Como encontrar o melhor horário para fazer atividade física

33
9325

Quando falamos sobre a organização da rotina para a realização de atividades físicas, geralmente ouvimos recomendações como “acorde mais cedo” ou “aproveite o seu horário de almoço”. Não acredito que seja a intenção das pessoas que dêem tais recomendações, mas durante muitos anos eu falhei na tentativa de adequar esses horários para atividade física na minha rotina e me sentia muito frustrada por não conseguir implementá-los, simplesmente porque queria fazer como as pessoas recomendavam, em vez de buscar algo personalizado e que atendesse as minhas necessidades.

Meu histórico de horários para atividade física

Pela manhã, sempre foram dois tipos de problemas. O primeiro, com relação ao horário em si. Quando eu trabalhava fora, em um emprego sem flexibilidade de horário, fazer atividade física antes de ir trabalhar significava acordar muito, muito mais cedo. Fazendo uma breve continha aqui, se eu tivesse que entrar às 8h no trabalho, eu precisaria sair de casa às 7h30 (isso quando morava em Campinas. aqui em São Paulo não saberia mensurar, pelo trânsito). Para sair de casa às 7h30, eu teria que tomar banho e me arrumar no máximo até 7h10. Para eu fazer isso às 7h 10, teria que ter feito a atividade física até umas 7h (isso levando em conta que a academia era perto de casa). O que significava acordar antes das 6h para tomar café-da-manhã e ir para a academia.

Some-se a isso uma rotina de trabalho que iria facilmente até às 17h ou 18h, depois o deslocamento para casa, tempo com o Paul (que era bem pequeno), as atividades domésticas e, muitas vezes, minhas atividades relacionadas ao blog, que ainda não eram a minha atividade principal em termos profissionais. Sinceramente, não era factível.

Na hora do almoço, também não dava. Eu não dirigia e trabalhava no meio da Unicamp, que não tinha academia e qualquer deslocamento via transporte público era um martírio, super demorado.

Quando eu mudei a minha configuração de trabalho e comecei a ter horários mais flexíveis, trabalhando por conta própria, eu achei que seria mais fácil. Comecei a fazer atividade física de manhã, mas acordando em um horário não tão agressivo. O problema é que, assim, eu “perdia” metade da minha manhã. Começava a trabalhar por volta das 10h.

Foi quando eu comecei a mudar para o período da tarde – depois do almoço. Em vez de tentar trabalhar, talvez naquele momento que costuma dar sono, por conta da digestão, eu ia para a academia. Funcionou bem durante um tempo, mas ainda caía na questão de ser horário comercial e eu ter que estender o meu dia de trabalho para além do horário que eu queria estar trabalhando.

A importância do auto-conhecimento

No último ano, eu mergulhei no tema “personalização do trabalho”. Isso aconteceu em detrimento da produção do meu terceiro livro, mas também porque eu estava imersa, interessada nesse assunto.

Foi quando eu comecei a analisar a minha rotina de trabalho do ponto de vista do que realmente funcionava para mim.

Por exemplo, ajeitando os meus horários, eu percebi que, pela manhã, eu acordo com a mente descansada e muito inspirada para escrever. É o melhor momento do dia para a produção da minha arte, e eu precisava aproveitá-lo. Quando eu desperdiçava essas preciosas horas do dia para executar quaisquer outros tipos de atividades, minha arte acabava ficando de lado.

Por isso, decidi que, ao acordar, é simplesmente o melhor momento do meu dia para escrever, revisar ou traduzir textos, trabalhar concentrada.

Gosto também de concluir tudo aquilo que for mais importante e tiver prazo até a hora do almoço. Isso me dá uma sensação de “dia pago”.

Deixo para a parte da tarde as pendências restantes – atividades que eu gostaria de terminar naquele dia, pendências de terceiros (demandas que chegaram no próprio dia) e processar as caixas de entrada de mensagens.

Como é um trabalho mais exaustivo (estou cansada de ter me esforçado inteletualmente na parte da manhã e me comunico muito com outras pessoas na parte da tarde, o que também exaure as minhas energias), eu costumo chegar ao final da tarde bem cansada, pedindo por descanso mental mesmo, sabem?

A solução

Foi aí que eu resolvi me dar de presente, por um bom dia de trabalho, fazer uma atividade física. Vantagens:

  • sinto que foi realmente um presente por ter tido um dia produtivo
  • no final da tarde o clima está mais fresquinho
  • é uma boa maneira de esquecer o lado profissional e focar no meu corpo
  • é um ótimo ritual de transição entre o dia de trabalho e a rotina pessoal em casa, de noite

Já faz algumas semanas que eu comecei a fazer dessa forma e sinto que descobri que é o melhor horário que funciona para mim, por todos os motivos acima. E o que eu quero incentivar você é que você procure conhecer o seu dia a dia, mas acima de tudo o seu ritmo, de modo que você consiga encontrar o melhor horário para você também.

Tem pessoas que preferem fazer atividade física de manhã. Isso me deixava exausta e, às 10h, já estava cansada e com sono, e meu dia não rendia. Eu tentava aplicar essa rotina e isso foi muito ruim para mim. Só quando passei a me entender e buscar a solução personalizada é que as coisas funcionaram e eu pude incorporar esse hábito na minha vida.

Fazer atividade física muito mais tarde (por exemplo, de noite, depois das 20h) também me deixava muito agitada e era um momento que eu preferia já estar de boa em casa, com meu filho, lendo e fazendo atividades mais tranquilas, mas sei que para muitas pessoas esse é o melhor horário e ajuda inclusive a ter um sono melhor. Então busque aquilo que funcionar para você.

Hoje eu tenho alternado seg-qua-sex (corrida e caminhada) com uma amiga e às ter-qui faço academia, mas substituirei a academia por algum esporte nos próximos meses (neste exato momento da minha vida estou buscando as melhores opções de esportes aqui perto de casa).

Fazer atividade física todo dia sempre foi a minha meta mas eu demorei ANOS para encontrar o melhor formato. Só quando eu passei a me conhecer e a respeitar o meu ritmo que eu encontrei a maneira de fazer que fosse menos agressiva para mim (isso diz respeito ao ritmo do corpo, ao ritmo da casa, ao ritmo de trabalho).

Espero que este post te ajude a estruturar uma rotina assim também.

33 comentários

  1. Olá! Eu tb estou procurando algo para adaptar à minha rotina. Eu adorava fazer academia de manhã, mas na minha atual rotina é impossível. Acordo às 5:30 e às 6:15 já tenho que sair para trabalhar. Fazia muay thai das 21:30 às 22:30 e era péssimo! Ficava agitada demais. Estou procurando algo para fazer após chegar em casa (entre 19:30 e 20:30, mesmo chegando exausta). Mas é bem isso que você escreveu: as pessoas querem dizer o que vc tem que fazer, muitas pessoas dizem: “faça academia perto do trabalho!” Só que ao redor do meu trabalho é super super caro! Nós é que temos que ver o que se ajeita à nossa rotina e ao nosso corpo. Gostei do post!

  2. Thais,
    Gostei do seu relato. Sei que quando você escreve, busca apenas dividir com os outros o seu processo.

    Fico interessado em mais exemplos de quem tornou factível fazer exercícios mesmo trabalhando sem flexibilidade de horário, 8 horas ou mais, com mais de uma hora de deslocamento e que também é responsável pelas tarefas domésticas, de cuidar dos filhos e de outras atividades pessoais.
    Eu e minha esposa acordamos às 5h para entrar no trabalho às 7h. Acho que a maior parte da população ainda trabalha nessas condições. Embora perceba o crescimento do nº de trabalhadores autônomos e com maior flexibilidade de horário.

    Você tem algum exemplo de como foi possível para você quando tinha menos flexibilidade de horário?
    Como encontrar o melhor horário para fazer atividade física quando se tem pouca flexibilidade de horário?

    • Eu fazia de manhã mas, como comentei, era ruim. Entnao houve todo um processo de reformatação da vida que me possibilitasse, anos depois, hoje, ter a atividade da maneira como considero ideal. Obrigada por comentar.

  3. É exatamente o que acontece comigo, tenho feito atividade pela manhã e já fico cansada logo cedo. O que falta ainda é encontrar o equilíbrio.

  4. Muito bom esse tema!
    Estava fazendo ballet funcional e yoga, cancelei o ballet pq estava em uma fase muito cansada e estava mais faltando do que indo e a yoga a prof talvez não volte a dar aulas.
    Estou em um momento meio perdida e sem nada.. a última aula foi ontem e estou pensando melhor no que devo fazer, onde e os horários.
    Tem dias que saio as 16h do trabalho e se volto para casa fazer minhas coisas e acabo descansando perco a vontade de sair mais a noite para fazer, mas em compensação nenhuma academia tem aulas de zumba ou aeróbico nesse horário…
    Estou pesquisando e me organizando para tentar ao máximo não ficar parada, nunca fui fã de atividade física.. mas hoje sei que me fez muito bem!

    Beijos

  5. O final do dia também é o meu melhor horário para a atividade física. Não me adaptei pela manhã pelos mesmos motivos que você falou. Outra vantagem do fim da tarde é que, para mim, é a hora que me dá mais fome rs Se eu estou em casa, acabo não fazendo um lanche correto e ataco a geladeira rsrs

  6. Estou num dilema também! Já tentei de manhã antes de ir para o trabalho, e me fazia muito bem, visto que tenho tendência a acordar de mal humor e portanto, já chegava bem para trabalhar. Mas isso implica em acordar muito mais cedo. Ano passado já estava me acostumando, mas aí chegou o horário de verão e não consegui mais continuar. Já a noite, também uso como recompensa para “fechar o dia”, porém, eu literalmente tenho a sensação de que ir a academia é a minha última coisa do dia, ou seja, eu chego em casa mega cansada. e aí tenho outro problema: ao chegar em casa da academia à noite, não tenho animo para fazer mais nada, só quero tomar um banho, comer e dormir. Infelizmente, ainda não consegui me encontrar.

  7. Ótimo post. Também estou mudando meu horário. Como me mudei recentemente para São Paulo, ainda não voltei com as atividades. Realmente fazer exercícios pela manhã é mais puxado pra mim, já tentei Pilates, caminhada e alongamento, mas o ideal pra mim é usar as manhãs para ler e estudar. Já fiz ballet no período da noite e foi ótimo. Fiquei mais esperta e usei o tempo que estaria dormindo no sofá para fazer uma atividade. Minha ideia para a volta dos exercícios e usar a academia do prédio no período da noite (19:00), vou aproveitar o que o condomínio tem para oferecer! Beijos

  8. Que coisa boa ler os teus textos, me trazem clareza mental. Também me propus a fazer atividades físicas, e vou buscar em mim o melhor tempo pra isso. Trabalho durante todo o dia e estudo, mas vou conseguir.
    Obrigada por nos trazer tanta energia boa.

  9. Também estou há anos nessa luta pelo horário ideal. Recentemente, experimentei o dormir cedo (até 22h tenho que estar na cama) para acordar cedo (entre 5 e 6 horas), para ir na academia cedo. Dessa forma, consigo dormir as 8 horas diárias (que preciso) e começar o dia com disposição.

    Mas confesso que já tentei de tudo…na hora do almoço, 22 horas da noite (academia vazia…).

  10. Adorei o post, Thaís!
    E eu tive que passar também por várias tentativas até me adequar a uma atividade física. Minha rotina de trabalho é como a da maioria das pessoas: sem flexibilidade de horário. O meu problema não foi nem tanto horário, mas encontrar algo que eu tivesse realmente vontade de fazer e por muitas vezes eu ficava teimando em ir pra academia. E sinceramente, descobri que academia não é pra mim, acho muito rotineiro e eu gosto de algo mais dinâmico. Pensando um pouco mais resolvi fazer natação. Me apaixonei logo de cara!
    Em relação a horário, sou das que prefere fazer depois das 20:00 pra poder dormir melhor (tive problemas de insônia por um período da minha vida e que graças a natação não tenho mais! \o/).

    Sucesso, Thaís!

  11. Tenho certeza que vou gostar desta série de posts, pois, também estou organizando a minha rotina de atividades. Diferente de você fazia academia a noite, mas faltava muito. Ja passava em frente a academia exausta quando voltava do trabalho. Quando li o livro “A Semente da Vitória”, mudei o horário para a parte da manhã, pois me chamou atenção ele dizer que eu preciso ser a primeira pessoa da minha agenda. Por enquanto está dando mais certo, mas, ainda há muitas coisas para ajustar.

  12. Tudo o que eu precisava ler hoje, passei o dia pensando sobre isso e como horários pré determinados para atividade física não se encaixam no meu dia a dia…Hoje decidi que farei na parte da tarde, estipulei o horário das 15:00 horas e acredito que dará certo mas enquanto não me adaptar vou continuar procurando o melhor horário em que eu não me sabote, rs.
    Parabéns pelo post!
    Beijinhos :*

  13. Bom Dia! Faço logo pelas 6h. Demorei tempo a encontrar o meu melhor horário também. Comigo funciona…na maior parte dos dias. E é mesmo isso é conhecermo-nos e respeitar os ritmos biológicos e de personalidade. Obrigada por tão boa inspiração Thais! Em persistindo…vai dar certo é isso, não é? Sinto-me em processo de redefinir formas de trabalhar e de vida e identifico-me com esta sua forma de trabalhar e gerir de tempo. Bem haja…um abraço de Portugal 🙂

  14. Oi Thais,

    é a primeira vez que comento o seu blog, embora já a siga há muito tempo ( 2 ou 3 anos), sob os conselhos sempre bons da Patricia Lages 🙂 . Desculpa o meu egoísmo, querendo só receber e não dar nada em troca.

    Gosto do seu conceito e da maneira muito pessoal de falar das coisas, dando espaço aos outros para encontrarem o seu próprio jeito. Numa sociedade onde temos muitas vezes que entrar em padrões impostos… isso é raro. Obrigada por nos permitir ser nós mesmos mostrando o seu exemplo. Ainda que não partilhe sempre as suas opiniões, admiro o seu trabalho e o seu papel de “super mulher”. Obrigada pela dica de hoje, vai-me ajudar muito… mesmo se ainda não vi como ☺!

    Continue nos abençoando, não prometo comenter sempre, mas com certeza mais vezes. Beijos de Paris

  15. Olá Thais! Ótimo post.
    Eu me encontrei nos exercícios pela manhã.
    Acordo um pouco antes das 6h da manhã e normalmente 6h30 já estou na academia. Foi o horário que encontrei e que tem me deixado bem satisfeita. Assim como você relatou que se exercitar à tarde é como uma recompensa, para mim, treinar pela manhã é a sensação de começar o dia motivada e disposta. Tenho minha própria empresa mas gosto de praticar o horário comercial e permaneço no escritório das 9h às 18h. À noitinha para mim é para cuidar de alguns detalhes da casa e curtir meus dois pimpolhos (4 anos e 1 ano e 5 meses). Chego ao final da noite exausta e durmo muito bem. 😉
    Sou fã do seu trabalho! Um abraço!

  16. Primeiramente, parabéns pelo belo post. Encontrar um horário é realmente desafiador. Após seis anos sedentário e tentando várias atividades, voltei para uma que fazia no colégio: Natação!
    Primeiramente tentei tudo o que você descreveu no texto: tentei de manhã cedo(mas perdia qualidade de sono, já que dormia menos), tentei academia(fiz 1 ano e não me encontrei lá dentro), tentei caminhada( e não conseguia encontrar um bom horário e um bom local para pratica-la).
    Como eu moro em uma cidade quente como Fortaleza, Natação é um alívio para diminuir o calor. O local fica à 5 minutos da minha casa de carro e o horário é: 18:30 ás 19:20.

  17. Oi Thais, você escreve muito bem e tem me inspirado muito! Obrigada por todos os posts, que sempre caem como uma luva para o que eu estou precisando… Só queria fazer uma observação. Você usou pela segunda vez a expressão “em detrimento de” com um sentido diferente do que eu conheço. Joguei no google e encontei isso: “Que ocorre de modo a causar prejuízo moral ou material a; em oposição ao interesse de: algumas associações estão sendo privilegiadas em detrimento de outras.” Fiquei com essa pulga atras da orelha… existe esse outro significado também?
    De novo, parabéns pelo blog e muito obrigada!!!
    Abraços

  18. É incrível como algumas pessoas precisam apenas descobrir o melhor horário; outras, a melhor atividade… No meu caso, precisei descobrir a melhor motivação…
    Durante toda a minha vida fiz balé clássico, isso me deu corpo, postura, disciplina, diria que mudou minha vida. Mas fui fazer veterinária, no campo…Na cidade onde estava a Universidade, não tinha aulas de balé, então só voltei a praticar depois de formada, já trabalhando. Depois me transferi de cidade novamente, e parei. Durante muitos anos, minha única atividade foi atravessar a passarela que ligava o ponto de ônibus ao meu trabalho: era completamente sedentária, e nem ligava porque era saudável.
    Quando meu filho fez um ano de idade eu já tinha uma rotina estabelecida e 35 anos de idade. Estava com tumores pelo corpo e com osteoporose devido a essas e outras complicações de saúde, apesar de ainda ter o corpo legal.
    A motivação agora não era ter um corpo ou uma atividade, era permanecer inteira para ver meu filho crescer.
    A academia tem que ser perto do trabalho, não roubar meu tempo com meu filho, e atividade tem que ser no máximo até 11:00, para me deixar disposta, não interferir com meu sono, nem com refeições, nem com o tempo com meu filho. Às vezes estou atolada de trabalho e me obrigo a pelo menos deixar uma baldeação de lado ao vir para o trabalho e andar ou correr os 2 km que separam o ponto de desembarque 1 do meu trabalho.
    Meu marido ainda não conseguiu encontrar a rotina dele. Ele diz que não dá tempo, mas eu pergunto: “você deixa de escovar os dentes ou tomar banho pelo excesso de trabalho?” Ele diz que isso soa ridículo, mas para mim faz total sentido, não dá para dizer “não dá tempo” se é algo que você precisa fazer para manter sua saúde.
    Comigo foi assim… Um corpo legal não ia me motivar o suficiente, precisei ter a noção de que estava comprometendo a minha saúde para tratar como prioridade.

  19. Eu já descobri que o melhor horário pra eu me exercitar é de noite (após as 20h), pois isso me favorece uma noite de sono muito boa, e a atividade que mais gosto de fazer é a natação.
    Mas não faço nem um nem outro, pois sou militar, e portanto devo praticar corridas na parte da manhã (durante os horários previsto no expediente). Fico o resto da manhã meio mole (fazer exercício me dá bastante sono), mas na realidade não me lamento. Acho uma sorte grande ter um emprego que me disponibiliza horário para prática de exercícios enquanto tanta gente não consegue encaixar na rotina (mesmo não sendo meu horário ideal), e o fato de ser obrigatório também é bom pra mim, pois sei que sou preguiçosa e acabaria inventando desculpas para não fazer exercícios, se pudesse… rsrs

  20. No primeiro semestre eu estava trabalhando em dois lugares: um deles era de 40 horas semanais – das 8 as 17 e o outro eram aulas a noite duas vezes por semana. Nas outras duas noites da semana eu ficava com meu filho (sou separada) – me vi sem opção para realizar atividades físicas. Então passei a acordar um pouco mais cedo nos dias que levo meu filho à escola e faço exercicios funcionais de 4 a 7 minutos. É o ideal? Não, nem sempre, mas é o possível. Mesmo com tão pouco eu passei a me sentir mais disposta e minha saúde melhorou!

  21. Sempre fui sedentaria e preguiçosa pra atividades físicas, descobri uma artrose no quadril e comecei a fazer pilates. Nao tinha um horário rígido de trabalho na época, ia pra aula perto do trabalho, de 9:30 a 10:30. Nesses dias saía um pouco mais tarde do trabalho, sem problemas. Adotei um uniforme neutro, calça lisa e reta preta com camiseta preta, que eu conseguia compor com alguma peça diferente pra ir trabalhar sem ter que levar muita tralha (aqui nao faz um calor tremendo, dava pra levar na boa!). Mudei pra Portugal e passei a fazer pilates depois do trabalho, nesses dias tinha um horário certo pra sair, mas era ótima essa obrigação!
    Estou de volta ao Chile, curtindo uns tempos sem trabalho, e resolvi me dedicar ao pilates 3x por semana, sendo que faço uma boa caminhada para ir e voltar, saio às 9:30 e volto 12:30…. apreciando o trajeto, observando as pessoas, escutando música no caminho…. vai ser difícil ficar sem isso quando voltar a trabalhar… Por enquanto, é um “me time” que eu adoro.

Deixar uma resposta

Por favor, insira seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui