Categoria(s) do post: Anual

Eu venho, há alguns anos, definindo um lema para cada ano. A ideia é ter um princípio que me norteie ao longo dos meses e que parece fazer sentido de acordo com o momento de vida que eu estou vivendo, mas também diz aquilo que eu quero para mim no ano corrente.

Confira os lemas para: 2018, 2019 e 2020.

Vejo o lema como um princípio que deva me guiar ao longo do ano. Nos anos anteriores, ter esse lema era como se eu tivesse escrito um recado para a Thais do futuro, sabendo que ela passaria por situações desafiadoras, e o lema serviria inclusive como parâmetro de decisão.

Quando começa a chegar ali por volta de setembro ou outubro eu já começo a desenvolver essa percepção de pensar: qual será meu lema para o ano que vem? Então isso fica na minha mente. Mesmo quando eu acho que não terei nenhuma ideia, de repente o lema simplesmente vem na minha cabeça, e este ano aconteceu desse jeito de novo.

Meu lema para 2021 será: cresça com responsabilidade.

De 2014 a 2019 eu investi toda a minha energia em um modelo de negócios que acabou não resultando no que eu esperava. Aprendi demais com toda essa trajetória e ela também me ensinou sobre o que eu queria ter.

O Vida Organizada cresceu muito em 2020. Esse crescimento estava represado desde 2014, quando comecei a trabalhar com organização e produtividade. Eu apenas não focava nisso na época porque estava investindo todo o meu tempo, dinheiro e energia em outra coisa. Após uma série de acontecimentos e muitas reflexões, eu decidi entrar em 2020 atuando apenas online (antes mesmo de saber que teríamos uma pandemia) e meu lema foi “confiar mais no meu próprio trabalho”. Esse lema foi acertadíssimo e foi o que manteve sã em períodos bastante difíceis, especialmente no primeiro semestre.

Confiar em tudo o que eu estava construindo foi fundamental e virou o jogo para mim. Não tive um dia sequer em que achasse meu trabalho chato ou desmotivador. Pelo contrário. Desafiador diariamente, me motivando a estudar, ajudar as pessoas. Todos os dias é assim. E, com o crescimento dele, foi natural trazer outras pessoas para trabalharem comigo. No entanto, por alguns motivos, isso me causa certa ansiedade, que estou cuidando.

  1. É bastante paradoxal você ser marxista e empresária. Pode parecer uma bobagem para a maioria das pessoas, mas isso sempre pegou demais para mim. No entanto, sei que vivemos em um sistema totalizante e estrutural, que é o capitalismo, e que todos nós temos que seguir a sua normativa de sociedade. Mas a preocupação com a exploração do trabalho sempre será um ponto delicado para mim e que eu diariamente busco amenizar ou fazer o melhor possível para viver.
  2. Já precisei contratar e demitir pessoas e foi uma das coisas mais difíceis que já fiz. Portanto, tudo precisa ser feito com o triplo da responsabilidade e sempre muita clareza com todos os envolvidos.
  3. Experiências traumatizantes nos últimos anos me deixaram marcas sobre como não gerir processos envolvendo pessoas e eu tomo um cuidado muito maior para nunca chegar perto desse modelo para não ser injusta com ninguém.

Além do aspecto principal, que são as pessoas, tem o aspecto financeiro. O maior propósito de cuidar das minhas finanças é poder garantir que eu possa executar esse trabalho para sempre. Ponto. Eu não me importo com bens materiais, eu não faço questão de ter gadgets ou carros novos, nem em consumir. Mas eu me preocupo com a saúde financeira da empresa, que depende de investimentos, além do corte de custos, para crescer. Eu preciso ter o sustento da nossa família para ficar com a mente boa. Etc. Então todos os passos precisam ser dados com muita responsabilidade, especialmente porque o faturamento de uma empresa é o dinheiro suado que outra pessoa recebeu por seu trabalho e está confiando a você.

Se for para o Vida Organizada crescer, e eu acredito nesse crescimento, ele precisa ser feito com responsabilidade, então por isso esse será o meu lema para 2021. Ter isso como lema do meu ano novo será simplesmente um lembrete claro e importante do que estou vivendo agora, pois é nos momentos mais escuros que a gente precisa acender a luz, e o lema se propõe a ser essa luz. 😉

Deixe seu comentário

17 comentários

  1. Camila comentou:

    Excelente reflexão, Thais. Que eu possa aplaudir de perto, como fã do seu trabalho, teu lema virar uma super conquista.
    Um abraço e obrigada por todo conteúdo compartilhado, que foi e ainda é, um divisor de águas em minha vida.

  2. Ruth comentou:

    Desejo muito sucesso na sua trajetória. E que venha o doutorado.
    Você certamente está inovando socialmente dentro desse capitalismo selvagem que vivemos, inclusive impactando a vida de muitas mulheres. Um abraço.

  3. Thaís, me identifico imensamente com os seus dilemas como empresária, mas sendo contrária à exploração de outras pessoas. Você é admirável, e gostaria muito de ter mais assuntos com esse recorte ditos por pessoas como você, que têm essa consciência social.

    Não consigo me identificar com muitos influenciadores que têm o “mindset” da riqueza, mas que embora até devam remunerar e tratar bem os funcionários, têm uma visão muito alinhada com exploração e manutenção das coisas como são.

    Então ter uma referência como você, que busca ter um bom caminho profissional, mas também tem outras preocupações, me seria de imenso valor!

    Beijos e abraços.

  4. Luana Kessia comentou:

    Thais, te acompanho desde 2014 e sempre indiquei pra todo mundo!! Fiquei muito feliz em acompanhar esse crescimento do VO em 2020 especialmente porque você é a blogueira/influenciadora digital/produtora de conteúdo mais responsável e empática que acompanho. Sempre preocupada com o próximo mesmo que não seja sua realidade, acolhendo e guiando as pessoas, com um domínio gigante do conteúdo que se propõe a ensinar e sem deslumbramento ou antipatia. O lema que escolheu pro próximo ano só confirma isso e aumenta minha admiração pelo seu trabalho maravilhoso. Feliz 2021 pra vc e pro VO!

  5. Cinthia comentou:

    Olá Thaís querida, te sigo há 9 anos e gosto muito de acompanhar seu trabalho. Essa questão de capitalismo x socialismo sempre me pegou muito… Realmente acredito que precisamos encontrar uma outra via, pq me incomoda muito estudar sobre finanças e ficar imaginando o impacto na vida das pessoas, da natureza… Manipular a força de trabalho para benefício próprio é algo triste de se ver, mas isso acontece até no serviço público (onde me encaixo atualmente), e nem é pelo “capital”, é por puro ego e poder mesmo. Então, venho acompanhando há mais de ano também os blogs: Viagem Lenta e Viver sem Pressa. Num momento em que não aguentava mais meu trabalho, descobri esses blogs, que falam sobre liberdade financeira. Hoje em dia, já me vejo trabalhando até o fim dos meus dias, por amor mesmo a fazer algo de útil ao próximo. Mas o gosto pelo pensamento dos dois autores mudou muita coisa em mim. Sobre respeito ao dinheiro, zelo, frugalidade, amor ao que realmente importa (o tempo, as crias, o servir ao próximo, independente de ter um trabalho remunerado ou não). O André do Viagem Lenta me trouxe umas visões sobre a possibilidade do trabalho voluntário, me tirou muitos preconceitos sobre o mundo do dinheiro… Ele também gosta de ler, assim como vc, e faz uns textos filosóficos maravilhosos. A Yuca é mãe de duas meninas e trás reflexões sobre o dia a dia, das mais belas no Viver sem Pressa. Enfim, são pessoas que me trazem uma visão do equilíbrio, que é algo que eu tanto quero em minha vida. Bjs!

    1. Ekatherinah - Kath - comentou:

      Obrigada por compartilhar essas indicações! Eu ainda não estou focando no aspecto financeiro, mas já sinto certos dilemas em relação a isso mesmo não querendo ser empresária. Ter referências saudáveis será de grande preciosidade <3

  6. Élide Mendes comentou:

    Meu lema para 2021 será “Viver bem”. Obrigada Thaís <3

  7. Natasha Campaci comentou:

    Eu simplesmente amo suas reflexões! Muito obrigada!

  8. Olá Thaís! Te acompanho há vários anos, já fiz cursos com você e gosto bastante do conteúdo sobre GTD e organização. Inclusive alcancei o feito recentemente de ter sido a vereadora mais votada de Curitiba e as reflexões que tive devido ao estudo do GTD, de horizonte de foco, missão, metas de vida, foram responsáveis por isso, assim como os hábitos de organização. E eu conheci o GTD através de você. E os seus textos e reflexões me ajudam bastante. Mas confesso que vejo algumas distorções quando você fala que é marxista, se preocupa com a exploração do trabalho e diz que não é consumista. Sua empresa e seu trabalho ajudam milhares de pessoas, e se você empregar pessoas e fazer sua empresa crescer, você poderá ajudar muito mais gente e você não estará explorando pessoas, pelo contrário, você estará gerando riqueza e gerando empregos, isso é bom. E ganhando dinheiro você poderá alimentar seus hábitos de consumo, que são muitos livros, objetos de organização e itens de tecnologia que te ajudam na organização. E também não há nada de ruim nisso. Desculpe, pela intromissão, eu acho um saco quando as pessoas vem no meu perfil me criticar… Mas justamente pela consideração que tenho por você achei melhor comentar do que simplesmente parar de seguir e acompanhar seu trabalho… Enfim, bom final de ano e obrigada por ajudar muita gente através do seu trabalho!

    1. Juliana Toledo comentou:

      Concordo plenamente com você, Indiara! Eu ia fazer um comentário justamente sobre isso: que ela está ajudando pessoas, gerando empregos, riquezas, contribuindo com o mundo e isso é maravilhoso. Tranquilize seu coração, Thais. Seu trabalho e suas crenças não são paradoxais entre si de forma alguma.

  9. Ekatherinah - Kath - comentou:

    Obrigada por compartilhar, Thais. Confesso que chorei lendo, porque me senti muito abraçada por essa reflexão. Mesmo não pretendendo ser empresária, acredito que nas minhas pequenas ações como consumidora e, mais a frente, como alguém experiente ensinando aos mais novos, posso aplicar essas reflexões.

  10. Nossa, Thaís!! Ler essa reflexão sobre ser empresária e marxista foi muito importante pra mim. Viver em um sistema capitalista e ter noção disso nos coloca de cara com contradições o tempo todo. E é muito difícil lidar com essas contradições enquanto pessoas que buscam coerência – na vida e cotidianamente.
    Escrevo pra dizer que você não está sozinha. E pra dizer que eu me senti abraçada por essa reflexão – que diminuiu um pouco também a minha própria sensação de solidão.

    Comecei a pensar sobre lema do ano a partir dos seus textos, em 2018. E tenho percebido que não escrevo lemas, mas escolho palavras que guiam o meu ano. 2018 foi o ano da lanterna, 2019 foi o ano do mergulho. 2020 era pra ter sido o ano do nado, mas acho que foi ano de atropelo heheh E a palavra de 2021 é CONEXÃO!

    O seu trabalho é muito inspirador. Espero que em 2021 tanto você quanto o vida organizada cresçam, enraízem e floresçam!

  11. Rejane comentou:

    Oi Thais! Feliz Ano Novo!!

    Meu lema pra 2021 vai ser inspirada em algo que você sempre fala nos vídeos ” se preocupe com o que pode controlar” 2020 foi um ano e muita ansiedade, principalmente por causa da pandemia e por problemas pessoais, então escolhi essa frase pra sempre lembrar durante 2021 e diminuir um pouco a ansiedade.

    Abraços!

  12. Samdro Silva Araujo comentou:

    Olá Thaís… Feliz 2021! Compartilho seu paradoxo no item 1, enquanto profissional e marxista. Acompanho você já algum tempo e tem surtido grande efeito em minha organização pessoal profissional. Depois de muito refletir, decidi que meu lema para 2021 será “Equilíbrio” em todos os campos da vida…

  13. Dani Mores comentou:

    Eu venho com essa ideia de lema para o ano desde 2011, sendo que pulei uns dois anos. E isso geralmente é bem norteador, me ajuda a tomar decisões e ser mais focada e concentrada no que importa de verdade para mim naquele período. Adorei as suas reflexões. Já assisto alguns vídeos seus há um tempo, mas acho que eu estou gostando mais de ler o blog. 😁