Categoria(s) do post: Armazenamento, Comida

Quando o primeiro caso de COVID19 foi notificado no Brasil, eu já vinha acompanhando o que estava acontecendo nos outros países (especialmente Itália e Espanha) e já iniciei um planejamento mesmo que leve para termos estoque de alimentos em casa, caso não pudéssemos sair. Eu não sabia o que esperar, tive medo de termos alguém contaminado em casa (marido com bronquite, filho com asma) e isso nos deixar de quarentena. Fizemos uma compra para duas semanas então, e assim estamos administrando desde o final de fevereiro. Comentei em outro post recente como estamos fazendo as compras – pode ser que te interesse para entender melhor o contexto do post de hoje, se você ainda não tiver lido.

O grande desafio sempre foi com alimentos frescos. Então analisamos o que poderíamos comprar e congelar, e assim o fizemos com carnes (para o Paul), brócolis, couve-flor, massa (eu gosto de fazer massas, tipo para biscoitinhos, e aí congelo), edamame, espinafre, ervilhas, seleta de legumes, algumas frutas.

Os outros alimentos frescos compraríamos semanalmente. Para diminuir o risco de contágio (pela exposição dos itens no mercado), assinamos uma cesta de orgânicos. Falei mais sobre isso no outro post, que citei acima. Em resumo, toda semana recebemos esses alimentos frescos e orgânicos, e isso resolve a nossa demanda por alimentos frescos.

Todo o restante podemos administrar comprando a cada 7 ou 15 dias. Essas foram as coisas:

  • bebidas (água de coco em caixinha, chá, refrigerante, suco integral, água mineral)
  • especiarias secas (canela, cúrcuma, cravo, essas coisas)
  • arroz
  • massas secas
  • feijão
  • grão de bico enlatado
  • outros vegetais enlatados (milho, ervilha)
  • proteína texturizada de soja
  • molho pronto de tomate
  • amendoim e castanhas no geral
  • docinhos (como goiabada)
  • pão integral, bisnaguinhas, essas coisas de padaria
  • frios (para os meninos)
  • carnes frescas (para o Paul)

Temos quatro pontos de armazenamento em casa, como a maioria das casas: geladeira, congelador, despensa fechada e despensa aberta. E um um dos meus planos para os próximos meses é montar uma pequena horta para ervas frescas em casa, porque usamos bastante e também porque acho que vai ser uma coisa a mais para me distrair.

Um investimento de vida, que já faço há algum tempo, é de produtos organizadores para a despensa, como potes herméticos. Isso é algo para ir comprando aos poucos, mas é a melhor maneira de armazenar grãos e outros itens com embalagens abertas. Eu reaproveito muita embalagem também. Se vocês quiserem, posso fazer um post exclusivamente sobre esse assunto!

Lembre-se de sempre colocar a validade quando tirar o alimento da embalagem.

Não há por que comprar em quantidades extremas porque os mercados continuam abertos e vão continuar. Ter em casa sempre armazenamento para pelo menos duas semanas me deixa tranquila, caso seja necessário. Espero que o post tenha sido útil de alguma maneira.