Diário da Thais

Thais is back on track

Eu aprendi com o David Allen: revise seu propósito e seus princípios quando precisar tomar grandes decisões.

Neste sábado de manhã (e, na verdade, vindo de um movimento que começou no meio da semana), eu resolvi revisar o meu horizonte 5 montando novamente um mapa mental com ele. Estou novamente na fase dos mapas mentais. Acho que mostram melhor todas as coisas. Então montei meu mapa do horizonte 5 de novo:

A ferramenta usada é a de sempre (Mind Meister).

Passei todas as informações do meu Evernote para ela (todas as informações deste horizonte). Me fez muito bem colocar uma música no fone de ouvido, beber um chá quentinho e trabalhar nesse mapa. Me permitiu pensar, refletir sobre quem eu sou, e para onde as coisas vão.

Minha semana não foi fácil, mas de certa maneira, meus últimos meses não têm sido. Toda essa questão com a minha avó impactou demais a minha vida, e de toda a família, especialmente a do meu tio. Jamais serei egoísta de pensar que impactou só a minha. Toda a família próxima sentiu demais, e todos se envolveram, ajudaram. Estamos naquela fase de fazer inventário e cuidar dos pertences dela. A organização ajuda em ambos, o que é excelente. Sempre me dei bem com a parte prática (GTD). A meditação me ensinou a lidar com a parte emocional. E, nessa última semana, tenho me reconectado demais com todas essas coisas.

Mantive os compromissos que me deixariam bem e feliz. Dei aula, encontrei pessoas queridas. Isso me ajudou a ver as coisas de outra perspectiva. Quer dizer: por que não fazemos disso o nosso dia a dia? Fazer o que nos faz feliz e encontrar as pessoas que nos fazem bem?

Reconectar com o meu propósito me fez ver tudo, tudo de uma perspectiva mais ampla. Me fez olhar para mim, olhar para dentro de verdade, e entender que eu tenho que ser mais gentil comigo mesma em todos os aspectos. Voltar para dentro ao tomar decisões importantes.

Por isso, este é o primeiro post com a tag “Ano pessoal 9”. Acho que vai ser interessante tagear os posts nesse sentido. Acompanhem.

“Numa folha qualquer eu desenho um sol amarelo…”

Você também pode gostar...

Posts mais acessados

23 Comments

  1. Força Thaís!! Que Deus te abençoe em tudo.

  2. LUDMILA GUARÇONI MARTINS FERREIRA says:

    Sou sua fã! O mundo precisa demais de pessoas sensatas e que amam o que fazem, como vc. Você me inspira com todos os seus vídeos e livros que lê. Meus sentimentos pela perda de sua avó. Te acompanho no youtube, no insta e agora aqui. E essa revisita é sempre importante, a revisita interior para nos conectar com aquilo que rege tudo e todos.Fica com Deus. Beijo.

  3. Tani Melo says:

    Thaís, meus sinceros sentimentos! Esse reconexão é sempre bem-vinda, mas é bem mais especial em momentos delicados, principalmente, nos quais, temos que lidar diretamente com o ciclo da vida…para então compreender melhor a nós mesmos e ao mundo a nossa volta. Muita luz pra ti sempre! Grande abraço!

  4. More Alves says:

    DEUS TE ABENÇOE e de muita força pra vc e sua familia

  5. Aline Christine says:

    Bem-vinda de volta, querida 🙂

  6. Thais, força, é um privilegio ter seus compartilhamentos de vida. muito obrigada.

  7. Sinto muito pela sua avó! Perder quem amamos é sempre muito difícil! Quando puder faça um post de como usar o Mind Meister.

  8. Regina Marangoni says:

    Oi Thais, onde encontro mais material sobre mapas mentais?

    1. Livro “Mapas Mentais” – Tony Buzan
      ou o curso da Liz Kimura (representante oficial no Brasil)

      😉

  9. *People who inspire (no plural) me

    1. Obrigada pela correção. 🙂

  10. Thais, eu que te acompanhei a princípio como leitora do blog (e lá se vão uns 10 anos) e hoje tenho o privilégio de conviver com você, ainda que com alguns hiatos presenciais, cada reencontro traz o frescor do prazer de se estar junto, posso afirmar que você está na sua melhor versão, numa edição comemorativa mesmo. Que venha esse ano 9, com sua energia de universalidade, trazendo o sabor do coletivo e da experiência. Bjs 😚

  11. Mi Nogueira says:

    Puxa Tha, também tive uma semana difícil (nada perto da sua, claro, mas envolvendo saúde e vigílias) e acabei não vendo seus posts, principalmente o seu último. Fico feliz de ver sua força, claro, mas me compadeço com sua dor. Sempre te digo que você faz parte da minha vida, e sua família, de meus melhores desejos e pensamentos. Agora, desejo a todos aí muita força, e que fiquem contentes em pensar que puderam dividir o espaço-tempo com alguém tão especial. Palavras nem sempre consolam, mas tenha certeza de que as minhas são um gesto de amor.
    Se cuida, e estaremos sempre aqui esperando você.

  12. Thais, meus sentimentos pela perda da sua avoh. E força sempre para continuar. Adoro o seu trabalho e o seu altruismo de compartilha-lo com a gente. Boa semana!

  13. Ana Bela says:

    Um abraço grande com carinho, de Portugal Thais 🙂
    Vou explorar o mind master. Não conheço e fiquei curiosa. Às vezes ajuda tanto, só isso, ficar no silêncio da nossa voz interior e deixar sair o que está lá bem dentro. Tudo a correr-lhe pelo melhor Thais 🙂

  14. Sandra Valéria Piccolo says:

    Thais, é bom tê-la de volta. Quando a morte cruza nosso caminho, é dolorido mas aprendemos muito. A deixar ir e ficar… Enfim, você sempre nos inspira e adorei este post. Meu momento atual é também de passar várias coisas a limpo e seu post me inspirou! Cuide-se bem, conforte-se. Sempre digo que o luto começa a passar quando a dor vira saudades. Beijos, Sandra

  15. Carla Cardoso says:

    Os meus sentimentos Thais. Beijinhos de Portugal

  16. CASSIO SILVA DE SOUSA says:

    Thaís, fico feliz que você tenha encontrado uma forma de se reconectar com seus propósitos. Se for verdade que na vida nada acontece por acaso, até mesmo as situações de tristeza podem nos ensinar como podemos encontrar o prumo e andar segundo nosso verdadeiro propósito.

  17. Rodrigo Cristiano says:

    Sensacional. Bem vinda de volta.

  18. Eliane Silva says:

    Thaís, eu tenho curiosidade em saber como o Daniel Burd lida com esses horizontes de foco e a depressão. Vc sabe me dizer se ele fala sobre isso no livro? Acho que seria um bom assunto a abordar: como uma pessoa que tem a depressão como uma constante na vida lida com esses horizontes? E eu também acho interessante falar sobre questões de organização em caso de falecimento. O que deixar organizado para o caso de um falecimento inesperado? Que documentos guardar, onde guardar, como fazer para que as pessoas encontrem esses documentos, etc. E sou muito grata à sua avó, por ter criado uma pessoa incrível como você! Bom retorno!!!

    1. Não, o livro não tem nada de GTD. É um livro bem simples e simpático, ilustrado.

  19. Karoline Barros says:

    Bom dia, Thaís,

    Em 2018 iniciei a implementação do método GTD através das orientações do seu site e do livro “A arte de fazer acontecer”. Inicialmente, trabalhei mais na parte de calendários e ações (térreo). Nesta virada de ano, tendo em vista inúmeras mudanças que estão acontecendo e que irão acontecer (mudanças de cidade, de emprego, etc) vou refletir sobre os horizontes do método com o intuito de buscar orientações para futuras escolhas.

    Minha dúvida seria: por qual horizonte começar, na sua opinião?

    Beijos

    1. O David recomenda que você comece por aquele que esteja tomando mais a sua atenção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *