30 atitudes mais saudáveis para você implementar no seu dia a dia agora mesmo!

19
4373

Este texto foi originalmente publicado no site E-Cycle, parceiro do blog. Para conferir o texto original, clique aqui.

Toda hora é hora para refletir sobre os atos cotidianos, no que diz respeito ao meio ambiente e a sua saúde, e modificá-los. Como mudar nunca é fácil, comece aos poucos, informando-se, primeiro, sobre sustentabilidade e meio ambiente e participando de grupos e fóruns para conhecer pessoas que estejam na mesma pegada e se inspirar. Abaixo, listamos algumas dicas para você mudar de atitude:

1. Leia os rótulos dos alimentos – os ingredientes listados lá podem fazer você perder o apetite! Por isso, ao criar esse hábito, você ficará mais propenso a comprar alimentos naturais, como frutas e vegetais;

2. Leia livros relacionados ao tema – uma sugestão é a obra O mundo é o que você come, de Barbara Kingsolver, em que a autora relata sua experiência de consumir, durante um ano, somente alimentos locais e orgânicos. Para isso, Barbara e sua família tiveram que se mudar para uma fazenda, a fim de produzirem seus próprios mantimentos. Detalhe: ninguém tinha experiência com produção agrícola. Misturando aventura, memória e jornalismo, a autora dá dicas de pratos saudáveis e comenta sobre os mecanismos de produção agrícola nos EUA – nem todos admiráveis.

Outra indicação é o livro O Dilema do Onívoro, de Michael Pollan, que trata das etapas da produção de uma refeição (desde a caça até a produção industrial) e as consequências desses processos no meio ambiente, na nossa saúde e na economia;

3. Liste os produtos químicos usados por você no dia-a-dia – escreva em um papel todas as substâncias químicas que você utiliza, como shampoos, cremes, detergente. Depois, tente substituí-las por outros produtos naturais (visite a nossa seção Dia-a-dia para algumas dicas);

4. Conheça seus vizinhos – uma relação forte com as pessoas ao seu redor também promove uma vida sustentável. Aproveite e compartilhe com eles suas descobertas, suas práticas sustentáveis e os incentive;

5. Descarte de forma correta seu lixo – confira aqui locais para descartar conscientemente o seu;

6. Dê preferência aos materiais recicláveis e econômicos – use sacolas recicláveis. Evite comprar papel toalha e água engarrafada. Invista nas lâmpadas LED oufluorescentes, que têm como vantagem um melhor aproveitamento de energia (as lâmpadas incandescentes desperdiçam 80% da energia em forma de calor) e maior durabilidade (dez vezes mais);

7. Compre produtos de segunda mão – frequente brechós; promova uma troca de utensílios entre você e seus amigos ou participe de grupos virtuais que incentivem essa prática (confira mais algumas dicas na seção Vestuário).

8. Compre ovos de galinhas criadas ao ar livre – vantagem: ovos ricos em vitamina A, menos colesterol, já que essas galinhas não comem alimentos geneticamente modificados, e não sofrem pressão para procriarem;

9. Experimente a compostagem – em vez de jogar no lixo os restos da refeição, transforme-os em adubo (veja mais aqui);

10Ande de bicicleta – já que o tempo é cada vez mais escasso, aproveite e pratique um exercício no caminho ao trabalho, escola, faculdade. Assim, além de você contribuir para o meio ambiente, você dedica algumas horas do dia a sua saúde;

11. Prefira carros pequenos – além de serem mais práticos na hora de achar uma vaga no estacionamento, consomem menos combustíveis e são mais práticos para limpar. E, se possível, reabasteça sempre utilizando álcool;

12. Deixe as roupas secarem no varal – em vez de utilizar o ferro e a secadora, economize e contribua para o meio ambiente, deixando-as secarem ao sol;

13. Coma menos carne – substitua por frutas, legumes e vegetais, que, conforme vários estudos, fazem bem à saúde, pele e corpo. Você pode começar sendo vegetariano uma vez por semana;

14. Visite uma fazenda em que os animais e os produtos são criados de forma sustentável – um exemplo é a Fazenda Santa Isabel, em Monte Alegre do Sul-SP, onde é possível andar a cavalo, colher frutas e experimentar alguns quitutes produzidos no local, “de forma artesanal”.

15. Passe as férias em casa – uma ótima opção não só para economizar dinheiro, mas também para refletir sobre a vida, organizar a casa, curtir a família e preservar o meio ambiente.

16. Tome banhos rápidos – além de economizar água e energia, você poupa de 95 litros a 180 litros de água (quantidades, estas, consumidas em um banho demorado). Se estiver calor, dê preferência a banhos frios para economizar ainda mais energia. E não se esqueça de desligar o chuveiro antes de tirar a roupa para entrar no box ou enquanto se ensaboa;

17. Dê caronas – uma ótima oportunidade para você conhecer pessoas novas e poupar emissões de gás carbônico. Existem alguns sites gratuitos que aproximam as pessoas interessadas em dar caronas e as que estão em busca de uma. Para isso, é preciso se cadastrar e indicar seu trajeto. Alguns deles são o Carona Brasil e o Caronas;

18. Imprima utilizando ambos os lados da folha – o papel é um dos produtos que mais causa impacto ambiental. Para se ter uma ideia, na produção de uma tonelada de papel, são utilizadas de duas a três toneladas de madeira, além de uma grande quantidade de água, energia e produtos tóxicos. Para contornar essa situação, escreva e imprima nos dois lados da folha e só use o papel quando for estritamente necessário;

19. Reaproveite as sobras de comida – congele-as ou invente um outro prato com elas (veja aqui mais dicas sobre como reaproveitar alimentos);

20. Guarde sementes – com isso, você pode criar certos vegetais em seu quintal ou horta caseira, além de contribuir para a diversidade genética do nosso abastecimento alimentar;

21. Torne-se minimalista – compre menos coisas. Questione se você realmente precisa do produto antes de comprá-lo. Desse modo você contribuirá para a redução do consumo/desperdício;

22. Compre frutos do mar sustentáveis – antes de comprar um peixe, se possível informe-se sobre o modo de captura deste (armadilha e linha de anzol são os mais recomendados, pois são seletivos e sustentáveis);

23. Evite usar o elevador e faça mais uso das escadas – assim, sem ir à academia, você faz exercícios aeróbicos. Entre os benefícios apontados por educadores físicos estão: pernas fortalecidas e melhora do condicionamento vascular;

24. Peça alimentos locais – vai contratar um fornecedor de alimentos para um evento? Peça a eles comidas locais. Se eles disserem que é impossível ou muito caro, peça novamente e lhes mostre opções viáveis e capazes de reduzir o preço, como o uso maior de vegetais. Do mesmo modo, peça àquela marcenaria local ou aquele restaurante pequeno, que você costuma frequentar, para se abastecerem de carnes, vegetais e ovos produzidos localmente. Se você não obtiver sucesso na primeira tentativa, não desanime e peça outra vez;

25. Espero o cesto de roupa suja encher para lavar as roupas – assim você não desperdiça uma grande quantidade de água e energia para lavar poucas roupas;

26. Coma mais em casa – prepare pratos saudáveis, com muitos vegetais, frutas e legumes. Aproveite e crie um momento agradável com sua família e amigos – convide-os também para ajudar na preparação da refeição. Assim, você pode consumir produtos localmente e não gasta dinheiro, emissões e energia para se locomover a um restaurante;

27. Faça um casamento verde – celebre, por exemplo, a união do casal durante o dia, aproveitando, desse modo, a luz natural e conferindo mais charme e romantismo à cerimônia. Separe conscientemente os resíduos produzidos durante a festa e dê preferência às flores locais;

28. Evite comprar produtos embalados em plásticos ou isopor – você também pode reclamar com a fabricante, para que o exagero de embalagens diminua;

29. Para se inspirar, assista filmes que tratem sobre o meio ambiente – algumas sugestões:

“Uma verdade inconveniente” (2008): nesse documentário, o ex- vice- presidente norte-americano Al Gore faz uma análise sobre o aquecimento global, esclarece alguns mitos em torno do tema e propõe algumas resoluções para o problema.

“Wall-e”: filme de animação em que o robô-título tem como missão recolher os lixos do planeta. Wall-E passa por inúmeras situações que mostram o porquê do mundo ter se perdido em lixos e catástrofes. O filme levou o Oscar de Melhor Animação, além de ter sido indicado nas categorias de Melhor Roteiro Original, Melhor Som, Melhor Edição de Som, Melhor Canção Original (“Down to Earth”) e Melhor Mixagem de Som.

“Avatar”: Avatar conta a história de Jake Sully (Sam Worthington), um ex-fuzileiro naval e tetraplégico que é contratado pela RDA para participar do projeto AVATAR no planeta chamado Pandora. Lá habita uma espécie chamada Na’vi, humanóides azulados com três metros de altura, que vivem em harmonia com a natureza. À medida em que ele se infiltra no cotidiano, costumes e crenças do povoado, sua consciência vai mudando;

30. Coma comida orgânica – comece dando preferência aos alimentos que não têm pesticidas, depois incremente suas opções de alimentos (veja mais aqui).

Agora que você já conhece todas as dicas, mãos à obra. Veja mais sugestões na página Consuma Consciência!

19 comentários

  1. Thais! Adorei seu artigo!

    4. Conheça seus vizinhos – Muito BOA essa dica!

    13. Coma menos carne – Muito RUIM essa dica! kkk É só que eu amo carne! Sou quase carnívoro, Thais.

    17. Dê caronas – muito legal! não sabia desses sites! Já tinha pensado sobre o assunto, e sempre imaginei que em lugares com menor criminalidade isso poderia ser mais viável…

    21. Torne-se minimalista – Esse eu preciso recomendar pra minha noiva! 🙂

    23. Evite usar o elevador e faça mais uso das escadas – acho o cúmulo quando vou para academia e as pessoas sobem 2 ANDARES de elevador!! Eles estão indo pra academia e vão de elevador!!! Acho incrível…

    29. Para se inspirar, assista filmes que tratem sobre o meio ambiente – já vi todos os filmes que você recomendou e suporto sua recomendação! São todos ótimos!

    Novamente, são todas ótimas dicas! (menos a de evitar carne… hehe)

  2. Realmente as dicas são ótimas, mas chego a uma conclusão ao final de dê-lo:
    ***ESTAMOS MUITO, MAIS MUITO LONGE DE UMA VIDA SUSTENTÁVEL***

  3. Adorei as dicas Thais, principalmente a 21, pena que ainda sou bastante consumista. Agora a 17 para pessoas que assim como eu, morrem de medo de pegar carona com estranhos aconselho se limitar aos amigos, colegas de trabalho ou talvez até da faculdade, o legal que isso proporciona futuras amizades.

  4. Já faço um monte sem notar! As de comer são as mais dificeis… hehehe

    E sobre frutos do mar sustentáveis… nem mesmo em cidades pequenas pesqueiras ocorre venda de pescados capturados por armadilhas ou anzol. No entanto, a captura por redes de pesca por pescadores artesanais [com barcos pequenos] é bastante seletiva tbm, até pq o ibama fica bem em cima dos barcos em períodos de reprodução de algumas espécies, os pequenos tem de ser devolvidos imediatamente [quando a rede é puxada ocorre uma seleção] e as espécies em reprodução são completamente devolvidas caso o cardume seja capturado 😉

    Enfim, é só uma dica de uma filha e neta de pescadores.

    A da carona tento praticar com estudantes de uma escola técnica que estudei quando passo e tem gente pedindo. Mas sei lá, vejo isso como uma regra hoje em dia, mas parece que as pessoas estão muito fechadas.

  5. Muitas destas atitudes já sao hábitos na Europa. No Brasil ainda falta esclarecimento da populacao neste sentido.
    Um exemplo que sempre me choca é ver a quantidade imensa de sacolas plásticas que as pessoas levam do supermercado pra casa (sem a menor necessidade) só para depois jogar no lixo!
    Aqui os supermercados nao dao sacolas entao, todo mundo leva de casa uma sacola de tecido ou uma cesta de compras de vime, por exemplo. Se você esqueceu, nao tem problema, o supermercado te VENDE uma, por alguns centavos. Claro que ninguém quer COMPRAR uma sacola toda vez que vai ao supermercado entao, tem-se sempre uma sacola na bolsa ou uma cesta de compras no carro. Claro que no Brasil as sacolas nao sao de graca, o preco está imbutido no valor dos produtos, mas ninguem para pra pensar nisto.
    Aqui também é super comum comprar em “mercados de pulgas”, mercados onde pessoas privadas vendem aquilo que nao precisam mais, mas que ainda está em bom estado de conservacao. Nestes mercados encontra-se de tudo: roupas de criancas e de adultos, sapatos, brinquedos, livros, utensilios domesticos, pecas de decoracao, etc
    Detalhe: pessoas de todas as classes sociais compram e vendem nestes mercados, nao é “coisa de pobre”.
    O sistema de carona é também bem difundido entre vizinhos que trabalham na mesma empresa ou maes com criancas na mesma escola; eles se revezam, usando apenas um carro por semana.
    E n’s outras pequenas atitudes que contribuem para um mundo melhor!
    Bom saber que alguém se preocupa em difundi-las por aí também!

      • Thais,
        acho que brechó é o que chamamos aqui de Second hand.
        o mercado de pulgas é menos comercial, nao é uma loja, mas acontece normalmente na rua, no estacionamento de um grande supermercado, no pátio de uma escola ou creque, num parque público, sempre aos finais de semana, claro; nao há um vendedor mas vários, todo mundo que tem alguma coisa pra vender pode alugar um stand (por um preco simbolico) e vender suas coisas.
        Por isto, os precos sao bem melhores que em uma loja Second Hand, pois a intencao de um vendedor no mercado de pulgas, ao contrário do brechó, nao é ganhar dinheiro mas se livrar da tralha!

  6. Thais, amo seu blog de paixao!

    Mas esse layout novo está HORRIVEL nao consigo achar nada, ta muito grande esse menu, era bom quando eles ficavam divididos nos temas em cima. Por favor, volta como era antes!!!!!
    Nao precisa publicar esse comentario, nao quero difamar seu blog q tanto gosto.
    Mas honestamente, ficou pessimo pra achar as materias agora.
    Beijo

  7. Penso que sou uma pessoa preocupada com o meio ambiente, e sempre achei que fazia a minha parte, com folga…rsrs Mas dos 30 ítens, só faço 14, incluindo os de leitura e filmes. Pra mim, os itens de comida são os mais fáceis: comemos pouquissima carne em casa, aproveito bem os alimentos, consumo ovos dessas galinhas felizes e vegetais orgânicos. Mas tirar férias em casa, banho rápido, deixar a roupa suja juntando… ai Senhor, é tão difícil!

  8. Como estudante de Nutrição fiquei feliz em ver vários itens, ler o rótulo dos alimentos é de fundamental importancia principalmente aos que querem se reeducar, o menor consumo de carnes tem relação o direta com menor incidência de cardiopatias, o não desperdício; o fato de comer alimentos produzidos localmente além de benefico ao ambiente incentiva os pequenos produtores locais, fator incentivado pelo governo e por fim comer em casa, evitando as tentações quais ficamos expostos quando lanchamos fora, além de que é comprovado que crianças que são criadas com o hábito de realizar refeições em familia comem melhor e têm menores índices de sobrepeso e obesidade!
    Perdão pela falta de acentos, digitar peli celular me fadiga! Rs
    Otimo post!

  9. Oi Thais! Adoro seu blog!

    Tenho uma dica de filme para acrescentar na sua lista, que é o Food.Inc (acho que o nome em português é Comida S.A, na TV a cabo ficou em inglês mesmo) que trata sobre como até a comida “natural” que ingerimos se tornou industrializada. Vale muito a pena e fica a dica!
    Bjos!

Deixar uma resposta

Por favor, insira seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui