Como organizar a alimentação mesmo na correria do dia a dia

3
10278

Eis algumas dicas pontuais para organizar a alimentação mesmo que você tenha uma rotina corrida (ou mesmo que considere não ter uma rotina).

Identifique necessidades específicas de saúde

Vale a pena fazer check-up médico regularmente para garantir que você não tenha alergia a nenhum tipo de alimento (aliás, você e a toda a família). Caso existam alergias ou intolerâncias, esse é um ponto relevante que deve ser levado em consideração quando se trata do preparo diário da comida.

Além disso, pode ser que você tenha alguns objetivos que a alimentação possa te ajudar. Emagrecer, dormir melhor, aumentar massa magra, entre outros. Nesse caso, vale a pena consultar um nutricionista que elabore um cardápio adequado para você (e é importante procurar até encontrar um profissional que “bata” com você, e não desistir se se deparar com alguém que não te agrade).

Reflita sobre os seus princípios para uma alimentação adequada

Pode ser que você não queira comer carne, por exemplo, ou pode ser que você queira ir em uma linha mais low carb. Pode ser que queira explorar uma comida mais macrobiótica, ou deixar de vez os industrializados de lado. Definindo esses princípios, eles já vão te ajudar a delimitar melhor os alimentos que você pode ou quer ingerir no dia a dia.

Quem mora com você? Quem mais vai se alimentar na sua casa?

Outro ponto a ser levado em consideração é se você cozinha para outras pessoas – ou se outra pessoa na sua casa preparará os alimentos. As pessoas têm necessidades diferentes e o que pode ser bom para você pode não ser para elas. Além disso, seus familiares podem ter restrições alimentares ou princípios diferentes dos seus. Por isso, leve essas características também em consideração ao pensar no planejamento de preparo de comidas na sua casa.

Prepare um menu semanal

Liste aqueles pratos que normalmente você costuma fazer em casa – nada de inventar a roda aqui. A ideia é justamente identificar o que é trivial e que já faz parte da rotina de alimentação de todos.

É claro que você pode buscar variar algumas vezes, mas são exceções que você pode querer implementar de vez em quando, e não a regra. No dia a dia, a praticidade deve ser a regra, para não complicar.

Uma vez listados os pratos, escolha sete (um para cada dia da semana) e liste os ingredientes necessários para fazer as compras. Eu recomendo planejar esse menu um dia antes de ir ao mercado, pois assim você consegue comprar aquilo que vai efetivamente usar, sem gastar dinheiro a mais ou desperdiçar alimentos. Faça as compras semanalmente.

Esse menu obviamente deve ser preparado de acordo com a frequência que você prepara as refeições. Se dedica um dia da semana para cozinhar tudo, ele deve ser mais versátil. Se cozinha todos os dias, serão outras quantidades. Se faz no almoço algo diferente do jantar, mesma coisa. Adapte às suas necessidades.

Leve em conta também nesse menu não apenas as refeições principais como os lanches, café-da-manhã e bebidas.

Habitue-se a planejar a sua semana, de modo que você consiga prever também os dias que fará refeições fora de casa, entre outras particularidades do dia a dia que possam afetar o preparo dos alimentos (uma viagem a trabalho, por exemplo).

O assunto menu semanal dá pano para manga. Se você quiser, temos um curso online bem completo que ensina como fazer de uma maneira muito efetiva.

Se possível, divida a responsabilidade pelo preparo da comida

Na sua casa, você pode alternar com outras pessoas que morem com você quem prepara a comida um dia sim, outro não. Verifique com todos os envolvidos a possibilidade.

Otimize o preparo

Alguns alimentos podem ser preparados para a semana inteira, como sopas, arroz, feijão, entre outros, e serem congelados. Eu sei que tem pessoas que não gostam dessa opção, mas vale citá-la porque, para quem não se importa, é muito válida do ponto de vista da praticidade.

Assuma a responsabilidade pela sua alimentação

Acostume-se a levar com você uma lancheira e garrafa com água quando sair de casa. Isso evitará que você tenha que comer qualquer besteira na rua – além de economizar, você terá controle sobre a sua alimentação dentro daquilo que deseja.

Dois alimentos bem saudáveis que eu gosto de recomendar como lanches (e que a maioria das pessoas não leva em consideração) são sopas e saladas. Leve a sopa em potinhos ou garrafa térmica, e as saladas em potes também, com os molhos separados, e você terá bons lanches para um dia inteiro.

Busque sempre fazer refeições práticas

No dia a dia eu procuro fazer refeições práticas. Outro dia comentei aqui no blog sobre o meu menu de inverno, onde trago alguns exemplos. Eu não fico inventando muito a roda no dia a dia para não complicar mesmo.

Isso não me impede de querer testar receitinhas novas de vez em quando ou fazer algo diferente se me der vontade, mas esse é um ponto diferente do meu dia a dia.

A ideia é que o preparo das refeições seja muito prático e rápido mesmo – buscando o suficiente.

Faça também uso das suas habilidades de “Masterchef” e utilize técnicas úteis, como fazer o mise en place (deixar tudo cortado e preparado antes de cozinhar), ir lavando a louça à medida que cozinha, entre outras.


Essas foram então algumas dicas atualizadas de organização da rotina voltada ao preparo das refeições. Caso você tenha alguma dica adicional, por favor, deixe um comentário! Obrigada!

3 comentários

Deixar uma resposta

Por favor, insira seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui