Culinária ayurvédica e menu semanal no verão

45
2444

No final do ano passado eu me apaixonei e trouxe para casa um livro chamado “Culinária Ayurvédica para o seu dia a dia”, da Kate O’Donnell, e desde então ele tem sido o meu guia diário para preparar refeições e me alimentar de acordo com essa linha da medicina oriental. (leia mais sobre ayurveda aqui)

Nesse livro, a autora explica sobre a culinária do ponto de vista da ayurveda (medicina indiana) e traz receitas alinhadas com o ritmo de cada uma das estações. Eu já adoro essa questão das estações porque acredito que nós, como seres humanos, ficamos melhores quando nos conectamos com a natureza. O livro é incrível e recomendo fortemente para quem tem esse mesmo tipo de raciocínio. Ele é totalmente prático e traz receitas e boas práticas em termos de estilo de vida para cada estação.

Para o verão, ela diz que o corpo busca naturalmente evitar alimentos mais pesados e gordurosos, que são alimentos que, no frio, funcionam melhor para o corpo. No verão, queremos alimentos que mantenham o corpo leve e fresco. Segundo a autora: “as receitas de verão exploram o sabor amargo das verduras frescas para resfriar o sangue, a adstringência das frutas da estação para tonificar os tecidos e os alimentos levemente doces, como a erva-doce e o coco, para equilibrar o fogo no trato digestivo”.

Eu funciono muito bem com métodos e orientações assertivas, então o livro realmente tem sido uma “bíblia” da alimentação no dia a dia. Nem preciso dizer que qualquer mudança na sua alimentação deva ser acompanhada por um profissional da nutrição, certo? 😉

Eu achei que seria legal criar um post sobre isso porque o assunto influencia diretamente no planejamento do menu semanal aqui em casa. Como já comentei com vocês, quem costuma preparar as refeições aqui em casa é o meu marido. Estamos em um momento de transição, pois ele está se tornando vegetariano também, mas o filhote não. E ele (meu marido) não faz tanta questão da alimentação da ayurveda como eu, então a gente está se ajustando. Eu costumo preparar então as minhas refeições diariamente, e eles usam muitos alimentos que eu preparo, quando é do gosto deles; se não, meu marido prepara algo separado, o que faz ele perder menos tempo cozinhando do que antes. Foi bom para todos.

Voltando para a nossa estação. Segundo a autora do livro, existem alguns sinais que o corpo dá nessa época que acusam um desequilíbrio: indigestão ácida, inchaço, inflamação (e vermelhidão na pele) e irritabilidade. Tudo isso são sinais de uma alimentação desequilibrada. A solução trazida pela ayurveda é investir em alimentos que tragam esse equilíbrio de volta. No caso do verão, seriam os alimentos com sabores mais amargos, adstringentes e levemente doces.

Alimentos que valem a pena no verão:

  • vegetais amargos e adstringentes (abobrinha, brócolis, verduras no geral, aipo, vagem, raiz de erva-doce)
  • grãos neutros e leves (quinoa, cevada, arroz branco)
  • frutas neutras e doces (uvas, romãs, melões, limão, frutas de caroço)
  • proteínas leves e refrescantes (feijão mungo, tofu)
  • coco e todos os seus derivados: água, leite, carne e açúcar
  • especiarias e ervas refrescantes (sementes de erva-doce, coentro, cardamomo, hortelã, cúrcuma)

Alimentos cuja recomendação é tentar evitar nessa época:

  • alimentos picantes de maneira geral
  • café
  • vinagre
  • álcool
  • alimentos salgados
  • tomate cru
  • cebola crua
  • suco de laranja
  • alimentos que aquecem, tipo pimenta
  • frituras e alimentos oleosos de modo geral

As recomendações do que evitar são bem interessantes. Eu já vinha reduzindo o consumo de café, pois interfere muito no meu sono. Evitar alimentos picantes é muito difícil para mim, pois adoro uma pimenta! Mas faz sentido. Tomate a cebola fazem parte da nossa alimentação diária, então também é totalmente “fora da caixa” não consumi-los com tanta frequência. Suco de laranja também é aquele padrão do café-da-manhã, então são observações bem interessantes de se fazer e ver como o corpo reage.

Pelo que eu vi, o coco é a grande estrela da estação, e com ele consigo fazer as coisas mais facilmente, pois adoro água de coco, leite de coco, açúcar de coco e o coco puro mesmo. No meu menu, isso se reflete da seguinte maneira:

  • sempre tenho água de coco na geladeira
  • dos leites vegetais, priorizo o de coco (também acho que o de arroz pode ser legal nessa época)
  • procuro receitas com coco ralado (eu adoro!)
  • sempre que tenho a oportunidade, como a carne do coco (no mercado que frequento eles sempre têm o coco cortadinho pra vender)
  • uso o açúcar de coco em vez do demerara nos preparos diversos do dia a dia

Outros alimentos que ela recomenda nessa época também:

  • abóboras
  • alface
  • beterraba
  • ervas (salsa, coentro, tomilho, manjericão, hortelã, endro)
  • milho
  • pepino
  • ameixa
  • frutas vermelhas
  • maçã
  • melão
  • pêssego
  • tâmara
  • feijão branco
  • grão de bico
  • abacate

Eu optei por compartilhar apenas as opções vegetarianas por motivos óbvios. 😉 Mas no livro ela traz algumas recomendações que envolvem carnes e outros alimentos de origem animal, se você tiver interesse.

Uma vez por semana eu costumo planejar as refeições e então definir o que preciso comprar. Os lugares que frequento são: feiras de rua, Liberdade (bairro japonês em SP), lojas de produtos naturais e o supermercado do bairro, quando necessário (quase não tenho me alimentado com industrializados).

Só de ler as opções acima já me vêm várias ideias de comidinhas na cabeça. 🙂 Mas no livro ela traz receitas para seguir, para quem não souber o que preparar. De modo geral, meu dia a dia tem sido assim:

Café-da-manhã

  • tofu mexido, simulando um ovo mexido – basicamente, uso o tofu firme refogado em ghee vegetal, sal e açafrão (cúrcuma, na verdade)
  • sopinha – geralmente uso missoshiro como base e acrescento vegetais ou macarrão de arroz (se estiver com bastante fome)
  • um suco mais substancioso, como de beterraba
  • frutas (melão, morangos, pêssego etc.)
  • papinhas de aveia com alguma fruta (ex: pêssego)
  • leite de coco com açúcar de coco e quinoa (amo isso, fica uma delícia)

Almoço

  • arroz com vegetais – essa acaba sendo a refeição mais prática para mim: preparo o arroz e alguns vegetais no forno, como abobrinhas, e faço uma salada de pepino ou acelga para comer junto
  • “canja” sem frango – basicamente a mesma receita da canja, mas caprichando nos vegetais e no arroz
  • lentilha refogada – amo amo amo
  • algum macarrão com legumes

Aí funciona assim: se eu fiz arroz e vegetais, costumamos preparar alguma proteína animal para o Paul – um frango grelhado, por exemplo. Se for macarrão, mesma coisa. E assim vamos complementando as refeições dele.

Jantar

Eu costumo repetir o que fiz para o almoço ou preparo alguma sopinha.

Sempre tenho aquele Rap10 e massas leves para pizza em casa, porque também acho bem prático de fazer no dia a dia e às vezes dá vontade (amo pizza!).

Lanches

  • frutas, sempre
  • missoshiro com cebolinha (simples e prático)
  • chás
  • torradinhas com algum patê (hommus, patê de feijão branco, entre outros)
  • um lanchinho que adoro fazer quando estou com bastante fome é dar uma torradinha no pão sírio (ou Rap10), colocar hommus e pepino fresco – fica uma delícia!

Sempre tenho patês na geladeira (faço semanalmente). Hommus é o meu preferido.

Docinhos de maneira geral

Eu não sou muito fã de doces mas de vez em quando bate aquela vontade. Minhas opções são:

  • manga congelada (amo, vira um sorvetinho)
  • mousse de chocolate feito com leite e açúcar de coco
  • saladas de frutas
  • frutas, de modo geral

Quando fico fora o dia todo em compromissos diversos, sempre levo algumas frutas para ir beliscando. O segredo para comer bem fora de casa é sempre levar as comidinhas com você.

Eu pretendo ir postando aqui no blog as receitas que comento acima e em outros posts futuros como este. Você gostou desse tipo de post? Se sim, por favor, deixe um comentário com seu feedback, pois assim eu saberei se vale a pena continuar fazendo. Eu AMO esse assunto. <3

45 comentários

  1. eu AMEI esse post, me deu vontade de sair para cozinhar AGORA. fale mais sobre essa culinária e sobre suas receitas.
    quanto tempo vc costuma levar cozinhando? vc faz tudo de uma vez (arroz, pates, higienização das saladas e frutas, vegetais)?

    bj

    • Oi joyce! Olha, depende muito. Tem receitas que são mais rápidas que outras. Eu gosto de cozinhar todos os dias, mas nem sempre consigo, dependendo dos meus compromissos. Aí, quando cozinho, acabo fazendo todos os preparos que conseguir. Ontem fiz o jantar e tive vontade de preparar uma torta, então fiz também. rs Mas tem dias que faço algo mais rápido mesmo. Depende muito.

  2. Ótimo post! Me ajudou muito com algumas ideias. Obrigada 🙂 Curiosidade: enquanto vegana, o que você coloca no lugar do queijo nas pizzas que prepara? Ou não coloca nada? rs Estou com uma questão série em relação ao leite e derivados… e meu maior problema de adaptação é o queijo :/

    • Fatias de abobrinha refogada ficam uma delícia. Quando faço lasanha, coloco camadas de abobrinha assim e também um pouco de molho branco feito com castanhas.
      Existem queijos vegetais à venda, mas acho meio carinhos. O único barato que eu comprava era um mandioqueijo vendido numa feirinha com produtos veg, mas a moça saiu da cidade. Recomendo que procures alguma produção caseira de mandioqueijo onde moras, ou também procurar receitas. Ainda quero aprender a fazer queijo veg direitinho 🙂
      P.S.: Aqui em Floripa tem uma pizzaria maravilhosa que faz pizzas comuns e pizzas veg, e eles usam muitos tipos de queijo veg: parmesão, provolone, cheddar, catupiry, etc. Tô pra perguntar pra eles de qual marca é. Qualquer coisa deixo a indicação depois aqui também!

    • Daniela, existem algumas opções para substituir os queijos. Cheguei a fazer um curso de queijos veganos ano passado. Mas, sinceramente, de modo geral eu prefiro fazer com ingredientes naturais – gosto de chamar de “pizza da horta”. rs Achei que sentiria falta do queijo mas na real nem sinto.

    • Daniela, no YT tem um canal chamado Viewganas. Tá meio desatualizado, mas já vi receita de queijo vegano. Espero que dê certo!

  3. Amei as dicas!
    Thais, você já provou o macarrão de “farinha de grão de bico”? É maravilhosooo e sinto tudo a ver com o verão!
    Estou fazendo e levando de marmita… acrescendo cenoura e abobrinha e molho pesto com bastante nozes.

  4. Amei o post. Quero reduzir o meu consumo de carne. Já fiz uma receita que você publicou, o estrogonofe vegano, estava uma delícia!

  5. Oi, Thaís! Já te acompanho há mais de um ano, mas agora que estou decidida a instalar o GTD na minha rotina. Estou estudando os vídeos de instalação que tem lançado neste início de ano. Tenho muita dificuldade com montagem de cardápios e ler a experiência de outras pessoas sempre me ajuda com insights de como adaptar para minha realidade. Grata por compartilhar! 😉

  6. Oiee 🙂
    Tudo o que posta eu leio hehehe, quando estou atrasada nas leituras faço uma maratona!!!
    Beijocas 😘

  7. Oi Thais. No verão aproveito para fazer saladas com aquele arroz raris de 7 grãos e legumes e, mesmo de macarrão e legumes. Nada muito sofisticado: tomate, azeitona (recomendação médica de colesterol bom) alcaparra, as vezes pimentao cortado bem pequeno, as vezes cenoura crua ralada, um queijo branco, nada que solte muita água, tipo pepino. Funciona bem para o jantar, para levar para a marmita de almoço.

    • Nossa, eu amo também, obrigada por compartilhar! Depois da cirurgia bariátrica qualquer grão integral é super indigesto para mim, mas certamente é o melhor para a maioria das pessoas.

  8. Muito legal o post, Thaís! Gostei muito de saber quais os alimentos mais adequados para a estação. Poderia continuar sim com esse tipo de post.

  9. Amei o conteúdo, tenho intolerância a lactose, passo muito mal com leite de vaca e derivados, como se fosse uma intoxicação alimentar (enzimas e “zero lactose” não resolvem), por este motivo não consumo leite de vaca e derivados, desde então tenho muita dificuldade em adaptar a alimentação, confesso que tenho preguiça de preparar leites vegetais e os industrializados são caros na minha região, substituo por água em algumas receitas, leite de coco e para beber sucos e chás. Gosto muito de pão, torradas (sinto que me dão sustância para as refeições), mas tenho dificuldade de encontrar um substituto para margarina e manteiga. Esta parte de organizar a alimentação é uma das partes mais difíceis na minha vida, já comecei muitas vezes, mas não consigo prosseguir com os planos e acabo “jacando”, comendo gordura e alimentos não tão saudáveis pela praticidade. Muito obrigada por todo conteúdo do blog e youtube. Um grande abraço.

  10. Oi Thaís , amei o post! Estou em transição para o vegetarianismo e adoro ver suas sugestões de pratos veganos 😉
    Curto muito a culinária ayurvédica, mas ainda não a aplico na maneira como gostaria em minha vida, mas aqui seguimos o lema de feito é melhor que o perfeito não feito heheheh

  11. Thais, simplesmente adoro esse assunto e as dicas para uma alimentação mais saudável e livre de produtos lácteos. Obrigada

  12. Thaís, em primeiro lugar muito obrigada por compartilhar isso conosco! Em segundo, pergunto: há algo nesse livro que fale sobre lugares onde praticamente não há diferença entre as estações? Aqui no Norte, por exemplo, o que muda de uma época para outra é o volume de chuvas, mas é sempre quente. Será que se deve manter o mesmo cardápio?

  13. Que texto delícia Thais!

    Muito interessante esta visão de alimentos mais favoráveis à estação do ano. Por favor, continue a postar “comidinhas”!!!! Ajuda muito e nos faz repensar os hábitos.
    Vou deixar o link de uma receita de mousse vegano delicioso, espero que curta.

    https://youtu.be/–kHYsTqxMw

  14. Eu queria muito me tornar vegetariana mas eu tenho a sindrome do intestino irritável e preciso controlar muito a quantidade de leguminosas e vegetais que fermentam e daí não consigo obter a proteína necessária.. enfim, adorei o post pq de qualquer forma me incentiva a fazer comidinhas saudáveis que eu tbm amo e me fazem bem.

    • O Felipe Neto tem isso também. Talvez valha a pena acompanhar a transição dele no Twitter (se você tiver Twitetr). E, claro, um acompanhamento de perto com a nutri e o endocrino.

  15. Acho interessante, mas não conseguiria seguir, minhas lombriga Emengarda manda em mim…
    Já leu aquele livro Clean do Alejandro Junger? Achei bem interessante.
    Não conseguiria virar vegana também, não apenas curto carne, leite e ovos, mas, por problemas de saúde, meu organismo necessita de cerca de 3x mais proteína e é bem complicado conseguir sem proteína animal.
    Já experimentou kombucha? E Kefir? Dá para fazer no leite de coco.

  16. Adorei Thais…estou estudando Ayurveda por sua causa, mas a alimentação que me faz sentir melhor é a lowcarb. Sempre que escorrego fora dela me sinto muito mal. Quero aprender sobre a culinária Ayurvedica para ver como conciliar . Pelo que você já estudou acha possível?
    Vou atrás desse livro…tbem por causa dos cardápios ( como você, adoro métodos, 😁) Será que tem ebook? Gratidão sempre!!!

  17. Amei o post, Thais! Você poderia no futuro compartilhar sua receita/modo de preparo de missoshiro?? Queria muito incorporar no meu cardápio (pois amo!!!) mas só acho receitas meio complicadas… Obrigada!

Deixar uma resposta

Por favor, insira seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui