Categoria(s) do post: Livros

Em janeiro eu li 12 livros. Poderia ter lido mais, até. Mas mesmo assim foi bastante.

O mês começou com a releitura de um livro de Budismo como parte da preparação para o retiro que eu faria na segunda semana do mês. Eu também finalizei a leitura do livro “Trabalho de base”, que é absolutamente incrível. Na primeira semana, também li o “Cultura de confiança”, que fala sobre como criar um clima de confiança no trabalho de equipe. Achei legal, porém sem grandes novidades (muito provavelmente porque tenho lido muito sobre o assunto então é normal que os temas se repitam).

Lá no retiro budista eu consegui estudar um livro sobre técnicas de pesquisa e essa leitura foi muito importante porque me deu uma visão clara de como eu posso organizar toda a minha pesquisa de campo. Esse já será o assunto da minha primeira reunião com a professora orientadora, no retorno às aulas.

Para não dizer que não estou consumindo literatura enquanto faço o doutorado, li mais um do Bukowski. Já comentei uma vez no meu Instagram pessoal que eu me permito gostar de umas 10 pessoas “politicamente incorretas” na vida. Uma delas é o Bukowski. Eu li muitos livros dele quando era mais nova e peguei um certo ranço porque algumas pessoas idolatram o escritor por conta da vida boêmia que ele tinha. Ele acabou se tornando um clichê. Mas o fato é que ele tem bons textos, sacadas e escreve bem, então sempre aprendo e me inspiro pelo menos um pouco toda vez que leio um livro dele. Esse foi bonitinho. Fala não apenas sobre mulheres, mas sobre a família e tudo o mais. Deu uma humanizada maior nele. rs

Finalizei o de antropologia, que tinha abandonado no final do semestre, após o término das aulas. Excelente livro. Eu já tinha lido há 20 anos na faculdade de jornalismo e foi muito bom reler depois desse tempo.

O livro da Cortez sobre diretor escolar faz parte de uma série de livros que discutem aspectos práticos do trabalho na educação, normalmente trazendo o resultado de alguma pesquisa. Esse é bem interessante porque discute o papel do diretor na escola e sua relação com a gestão, e a leitura foi importante para mim nesse momento de construção da universidade.

O livro sobre vendas e o livro azul, sobre reinvenção do produto, foram leituras que ok, li, tirei alguns insights, mas no final das contas não me acrescentaram muito no momento. Não me leve a mal – não estou dizendo que os livros são ruins. O que quero dizer é que eu já li bastante coisa nesse sentido e que já veio no esforço de implementar o que está ali.

O livro sobre empresa orgânica foi sugestão de duas mentoras do MVO, a Luana e a Lud, então priorizei a leitura porque eu sei o quanto elas me conhecem. rs Eu gostei bastante. Me pareceu uma versão mais humanizada da holacracia, ainda que o livro da holacracia seja um manual mais completo. Comprei outro livro do autor e pretendo complementar a leitura desse em breve.

O livro sobre planejamento escolar foi o último que finalizei no mês e, assim, que livro legal. Ele é fininho, então obviamente não vai ser completo no sentido de ser um manual, mas traz todos os elementos necessários para guiar esse planejamento educacional. Gostei muito. Tá aqui na minha mesa como guia para as reformulações nos programas de ensino que estamos fazendo.

Você pode acompanhar as minhas leituras e atualizações ao longo mês se me seguir no Skoob. 😉 Um beijo.

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.

Categoria(s) do post: Família

Eu recebo essa pergunta constantemente então achei que valia a pena escrever um post para deixar como referência.

Quando o Paul era mais novo, eu costumava expôr ao longo do ano os desenhos pela casa e guardar em uma pasta os trabalhos e provas. Uma vez por ano, tirava foto e digitalizava os mais legais e significativos, fotografia a letrinha dele, coisas do tipo, e reciclava o material no final do ano, doando os livros escolares.

Nesta escola que o Paul está agora, há um cuidado não apenas com a sustentabilidade mas com a compreensão do uso e a posse de novas coisas. Há um movimento coordenado pela escola de doação dos livros do ano anterior para alunos que estão mudando de série e também há o incentivo em continuar a usar os cadernos enquanto tiverem folhas limpas.

Escolher uma escola assim foi algo determinante. Foi intencional. Eu mudei de bairro praticamente para que ele pudesse ter acesso a uma escola que fosse desse jeito. Não por esse mínimo detalhe, mas pela direção da escola como um todo, mais humana, mais consciente de todos os aspectos.

Neste exato momento, o que temos:

  • Paul saiu do sétimo e foi para o oitavo ano
  • Livros de ficção que ele usou, a gente vai doar (e alguns eu peguei pra mim kkk)
  • Os cadernos do ano passado, eu vejo COM ELE o que ele quer fazer. Já está numa idade de poder escolher se ele quer manter por n motivos.
  • O mesmo vale para os materiais.

Penso que a maternagem se desenvolve através da conexão nesses pequenos momentos da rotina.

Ter me comprometido com a formação como professora também me permite enxergar o aprendizado de outra forma. Vivemos o que aprendemos. Conversamos sobre o que ele estuda. A vida é o assunto. O papel é um material, e o que importa é o conhecimento. Mas, sobre o assunto do post, agora que ele tem 12 para 13 anos a orientação é: ver com ele. Pelo menos para nós isso faz muita diferença.

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.

Categoria(s) do post: Estudos

Eu realmente achei que conseguiria estudar em janeiro. ? Mas a verdade é que, com retiro, mudança de escritório, reuniões de planejamento, cirurgia, evento e lançamento, obviamente que não deu. NO ENTANTO, acredito que eu poderia ter feito um pouco se tivesse pensado em um cronograma como eu pensei a partir de agora.

Minha viagem para a Alemanha será em maio. Lá, como parte do intercâmbio, farei um curso de nível A1 do alemão durante duas semanas. Eu me matriculei em um curso online de A1.1 pensando “nossa, vou fazer o A1.1 e o A1.2 até a viagem” mas, conversando com a professora, vi que era uma meta ridícula. A recomendação é de 4 meses para cada um dos dois, isso se você tiver uma rotina regrada de estudos ali diariamente.

Eu peguei meu calendário e me planejei para estudar 1h todos os dias de manhã (de segunda a sexta), inserindo as aulas e módulos do curso de acordo com o que cabe nessa 1h diária. Por exemplo, se a vídeo-aula tem 50 minutos, é o estudo do dia. Se as próximas aulas forem lições escritas, eu dedico a 1h a esses exercícios e revisões. Ou seja, um cronograma factível, levando em conta as diferentes fases de aprendizado.

Eu também levei em consideração os dias em que terei algum tipo de evento e viagem, tomando o cuidado de não agendar meu estudo para esses dias, para não ficar frustrada caso não consiga estudar.

Esse cronograma com todas as aulas do curso de A1.1, feito dessa maneira, finaliza no início de abril. Ou seja, é como se fossem os 4 meses mesmo, e olha que não estou contando com outras revisões e reforços do tipo.

No entanto, o cronograma, apesar de puxado (bora lá? 1h por dia todo dia? você sabe como isso impacta na rotina), ele me permite algumas flexibilizações que me parecem bastante prováveis, como:

  • Compensar no final de semana se algum dia tiver sido complicado
  • Estudar mais de 1h por dia, quando puder
  • Estudar aos finais de semana também, quando puder
  • Prorrogar mais alguns dias o cronograma, tendo a data da viagem como limite pessoal

Então eu penso que, na Alemanha, o curso lá me ajudará a revisar o que estudei e me introduzirá ao nível seguinte, que é o A1.2. Voltado para o Brasil, farei um curso online dele – mais quatro meses, e depois o A2.1, o A2.2 e finalizar o nível A1. Lembrando que preciso chegar no B1 para passar na prova de proficiência. Eu estimo que tudo isso na real seja mais um objetivo para 2 anos que 1 projeto para 1 ano. Vamos ver se a faculdade vai deixar eu estender esse prazo! (em teoria, a prova seria no início de 2024)

Caso a faculdade permita a extensão, eu pretendo fazer o B1 presencial no Goethe Institute ou algo assim. Se não permitir, eu vou ter que fazer tudo online e focando estritamente em focar na prova, intensificando os estudos também e tendo que fazer um cronograma de mais de uma hora por dia.

Vale dizer que, se eu conseguir estudar mais de 1 hora por dia e terminar o A1.1 antes da viagem, já começarei o A1.2 para adiantar.

Enfim, a grande dica aqui foi: colocar o cronograma de estudo no calendário. Eu tentei deixar solto e não rolou. Então vou me comprometer a estudar todos os dias de manhã, como se fossem aulas ao vivo mesmo, me preparando e dedicando concentração.

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.

Categoria(s) do post: Diário da Thais, Roupas

Fevereiro para mim grita duas coisas: calor e chuva. Logo, é necessário ter peças que abriguem esse clima da época, que permitam que eu tenha uma rotina confortável e com roupas legais mesmo nessas circunstâncias. Por isso, em época de chuva eu começo organizando os calçados. Para mim, dois são essenciais: uma sandália arrumadinha que possa molhar e uma galocha. Simples assim. O restante são os calçados normais de sempre.

Eis a galocha. Não sei a marca. Digitei “galocha” na busca do Mercado Livre e comprei a que chegava mais rápido.
Minha sandália preferida. É da loja Reversa, que eu amo.

Aproveitei para separar para doar, sem dó, sapatos que não tenham mais a ver comigo, que machucam meu pé ou que simplesmente não usei nos últimos anos.

Olha só que interessante? Basicamente sapatilhas. Taí um tipo de calçado que não tem mais nada a ver comigo.

Eu tenho uma sapateira provisória que arranjei em dezembro para guardar os meus sapatos enquanto estou nessa transição de guarda-roupa e avaliando o que fica e o que vai. Por hora tem até me atendido bem. Fica no corredor entre os quartos (também comprei pelo Mercado Livre e não sei a marca).

A única aquisição feita recentemente foi um tênis inteiro branco para looks casuais ou inteiro pretos. Sempre faz falta. Comprei na Renner e chegou há alguns dias.

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.

Categoria(s) do post: Estudos

Talvez você imagine o quão desafiador é ser mãe, ter uma empresa e ainda fazer um doutorado.

O fato é que o bicho pega mesmo na organização da rotina. São decisões que precisam ser tomadas diariamente para manter a Vida Organizada.

Minha aulas na faculdade começaram dia 1/2. Minhas aulas no Centro Budista recomeçam hoje, 4/2. E as aulas do Doutorado recomeçam dia 24/2. Tudo isso já estava previsto quando fiz meu planejamento anual para 2023, mas que vou refinando no planejamento do mês de fevereiro e no planejamento semanal feito semana a semana.

No planejamento do mês, eu coloco as aulas já agendadas – no Google Agenda.

Semanalmente, eu vejo as aulas que vou ter e o que preciso estudar para cada uma delas. Por exemplo: se eu tenho que ler um texto para a aula de sexta, no planejamento semanal eu posso alocar um bloco de tempo (por ex: terça das 10h às 11h) para ler esse texto. Faço isso com textos que preciso ler e também escrever, mas apenas para a semana em questão.

Por isso é importante ter os projetos organizados em algum lugar, porque você pode revisá-los uma vez por semana para definir ações assim para coisas das disciplinas que não envolvam necessariamente o que você vai fazer nas aulas.

Outra coisa que costumo fazer é refletir sobre como as aulas impactam na minha rotina de trabalho.

No dia que tenho aula, eu aproveito o deslocamento para resolver coisas na rua, especialmente na região da instituição (se a aula for presencial, CLARO). Marco um almoço, café ou jantar com alguém lá perto, passo no shopping pra comprar alguma coisa, na papelaria, lugares do tipo. Ou mesmo me programo pra chegar mais cedo (e não pegar muito trânsito em horário de pico, em São Paulo) e ficar estudando na biblioteca. Eu tenho uma lista de coisas para resolver na rua e uso ela como referência.

No planejamento semanal eu também planejo as compras para lanchinhos (tanto para mim quanto para o Paul). Como mais saudável, gasto menos e não tenho que me preocupar com isso no dia a dia. Já busco uma mochila que armazene meus materiais e os lanchinhos também. Ano passado investi em uma garrafa térmica para levar chá ou café (quando for de manhã) – dica pra vida!

O planejamento semanal ajuda a manter o prumo das coisas e focar no que é essencial.

Como falei, é bastante desafiador conciliar maternidade, empresa e os estudos. Por isso, esse planejamento é essencial – não tenho tempo a perder.

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.

Categoria(s) do post: Estudos

Clique aqui para conhecer o conceito de universidade pessoal.

Como eu mostrei no meu post de ontem, neste semestre eu não tenho tempo para estudar nenhum outro assunto que não envolva o meu estudo formal no Doc, nas faculdades e o idioma alemão. Portanto, não utilizarei o estudo por ciclos desta vez.

Quando faço um curso, sigo as orientações aula a aula para leituras e estudos, e me planejo semanalmente para estar nas aulas, estudar em casa, escrever e fazer as leituras,

Só uma atualização para vocês mesmo porque muitos me perguntam. 😉

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.

Categoria(s) do post: Estudos

Por aqui eu estudo (Doutorado, 2 faculdades) e o filhote estuda (oitavo ano). O planejamento com relação às aulas dele é: verificar todo mês e toda semana os eventos na escola para ver como preciso me planejar, e acompanhar diariamente o andamento das aulas e do seu aprendizado. Todos os dias, temos um momento em que batemos um papo sobre algo que aconteceu na escola. Hoje, por exemplo, a turma fez um debate na aula de História. Então nós discutimos o tema juntos e esclareço dúvidas que ele possa ter. É “nosso momento”. Amo fazer isso.

Então este post vai trazer mais sobre o meu planejamento porque, com relação ao Paul, ele mesmo está entrando em uma fase em que está aprendendo a se planejar. Compartilhei quando tiver coisas boas a respeito e que vocês possam gostar.

A PUC disponibiliza um calendário para o ano inteiro, então o que eu faço é estudá-lo para organizar as informações na minha agenda do Google e não perder nenhum prazo importante.

Então eu crio os projetos das disciplinas do semestre dentro da minha lista de projetos no Notion, já criando próximas ações, especialmente no que se refere à revisão da bibliografia para ver se precisarei providenciar algum livro.

Eu tenho duas disciplinas para este semestre do Doutorado, mas sinceramente estou considerando não fazer uma delas para conseguir focar na minha tese. Terei muitos eventos e viagens para a pesquisa de campo e, apesar de ser uma disciplina que tenho muito interesse em estudar, apenas não é a hora certa – e paciência.

Nas faculdades, como já comentei em posts anteriores, são 2 disciplinas por mês, geralmente, e a “logística” com cada uma delas é muito tranquila – tem as vídeo-aulas, as apostilas e uma prova. O que faço então é estudar os materiais nas primeiras três semanas do mês e a fazer as provas nas últimas (tudo online). Essas duas etapas entram como lembretes mensais recorrentes na minha agenda – fase de estudo de 1 a 20 e fase das provas de 21 a 30. Isso me ajuda a saber como estará a minha semana antes de sair agendando um monte de compromissos.

Eu estou no quarto semestre da Licenciatura em Sociologia e no segundo semestre do Bacharelado em História, ambos EAD na Cruzeiro do Sul. Recomendo se você for uma pessoa autodidata boa como eu, que consegue estudar a partir dos tópicos sugeridos e não depende da faculdade trazer tudo.

O grande desafio do semestre será o estágio supervisionado da licenciatura. Já conversei com um amigo meu professor, que dá aula em uma escola que eu estudei aqui no bairro, e estou apenas aguardando novas orientações para seguir com esse projeto.

Gosto de planejar semanalmente, a partir das próximas ações, o tempo que vou alocar a cada projeto na próxima semana.

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.

Categoria(s) do post: Checklists

Todo mês você encontra no Vida Organizada algumas sugestões de ideias para tornar a sua rotina mais tranquila através da organização.

Leia as sugestões e analise, de acordo com a sua realidade, o que você precisa fazer do que está ali. Talvez a lista te lembre de outros itens que não estão nela, mas que você considera importantes. Anote! E, se quiser, compartilhe nos comentários deste post, caso acredite que possa ajudar outros leitores também.

Ao identificar algo que precisa fazer, verifique se precisará fazer em algum dia específico ou a qualquer momento, com ou sem prazo. Se for o primeiro caso, organize na agenda e, no segundo, em sua lista de afazeres.

  • Organizar volta às aulas ou aos estudos de outros cursos e assuntos diversos;
  • Organizar sua roda de estudos da Universidade Pessoal;
  • Consolidar a rotina na volta às aulas;
  • Reorganizar o guarda-roupa pensando na rotina de volta às aulas e/ou ao trabalho;
  • Anotar na agenda todos os compromissos escolares dos filhos durante o ano;
  • Revisar para doar ou reciclar o material escolar do ano passado;
  • Planejar os lanches que as crianças levarão para a escola e comprar com antecedência;
  • Estudar o plano de ensino do ano para ajudar seus filhos;
  • Verificar os aniversários do mês e tomar providências (haverá algum encontro? preciso comprar presentes?);
  • Planejar o segundo trimestre do ano;
  • Revisar seus objetivos para ver o que andou em janeiro;
  • Atualizar a planilha de finanças pessoais do ano; 
  • Negociar possíveis dívidas;
  • Implementar um sistema de mesada para as crianças;
  • Iniciar ou revisar sua cartela de investimentos;
  • Criar um quadro de referência com as refeições preferidas da casa para planejar o menu ao longo do ano;
  • Pesquisar alimentos da época para criar refeições conforme a estação;
  • Providenciar uma jarra com uma bebida refrescante na geladeira;
  • Planejar o que pretende fazer no feriado de carnaval e nos finais de semana (passeios, viagens);
  • Guardar objetos e acessórios de praia caso não vá mais usar este ano;
  • Aproveitar as liquidações para comprar o que já estava precisando (sem desperdí­cio!);
  • Curtir o verão, mesmo sem ir viajar! 

Tem alguma coisa dessa lista que você lembrou que precisa fazer? 

Deixe um comentário!

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.

Categoria(s) do post: Diário da Thais

Na primeira semana de janeiro, meu foco era aproveitar as férias do filhote para passear com ele e também deixar tudo planejado para a equipe voltar de recesso na semana seguinte e eu poder ficar tranquila no retiro que eu faria na semana seguinte. Foi uma semana muito tranquila em termos de trabalho e consegui descansar bastante. Fiz massagem, fui na livraria, passeei com o filhote (não fomos viajar).

Na segunda semana, fui para um retiro no Templo Budista e foi maravilhoso. Passei uma semana lá e aprendi demais, tive a oportunidade de refinar a minha meditação e orientar melhor os meus aprendizados especialmente no que diz respeito à prática do Tantra. Eu também celebrei 10 anos de Budismo Kadampa na minha vida. <3 Feliz.

Na terceira semana, o trabalho foi bastante intenso. Tivemos várias reuniões de planejamento, que eu conciliei com a gravação de aulas, o planejamento do nosso workshop gratuito anual Organize-se em 2023 e também exames e consultas finais pré-cirurgia (que eu faria na semana seguinte). Também levei o filhote para cortar o cabelo no mesmo cabeleireiro que o meu. <3 Ah! E organizei toda a mudança do escritório que aconteceria no sábado (21) antes de eu operar. Eu também colori algumas tattoos no meu braço. Semana intensa! Mas já passou.

No dia 23 (segunda-feira), internei bem cedo para passar por uma cirurgia de 5 horas de duração. Foram cirurgias reparadoras pós cirurgia bariátrica. Eu fiz a cirurgia bariátrica em 2017 e fiquei adiando as reparadoras por falta de vontade de entrar na faca novamente. Veio a pandemia, o projeto foi adiado, mas me planejei para fazer neste início de ano. As cirurgias que fiz foram: abdominoplastia, pequenas lipos em locais específicos do corpo, correção de uma hérnia no umbigo, mamoplastia e colocação de prótese. Fiquei apenas um dia internada e fui me recuperar em casa. A primeira semana era totalmente de repouso e, na segunda (agora), já posso andar pela casa (com cautela) e trabalhar, mas ainda sem forçar muito. Os primeiros dias foram bem difíceis porque tive enxaqueca pós anestesia. Eu fico destruída com enxaqueca. Quando ela passou, me senti 300% melhor, mesmo com as dores no corpo.

Nesta última semana eu estou focada no workshop Organize-se em 2023 e na preparação para a nova turma do Método Vida Organizada, que começa segunda.

Aqui vão meus projetos concluídos em janeiro:

  • Planejamento anual da empresa
  • Retiro no Templo Budista
  • Mudança do escritório
  • Cirurgias reparadoras
  • Organização da volta às aulas do Paul
  • Cuidar do Stanley (que teve otite)

E tem gente que deixa janeiro passar né? Nossa, justamente pela correria de coisas de trabalho que vêm ao longo do ano, esse é um mês que dá para adiantar projetos pessoais importantes, como o meu retiro e as cirurgias.

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.

Categoria(s) do post: Diário da Thais

Querido diário, aqui estou escrevendo para dizer que o dia foi significativo.

De manhã, fiz com a Malu a live 4 da nossa série do Notion, que inventei de última hora para começar na segunda-feira, vendo que a galera estava precisando de algo básico e organizado assim. Hoje falamos sobre como usar agendas e calendários lá dentro, o que compensa ou não etc. Amanhã vamos falar sobre lista de afazeres. Tenho amado fazer essa série e compartilhar um pouco da minha experiência com a ferramenta.

Ainda pela manhã, tive um novo encontro com os alunos da Certificação, quando pude compartilhar a minha experiência com os masterminds que faço parte. Foi bom demais! Uma aluna disse que o encontro de hoje pagou a certificação para ela. Fiquei até emocionada. Como é bom poder ser você mesma no trabalho e ainda ajudar outras pessoas com isso.

Depois do almoço eu fui ao cardiologista levar o resultado de alguns exames e pegar o laudo para a cirurgia segunda. Deu tudo certo. Já recebi o contato do hospital e as instruções para a internação. Dá um friozinho na barriga mas, no geral, estou empolgada. Gosto de resolver as coisas.

Vim para o escritório de tarde. Consegui descansar um pouco antes das duas reuniões que eu tinha com a equipe. Foram muito boas. Reuniões 1:1, em que conversamos sobre responsabilidades e direcionamentos. Sou muito grata pela oportunidade de orientar profissionalmente e ser mentora.

Quando as reuniões acabaram, ainda consegui encaixotar algumas coisas para a mudança de sábado. Deixei uns vídeos do YouTube rolando de fundo, para ouvir. A internet do escritório está ruim desde que mexi no aparelho para tirar o móvel do lugar. Como vou mudar sábado, não adianta chamar o técnico para resolver.

Amanhã o dia tem bastante coisa e, no final de semana, tenho 2 aulas e alguns vídeos para gravar. Tá tudo certo e sob controle. O que poderia ser adiado, foi adiado. O que poderia ser adiantado, foi adiantado. Tudo está como deveria estar. Vida Organizada.

Meu nome é Thais Godinho e eu estou aqui para te inspirar a ter uma rotina mais tranquila através da organização pessoal.