Categoria(s) do post: Livros, Áreas da Vida

suavida-livro

Peço desculpas pela qualidade da foto acima, mas tirei pela webcam pois não estava em casa – nem com a câmera.

Comprei esse livro em 2004, enquanto fazia estágio (faz tempo), mas ele é de 2002. A autora é a Cheryl Richardson, uma famosa coach americana, e ele foi publicado no Brasil pela editora Sextante, com 206 páginas. O sub-título é: “Como encontrar o equilíbrio entre sucesso profissional e qualidade de vida”. Eu sequer tinha o blog e já adorava ler sobre o assunto. Esses dias estava na casa da minha avó e o encontrei perdido por lá. Reli e achei interessante resenhar para o blog, pois achei que vocês pudessem gostar.

Nós vivemos em uma época muito doida, onde todos estamos muito ocupados e estressados. Esses livros de auto-ajuda que nos ajudam a pelo menos refletir sobre nossas prioridades são sempre bacanas de serem lidos. Não gosto muito de livros que ficam dando vários exemplos para explicar um conceito, e geralmente esses livros de auto-ajuda traduzidos pecam muito nisso. Com esse não é diferente, mas vale a pena a leitura pelos conceitos que ele traz em si, enxugando os capítulos.

Por exemplo, ela lista os obstáculos mais comuns que uma pessoa desequilibrada vive hoje: repulsa ao egoísmo (priorizar as atividades para outras pessoas), horário que não reflete o que é prioridade, sensação de que tudo ao nosso redor nos desgasta, dinheiro dominando a vida, adrenalina como principal combustível, falta da presença dos amigos e a paz de espírito como a última coisa que passa pela sua cabeça. O importante é que a vida é sua, então a escolha também. O livro se baseia inteiramente nesse conceito, que é uma das bases do que eu aplico aqui no blog também. Todos somos responsáveis pela nossa vida, pela mudança de atitude e por correr atrás dos nossos objetivos. A autora afirma que todos podem viver como desejam, e ela se propôe a ensinar nesse livro como fazer.

A primeira lição é colocar-se em primeiro lugar na sua lista. Eu sei que, para quem é mãe ou pai, isso pode soar até uma heresia. Porém, precisamos estar bem para fazer o bem aos outros. Muitas pessoas vivem a vida somente satisfazendo as necessidades dos outros, frustrando-se na maior parte das vezes. Outras resumem sua vida ao seu trabalho, o que resulta em uma grande crise pessoal com o passar do tempo. Ela recomenda que cada um se conheça melhor, escreva em um diário, assuma um compromisso sagrado consigo mesmo(a) e tome o controle da sua vida. Também fala sobre relacionamentos e saúde emocional, dois aspectos que eu considero fundamentais para qualquer ser humano que habite este planeta.

Depois, ela recomenda que as prioridades sejam definidas. Afinal, como tomar uma atitude se não sabemos o que é mais importante? A autora estimula uma reflexão sobre o uso do tempo no nosso dia a dia e sobre o nosso poder de dizer “não”.

Na sequência, ela instiga: o que está desgastando você? Há um pequeno questionário para responder com sim ou não sobre o que consome sua energia. Aliás, o livro inteiro é cheio dessas interações, o que considero um exercício muito útil e ativo da leitura. Ela fala da possibilidade de terceirizar atividades, jogar fora o que não for útil, adiar certos projetos.

Investir na saúde financeira é o próximo passo. Mais uma vez, ela oferece um questionário como uma espécie de check-up da vida financeira, onde podemos analisar nossas atitudes com relação ao dinheiro. Segundo ela, cuidar da saúde financeira não significa se tornar rico(a), mas ter a possibilidade de tomar as melhores decisões. No mesmo capítulo, ela dá algumas dicas sobre como pedir um aumento ou cobrar dívidas de pessoas que devem a você.

Meu capítulo preferido é o que fala sobre o combustível de cada um. O que nos alimenta diariamente? O que faz a vida valer a pena? O que faz cada um de nós levantar da cama pela manhã? A autora cita algumas atitudes nocivas no dia a dia que nos tornam mais estressados e desanimados, com conselhos sobre como mudar determinadas atitudes. Cuidar bem do corpo, fazer exercícios, se alimentar bem e dormir suficientemente estão entre as recomendações de Cheryl.

Criar uma comunidade espiritual e honrar seu bem-estar espiritual estão entre as recomendações da autora para viver uma vida melhor. Se você tem uma religião ou gosta do assunto, pode tirar boas dicas para fortalecer sua espiritualidade. Mas não só para religiosos é que serve esse capítulo – ela fala muito sobre relacionamentos e emoções.

No geral, é um bom livro para ler em uma viagem ou aos pouquinhos, no dia a dia. É uma leitura rápida e recomendada a qualquer pessoa hoje em dia, já que todos nós estamos vivendo nessa correria. Também pode ser um bom presente. Não é dos meus preferidos, mas trata de muitos conceitos que eu acredito e que implemento na minha filosofia de organização, transmitindo aqui no blog, então recomendo sim a leitura para todos que se interessarem.