Planejamento anti-tédio para uma viagem longa de avião

18
3268

Pois bem, como eu fiz uma viagem longa no mês passado (Guarulhos > Amsterdam), eu prometi que faria alguns posts compartilhando as minhas dicas mais recentes para a organização da viagem como um todo. Outro dia já postei sobre como organizar a viagem, definir orçamento, comprar passagens etc. Hoje, vou falar sobre uma prática que considero essencial, que é planejar as atividades que farei durante a viagem, para não ficar entendiada e sentir que as horas passaram mais rápido.

Vale dizer que eu aplico esse planejamento mesmo em viagens mais curtas. Quando faço a ponte aérea São Paulo > Rio, a viagem dura uns 45 minutos apenas. Mesmo assim, gosto de me programar para fazer algum tipo de atividade nesse tempo, de modo que eu sinta que esteja aproveitando de verdade os meus momentos diversos de vida. Funciona muito bem. 🙂

A imagem acima é uma foto da página do meu Bullet Journal com a programação que fiz dessa última viagem. Foi apenas um esquema geral que me ajudou a planejar o que fazer. Não necessariamente precisa ser seguido a risca – só traz ideias.

Antes de entrar no avião, eu guardo na mala de bordo tudo aquilo que eu NÃO vou precisar durante o vôo e deixo comigo (em uma bolsa grande, tipo sacola, com zíper, bastante flexível) tudo aquilo que vou usar durante o vôo. Isso me ajuda a só ter que abrir o compartimento superior e mexer na mala se for algo muito fora da curva, uma exceção. De modo geral, durante a viagem não faço isso.

Na foto acima dá para ver o meu setup básico de mala de bordo, a bolsa, almofada de pescoço, pashmina e a roupa que costumo usar.

Vamos falar sobre a roupa para a viagem ser o mais confortável possível:

  • meias de compressão
  • tênis tipo luva (como da foto), pois é confortável porém fácil de tirar, se eu quiser
  • meias grossas (sinto muito frio nos pés)
  • calça stretch (mas arrumadinha! nunca vou de moletom ou coisa do tipo)
  • camiseta
  • blusa bem confortável de lã ou de malha para usar no avião (na foto está na mala)
  • jaqueta de couro (é versátil e quebra o galho caso esfrie muito, mas na hora do vôo eu guardo na mala e só pego em caso de frio extremo)
  • pashmina é um super coringa, pois posso usar no pescoço, na cabeça, como travesseiro, como lençolzinho, enfim, muito versátil
  • a almofada para o pescoço eu levo mesmo que não pretenda dormir, porque ela me ajuda a descansar o pescoço ao longo da viagem

Tenho um post anterior aqui no blog onde listo tudo o que eu levo.

Quando entro e sento na minha poltrona, eu não fico necessariamente fazendo muitas atividades, para não “queimar atividade” antes do tempo. O que eu gosto de fazer: um setup básico, que inclui deixar água, balas e um próximo lanchinho (geralmente uma barra de cereal ou castanhas) no bolsão da frente, assim como o Bullet Journal com uma caneta dentro. Coloco a bolsa embaixo do assento à frente.

Também pego meu álcool gel, lenço umidecido (sempre levo) e passo na mesinha do meu assento. Você sabia que essa mesinha é uma das partes mais sujas do avião? Pois é. Então aproveito esse momento para dar uma geral. (Geralmente quem está do meu lado ou me acha maluca ou acha que foi uma ótima ideia e pede emprestado! rs Ou as duas coisas!)

Então eu começo a navegar na televisãozinha da aeronave para ver os filmes e séries disponíveis. De modo geral, dá para marcar os favoritos, então aproveito esse tempo para marcar os filmes e séries que tenho interesse de ver ao longo da viagem. Nesse meio tempo, outras pessoas vão entrando no avião, você precisa levantar para deixar as pessoas dos assentos do lado sentarem (sempre fico no corredor) etc.

Outra coisa que gosto de fazer nesse meio tempo entre entrar no avião e a decolagem é ajustar meu relógio para o local do destino. Nossa, isso é maravilhoso e falarei mais sobre a técnica no post exclusivamente sobre se ajustar ao fuso horário. Dessa maneira, consigo ir me guiando pelo horário do destino e, se possível, até combinando as sonecas com ele.

Por fim, a última atividade que faço antes de o avião decolar é meditar. Tenho uma pulseirinha com um mala, fecho os olhos, e faço minha meditação. A meditação também me ajuda a relaxar o corpo na hora da decolagem. Não sou daquelas pessoas que têm muito medo de avião, mas sempre rola uma certa tensão né (é um trambolho que pesa toneladas voando!). Medito até o avião decolar e ficar em estado de cruzeiro. Chegando nesse estágio, é hora de iniciar a programação mesmo.

No começo da viagem estou descansada e com uma boa energia. Por isso, gosto de aproveitar para fazer atividades que usem a cabeça.

Nessa última viagem, fiz uma super captura no meu Bullet Journal, contando como foi a viagem, o evento, os aprendizados que tive, as conversas, as ideias. À medida que a gente escreve, outras coisas começam a vir na mente, e vou capturando todas. É um momento muito de mente plena e engajamento apropriado.

Depois de escrever nesse modelo quase de diário, eu resolvi fazer uma lista do que seria prioridade naquela semana pós viagem. Eu sempre reservo os primeiros três dias depois da volta para organizar a vida e me colocar no fuso horário de novo. Desse modo, configuro o foco apropriado para quando efetivamente “voltar ao trabalho” no dia seguinte.

Também aproveito esse momento (se estiver com vontade) para fazer o planejamento de alguns projetos que estejam chamando mais a minha atenção. Como estou focada ali no papel e caneta, consigo pensar sem distrações. Adoro aproveitar esses momentos off-line para pensar na vida!

É difícil descrever, mas chega uma hora que eu sinto que “já deu”. rs E aí esse é o momento que resolvo assistir algum filme. No caso, nessa viagem eu tinha salvo cinco filmes (estava animada!) no Netflix do meu celular para assistir durante o vôo (porque na ida eu já tinha assistido os que me interessavam na tv do avião). Comecei assistindo um documentário sobre política, pois o tema era menos leve, aproveitando mais uma vez o lance de a cabeça ainda estar descansada. Geralmente, ao longo do filme ou ao término dele é quando chega a primeira refeição. E aí, quando chega a comida, eu paro, como direitinho, presto atenção no alimento.

Quando termino de comer, gosto de levantar, esticar as pernas, ir ao banheiro, escovar os dentes, enfim, dar uma espairecida. Quando volto, eu resolvo ler. Para esta viagem, comprei o livro “Tribe of Mentors”, que é um calhamaço, mas justamente por isso achei que seria a leitura ideal para a viagem. Li quase o livro inteiro nessa, pois o livro te segura de um jeito! Você não consegue largar!

Em determinado momento, as luzes se apagam. Eu ainda mantive a minha luz individual acesa até ficar de saco cheio de ler, e depois apaguei para assistir outro filme. Eu não consigo só ver filme no avião, porque chega uma hora que começo a ficar incomodada de ficar tanto tempo sentada no mesmo lugar, então alternar as atividades funciona bem para mim.

Geralmente, ao final desse segundo filme, eu tento tirar uma soneca. Mesmo que não consiga dormir, eu fico de olhos fechados, plugs nos ouvidos, fone de ouvido que corta ruído (Bose Quiet Comfort), máscara nos olhos e travesseiro de pescoço. Se eu conseguir dormir um pouco, excelente. Se não, não tem problema – pelo menos descansei um pouquinho.

Quando o vôo é noturno, antes de tentar dormir eu tiro a minha maquiagem com um lencinho demaquilante e aplico uma sheet mask para relaxar. É maravilhoso! Aliás, adoro aproveitar os vôos assim para fazer alguns cuidados de beleza que geralmente no dia a dia a gente nunca tem muito tempo de parar e fazer. Lixo as unhas, passo creme nas mãos, faço auto-massagem. É uma delícia. (leia este post onde listo tudo o que levo)

Geralmente, depois da suposta soneca ou descanso, eu levanto mais uma vez para me alongar, ir ao banheiro, dar uma esticada nas pernas.

Fico alternando então filme e livro. Para não incomodar as pessoas com a luz de leitura, desta vez eu uso o Kindle Paperwhite (que tem iluminação interna). O bom do Kindle é que traz várias opções de livros, então não me entedio porque consigo alternar entre as leituras.

Mais para o final da viagem, a sensação de saco cheio tende a ficar maior, então prefiro ver filmes fáceis, de comédia, ou até animações, porque eles dão uma renovada na energia.

Às vezes ouço música também, e quando é assim eu deixo a tv do avião ligada no mapa de vôo, porque gosto de acompanhar no mapinha onde o avião está. 🙂

“Meu” avião da KLM

Geralmente, em viagens mais longas, quando faltam umas duas horas para pousar, vem uma nova refeição. E o bom da refeição é que você se distrai durante algum tempo com a atividade. Eu sempre peço a refeição especial no avião (sem lactose), e isso faz com que ela venha antes. Desse modo, eu consigo comer com calma e já libero a mesinha caso meus colegas das poltronas ao lado queiram levantar para ir ao banheiro e coisas do tipo. E, geralmente, quando chega a refeição deles, já acabei a minha, então consigo levantar, ir ao banheiro, escovar os dentes etc, sem a preocupação de ter fila porque na verdade todos no avião estão se alimentando.

Quando falta cerca de meia hora para o avião pousar, vou ao banheiro garantir o último xixi e dar uma geral no visual para descer do avião mais bonitinha (ou nem tanto com uma cara de acabada após 11 horas de vôo!).

Vale dizer que eu sempre levo uma garrafa de água cheia no avião e fico bebericando o vôo inteiro para me manter hidratada. E, apesar de alguns vôos liberarem nas refeições, eu aprendi que não vale a pena beber vinho ou outra bebida alcoolica enquanto estou voando, porque isso desidrata com mais facilidade! Prefiro ficar na aguinha e no suco mesmo. Se tiver chá, sempre peço chá! Nunca tomo café, para tentar descansar.

Nessas duas últimas horas de vôo eu já fico animada porque estamos chegando! Então consigo ver um filme alegre ou até mesmo continuo lendo o livro que levei! Passa rapidinho!

Para quem consegue dormir com facilidade, tenho certeza que uma viagem longa assim é uma excelente oportunidade. Como eu tenho dificuldade, acabo fazendo outras coisas.

Uma outra ideia que gosto de dar é aproveitar a viagem longa para zerar a caixa de e-mails (se você tiver o programa offline em seu computador, como o Outlook) ou fazer uma Revisão Semanal. Há algum tempo eu resolvi parar de querer usar computador durante os vôos para conseguir relaxar mais estando offline, mas são outras atividades legais para aproveitar o tempo, se você quiser.

E você, o que costuma fazer em viagens longas? Deixe um comentário! Espero que as dicas acima tenham sido úteis.

18 comentários

  1. Mais um post feito para mim!!!
    Também costumo fazer uma pequena programação de viagem, mas vou me organizar mais com suas dicas. Abraços

  2. Adorei! Thais, no dia-a-dia você tem utilizado o BuJo como caderninho de anotações/ caixa de entrada? Ou tem conciliado os dois?

  3. Eu tenho o costume de tbm sempre ter comigo algumas coisas no bolsão, mas uma que nunca falta é rinossoro para hidratar o nariz tbm!
    Acho que esse tempo tbm é uma boa oportunidade para uma maratona de séries baixadas antes no tablet ou celular… O tempo passa ainda mais rápido

  4. Estou para fazer minha primeira viagem internacional, esse post não poderia ter vindo em hora melhor!
    Ameias dicas!

  5. Olá Thais!
    Muito obrigada pelo seu post, está muito rico em ideias boas 🙂
    Normalmente nas minhas viagens recorro também ao puff que encho já quando o avião estabiliza, para poder elevar as pernas pois é o que mais me custa na viagem.

  6. Quanta dica bacana! Também tenho dificuldade em dormir no vôo. Amei o tênis, estou querendo comprar um nesse modelo, qual a marca do seu, Thais?

  7. Só fiquei imaginando a cena da sheet mask…hahaha! Adorei o “spa a bordo” 💅🏻🧖‍♀️
    Ah e pode derrubar seus preconceitos contra o moletom pq tem gente fazendo coisas lindas por aí! 3jolie, Santa Costura…
    Tb viajo bem parecido mas ganhei boas dicas extras.
    Obrigada!

  8. AMEI AS DICAS!! OBRIGADA!
    Bem que podia rolar um post tão organizado assim sobre uma viagem internacional com crianças…. pq tenho evitado essas viagens com dois pq não consigo me organizar tão detalhadamente assim….
    Obrigada
    bj

  9. Olá, Thaís! Amei o post!
    Temos hábitos bem parecidos nas viagens rsrsrs gostei da ideia do álcool gel, vou incorporar rsrsrs
    Costumo deixar minha bolsa em baixo da poltrona da frente e aproveito para fazê-la de puff. Ajuda muitoooo rsrsrs
    Sou alta e viagens longas acabam sendo bem desconfortáveis. Por isso tbem prefiro as poltronas no corredor, para poder levantar mais vezes.
    E fones de ouvido com redutor de ruídos são fundamentais. Fico tensa em vôos e os fones me ajudam a relaxar. Além de serem mais confortáveis que os disponibilizados no vôo. Tenho um intrauricular, mas do pequeno. Na verdade, é o menor de todos rsrsrs de silicone. É o único que cabe e não me incomoda… rsrsrs (para conseguir descansar no avião preciso ficar de fones e colocar uma música suave, instrumental. Assim, às vezes, até consigo tirar um cochilo rsrsrs)

Deixar uma resposta

Por favor, insira seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui