Dicas de decoração inspiradas no design rústico e industrial

6
18699

Outro dia eu publiquei um post mostrando um pouquinho da nossa sala de estar, e ele me deu vontade de trazer aqui algumas inspirações para você (quem sabe) levar para a sua própria casa, caso também se identifique com o estilo rústico industrial.

Para mim, o grande diferencial desse estilo é a sensação de imperfeição, de inacabado, o que eu acredito que também tenha muito a ver com o trabalho que fazemos aqui. Não é sobre ter uma casa perfeitinha. É sobre ter uma casa de verdadinha.

O estilo industrial veio realmente inspirado nos grandes galpões e fábricas. Em termos de estética, se refere ao inacabado, ao desgastado, ao personalizado. Cada peça de design, cada elemento da decoração, é único. Isso faz com que a gente exerça a criatividade sempre.

Aliado ao estilo rústico, a ideia é trazer conforto e sensação de que a casa nos abriga. A paleta de cores geralmente é neutra, com predominância do cinza.

O cinza é um elemento muito presente no design industrial. Ele remete ao cimento, essencialmente. Usar cimento comum ou cimento queimado é bastante usual nesse tipo de decoração. Você pode preparar a sua tinta misturando massa corrida com corante preto, assim como pode comprar pronta (hoje já existem marcas que fazem as tintas exatamente com esse efeito meio “manchado”). Também existem revestimentos que imitam o cimento.

Alguns elementos contribuem ainda mais para o visual industrial. Muito ferro, misturado com cimento, vidro, e o elemento orgânico do rústico, que vem da madeira e das plantas, por exemplo. Tecidos também podem ser mais naturais para combinar com a composição.

Foto: Matthew Williams para Martha Stewart

É muito comum encontrar inspirações com canos também. Canos e dutos aparentes têm tudo a ver com esse visual que comentei no início do post.

Uma das coisas que eu mais gosto nesse estilo é como ele incentiva o “faça você mesmo”. Uma mesa, por exemplo, pode ser montada usando cavaletes de madeira ou ferro e simplesmente colocando uma tábua de madeira de demolição em cima, ou até mesmo uma porta que seria inutilizada!

O lance da imperfeição é tão forte que mesmo as supostas falhas na pintura ou nos móveis fazem parte do visual em si. Ferrugens, riscos, uma pintura desigual, um negócio meio quebrado – tudo isso faz parte! Ou seja, você não se cobra tanto pelos “erros” que cometeu e aprende a lidar com as imperfeições, pois elas fazem parte tanto da casa quanto da vida. Você não descarta um objeto apenas porque ele tem um problema – o mesmo vale para relacionamentos, por exemplo.

O piso da nossa casa é de cimento queimado e ardósia cinza. Apenas a cozinha e um dos banheiros têm pisos diferentes.

Móveis de madeira e acabamentos em metal ditam o tom desse estilo de decoração. Outro fator que sempre aparece são as “paredes expostas”, como tijolos. Também me chama a atenção o orgânico dos tecidos naturais, tais como cortinas de linho e algodão etc.

Estilo é uma coisa muito pessoal. Apesar de a gente se inspirar em uma tendência ou outra, nunca será igual o de uma pessoa ou de outra, pois cada um traz os seus próprios toques, seja na decoração, na roupa que veste, no jeito de educar os filhos ou cuidar da casa. De qualquer maneira, espero que o post tenha trazido algumas curiosidades bacanas sobre o estilo que escolhemos por aqui. Aliás, escolher é um verbo engraçado. Porque não foi bem escolha, mas sim reconhecimento. Reconhecemos nós mesmos nesse estilo e por isso ele nos atraiu tanto.

6 comentários

  1. Que legal, Thais! Achei muito feliz a frase em que vc disse que não foi escolha, mas sim, reconhecimento.
    Só tenho uma dica para te dar e que talvez seja útil de alguma forma às outras pessoas: é preciso dosar o cinza no caso de pessoas com tendência à depressão. As cores influenciam muito o nosso humor. De repente acrescentar um pouco de cores mais “alegres” em detalhes.
    Obrigada por compartilhar sempre um conteúdo de tanta qualidade!

  2. Eu e o meu marido adorámos ver a vossa sala. É tal como a nossa, diferente do que habitualmente vemos nas outras casas e está tudo certo. A nossa sala, é a nossa entrada de casa direta também, ou seja, é hall de entrada, é escritório e cozinha. Pessoalmente gosto de misturar o estilo nórdico com o estilo vintage e até alguns detalhes em gótico/vitoriano. Muitos detalhes e acessórios em preto… O mais engraçado é que o meu marido também queria colocar a estante de oficina na sala, tal como vocês. Obrigada por partilhar connosco o vosso cantinho. Beijinhos de Portugal

Deixar uma resposta

Por favor, insira seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui