Editorial de setembro 2015: Priorize

25
2798

Estou em uma semana mergulhada no tema “prioridades”. Quando pensei nesse assunto, no ano passado, para falar sobre ele em setembro, jamais passou pela minha cabeça que eu estaria fazendo um curso do David Allen sobre isso nessa época do ano.

E o David tem uma afirmação muito legal sobre prioridades, que é: você não define prioridades – vocês as tem. Certo? Afinal, ou uma coisa é prioridade ou ela não é. Não sei se faltam experiência e maturidade de minha parte, mas eu acho que você define algumas prioridades sim. Você escolhe, por exemplo, parar de trabalhar às 19h em algo muito importante porque optou por descansar ou passar mais tempo com os seus filhos. Talvez aquilo não fosse o mais importante a se fazer naquele momento, mas você sentiu que sim. Acredito que algumas coisas devam ser “forçadas” um pouco a virarem prioridade, especialmente família, saúde, finanças.

Mas bom, esse é o nosso tema de setembro! Vamos mergulhar no assunto e trazer reflexões, ideias e dicas para aprender a identificar tais prioridades na vida de cada um e, assim, poder ter uma vida organizada.

Por isso eu vejo a diferença entre organizar o ambiente físico e ir além, pensando em valores e princípios de vida, aplicando-os aos nossos objetivos de curto a longo prazo, trazer para o dia a dia, o que pode se refletir – e irá – na organização do nosso ambiente físico também. Organização é sobre levar uma vida coerente, integrada. É a gente se conhecer, aceitar quem é e promover as mudanças e melhorias que acredita serem necessárias.

Eu aprendi muita coisa no último ano – acho que mais do que em muitos anos da minha vida inteira. Fazer cursos, treinamentos, workshops, lançar o livro – tudo isso me fez conhecer e lidar com as pessoas mais de perto e entender suas aflições. Quando uma pessoa me diz que não tem tempo para cuidar da casa, eu sei que o problema não é a casa em si. Pode estar no trabalho, no relacionamento, na saúde. Por isso a gente não tem como trabalhar em um ponto da nossa vida achando que isso resolverá todos os problemas – é a parte do todo.

Se analisarmos, todo mundo tem muitos problemas. Se listarmos todos agora, a vontade será sentar e chorar, porque vai sobrecarregar só de pensar neles. O que a gente precisa fazer é analisar e verificar o que é mais importante, qual deve ser o foco primeiro, qual trará mais impacto, e depois ir “atacando” os outros problemas. Isso é definir prioridades, para mim.

Priorizar, na verdade, é dar a atenção necessária. Mas como a gente consegue fazer isso, no dia a dia, em meio ao calor na hora de tomar decisões? Vamos bater um papo sobre isso este mês.

Vocês estão comigo? ;D

vo-set-2015

25 comentários

  1. Olá Thais! Tenho acompanhado o seu blog faz bem pouco tempo, mas posso dizer que até agora já me abriu muito os olhos e me ensinou muito mesmo! Obrigada por dedicar o seu tempo a cuidar com tanta atenção de todos os assuntos que vc aborda. Tenho um filho de 4 anos e pretendo voltar a trabalhar, além claro, de todas as inúmeras coisas que temos para fazer no dia-a-dia, então o assunto “prioridade” neste momento será mais do que valioso para mim. Ontem chegou o meu livro do David Allen e já estou adorando. Espero agora começar a colocar em prática tudo aquilo que tenho aprendido com vcs! Um grande abraço e mais uma vez, obrigada por tudo!

  2. Thais, também acredito que definimos prioridades. Como escrevi neste post, pois já refleti neste assunto há alguns meses atrás, nós não executamos prioridades, mas é com base nelas que fazemos nossas escolhas e executamos nossas ações no dia a dia. O que é importante para mim? O que eu quero? Isto tem a ver com nossas prioridades. Tema muito oportuno, sempre. http://www.transformandoespacos.com/2015/04/atitude-5-defina-suas-prioridades.html

  3. Tudo o que eu mais preciso!
    Saber exatamente que o que eu estou fazendo de pequenininho hoje irá se refletir no futuro como meus objetivos sendo atingidos.
    Adoreu o tema do mês e tem tudo a ver com o momento que eu estou vivendo.
    Obrigada!

  4. Você disse que aprendeu neste ano muito mais do em outros anos – e eu digo o MESMO, graças a seu blog. Eu não consigo imaginar como eu vivia sem GTD, e olha que em Agosto faz só um aninho que conheci o método que definitivamente mudou minha vida. E isso graças à vc, Thais! Então: obrigada, obrigada, obrigada. Sempre. Por compartilhar tanto conhecimento e botar tanto coração no seu trabalho. Vc nos inspira muito.

  5. Oi, Thaís, tudo bem? Há algum tempo leio o seu blog e já incorporei várias dicas valiosas no meu dia a dia. Eu até tenho tentado usar o GTD, mas ainda não o compreendo muito bem e não sei como seria possível aplicá-lo em minha profissão: professora de língua portuguesa e pesquisadora de literatura. Eu quero aprender a enxergar e a lidar com as minhas prioridades, uma delas é organizar o estudo do mestrado com a as aulas que ministro. Será que tem solução? rs Amo o seu trabalho, você é uma inspiração para mim.
    Abraços,

  6. Concordo 100% com tudo o que você disse, acho você muito melhor que o David Allen!!! O problema é que as vezes estamos tão cansadas com a correria do dia dia e gastamos tanta energia com coisas que nem são tão importantes que acabamos por não conseguirmos dar a atenção necessária aquilo que é realmente importante. Estou muito ansiosa por este tema, com certeza vai me ajudar muito, beijos querida.

  7. Olá Thaís !!

    O Tema “Priorize” foi perfeito pra mim neste mês. Passei o feriado descansando e refletindo sobre aquilo que eu desejava realizar em 2015. Percebi que não estava priorizando o meu maior projeto desse ano: Passar em um concurso. Já faz algum tempo que estou na situação de “quase passo”, “foi por pouco”, “foi por uma questão”. Então decidi PRIORIZAR de fato minha preparação para uma prova que deve acontecer no final do ano. Pedi demissão do trabalho, por que percebi que meus estudos não estavam rendendo, eu chegava muito cansada do trabalho e não conseguia estudar o suficiente. Claro que essa decisão teve várias outras implicações, mas era o que tinha que ser feito. Então é isso… percebi que se não tomasse medidas drásticas não conseguiria “salvar” 2015.

    Abraço <3

  8. Oi, Thaís!
    Muito bom o tema deste mês!
    Parece que hoje em dia as palavras “prioridade” e “urgente” estão balalizadas.
    Tudo é prioridade em alguns ambientes de trabalho, tá louco!
    As vezes gostaria de tirar essa palavra do meu vocabulário e pensar que o foco deve ser direcionado naquilo que trará mais impacto, mas sem dizer que é prioridade! rsrs

  9. Estou contigo. Thais! Já tenho algums “prioridades” que estão a caminho [a saúde, por exemplo, pois descobri uma SOP crítica]. Mas algumas, lendo seu texto, vi que preciso trabalhar mais nelas. Relacionamentos em família, por exemplo. Parece besteira quando dizemos que não temos tempo pra nada, mas a verdade é que nós mesmos criamos essa teia e depois temos de nos esforçar tanto pra sair dela. A SOP também reflete esse ritmo frenético no qual me meti. E quem sabe focando um pouco em outras prioridades, que tragam leveza e sorrisos, a própria síndrome não regride? Que esse mês traga minha “cura”* pelo remédio mais lindo que tenho: minha família!

    Mais uma vez (de 1014540 vezes), obrigada pela reflexão!!!!
    Beijão e bom retorno ao lar!

    * Síndrome do Ovário Policístico não tem cura. Ainda.

  10. Nossa! Com certeza este é um tema que me faz sofrer… Às vezes me parece que já é tarde em minha vida (51) para ainda não saber definir o que é realmente prioridade em cada momento, por que coisas importantes para fazer…eu, e todo mundo tem aos montes né? Será que essa sensação de urgência e ansiedade por definição tem justificativa na certeza de que, conforme os anos se acumulam, menos tempo teremos para alcançar objetivos…e pior é , se não conseguimos perceber quais são os mais importantes!!!
    Enfim, com este papo quero te dizer do valor da tua presença na minha vida Thais… Tens me ajudado de alguma maneira todos os dias! Obrigada

  11. Tema interessante, Thais! Tenho a impressão de que as redes sociais, sempre mostrando “vidas felizes e extraordinárias”, com todas suas promessas, balançam nosso foco. Há por ali tantas ilusões que tendemos à vontade de querer beber o mundo num gole só. Seria interessa se você falasse mais sobre isso! =)

  12. Realmente, Thais, é preciso aprender a priorizar o que é mais importante na nossa vida.
    Eu tenho tentado de forma contínua e árdua fazer as escolhas necessárias para otimizar meu dia-a-dia. Nem sempre eu acerto nas escolhas, mas tenho a possibilidade de ir fazendo, aos poucos, os ajustes necessários. Ainda me sinto muito longe da rotina ideal, mas continuo, não desisto e um dia eu vou vir aqui e dizer: “Thais, eu consegui colocar minha rotina da forma que eu imaginei, ou me aproximei ao máximo do idealizado por mim!”
    Meu tempo é curtíssimo, por isso é tão difícil colocar prioridades concordando com o meu ritmo orgânico e minhas atividades diárias, mas estou na luta! Depois que descobri o mundo dos blogs eu melhorei bastante e devo uma parte disso tudo as dicas que eu venho ler aqui! Obrigada, você é uma pessoa iluminada! Melhor do que isso, você não “esconde sua luz debaixo da cama”, mas a distribui para que outros também enxerguem novos caminhos!
    Um abração,
    Drica.

  13. Essa é minha primeira visita, estou em busca de uma luz para minha vida, cuido sozinha da administração de minha pequena empresa cujo escritório fica me minha casa, tenho 4 filhos entre 0 e 11 anos, e não tenho empregada ou ajudante , tento conciliar trabalho,casa, filhos, igreja .
    Necessito URGENTE de ser mais organizada, minha vida está um caos! Acho que esse site pode me ajudar muito

  14. Tenho visto que ter um blog não é negócio fácil. É muita crítica, muita opinião pra lidar.
    Mas eu tenho acompanhado o blog há uns 2, 3 anos. E vi que essa ideia de fazer um editorial por mês focando em um aspecto de ter uma vida organizada foi uma ideia GENIAL. Tenho certeza que essa direção veio de muito estudo e planejamento, que deve ser complicado manter a coerência dos posts com o tema do mês, etc,etc. Mas acompanhando ao longo desse ano, achei que reflexões novas e profundas foram surgindo desse método.
    Realmente, ter uma vida organizada não se resume em arrumação, etiquetas, pastas e ordem alfabética. É muito mais que isso, envolve cada aspecto da nossa vida, pessoal, trabalho, casa, espírito: tudo mescla, porque tudo faz parte do ser humano.
    Por isso organizar-se não é fácil, é uma busca e aperfeiçoamento constante, mas que mostra o quanto vale a pena a medida que a gente evolui nessa jornada
    Então, muito obrigada, pela dedicação de sempre em ajudar as pessoas. Com certeza, esse blog já me ajudou MUITO.

  15. Oi Thaís, estava pensando cá com meus botões se haveria a possibilidade de você escrever algo de organização de nós mesmos, das nossas incertezas, medos, sentimentos, organizar quem somos.por dentro. Tenho sentido extrema necessidade nesse sentido, mas a verdade é que nem sei por onde começar. Descobri que sou metódica, mas não sei como usar isso a meu favor nesse sentido interno. E como nossa vida interna afeta a externa, nossas queridas pessoas próximas e até a saúde… Obrigada por se dedicar tanto ao seu trabalho e a esse blog, porque você nos traz sempre luz quando não achamos ter mais solução.

  16. Estou conhecendo seu trabalho faz pouquíssimo tempo mas estou gostando muito, acredito que era o que eu precisava para colocar nos eixos a minha vida, e este tema então é o que mais ouço no trabalho mas sinceridade? Acabo não sabendo por onde começar, e vejo atrás deste texto que se eu não priorizar vou ficar a vida toda sem organizar nada! Muito obrigada pelas experiências aqui citadas, as dicas e os livros!

    • Luciana, obrigada por comentar. Fico feliz que esteja conhecendo meu trabalho.
      Dê uma olhada no menu, na guia “Comece a se organizar”. Lá existe um guia para quem está começando.
      Boa sorte!

Deixar uma resposta

Por favor, insira seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui