Categoria(s) do post: Diário da Thais

Todo mês eu gosto de fazer uma retrospectiva do que aconteceu na minha vida, como forma de reflexão, e também para compartilhar com vocês um pouco da minha vida pessoal além do Vida Organizada.

O mês de maio foi uma jornada para mim. Não quero entrar em detalhes por ter sido uma experiência muito pessoal, mas gostaria de dizer que termino o mês muito bem e provavelmente uns 10 anos mais velha. Estou passando por um momento difícil.

Mas sabe, uma coisa interessante foi que, em maio, fez um ano que a minha avó morreu. A semana que antecedeu a data foi a pior, para mim. Tive todo um trabalho mental que me fez chegar ao final do mês com a sensação de que o luto foi finalmente superado. Não consigo descrever direito. É simplesmente uma sensação de que finalmente acabou.

No início do mês, eu viajei até São Leopoldo (RS) para participar do Seminário Internacional de Midiatização. Foi um seminário acadêmico da minha área (Comunicação), especificamente na linha de pesquisa que estou trabalhando na minha pesquisa do mestrado (MIdiatização). Foi uma grande honra participar apresentando em um dos grupos de trabalho, pois há um ano eu participei do mesmo evento apenas como ouvinte. Cresci muito de lá até aqui e isso me deixou muito feliz de celebrar.

Meu professor orientador estava lá e me viu apresentando, o que para mim foi uma oportunidade duplamente legal (ele nunca tinha me visto “em ação” e elogiou muito minha postura em sala, oratória etc). Lá, conversamos sobre a possibilidade de eu já ingressar no doutorado no ano que vem. Para variar, fiquei empolgadíssima com a ideia naquele momento, mas já cheguei ao final do mês repensando.

Uma leitora em algum momento me deixou um comentário dizendo “nunca entendi por que você queria adiar o doutorado”. Bem, os motivos são: tempo, que na verdade é dinheiro. Nesses dois anos do mestrado, foi uma dedicação bem volumosa, que refletiu na minha empresa, na dinâmica da minha família e na minha própria saúde mental (é uma dedicação intelectual enorme). Não se trata então de simplesmente escolher fazer ou não fazer, mas comparar a entrada em um doutorado com todo o restante das atividades que eu tenho na vida. E eu sou adepta do conseguir fazer tudo, mas não tudo ao mesmo tempo.

Não tem por que apressar as coisas. Estou em um momento em que simplesmente preciso focar no crescimento da minha empresa. Por enquanto, estou querendo dar um tempo, ao menos no ano que vem. Tenho alguns estudos que quero fazer antes de entrar no doutorado. Quero estudar psicanálise, o que é volumoso por si só. Psicologia positiva, epistemologia da comunicação. São assuntos que quero estudar sozinha antes do doutorado, até para entender o que quero pesquisar para a minha tese. Além do que, quero explorar melhor minha pesquisa do mestrado (provavelmente transformando em livro), publicando outros artigos relacionados, participar de eventos e aproveitar melhor meus grupos de pesquisa. Ou seja, tenho bastante coisa para fazer. Isso quando falo de pesquisa. Tem toda a questão de lecionar, que está no radar e também traz um volume imenso de coisas, caso eu resolva fazê-lo.

Nada me impede de mudar de ideia se eu entender que será o melhor. Tenho ainda todo um segundo semestre para pensar a respeito. Não tenho qualquer pressa sobre o assunto.

Foto tirada pela equipe do evento

Ainda falando sobre o mestrado, o meu foco este mês foi em sincronizar os dados da pesquisa de campo. É trabalhoso e mecânico, e ainda não terminei. Mas a pesquisa está no ritmo certo. Vou qualificar em agosto e, em julho, preciso escrever a introdução e dois capítulos, que basicamente vão refletir os resultados da pesquisa. Minha defesa será muito provavelmente em outubro, e aí encerramos. Neste semestre, resolvi ficar com apenas uma disciplina e o artigo de conclusão dela já está praticamente pronto. Tenho até o final de julho para concluir e entregar.

Mais para o final do mês, eu voltei ao sul, desta vez para Porto Alegre (RS), para participar de um curso de imersão de marketing digital. Foram bons dias, que me deram uma revigorada. Eu estou repensando seriamente o meu modelo de negócio e eu sei que isso é um processo mental que leva tempo, e estou respeitando. Assim que eu tiver qualquer coisa que me sinta à vontade de compartilhar aqui, eu o farei.

No escritório, as coisas estão caminhando. A sala da Oficina está quase pronta, faltando poucos detalhes para a inauguração em junho. Estamos fechando o calendário de cursos de julho, que contará também com cursos de outros profissionais da área. Estou bastante empolgada. Todo mundo está ajudando e fazendo uma força tarefa para finalizarmos.

Diariamente eu recebo mensagens nas redes sociais me perguntando qual o tema do mês no blog. Todo dia 1 eu publico um post chamado “Carta da Editora”, onde explico qual será o tema. Peço a gentileza de darem uma olhada, quando estiverem em dúvida. Eu escrevo esse post (como todos os outros) com o maior carinho.

O tema de maio foi qualidade de vida e de trabalho, problematizando a questão da sobrecarga. Obviamente, ainda tenho um monte de ideias sobre esse assunto que não consegui abordar em tão pouco tempo, e as ideias estão listadas para desenvolver os conteúdos aos poucos. Tivemos bons posts:

Tenho buscado (e cumprindo, na medida do possível) postar mais no Instagram e no YouTube. Por favor, siga nosso canal no YouTube. Estamos em campanha para chegarmos aos 100 mil inscritos até o final do ano. Isso fará com que a gente possa alcançar e ajudar mais pessoas.

Tivemos também o lançamento do curso online de Introdução à Organização & Produtividade, que era um curso que eu estava desenhando há meses para poder ajudar quem está começando.

Outra coisa que foi iniciada agora em maio é um conceito novo que estou chamando de gerência de hábitos. A ideia é desenvolver no Vida Organizada uma área de pesquisa onde a gente possa estudar TUDO sobre hábitos e poder aplicar isso quando a pessoa fizer o nosso curso de organização ou o curso dos fundamentos do GTD. Estou motivadíssima com essa ideia.

Outra novidade de maio foi a aprovação do próximo tema do meu livro com a editora, que será sobre estudos. Muitos de vocês me pediram e eu também achei que seria a melhor ideia para trabalhar neste momento. Tenho alguns outros projetos de livros em andamento, que a editora também aprovou, mas entrarão em uma pipeline de lançamentos. Assim que eu tiver a previsão de quando os livros serão lançados, também compartilharei por aqui.

Paul está bem, marido está bem. No mês que vem farei a última viagem do ano e, depois dela, pretendo ficar em São Paulo para ficar mais perto deles. É uma decisão que, por hora, é definitiva. Não pretendo mais viajar a outros estados para fazer cursos.

Um bom mês, em uma época de reflexão e transição. Mal posso esperar para ver o que os próximos meses me trarão. 🙂

E você, o que fez no mês de maio? Deixe um comentário. Obrigada!