Categoria(s) do post: Áreas da Vida

Algumas pessoas não gostam e não fazem questão de fazer exercícios físicos. Outras não gostam, mas acham importante fazer por motivos diversos. Ainda há as pessoas que amam fazer alguma atividade física e sempre conseguem encontrar um tempinho para fazê-la no dia a dia. Neste post, vou compartilhar algumas dicas para quem deseja implementar esse hábito na sua vida.

Eu sempre gostei de esportes. Quando era adolescente, fazia parte dos times de futebol, vôlei, basquete e handball da escola. Quase joguei futebol profissionalmente. No ano em que fiz cursinho, parei com todas as atividades e, apesar de ter tentado voltar na faculdade, começar a trabalhar tirou todo o meu pique. Quando a faculdade terminou, tentei diversas vezes voltar a fazer academia, mas sempre foi muito difícil conciliar meu tempo. Eu trabalhava em agência de publicidade e, muitas vezes, saía às 21h do trabalho. Se no dia seguinte eu saísse mais cedo, queria aproveitar para descansar. Logo, fazer academia deixou de ser prioridade. Depois eu engravidei, comecei a trabalhar em outra cidade, e só agora voltei a fazer uma atividade física. O que eu quero dizer é que sempre temos muitos motivos para não investir tempo nisso mas, se for prioridade, precisamos fazer ao menos uma tentativa.

Atualmente, estou fazendo natação duas vezes por semana, antes de ir trabalhar. Foi recomendação do ortopedista, pois sinto muitas dores nas costas (trabalho o dia inteiro sentada e, de noite, cuido do blog ou estudo, continuando sentada). De noite, três vezes por semana (às vezes, duas), faço exercícios aeróbicos alternados com musculação. Tomei essa atitude porque resolvi acrescentar outros alimentos na minha dieta e tenho pavor de engordar novamente. Daqui a um tempo farei um post sobre essa mudança na alimentação – quero esperar ainda para ver os resultados. Além disso, quero melhorar o meu condicionamento físico e manter o corpo ativo, pela saúde mesmo. E, é claro: quero ver meu filho crescer. Isso é o essencial.

Como eu me organizei para isso? Oras, não tem muita opção: ou você toma essa atitude e “arranja” tempo, ou vive dando desculpas para sempre. É claro que eu preferia usar essas três horas noturnas para fazer outras coisas mas, ao mesmo tempo, penso que é o mínimo que posso fazer para o meu corpo ficar bem. Eu também tinha problemas de sono, acordava de madrugada, e agora estou dormindo muito melhor. Além do que, depois da academia, por causa da endorfina, tenho ainda pique durante umas duas horas para estudar ou escrever, e minhas atividades acabam rendendo muito mais.

Atualmente, um dia meu em que vou à academia à noite está mais ou menos assim:

06h00 – Acordar, trocar de roupa e tomar café-da-manhã
07h00 – Levar filhote para a escola e ir para o trabalho
08h00 – Trabalhar
18h00 – Ir para casa, dar janta para o filhote, ficar com ele
19h00 – Jantar, fazer algumas atividades domésticas
20h00 – Academia
21h00 – Tomar banho
21h30 – Estudar
23h30 – Escovar os dentes, preparar a roupa para amanhã etc.
00h00 – Ir dormir

Está um pouco corrido porque tenho feito algumas horas extras no trabalho. Quando parar de fazer isso, chegarei uma hora antes em casa, então irei para a cama às 23 horas. Eu costumo ficar bem dormindo apenas seis horas, pois compenso no final de semana dormindo cerca de nove horas por noite (meu período ideal de sono, no geral).

Quem não quiser/puder investir agora em um plano de academia pode optar por caminhadas de meia hora em algum lugar perto de casa. Já vi muitos especialistas recomendarem 30 minutos de caminhada diariamente ou pelo menos três vezes por semana como sendo suficientes para manter o corpo em movimento. De qualquer forma, é fundamental conversar com o seu médico antes de iniciar qualquer atividade. Eu fiz alguns exames com o meu cardiologista e o exame de aptidão física da academia.

Outra coisa que é importante: vestimentas adequadas. Eu tive que comprar praticamente tudo porque não tinha nenhuma roupa de academia. Comprei uma calça de elanca, uma bermuda, três camisetas, três pares de meias, o maiô de natação, o kit com touca e óculos (também para natação), uma mochila para ir à academia e um top para segurar os seios (recomendado para toda mulher). Eu já tinha um par de tênis, duas camisetas, toalha, par de chinelos e uma calça legging. Não vejo a necessidade de comprar mais nada, mas preciso lavar a roupa toda semanalmente, para não ficar sem. Programe-se para isso, então.

Alimentar-se corretamente antes de fazer exercícios também é importante. Esse é um dos únicos momentos do dia em que eu como carboidratos (faço um sanduíche de pão integral com blanquet de peru, alface e queijo branco). A outra vez é no café-da-manhã, quando como somente uma fatia de pão integral com blanquet de peru. Pense então que você precisará fazer compras no supermercado com essa finalidade.

Sobre os melhores períodos para se exercitar, já tentei fazer atividade física de noite e de manhã, e prefiro fazer à noite. Creio que deva ser pessoal. Só estou fazendo natação de manhã porque não tinha mais vaga na turma noturna. Eu durmo muito bem quando faço atividade física à noite. Se vou para a academia de manhã, noto que fico cansada mais rápido ao longo do dia. Mas já vi que para algumas pessoas é muito melhor fazer atividade física de manhã – elas se sentem mais bem dispostas e com pique para enfrentar o dia. Se for o seu caso, considere.

Acho que uma dica fundamental é fazer da atividade física um compromisso inadiável. Se você nunca faltar a esse compromisso, a tendência é que nunca falhe. Se falhar hoje, abrirá exceção e, uma vez aberta, ficará mais frequente. Ter essa disciplina é fundamental. Sinceramente, todos os dias, quando chego do trabalho e fico com a minha família, a vontade que eu tenho de ficar em casa é imensa. Por isso, assim que chego em casa, já troco de roupa e me visto para ir para a academia. Isso já me deixa pronta para ir, assim que meu filho dorme. Não me passa nunca pela cabeça a possibilidade de desistir, porque sei que estou fazendo isso por um motivo, que é cuidar da minha saúde. Sem motivação, fica difícil fazer qualquer coisa.

Talvez seja uma boa começar aos poucos. Eu comecei indo duas vezes por semana à academia, depois comecei a natação, e depois aumentei a frequência à academia. Começar devagar te ajuda a pegar o ritmo. Se já começar forçando muito, a tendência a se estafar e querer desistir pode ser maior.

Procure também frequentar uma academia perto da sua casa ou do seu trabalho. Isso dificultará a preguiça do deslocamento.

Se não tiver condições de pagar por uma academia, há uma série de exercícios que você pode fazer em casa – uma busca rápida no Google revelará um montão deles. Você também pode caminhar, como eu disse anteriormente, ou providenciar pesinhos para fortalecer os braços (até sacos de mantimentos podem ser usados se você não quiser comprar pesos de verdade).

Descansar também é importante. Eu estabeleci que vou à academia entre 4 e 5 vezes por semana, incluindo a natação. Isso me dá uma certa flexibilidade – se eu já fui 4 vezes na academia nesta semana e tenho que viajar na sexta-feira, não me sinto culpada, pois sei que fiz a minha parte. Da mesma forma, eu posso folgar na sexta-feira e fazer academia no sábado de manhã, por exemplo.

Para ajudar no dia a dia, já deixo a minha mochila da academia pronta. Especialmente quando vou pela manhã, basta acordar, trocar de roupa e partir. Lá eu também tenho uma necéssaire com tudo o que preciso, inclusive shampoo, sabonete etc para tomar banho lá e ir direto para o trabalho. Eu organizo a mochila um dia antes.

Outra coisa que me ajuda muito é fazer exercícios de alongamento durante o dia. Gosto de fazer quando eu acordo, ainda na cama, antes de dormir, e durante o dia no trabalho. Onde eu trabalho, também tem ginástica laboral três vezes por semana, mas nem sempre faço porque os horários nem sempre são os melhores. Prefiro fazer quando reservo um tempinho para isso mesmo e no decorrer do dia. Sempre que sinto uma dorzinha no braço, já paro um pouco para me alongar.

Sinceramente, não existem milagres quando falamos em descobrir tempo para conseguir fazer alguma atividade física. Precisamos analisar o nosso dia a dia e encaixar um tempinho, nem que seja somente meia hora por dia, três vezes por semana. Pense que você está fazendo isso por você, para ter saúde, para viver mais tempo e ver seus filhos crescerem, ou para manter-se dirigindo a sua companhia, ou dormir melhor, enfim, há tantos motivos! Encontre os seus e não deixe que a desculpite seja mais forte que a sua vontade de melhorar.

Você faz exercícios físicos? Como você organiza o seu tempo para conseguir conciliar com as outras atividades na sua vida?