro), mas eu entendi que é um panorama, simples assim. Então recheei com itens que ele usa e outros meus, a saber:

  • 5 prioridades para 2018 (leia mais sobre isso aqui)
  • Objetivo bem definido (inspirado nas ideias do Napoleon Hill)
  • Manutenção / Rotinas (onde vou inserir o que preciso checar regularmente)
  • Upcoming (coisas a seguir – tipo férias escolares, copa, viagens)
  • Projetos-chave (que estou trabalhando no momento)
  • Mapas dos horizontes (links para os mapas dos outros horizontes do GTD)

Cabe aqui uma breve explicação dos horizontes de foco do GTD. O David “divide o gerenciamento da nossa vida em camadas”:

De maneira geral, térreo e horizonte 1 podem ser organizados em formato de lista – é o mais comum. Não que os outros não possam também. Podem. Na verdade, você pode usar o formato que quiser… até colagens. Mas então eu voltei a organizar os horizontes de 2 a 5 em mapas mentais, que sempre foi o formato que me agradou mais, e há algum tempo eu vinha tentando organizar de outras formas (listas, textos, notas no Evernote). O formato de mapa mental me deixa mais satisfeita, então voltei.

Horizonte 2:

Durante aaaaanos usei dois mapas separados para as minhas áreas de foco pessoal e as responsabilidades no trabalho. Desta vez, quis fazer um único mapa, onde tudo relacionado ao trabalho está em “work”.

Horizonte 3:

O horizonte 3 contém metas e objetivos de curto prazo – o que eu quero que seja verdade em até dois anos? Essa separação por “áreas” foi intuitiva – criei à medida que fui trabalhando no mapa. Me sinto bastante satisfeita com ela, porque mostra as principais áreas em que tenho esses objetivos bem definidos. Já falei em outros posts, mas vejo os objetivos, mais do que “metas” ou “smartificação” das coisas, como cenários. O que eu quero e estou configurando para a minha vida – o que eu quero “estar colhendo” daqui a dois anos. Tudo isso me ajuda a identificar projetos que precisam estar em andamento agora.

Horizonte 4:

Horizonte 4 é a construção do estilo de vida que quero para mim. No centro, coloquei um desenho que fiz no ano passado e que ainda traz alguns elementos que gosto muito (outros mudaram!). Este mapa foi um dos mais importantes de trabalhar porque muita coisa que eu tinha na minha visão anterior estava relacionada à morte da minha avó, o que eu previa mas, sinceramente, não pelos próximos cinco anos. Então muita coisa que estava nesse mapa veio para mais recente, e essa reformulação toda foi fundamental para eu ficar tranquila sobre para onde estou caminhando.

Horizonte 5:

Esse eu já tinha mostrado no post de sábado. Reflete quem eu sou, meus valores, princípios, afirmações pessoais e outros aspectos que me inspirem.

Vale a pena dizer que os mapas estão em inglês porque estou em uma imersão no idioma para aperfeiçoá-lo.

Nos próximos dias, vou compartilhar com vocês um pouco mais sobre esses mapas (pretendo detalhar). Por hora, o que eles me permitiram fazer nesse final de semana foi analisar, com calma e afetividade, os projetos que devem estar em andamento para que eu alcance os objetivos que eu tenho. E isso é algo impagável que só a organização faz por você.

14 comentários

  1. Amei, vai me ajudar a estruturar áreas da minha vida que estão em mudança. Obrigada por compartilhar.

  2. Oi, Thais!

    Muito obrigada mesmo por compartilhar conosco teus conhecimentos mesmo nesse momento difícil. Desejo muita força e acolhimento pra ti e tua família!

    Compreendo muito que esse seja um momento de reorganização de si nos níveis mais profundos, porque, em algum sentido, me identifico (assim como me identifico com tua história de descoberta do GTD).

    Conheci o GTD e o Vida Organizada recentemente por um amigo querido. Desde 2012, após alguns acontecimentos complicados, eu entrei numa desorganização sem fim na minha vida. E desorganização em todos os sentidos possíveis…

    No finalzinho de 2015, encontrei uma psicóloga que tem me ajudado a me reorganizar em níveis mais profundos, mas eu ainda não conseguia lidar com tudo mais objetivamente, nem com a minha tralha nem com meus objetivos de vida…

    Só com o GTD e teu trabalho lindo estou conseguindo retomar o foco em mim e nas pessoas e atividades que eu amo. Muito obrigada mesmo pelo teu trabalho, Thais! Está sendo fundamental pra mim 🙂

    Cada escrito teu deixam bem explícita a frase do David na tua vida, “Como não faríamos isso, se isso é o que somos? (acho que é isso, né?). E tu é incrível! haha

    Muito amor para vocês!
    Abraço

  3. Tive uma grande perda assim como a sua em novembro do ano passado. Não me lembro se já havia comprado o livro de David Allen, mas o GTD representa para mim uma superação dessa dor e um novo rumo prá minha vida. Obrigada!!!

  4. Obrigada 🙂 A explorar isto dos mapas. Ainda confuso para mim… Mas como sou uma pessoa mais visual, faz-me todo o sentido. Vou continuar por aqui para entender melhor 🙂

  5. Obrigado Thais por compartilhar um pouco de sua vida conosco, sempre acompanho o q vc posta aqui e serve de muita inspiração e força para mim que estou lendo o livro GTD e tentando ao poucos organizar minha vida de uma forma melhor.

  6. Meus sentimentos pelo falecimento de sua avó. Pelo que percebi nos seus textos vcs eram muito próximas e ela tinha um lugar especial na sua vida…

    Obrigado pelos seus textos. São inspiradores!

  7. Thais, obrigado pelo belo post, não vejo a hora de assistir a esse vídeo rs…

    Estou montando esse mapa e fiquei com a seguinte dúvida: Essa objetivo bem definido estilo Napoleon Hill, seria algo do tipo missão de vida do coach, ou é algum objetivo mais SMART?

    Abraço, Luca.

Deixar uma resposta

Por favor, insira seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui