Categoria(s) do post: Empreendedorismo

Acredito que uma das principais vantagens de ter a minha empresa é construir a minha própria rotina.

E eu gosto de acordar cedo. De verdade. Mas também acredito na reformatação constante.

Ultimamente, com todos os acontecimentos com relação ao tratamento da minha avó (ela teve um problema bem grave nos últimos dias e está internada fazendo hemodiálise), eu tenho me permitido dormir mais tarde e acordar mais tarde.

Vejam: eu era uma pessoa que começava a trabalhar por volta das 7h15. Nas últimas semanas, tenho tido compromissos até tarde. É comum ficar o dia todo no hospital e voltar para casa tarde. Com isso, comecei a trabalhar até mais tarde, ou fazer outra coisas e ir dormir tarde. Minha única regra do sono é dormir horas suficientes. O ideal são 7,5h. Em dias excepcionais, consigo dormir menos, mas não é sustentável mesmo a curto prazo. É coisa para fazer menos de duas vezes por semana (isso já me sobrecarrega).

Tenho tentado aceitar esse novo ritmo como uma fase, mas pegando leve comigo mesma. E se não for? E se for um “novo horário”? E quem disse que, se for, precisa ser pra sempre?

Ter o próprio trabalho significa se conceder permissão o tempo todo e ficar numa boa com isso.

Dormir 8 horas por noite, acordar descansada, trabalhar o que tem que ser trabalhado no dia, dormir em um horário confortável. Check!

Sinceramente, ainda não me acostumei com esse novo horário. Mas estou aprendendo a aceitá-lo.

A gente trabalha durante quase 20 anos das 8h às 18h e acha que esse é o “modelo certo” para o resto da vida. Não precisa ser.