Saúde

Meu sono atualmente

Antes de tudo o que estamos passando no momento, frente à pandemia, meu horário de sono estava bem regular. Estava conseguindo dormir cedo praticamente todos os dias (entre 21h30 e 22h) e acordando cedo também diariamente (entre 5h30 e 6h). Com a pandemia, eu não consegui manter esse horário, porque os meninos estão indo dormir mais tarde. O Paul sentiu bastante nos primeiros 10 dias, e eu senti, com instinto de mãe, que deveria ficar disponível para ele todo esse tempo. Com o tempo, fomos conseguindo nos organizar, mas bastaram poucos dias para bagunçar meu sono. Eu sou bastante sensível ao sono, pois tenho o sono leve, e qualquer coisinha já atrapalha a qualidade dele.

E gente, como eu sempre digo aqui, o sono é tudo na vida da pessoa. Se tem algo que determina minha energia ao longo de todo o dia é a qualidade do meu sono. E, por mais que, em termos de rotina de atividades, eu não me refira a horários, tudo o que envolve sono e alimentação, metabolismo do corpo mesmo, em si, horário é importante. Aprendi isso no Ayurveda e é fato. Porque o nosso corpo trabalha “como um reloginho”. Se cada dia você dorme e acorde em um horário, ou se alimenta em horários variados, ele fica meio “maluco”, baixa a imunidade, enfim, coisas que não temos interesse no momento.

Duas coisas têm atrapalhado meu sono de modo geral: 1) ficar ansiosa e ter dificuldade de dormir, mesmo cuidando da minha mente como sempre (meditação, afirmações positivas etc.) e 2) ter o sono intermitente – ficar acordando de noite, demorar para pegar no sono de novo, estendendo o tempo que passo na cama. Isso atrapalha pra caramba. Como eu consegui resolver, quis compartilhar com vocês porque sei que algumas pessoas podem estar mais ou menos na mesma situação. O que funciona por aqui:

  • Encontrar o melhor horário de dormir e acordar que funcione para você (em termos de quantidade de horas de sono necessária e seu horário de trabalho) e para a sua família. Padronize esse horário todos os dias, mesmo aos finais de semana.
  • Coma no máximo duas horas antes de ir para a cama. Desligue eletrônicos de uma a duas horas antes de ir para a cama. E procure estar na cama cerca de 60 ou 45 minutos antes do horário de dormir, para ficar sonolenta/o.
  • Busque um “ritual de sono” que funcione para você. Para mim, é ler um pouco, escrever no caderno, tomar um chá, ouvir um pouco da aula do dia do Centro Budista (no curso online que eu faço), fazer automassagem etc.

O que também funcionou por aqui foi combinar o horário de dormir junto com o Paul, assim um “monitora” o outro para ir dormir cedo. Como esta semana ele começou a ter aulas de manhã (da escola), facilitou um pouco. Como ele tem que acordar bem cedo, fica fácil convencer a ir dormir mais cedo. Pra mim também é bom, porque prefiro dormir e acordar cedo, mesmo que não no horário que eu estava fazendo antes.

Não ler notícias de noite e desligar os eletrônicos me ajuda a dormir melhor, a pegar no sono com mais facilidade. Realmente não tem milagre quando se trata da qualidade do sono. É mudar alguns hábitos que podem ser nocivos.

Vale dizer que, apesar de funcionar bem de modo geral, tem dias que meu sono fica estranho também, porque nada é muito normal nesses tempos que estamos vivendo, então ajuda eu não me cobrar uma vida normal, pois ela não está acontecendo. Mas entender que é ok, que é normal, e que não precisa ser assim todos os dias (hoje estou assim, amanhã volto ao normal), me ajuda a encarar melhor um dia após o outro.

Você está tendo dificuldades para dormir ou com a qualidade do seu sono durante a quarentena? Por favor, compartilhe nos comentários para trocarmos figurinhas. Obrigada.

11 Comments

  1. Letícia Marchese says:

    Thais, cada semana de quarentena meu sono estava de um jeito… isso é ruim.
    Desde segunda estou me obrigando a manter um horário para acordar. E tenho sim mudado hábitos na hora de ir deitar.
    Compreender que é realmente necessário ter uma rotina durante o dia tb está fazendo toda diferença.
    E isso tenho conseguido fazer com a leitura do blog, vendo seus vídeos e relendo o Vida Organizada.
    Impressionante como suas palavras dão uma super força pra mim!
    Gratidão!

  2. ANA CAROLINA BECKER says:

    O sono tá afetado sim, principalmente porque continuo trabalhando numa farmácia e todo dia é uma luta pq chega toda a hora alguém gripado.
    Enfim, costumo dormir entre 1:30 da manhã até 10h. Uma coisa que tem funcionado é respeitar os meus horários, me obrigo a estar na cama mesmo que tô sem sono e não coloco mais despertador pra acordar.

  3. Patricia says:

    Há muitos anos tenho uma rotina de sono organizada, dormindo cedo e acordando cedo. Mas ano passado perdi meu marido e isso, claro, mexeu com todos os aspectos da minha vida. Percebi como foi importante ter a rotina de sono já consolidada. Passei a ter algumas dificuldades e portanto acrescentei algumas atividades (como as suas): tomar chá de camomila, desligar celular uma hora antes, ir pra cama, me aconchegar, ler um livro etc.
    Isso permitiu que meu sono tivesse um mínimo de qualidade, mas passei a acordar de madrugada, sem conseguir pegar no sono depois. Ficava desperta mesmo. Passei a observar certas coisas que fazia nos dias que dormia mal, e descobri que não devo beber álcool ou comer nada muito pesado antes de dormir (mesmo que nunca tenha sentido o estômago pesado), assim como evito ver notícias. Durante a quarentena e o aumento da ansiedade (terapia faço toda semana), coloquei ainda mais rotina: antes de ir pra cama assisto um filme tranquilo ou série, faço tricô etc. Ou seja, uma etapa de relaxamento a mais. Tenho tentado ficar bem e percebo como a rotina é importante.

  4. Thais, o que eu tenho feito no momento são essas “coisinhas” de ritual pré sono, com a diferença de que eu estou re-testando o meu modo anterior, que era de dormir quando tenho sono e acordar quando acaba o sono. E aí eu levo o meu dia com basicamente a mesma sequência de rotinas, mas sem horário pré estabelecido, cada dia é um horário 😉
    Tem funcionado bem, muito da minha insônia, depois de trabalhar aquele livro que o Marcelo recomendou (Say Good Night to Insomnia), nunca mais tive maiores dificuldades (fora exceções, é claro). 😉

    1. Fernanda Cristina says:

      Por favor, Luca, poderia detalhar a referência do livro que você citou sobre insônia?

      1. Olá Fernanda o nome do livro é Say Good Night to Insomnia e o autor se chama Gregg D. Jacobs 🙂

  5. No início da quarentena estava tendo alguns pesadelos, mas o que me ajuda muito a dormir são óleos essenciais. Melhora demais. Tô apaixonada em óleos então vou alternando, tem vezes que uso lavanda, cipreste, cedro, laranja… A lavanda tem até um efeito sedativo. Quando não uso nenhum óleo sinto que demoro mais a dormir e não relaxo do mesmo jeito, é impressionante.

  6. Alessandra Emerick says:

    Oi Thais, depois que li o livro que você indicou do Mude seus horários, gerei mais hábitos saudáveis na minha rotina, pois determinei os horários para tudo. Porém, de fato com a quarentena bagunçou tudo. Estudo à noite, o que dificulta nesses dias da semana (2) a dormir mais cedo, visto que as aulas terminam 22:30, mas assim que a acabam vou para a cama. Com a rotina bagunçada da casa não acordei mais às 6h, passei a acordar às 7:30 ou 8h e fiquei frustrada. Mas aos poucos estou voltando ao normal e me doutrinando mais. Hoje malhei mais cedo e almocei quase no horário ayuvérdico. Aos poucos vamos voltando ao normal. Obrigada sempre por todas as dicas maravilhosas. Te admiro! Bjs

  7. Clarice Vigliazzi says:

    Estou trabalhando de casa durante essa quarentena, e aproveitei para ler “Mude seus horários”. Antes eu ia dormir entre as 23h e meia noite, e acordava às 08:55 religiosamente (isto é, 5 minutos antes de começar a trabalhar!). Não preciso nem dizer que minhas manhãs eram uma m*rda, sentia cansaço o tempo todo, queria cochilar depois do almoço todos os dias… tudo o que o Dr. Suhas está acostumado a ouvir de seus pacientes rs.
    Resolvi aplicar o que aprendi no livro em forma de “baby steps”. Nas primeiras duas semanas apliquei somente o horário de ir dormir (às 22h tenho que estar na cama, e com um livro na mão se ainda não tiver sono), e também passei a almoçar ao meio-dia (pensa numa pessoas que as 11:30 da manhã já está sonhando com o almoço hahahaha). Como são baby steps, não me forcei a acordar mais cedo, nem apliquei a rotina matinal. Uma coisa de cada vez.
    Hoje de manhã resolvi dar mais um passo: acordei mais cedo, fiz um pouco de exercício só pra acordar o corpo, meditei, tomei banho e preparei meu café da manhã.
    Hoje completei 56 dias (!) em quarentena, então estou tentando não me cobrar demais, tento transformar essa nova rotina em algo que me traga alegria.

  8. Sandra Maria Tieppo says:

    Oi Thais! Te acompanho sempre, mas em geral não comento, mas este tema me interessa, porque também estou na luta para dormir mais cedo e tenho conseguido. Algo que ainda preciso conseguir é desligar telas, bem antes de ir dormir. Mas queria ver com você se já usou / usa algum óleo essencial para ajudar a dormir. Li algo sobre isso hoje, preciso ler mais, mas gostaria de ter sua opinião. Um abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar...

Posts mais acessados