Estudos, Família

Organizando a rotina de estudos de uma criança no 5o ano

Filhote está no quinto ano, o que é um absurdo, pois eu ainda sou a criança que está no quinto ano. kkk Brincadeiras à parte, eu me lembro claramente da minha época do quinto ano, e é incrível que meu filho esteja nessa idade. Ele está numa época ótima e eu confesso para vocês que termos nos resolvido com a questão “que escola” fez muita diferença na maneira como ele se sente e no ensino dele.

Na escola que ele estuda, eles dão um livrinho com todos os tópicos pedagógicos que serão estudados ao longo do ano, em todas as matérias. Eu gosto de estudar esse livrinho com atenção e revisar mês a mês, para ver em que pé ele está.

Quando os livros chegaram, eu também revisei todos, para garantir que não tenha nada muito polêmico ali que eu pudesse ter que reclamar com a escola (tipo, terraplanismo). Não teve, ufa! Então seguimos.

Uma coisa que fizemos antes de as aulas começarem também foi uma revisão da estante dele de livros para abrir espaço para as apostilas e materiais do ano corrente. Separamos alguns livros para doação e arrumamos o que ficou. Gravamos um vídeo com esse processo. Ficou bem engraçado – você pode conferir aqui.

A estante dele fica propositalmente ao lado da escrivaninha no quarto, de modo que ele possa fazer a lição dele ali. Temos iluminação e a janela logo em cima da mesa, assim como os porta-canetas com tudo o que ele precisa.

Para mim, a grande diferença aqui no lance do quinto ano é que ele tem professores diferentes para algumas matérias (o que foi uma grande novidade para ele) e tem mais lições, aulas em alguns sábados, provas praticamente toda semana. Por isso, não dá para bobear. A rotina não é mais tão leve quanto era no ano passado, e a ideia é que ele estude todos os dias.

O que ainda estamos buscando uma maneira legal de implementar é revisar as aulas que ele teve no dia e depois fazer a lição de casa, mesmo que seja para a aula da semana que vem. Eu quero que ele implemente esse hábito de revisar e estudar porque acho que isso será uma habilidade importante em qualquer profissão que ele possa querer seguir. Eu também quero que ele aprenda a fazer mapas mentais este ano.

Outro ponto importante é fazer paralelos do estudo dele na escola com coisas fora. Por exemplo, se alguém fizer algum comentário sobre racismo, eu já puxo assunto sobre o histórico da escravidão e como isso foi impactante no Brasil etc etc. Dessa maneira, o assunto se torna interessante porque ele vê vínculo com a sua realidade. Esse é um exercício constante, de enxergar oportunidades no dia a dia.

Além da escola, ele também está desenvolvendo novas habilidades, como comunicação (estamos pensando no curso de teatro) e meditação (ele começou em janeiro no centro budista). Acredito que ambas as coisas sejam “soft skills” essenciais para essa nova geração que nasceu tão mais inteligente que todos nós. Vamos precisar nos comunicar bem (redes sociais! a era do compartilhamento) e lidar com a ansiedade (por isso a meditação).

Como eu gosto muito de ler e de estudar, para mim, o grande legado que posso deixar para o nosso filho é justamente dar esse exemplo e mostrar como estudar é maravilhoso, e não algo chato que a gente faz por obrigação. Estudar abre barreiras, desfaz limites, explora a imaginação e nos ensina a fazer coisas incríveis. Se eu conseguir passar essa mensagem para ele, ficarei feliz.

Você também pode gostar...

Posts mais acessados

21 Comments

  1. Bom dia Thais, meus filhos estudaram pelo método Anglo, onde é passado o conceito de “aula dada, aula estudada”, como pregava o prof. Pierluigi Piazzi (aula dada, aula estudada Hoje).
    O estudo é uma construção diária e é importante acompanhar de perto e dar suporte em casa, e introduzir outros conceitos, como sociologia como você mesma citou sobre racismo.
    Estamos criando e educando para o mundo, na escola é o ensino em casa é a educação, é a construção do ser humano, devemos acompanhar de perto e ficar atentos ao que é ensinado.
    O 5° ano é um momento importante, de transição e o Paul vai se sair muito bem, afinal tem todas as ferramentas a seu favor…
    Sucesso Thaís, sucesso Paul…

  2. Oi Thaís! Amo os posts com seu filhote, ele é um xuxuzinho! 😍
    Eu fui professora de reforço escolar desde que tinha 14 anos até uns dois anos atrás (9 anos com as lindezas 😂). Queria compartilhar três coisas contigo:
    1- prestar bastante atenção na maneira com a qual ele lida com matemática
    Nessa idade que ele tá ele vai começar a lidar com assuntos mais complexos e abstratos, entao é importante desenvolver o jeitinho dele de estudar.
    Matemática é uma matéria que mexe muito com a auto-estima das pessoas. Também é uma área do conhecimento que amplia muito as possibilidades de quem sabe, ainda mais num mundo tecnológico como o nosso. Também é uma ótima oportunidade pra entender que pra aprender errar é essencial e até divertido.

    2- prestar bastante atenção em português.
    Não é que eu ache que as outras áreas do conhecimento não sejam importantes (Alou, nerd aqui), mas é que essa também limita muito a capacidade de apreensão das outras matérias.

    3- desenvolver habilidades de estudo.
    Adorei que você falou dos mapas mentais!
    Revisão seriada com cartões personalizados (meus alunos adoravam desenhar, independente da idade hehe) geralmente funciona bem e é um método infelizmente pouco conhecido. Talvez valha a pena apresentar a ele.
    Entender enunciados das questões: juro que metade dos meus alunos sabiam o assunto, mas não sabiam responder a prova. Fazer provas também é uma habilidade, afinal.
    Por fim, uma dicazinha boba pra matemática mas que faz TODA a diferença (juro!). Ao invés de apagar as respostas erradas, ele mesmo destacar o erro com canetinha colorida e escrever com as próprias palavras o porquê de estar errado e qual seria o certo. Depois, em outra folha, refazer a questão e repetir o processo até acertar sozinho e sem olhar. É bobo, mas realmente funciona, sério. Inclusive, uso até hoje na faculdade (estudo arquitetura e urbanismo).

    Espero que seja útil, um beijo nos dois!

  3. Fernanda R Daniel says:

    Bom dia,
    Não é com frequência que venho aqui ( site ) geralmente leio mas matérias através do email ( que pra mim funciona muito bem )mas essa matéria do 5 ano achei muito legal…..tenho uma filha de 15 anos e o 5 ano pra ela foi muito marcante, pois com 1 professor pra cada matéria ela se achou o máximo kkkkk.
    Cada idade uma fase, este ano ela está no 1 ano do ensino médio, e um novo mundo se abre…a escola nova são os alunos que trocam de sala, eles são obrigados a amadurecer, como a escola é bilingue e no ensino médio o inglês é total……na conversação e nas aulas……atividades……fico imaginando quando vier o intercambio kkkkk

    bjos minha linda !

  4. Oi! Achei legal a sua idéia de revisar a matéria do dia e depois fazer a tarefa, nunca tinha pensado nisso, aqui minha filha está no 3º ano e estamos achando mais “puxado”. Não me agrada nada a idéia de deixar pra estudar em véspera de prova e já rolou um stress no grupo de mães do Whats porque teremos prova logo após a páscoa, e as mães reclamaram de estudar no domingo de páscoa (oi?).
    Gostei muito do texto!

  5. Thais
    Acho interessante uma escola que estimula o contraditório … meu filho estuda em uma escola Adventista a muitos anos, onde eles ensinam o criacionismo e o evolucionismo em paralelo … não acredito em ciência baseada na Bíblia pois como kardecista ela é um registro histórico e não um livro sagrado… mas mesmo assim é ótimo pois ele desenvolveu um senso critico incrível , e muito poder de argumentação devido as contradições.

    1. Eu tenho contato com pessoas da Igreja Adventista e pelo que conheço do ensino, ele parece ótimo, muito focado em valores e propósito. Obrigada por compartilhar.

  6. Oi, Thais! Eu acho incrível o que você está fazendo com seu pequeno. Maternidade não é meu lugar de fala nem de presença, mas dou aulas de inglês para crianças e pré adolescentes, então gosto de observar e de me inteirar nos assuntos haha

    Sobre como você está ensinando ele a estudar em casa, acho muito importante, pessoalmente falando mesmo. Nunca me ensinaram a estudar, então desde criança eu só pegava nas apostilas dias antes da prova. Resultado: péssimas notas no currículo escolar e aversão a estudos até hoje, depois de adulta.

    Antes de sair da faculdade (abandonei o curso de biblioteconomia) eu me forcei a estudar mais ou menos como o seu pequeno. Como estudava à noite, revisava o conteúdo na manhã seguinte, antes do estágio. E pelo menos 2 dias antes da próxima aula. Isso me ajudou DEMAIS no último semestre antes de abandonar, e agora que vou começar outra faculdade é algo que estou pensando em aderir novamente. Fica a dica então pra caso alguém quiser tentar. Achei essa ideia uma vez isso no Pinterest, organizei no Google Agenda as recorrências e também adicionava no Todoist, pra não ter erro.

    Muito sucesso pra vocês dois! Ele é uma fofura 🙂

  7. Nossa como ele tá enorme!!! Super legal esta organização de vida escolar, fará muita diferença na vida dele e certamente as habilidades de organização de temas de estudo será um plus para a vida acadêmica vindoura 🙂

  8. Paul é uma graça de menino! Muito esperto. Tem a quem puxar.
    Abraço, Thais! Seu blog é uma inspiração para mim. Leitura diária obrigatória.

  9. Oi Thais! Nem preciso escrever que amei o post né? Minha filha estuda na rede Bom Jesus e achei muito parecido com o que você descreveu (sobre o colégio do Paul). Ela está no 7º ano e ano passado sofri com a adaptação dela no ensino fundamental II, foi muito difícil para ela a transição de aulas (tempo e troca de professores). Tive que para tudo e literalmente sentar ao lado dela para que ela desse conta do conteúdo. Quando li que você pretende ensinar ao Paul mapas mentais pensei aqui: Como não pensei nisto? Pode me dar alguma dica de como fazer este ensino para pré-adolescente? Sugestão de livro ou curso? Não tenho dificuldades em aprender mas tenho dificuldade em passar o conhecimento, não tenho a didática que pessoas que ensinam tem. Help Me!!! Beijos

  10. Sou mãe de uma universitária (segundo ano de Med. Veterinária) de 18 anos, e a sensação de que o tempo voou é uma coisa doida mesmo… Quando eu e meu esposo fomos fazer a matrícula dela na faculdade, ele ficou parado na porta e falou: “Amor… Parece que foi ontem que nós a levamos para a primeira aulinha, com 3 aninhos, de uniforme minúsculo e a mochilinha do Ursinho Puff nas costas.”. Passa muitoooo rápido!!
    Sobre o esquema de estudos, a revisão semanal foi uma prática desde sempre, pq minha mãe é professora aposentada, aplicou esse método comigo e eu segui com minha filha. Hj, ela faz isso no sábado à tarde para não ficar com dúvidas para a semana seguinte. Imagine a alegria de ver uma adolescente recusar convites pra sair e ficar estudando!?! Pra nós, pais, é o máximo!
    O hábito da leitura ela adquiriu comigo, pq o pai confessa que nunca foi muito fã dos livros. E quanta diferença isso faz… Hj ela não tem nenhuma dificuldade em enfrentar os calhamaços de Anatomia ou Farmacologia que precisa estudar.
    Parabéns para o filhote aí. Quinto ano é punk por causa das novas matérias e tal… Vamos que vamos =D

  11. Olá, Thais!
    Meu filhote também está no 5o ano e fico assustada, mas ao mesmo tempo fascinada com todo esse crescimento. O tempo voa!
    Preciso estruturar melhor uma rotina de estudos para ele e suas dicas foram valiosas.

  12. Desculpa ser a chata que vem dar conselho ou dica… Mas, se for ver curso de teatro, considere a Casa do Teatro. Eles estão há muito tempo na área e certamente são muito confiáveis.

  13. Olá, Thaís!
    Meu caçula também está no 5º ano (o mais velho iniciou o 1º semestre da faculdade). Também estamos implementando a rotina de estudos dele e achei super legal quando veio uma dever de casa para montar o mapa mental da matéria. Fiquei bem empolgada e já fui logo ensinando o que aprendi no curso que fiz da Liz Kimura. É muito legal ver o desenvolvimento deles e acompanhar ajuda a fazer a conexão do estudo com a vida real.
    Ontem à noite, ele me surpreendeu dizendo que está com muita vontade de estudar física. Eu o incentivei a procurar física para crianças e conversar com o irmão. Se quer estudar, vamos estudar!!! Eu e meu marido também gostamos muito estudar e, como você, acredito que esse é um legado muito importante.

  14. Thais, além de revisar a matéria do dia, vc desenvolveu com Paul algum método de leitura de livros? Por exemplo, vc o coloca para ler diariamente?

    1. Sim, isso fazemos desde muito cedo (idade). Todos os dias.

  15. Ariane Thaise says:

    Aaaaa q post maravilhoso para guardar nas inspirações !!! Tenho uma menina de 3 anos e um menino a caminho no forninho e amei a sua forma de se envolver na educação do Paul!! Parabéns!!!

  16. Fernanda says:

    Profe Thais, que tal falares sobre Mapa Mentais para crianças ? Jà havia pensado sobre essa estratégia, mas não encontrei algo de qualidade … Abraços !

    1. A Liz Kimura tem um curso para crianças e posta algumas coisas no perfil dela. Ela é a especialista. 🙂 Vou compartilhar por aqui os resultados que tiver com o Paul também. 😉

  17. Neide Gomes Barbosa Rodrigues says:

    Olá Thais te acho uma profissional maravilhosa e gostaria de deixar aqui uma sugestão sobre como lidar com o fato de seu filho ter deficit cognitivo especialmente em relação a escola e a ideia de que estudar é fundamental. Muito obrigada por esse grande trabalho que você realiza

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *