Categoria(s) do post: Destralhar

Ok, já passou a febre do programa de tv, poucas pessoas falam sobre esse assunto, então eu quero resgatar esse tema com aquele velho toque de realidade que vocês sabem que eu faço.

Os acumuladores brasileiros são diferentes dos acumuladores norte-americanos, que são mostrados nos programas de tv. Que, por sua vez, são diferentes dos acumuladores ingleses (que passam em outros programas).

Uma vez eu conversei com uma personal organizer holandesa que me explicou que era muito difícil lidar com acumuladores holandeses porque, muitas vezes, eram pessoas que tinham passado pela escassez da segunda guerra, e que não sabiam se desfazer dos seus pertences. A questão é muito além do que se imagina.

Nos Estados Unidos, onde há muito mais fartura material e um consumo exagerado, é natural que existam mais acumuladores. Mas o que faz um acumulador se tornar acumulador não é o seu poder de compra, porque há pessoas que acumulam lixo, papel, jornal. O que faz um acumulador ser um acumulador é ter alguns distúrbios psicológicos, leves ou mais sérios, e isso precisa ser identificado, porque não é chamando uma personal organizer na sua casa que você vai resolver esse problema, nem lendo o livro da Marie Kondo.

Como saber se você é um acumulador ou convive com alguém assim

  • Apesar de parecer que sim, não tem necessariamente a ver com a idade. Tem gente que é acumuladora desde criança.
  • Você vê valor afetivo nos objetivos e acha difícil se separar deles (jogar fora, vender ou doar).
  • Você não percebe que um montinho de coisas gera sujeira. Isso nem te incomoda. Por exemplo, uma pilha de revistas fica durante ANOS no chão e você nunca a tirou dali para limpar embaixo ou ao redor.
  • Você tem em casa muitos objetos que não usa há bastante tempo. Ou porque eles te lembram de uma época feliz da sua vida (e guardá-los é como se você revivesse aquilo, de alguma maneira) ou porque eles te lembram de alguém (que você não tem mais).
  • Você tem dificuldades em jogar fora até mesmo itens que são considerados lixo por outras pessoas, como embalagens ou caixas.
  • Você frequentemente reclama de falta de espaço na sua casa e sente que existem pilhas se acumulando por todos os lados.
  • Você tem vergonha de receber pessoas na sua casa ‘por causa da bagunça”. Isso não é um sentimento que acontece de vez em quando, mas SEMPRE.

No fundo, pode ser que você saiba se você é ou não. De modo geral, se as suas coisas estão atrapalhando sua vida de alguma maneira, pode ser que isso seja um indício de que você precisa procurar ajuda.

Mas quem procurar?

  • Terapeuta cognitivo-comportamental
  • Psiquiatra, para análise e diagnóstico

Quem você NÃO deve procurar:

  • Personal Organizer
  • Coach
  • Faxineiro

É muito importante 1) reconhecer o problema e 2) buscar tratamento. Apenas após esse tratamento você poderá buscar soluções alternativas adequadas para a sua residência e organização pessoal.