Estrutura do meu dia (2020)

54
8357

Meus queridos, após receber alguns comentários e reações a este texto eu resolvi fazer uma revisão dele e inserir algumas notas, pois creio que não devo ter escrito de modo a me fazer entender. Fazer essas alterações para mim é importante porque quero mostrar de maneira clara para ensinar e ajudar. Você encontrará essas anotações complementares abaixo, em amarelo. Obrigada.

Já faz algum tempo que ando querendo escrever este post para compartilhar com vocês como tem sido a rotina do meu dia depois das mudanças que implementei no meu trabalho, então este post traz justamente essa demonstração.

Não acredito em dias perfeitos nem em rotinas ideais, mas penso que a gente se conhecer e tentar trazer para o dia a dia formatos que nos permitam viver bem e com significado sejam boas práticas de organização pessoal.

Eu passei a entender o meu dia com três grandes blocos nos períodos em que eu estou acordada. Vou falar sobre manhã, tarde e noite, mas se você tiver horários diferentes basta adaptar. Não se trata do horário em si, mas da sequência – já expliquei sobre isso em textos anteriores sobre rotinas. 😉

Eu uso manhã, tarde e noite porque eu costumo dormir à noite e ficar acordada durante o dia, mas quem trabalha de noite e dorme durante o dia pode simplesmente adaptar à sua realidade. Mais uma vez: não é sobre horário! Esse é o ponto mais importante de todo o post. Continua.

Cada um dos blocos dura de 1 a 2 horas, dependendo dos meus outros compromissos e horário em que acordei. Entre um bloco e outro, levanto, me movimento, faço alongamentos. Isso é muito importante, para a “separação física” entre um e outro mesmo! Veja abaixo então como ficam os blocos.

Eu coloquei a duração média de cada bloco apenas como estimativa. Pode variar para baixo e para cima. Não é esse o ponto, e sim a sequência. Segue o fio.

Bloco 1 – Manhã

Este é o bloco da “hora mágica”, que os nossos amigos Hal e Robin chamam de “milagre da manhã” ou “5am club”. Eu procuro sempre adequar meu sono ao horário de nascer do sol (atualmente 5h35 da manhã), mas nem sempre consigo. Como falei, vida real, não ideal. Mas, sempre que acordo mais cedo, gosto muito.

Esse primeiro bloco acontece então das 5h30 às 7h30, mais ou menos.

O que eu faço nesse bloco: leio (tomando minha xícara de café, a única do dia), medito (sozinha ou com o aplicativo Calm, que me dei de presente no final do ano passado), faço a saudação ao sol da yoga, escrevo um pouco (diário) e leio o jornal enquanto tomo meu café-da-manhã.

Se eu acordar às 5h, às 9h ou ao meio-dia, esse bloco será o primeiro do dia. Certo? Entendemos que não diz respeito ao horário e sim a ser o primeiro bloco ao acordar? Eu coloquei o horário médio que costumo acordar no dia a dia, mas não que é a regra para todo o sempre. 😉

Bloco 2 – Manhã

É meu bloco de deep work. Coloco o fone de ouvido e a playlist Deep Focus no Spotify e vou para o computador escrever. O que eu escrevo? Textos para o blog, a newsletter, scripts para vídeos e aulas, materiais dos meus cursos e outros insights para conteúdos futuros.

Também é o momento em que crio os conteúdos para o canal do Telegram e o Instagram.

Esse bloco também dura de 1 a 2 horas, em média, pois é o tempo que consigo ficar concentrada sem me cansar tanto mentalmente. Se eu comecei às 7h, vou então até umas 8h ou 9h, dependendo do meu próprio ritmo. Aqui, dei a estimativa de horário apenas para ilustrar caso eu tenha acordado em tal horário. Mais uma vez: não quer dizer que eu faça exatamente neste horário… mas que este bloco é o segundo do meu dia, antes de almoçar.

Mantenho sempre uma garrafa de 1 litro de água abastecida ao meu lado, para ir tomando golinhos ao longo da manhã. Fico muito satisfeita quando chego na hora do almoço com a garrafa vazia, pois repito o procedimento de tarde e aí sei que bebi bastante água.

Bloco 3 – Manhã

Como já venho de um bloco grande e de concentração, eu gosto de fazer um breve intervalo para a realização de algumas tarefas domésticas, como guardar as roupas limpas, colocar a roupa para lavar, trocar as lixeiras e lavar a louça. O ponto aqui é: depois de um bloco de concentração intensa, o terceiro bloco vem com atividades mais rotineiras e físicas, que descansam a mente.

Eu evito ao máximo sentar no sofá ou algo do tipo para não ficar com preguiça!

Nesse bloco eu também lido com as prioridades do dia que estão na minha agenda. Por exemplo, as contas a serem pagas, ações pontuais, rotinas, planejamento de compromissos.

Se eu começar esse bloco umas 9h, consigo ir até às 11h tranquilamente. Nesse horário, dou uma olhada nas minhas mensagens (What’sApp e e-mails) para ver se tem algo urgente e, se sim, respondo. Se não, deixo para responder mais tarde.

Se eu estiver trabalhando em casa, aproveito a pausa para preparar o almoço.

Quando mudarmos nosso escritório, em alguns dias da semana eu terei o tempo de deslocamento, que será feito mais ou menos nesse horário.


Almoço

Gosto de almoçar ao meio-dia pois isso está alinhado com a ayurveda. Ou eu almoço o que preparei no dia ou esquento a comida em banho maria (estou deixando de usar microondas aos poucos porque ele mata a prana dos alimentos).

Vamos lá. Toda a minha rotina está alinhada ao meu sono e à minha alimentação. Meu sono é prioridade – a alimentação em segundo lugar. Todo o restante se adequa, e não o contrário. Se eu acordasse meio-dia, devido ao meu trabalho ou à minha rotina de vida de qualquer maneira, almoçaria depois dos três blocos. E cada bloco pode durar qualquer quantidade de tempo. EU comentei que, PARA MIM, de 1h a 2h funciona bem, pois mais do que isso eu perco a concentração. Mas se eu tiver 15 minutos pro bloco, vai durar 15 minutos. Mais uma vez: não é sobre horários… mas neste post, trouxe horários apenas para ilustrar, pois são os horários que faço hoje, em um dia de verão, normal na minha vida, sem acontecimentos externos e outros compromissos que fujam dessa configuração.

Vale dizer que isto não é uma REGRA nem serve para ENGESSAR o meu dia. Eu criei essa estrutura de blocos observando os CONTEXTOS que já faço na minha vida NATURALMENTE. Entendendo como eu funciono MELHOR, estabeleci essa ideia dos blocos apenas porque SEI que ela funciona para MIM. Eu não IMPUS uma rotina que não é natural para mim.

Gosto de almoçar tranquilamente. Monto a mesa com uma taça bem bonita para a água, coloco talher, guardanapo, tudo bonitinho. E sento e como com calma, se preferência sem ficar mexendo no celular ou fazendo outra atividade que não seja me concentrar na comida.

Quando termino, lavo a louça e já atualizo a lista do mercado com o que preciso comprar. Faço uma caminhada leve depois de comer, para facilitar a digestão, então é a hora que eu aproveito para resolver coisas na rua (mercado, farmácia, banco, entre outros).


Bloco 1 – Tarde

Ao voltar do almoço, é hora de eu “me abrir para o mundo”.

Este é o momento em que respondo os comentários do blog, os comentários nas redes sociais, e processo as minhas caixas de entrada (What’sApp e e-mails).

Geralmente é um bloco que leva de 1 a 2 horas também. Eu costumo colocar uma música mais animada para ouvir com o fone, para não ficar com sono. Beber água ajuda muito a “acordar o cérebro” (melhor do que café).

Se eu começar esse bloco às 13h, então, vou até 14h ou 14h30 com ele.

“Thais, e se você tiver um compromisso o dia todo e não tiver como fazer essa rotina?”

Aí eu não faço, gente. A estrutura de um DIA não está desvinculada de uma estrutura maior de uma semana, de um mês etc. Isso é essencial entender aqui e em todo o processo de organização. Quando eu faço o meu planejamento semanal, e se vejo que terei dias em que não estarei em casa ou no meu trabalho normal, eu vejo que obviamente não terei os tais blocos, então se tiver algo para aquele dia em questão, eu adianto.

“Thais, significa que você não realiza reuniões nem tem compromissos externos?”

Hoje eu passei o dia todo fora. Meus blocos “da tarde” não aconteceram como neste post. 1) Porque não são obrigação. 2) Porque eu adiantei ontem o de hoje e isso me deixou tranquila para fazer meus outros compromissos…

A organização não é sobre engessar, impôr padrões ou regras, gente. É sobre se entender, se conhecer, e adequar TUDO ao seu estilo e ritmo de vida.

Bloco 2 – Tarde

Esse é o momento do dia em que me dedico a gravar aulas, vídeos, editar, fazer reuniões (se necessárias), cuidar dos cursos e programas de mentoria de modo geral e responder as mensagens de suporte em todos os meus cursos.

De modo geral, tudo o que for relacionado aos cursos eu acabo fazendo aqui. Por exemplo, se preciso finalizar a diagramação de alguma apostila, ou editar aulas. É um dos maiores blocos do dia, mas tomo cuidado para ele não passar de 2h, pois sei que esse é o meu limite para não ficar cansada mentalmente dedicada a um único tipo de atividade.

Se eu começar às 14h30, esse bloco vai até umas 16h ou 16h30.

Vou trazer mais um exemplo para ilustrar: se eu tiver uma reunião nesse horário, obviamente esse bloco não vai acontecer. Se tiver algum prazo, terei feito antes, no dia anterior, o necessário aqui…

Bloco 3 – Tarde

O último bloco da tarde é dedicado a alguns encerramentos. Vejo novamente as caixas de entrada, respondo comentários, faço últimas postagens nos stories, resolvo pendências que surgiram no dia etc. Se ainda houver algo não finalizado no segundo bloco da tarde, aproveito para finalizar agora.

O bloco costuma ir até umas 17h30 ou 18h30 no máximo. Depende da nossa logística com o filhote também (tem dias que eu o pego na escola, outros dias é o marido).

Tenho me disciplinado para, nesse momento, realmente desligar o computador e ir fazer outras coisas. Mesmo quando tenho aula ou LIVE de noite, eu desligo tudo nesse momento para descansar um pouco ou parar de vez.

Vamos lá: quando encerro meu dia oficial de trabalho, é com esse bloco. Não importa o horário…


Bloco 1 – Noite

Esse é o bloco “do agito” aqui em casa. É aquele momento de chegar, colocar o filhote no banho, fazer comida, dar uma geral na casa. Fica todo mundo pra lá e pra cá arrumando as coisas.

Geralmente é o horário das 18h30 até umas 19h30 ou 20h.

Se eu fiz comida na hora do almoço, provavelmente essa será a nossa janta também. Se não, meu marido ou eu preparamos algo. Às vezes eu tenho compromissos na parte da noite, às vezes ele que tem, então vamos alternando quem faz o quê no dia a dia.

Tudo o que ainda faltar da rotina da casa a gente acaba fazendo nesse momento, que termina com o jantar. Devido à ayurveda, eu gosto de jantar cedo (entre 18h e 18h30). Mas, se eles comerem mais tarde, enquanto eles jantam eu bebo um suco ou tomo uma sopinha leve, para acompanhar.

Tenho percebido que, quando não como alimentos mais pesados à noite, eu fico melhor. Já faz cerca de um ano que venho tentando implementar essa mudança e meu corpo fica muito bem quando eu consigo.

Bloco 2 – Noite

Este é um bloco de concentração na parte da noite. Geralmente cada um vai fazer suas atividades – Paul vai ler, brincar, fazer lição ou jogar um pouco de vídeo-game e meu marido vai tirar músicas, finalizar algumas edições de vídeos ou qualquer outra atividade particular dele. Eu aproveito esse momento para trabalhar na minha dissertação (percebi que escrevo melhor nela nesse período noturno) ou em artigos acadêmicos de modo geral. Também posso simplesmente realizar algumas leituras, especialmente revisão de textos traduzidos do GTD™.

A gente também se organiza para fazer coisas juntos ao longo da semana. Por exemplo, em um dia meu marido assiste um filme com o filhote enquanto eu escrevo, no outro dia eu assisto séries com ele, e por aí vai. Assim conseguimos ter sempre tempo de qualidade juntos mas também realizar atividades individuais, quando necessárias.

Vai das 20h às 22h no máximo esse bloco.

Se o bloco levar 15 minutos, vai até 20h15. Se levar 1h, vai até 21h. Se levar 2h, vai até 22h. Se a gente estiver fora, ele nem vai existir. Espero que agora tenha ficado um pouco mais claro…

Bloco 3 – Noite

O propósito desse bloco é simplesmente me preparar para ter uma boa noite de sono. Se eu acordei antes das 6h, provavelmente estarei bastante cansada aqui, então é tomar banho, fazer massagens e ler um pouco antes de dormir, se eu conseguir. O Paul e eu costumamos ler juntos na cama, às vezes.

Mais uma vez, esse bloco pode acontecer às 20h15, ou depois da meia-noite… independe do horário, ele é apenas ANTES DE DORMIR.

É comum meu marido ainda ficar acordado, pois a rotina dele é diferente da minha. Ele aproveita para assistir os filminhos dele (é cinéfilo) na quietude da noite kkk.


Ter estruturado o meu dia dessa maneira foi muito importante porque:

  1. O que guia a coisa toda é a minha rotina de sono. Esse é o ponto-chave pra definir os horários.
  2. Em segundo lugar, a minha alimentação. Tenho seguido os princípios da alimentação ayurvédica.
  3. Entendo como funciono melhor em termos de energia ao longo do dia. Me concentro de manhã, me abro a outras pessoas na parte da tarde e me concentro mais um pouco à noite. Porque essa é a minha rotina de vida. Para uma pessoa que trabalhe à noite, será outro horário. Ela provavelmente terá mais energia à noite. Etc.

Ter descoberto o que funciona para mim foi essencial. Estruturar a rotina dessa maneira faz meus dias terem mais significado e consigo encaixar tudo o que é importante na minha vida.

Claro que há dias em que mudo a “programação”. Por exemplo, nesta semana tenho dois dias em que ficarei o dia inteiro em reunião. O que preciso fazer é decidir se a troca valerá a pena. Ou seja, trocar como normalmente é o meu dia com o compromisso em si. Às vezes preciso adiantar algumas coisas para que não sejam prejudicadas as atividades essenciais e prazos do meu trabalho, mas de modo geral eu já atuo assim no dia a dia (por ex, quando escrevo para o blog, escrevo de 3 a 5 textos de uma vez, então sempre está adiantado).

Tenho gostado muito dessa rotina atualmente e encorajo todos os meus alunos a elaborarem algo parecido levando em conta suas necessidades atuais e responsabilidades tanto no trabalho quanto em casa. A ideia aqui não é copiar a minha rotina, mas usá-la para ter insights a respeito de como estruturar a sua. Espero que o post tenha cumprido essa missão.

Se tiver dúvidas, deixe um comentário. Obrigada!

54 comentários

  1. Na parte do Almoço, na frase “Eu gosto de almoçar…”, tem um “se preferência” no lugar de “de preferência”

    No bloco 1 – Noite, na frase “Se eu fiz almoço…”, na parte “meu marido e (eu) preparamos”

    • Olá! Se você e a revisora deste blog, entre em contato particular com a Thaís. Não seja sem ética. Esse blog não é lugar para isso. Você está no lugar errado. Vá para o Facebook, onde as pessoas gostam de ser grosseiras. Passar bem.

      • Ela não foi grossa. A própria Thais já escreveu que quando alguém notar algum erro no texto pode dar um toque.

  2. Olha que engraçado…ontem, estava lendo esse mesmo texto de algum outro ano e achei um máximo. Hoje li a versão atualizada e amei mais ainda. Refletindo sobre qual seria minha rotina ideal. Dúvida: você não se sente engessada em algum momento por ter tudo isso bem definido?
    Bjs <3

  3. Adoro esse tipo de post, sempre trás uns insights bem legais sobre o que eu poderia fazer melhor. Muito obrigada por compartilhar!

  4. Olá, achei o “Milagre do amanhã” muuuito ruim, auto laudatório e sem qualquer base científica. Muito melhor é o “Por que nós dormimos” (Matthew Walker), este sim um livro sério que tem muito a contribuir para a saúde do leitor que adotar as sugestões do autor (ele é professor de neurociência e psicologia na Universidade da Califórnia, Berkeley); e tem o prefácio do grande Sidarta Ribeiro. Abraço!

  5. Thaís! Muito legal que você tenha compartilhado essa forma de organizar sua rotina. Me inspirou a criar uma pra mim. Obrigada pela ajuda. Bjos

  6. Olá! 🙂 É muito inspirador, sem dúvida!!! Nesse caso, se o bloco da noite for até às 23h, dorme 6 horas e meia? Também gostava de me levantar mais cedo, mas, para mim, dormir 6 horas não é o suficiente. Há algum truque? kkk

    • A duração dos blocos é variável, não fixa. Uma coisa é certa: NUNCA durmo horas insuficientes. Tudo no meu dia se ajusta ao meu sono e alimentação, não o contrário.

      • Esse é o insight do dia pra mim! Tenho prejudicado meu sono, colocando ele como segundo plano sobre minhas atividades. Excelente frase!

      • Muito obrigada pelo conselho, Juliana. É isso que eu faço, precisamente. Mas há pessoas que ficam bem, mesmo dormindo 6 horas, apesar dos estudos que dizem não fazer bem à saúde etc. A minha pergunta foi uma curiosidade, porque gostava que o meu dia esticasse mais um bocadinho, mas sendo o sono fundamental para o meu bem-estar, e sabendo que o é da mesma forma para a Thaís (porque já falou diversas vezes no assunto), perguntei porque alguma coisa poderia ter mudado entretanto em termos de logística.

  7. Percebi que você comenta no bloco da tarde que vai ate as 18:30 ,você diz desligar um pouco ou descansar de vez,e após ainda têm um bloco da noite ,depois rotina para uma boa noite de sono,eu já não teria energia nenhuma nesse horário, a rotina da noite achei cansativa,o método flylady,tipo arruma a cama,entre em qual horário?
    Gratidão pelo post,tenho certeza que vai me dá vários insights, mais a rotina da casa,fiquei com dúvidas.

    • Se eu estiver em casa, faço a maioria das coisas antes do almoço, no bloco 3 da manhã.

      Meu marido e eu fazemos todo o restante no bloco 1 da noite.

      Lembre-se que a rotina não diz respeito ao horário, mas à sequência das atividades. Vale reler com esse princípio em mente e tentar ver como isso se encaixaria na sua rotina. 😉

  8. Thais, como você conseguiu implementar isso? Agora parece bem natural, mas no início, foi com alarmes, lembretes, etc… rsrsrsrs

  9. Amei a ideia de ter um período “fechado” para vc, fez muito sentido para mim e vou pensar em fazer isso com minhas manhãs. Por dois motivos: meu trabalho precisa de momentos de introspecção e muita energia criativa (que tenho mais na manhã msm) e eu msm sou meio instrospectiva, o contato com outras pessoas costuma demandar muita energia para mim e tirar a energia do trabalho.

    Obrigada por compartilhar – as notas esclareceram bem também! 😊

  10. Adorei o post e as explicações. Às vezes a gente não para pra pensar o que de fato é o tempo: é uma sequência de ações, e não um número no relógio. Quando fico perdida sem saber o que fazer, tento pegar um compromisso importante com data pra acontecer como referência e tento descobrir qual é a melhor sequência de ações que eu devo seguir para chegar até esse evento.
    Eu acho inspirador que as suas referências sejam as coisas que você considera mais importantes: sono e alimentação. Porque você escolheu assim.
    A gente faz um monte de coisas sem saber por que está fazendo…

  11. Ontem, li o post original (primeira versão). Achei que estava inspirador, fantástico e muito claro. Não percebo como surgiram tantas dúvidas. É óbvio que todos somos diferentes e temos estruturas de dias diferentes… é uma questão de adaptar o seu exemplo à nossa própria realidade. Foi o que eu fiz ontem quando acabei de ler o seu post. Comecei a aplicar de imediato os seus ensinamentos e já está a dar resultados. MUITO OBRIGADA, THAIS!

  12. Thais, ótimo post!
    Uma dúvida por gentileza: Quando perdemos a hora de acordar, por exemplo, você sugere: suprimir a atividade prevista para aquele bloco e fazer o que está planejado para o horário que acordou, ou seguir a sequência de ações previstas para o dia independente do atraso?
    – Ilustrando: Meu planejamento – entre 06 e 08 da manhã cuidar da casa. Se eu acordar as 8:00 da manhã esse bloco se perdeu, ai como alocar essas ações ao longo do dia me deixam perdidas..

  13. Olá Thais!
    Adorei o post!
    Vou tentar adaptar, incluindo a previsão de imprevistos, visto que no meu trabalho eles acontecem com frequência!

    Abraço!
    Ana

  14. Thaís, achei esse post. fantástico. Essa ideia dos blocos é maravilhosa, compreendi a sua proposta desde o primeiro post, sem as revisões. Estou usando há dois dias e já vi resultados. Tenho um trabalho agitado e os blocos me dão um direcionamento, um norte para a composição do meu dia. Os ajustes são pessoais, de acordo com a realidade de vida de cada pessoa, mas a concepção é a mesma.

  15. Maravilhosa explicação Thais! Tenho me organizado de forma parecida (principalmente na rotina do meu trabalho). Nunca cheguei a escrever e definir no papel, em blocos, O que eu faço é definir as atividades e tarefas principais da manhã, depois da tarde e da noite e a vida segue seu curso naturalmente haha! Tem funcionado bem! A questão da água, eu também tomo 1 litro por período (manhã/tarde/noite) deixo sempre minha garrafa perto de mim, isso me ajuda muito. Percebo que quando não bebo água minha concentração e meu poder de decisão mudam.

  16. Sem sombra de dúvidas um dos melhores post 😍.
    Abrange tudo e de maneira geral. Além de tirar a perfeição do que as pessoas acham que é organização.

    Parabéns mais uma vez Thais pelo ótimo trabalho e por mudar a vida de tanta gente, inclusive a minha.

    Um beijo 😘

  17. Eu te leio há anos e vivo tentando me organizar de uma maneira real e com os pés no chão, como você costuma aconselhar (mas você usa outras palavras… rsrs). Mas eu simplesmente me angustio mais, às vezes. Tenho a impressão de que não existe a mínima possibilidade de ter tempo livre ou tempo de qualidade com a família ou tempo de criação e desenvolvimento pessoal dentro da minha rotina. Juro que não é falta de tentar. É triste e desanimador. Trabalho o dia todo e não sou dona do meu próprio negócio. Meu trabalho não tem intervalos (sério, geralmente até o horário de almoço fica prejudicado), não é possível sequer fazer uma leitura rápida no meio do expediente. Gasto muito tempo com deslocamento, tempo este em que estou dirigindo e, portanto, aproveito, na melhor das hipóteses, para ouvir um podcast. Chego em casa e tenho as rotinas domésticas comuns. Também Tenho um filho de 8 anos que, obviamente, demanda minha atenção. Sou a única que dirige em casa e, portanto, preciso resolver demandas na rua também. O dia acaba e eu nem vejo. Durmo depois da meia noite, acordo antes das 6h. Leio só no fim de semana e olhe lá… Nossa… Desculpe esse comentário textão. Você provavelmente nem leia. É o comentário-desabafo de uma alma desesperada por ter uma vida melhor e mais produtiva.

    • Daniela compartilho a mesma angústia que vc. Vc relatou meu dia a dia tbm, com a diferença que tenho um bebê de 6 meses e uma filha adolescente. Estou em busca da tal qualidade de vida mas pareço estar tão longe. Não desistirei, mas as vezes fico desanimada. Achei legal a questão dos blocos mas toda vez que determino um horário para cada tarefa (ou bloco de tempo) o tempo acaba e eu não consegui concluir.

  18. Como sempre inspirador. Muito grata por sua dedicação e muito feliz também por ter acesso a este conteúdo!

  19. Thaís, estou no canal do Telegram e ouvi o áudio sobre esse post. Achei o máximo pq, ando praticando meu auto conhecimento e percebi que, em termos de concentração, funciono muito melhor de manhã e, aprendi a tirar esse tempo pra mim nesse horário (tb pq é o horário que as pequenas estão dormindo, rsrsrs). Antes eu queria fazer todas as tarefas domésticas de manhã e, no fim do dia, já era a concentração e a disposição pra ter meu tempinho.
    Adorei essa ideia de dividir os grandes blocos em menores. Seguindo uma rotina, percebo que venho ficando mais tranquila quando algo não sai como esperado ou tenho um compromisso fora, exatamente por ter essa estrutura “fixa”.
    Seus posts têm me feito refletir muito e por em prática uma rotina que visa meu bem estar e o da minha família!!! Obrigada!!! 💗

    • São coisas diferentes. Sim, são conciliados. A estrutura do dia traz as ações recorrentes, que se repetem todos os dias. os contextos dizem respeito ao conteúdo de cada uma das atividades… e servem apenas como referência, não como regra. 😉

  20. Ótimo texto, Thaís !
    Obrigada por compartilhar conosco um pouco da sua rotina.
    Hoje cedo fiz algo parecido com a minha rotina diária, inconscientemente ! Coloquei no papel e colei na parede do meu home office. Entendo que não é uma regra, pois cada dia é único, mas é uma referência para não ficar que nem “barata tonta” durante o dia todo.

  21. Agradeço muito o seu cuidado e dedicação em se empenhar para trazer tanto conteudo útil e muito mais que isso, certificar que a mensagem chegue bem compreendida pelos seus leitores…Voce é uma inspiração pra mim e tenho muita gratidão pelo seu trabalho!

  22. Sempre trabalhei fora e há 2 meses estou em casa, temporariamente, pois preciso retornar ao mercado de trabalho, mas voltando ao ponto, estou me sentindo uma barata tonta com tanto tempo extra, minha filha já tem 9 e não demanda muitos cuidados, ao mesmo tempo, é aquela máxima: quanto menos se faz, menos se quer fazer.. uma preguiça e tédio que detesto.. ela volta as aulas e eu tb, faço facul EAD, e me inspirei para montar uma rotina, pois sei que assim, terei foco e disposição para fazer as coisas que preciso e não ficar perdida como estou… acredito que para mim nesse momento será necessário utilizar horários, até que se torne um hábito.. estou errada? Obrigada por todo seu conteúdo, e preciso dizer que a instalação do GTD abriu muito a minha mente, e a esvaziou completamente! Me sinto muito mais leve!

  23. Thais, eu te acompanho a muitos anos e aprendi muito com você ao longo desse tempo, o que me tornou uma apaixonada por organização. Porém desde postou os blocos no instagram, me acendeu uma luz.
    Como se isso fosse a chave pra eu estruturar o meu dia, com coisas que já faço, os blocos veio no momento certo e essa semana vou testar, acabei de montar aqui e confiante que vai dar certo. Obrigada por dividir conosco! Bjs

    • Que maravilhoso, Valéria. Você sabe que gerenciar o dia a dia é a chave de todo o processo? É isso aí. Identificar seus contextos vai mudar completamente sua produtividade. Obrigada por comentar.

  24. Como a vida é engraçada…
    A primeira vez que vi tu abordar o assunto foi em uma postagem sua no instagram – e num primeiro momento eu não entendi o espirito da coisa. Pois como eu trabalho com horário Fixo (CLT) não conseguia ver a vida como “pequenos blocos de ações” como se fossem lego…
    E agora que li o texto ficou mais claro o propósito. Talvez role alguns testes aqui 😀

  25. Thais, gostaria de sugerir que vc escrevesse um texto sobre como desenvolver essa paciência de JÓ que vc tem pra responder perguntas ÓBVIAS de pessoas que, ou tem sérios problemas cognitivos, ou tem preguiça mental mesmo.

  26. Perfeito!
    Eu já trabalhava em blocos, por coincidência. Mas não vinham dando certo. Percebi que vim agindo de forma engessada.
    Estou louca pra experimentar e vai ser agora mesmo (o dia está acabando e ainda faltam alguns blocos. Então nem que seja os 15 minutos pra cada um!)
    Muito obrigada, como sempre Thais!

  27. Thais, fiquei pensando desde ontem. Queria saber se entendi certo algo. O importante é tentar (dentro do possível) manter os blocos, nem que seja 15 minutos por dia cada um, para manter a constância? É por isso que mesmo se só for possível 15 minutos, você ainda faz 15 minutos?

Deixar uma resposta

Por favor, insira seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui