Categoria(s) do post: Diário da Thais

Eu aprendi com o David Allen: revise seu propósito e seus princípios quando precisar tomar grandes decisões.

Neste sábado de manhã (e, na verdade, vindo de um movimento que começou no meio da semana), eu resolvi revisar o meu horizonte 5 montando novamente um mapa mental com ele. Estou novamente na fase dos mapas mentais. Acho que mostram melhor todas as coisas. Então montei meu mapa do horizonte 5 de novo:

A ferramenta usada é a de sempre (Mind Meister).

Passei todas as informações do meu Evernote para ela (todas as informações deste horizonte). Me fez muito bem colocar uma música no fone de ouvido, beber um chá quentinho e trabalhar nesse mapa. Me permitiu pensar, refletir sobre quem eu sou, e para onde as coisas vão.

Minha semana não foi fácil, mas de certa maneira, meus últimos meses não têm sido. Toda essa questão com a minha avó impactou demais a minha vida, e de toda a família, especialmente a do meu tio. Jamais serei egoísta de pensar que impactou só a minha. Toda a família próxima sentiu demais, e todos se envolveram, ajudaram. Estamos naquela fase de fazer inventário e cuidar dos pertences dela. A organização ajuda em ambos, o que é excelente. Sempre me dei bem com a parte prática (GTD). A meditação me ensinou a lidar com a parte emocional. E, nessa última semana, tenho me reconectado demais com todas essas coisas.

Mantive os compromissos que me deixariam bem e feliz. Dei aula, encontrei pessoas queridas. Isso me ajudou a ver as coisas de outra perspectiva. Quer dizer: por que não fazemos disso o nosso dia a dia? Fazer o que nos faz feliz e encontrar as pessoas que nos fazem bem?

Reconectar com o meu propósito me fez ver tudo, tudo de uma perspectiva mais ampla. Me fez olhar para mim, olhar para dentro de verdade, e entender que eu tenho que ser mais gentil comigo mesma em todos os aspectos. Voltar para dentro ao tomar decisões importantes.

Por isso, este é o primeiro post com a tag “Ano pessoal 9”. Acho que vai ser interessante tagear os posts nesse sentido. Acompanhem.

“Numa folha qualquer eu desenho um sol amarelo…”