Categoria(s) do post: Anual

Eu venho, há alguns anos, definindo um lema para cada ano. A ideia é ter um princípio que me norteie ao longo dos meses e que parece fazer sentido de acordo com o momento de vida que eu estou vivendo, mas também diz aquilo que eu quero para mim no ano corrente.

Confira os lemas para: 2018, 2019 e 2020.

Vejo o lema como um princípio que deva me guiar ao longo do ano. Nos anos anteriores, ter esse lema era como se eu tivesse escrito um recado para a Thais do futuro, sabendo que ela passaria por situações desafiadoras, e o lema serviria inclusive como parâmetro de decisão.

Quando começa a chegar ali por volta de setembro ou outubro eu já começo a desenvolver essa percepção de pensar: qual será meu lema para o ano que vem? Então isso fica na minha mente. Mesmo quando eu acho que não terei nenhuma ideia, de repente o lema simplesmente vem na minha cabeça, e este ano aconteceu desse jeito de novo.

Meu lema para 2021 será: cresça com responsabilidade.

De 2014 a 2019 eu investi toda a minha energia em um modelo de negócios que acabou não resultando no que eu esperava. Aprendi demais com toda essa trajetória e ela também me ensinou sobre o que eu queria ter.

O Vida Organizada cresceu muito em 2020. Esse crescimento estava represado desde 2014, quando comecei a trabalhar com organização e produtividade. Eu apenas não focava nisso na época porque estava investindo todo o meu tempo, dinheiro e energia em outra coisa. Após uma série de acontecimentos e muitas reflexões, eu decidi entrar em 2020 atuando apenas online (antes mesmo de saber que teríamos uma pandemia) e meu lema foi “confiar mais no meu próprio trabalho”. Esse lema foi acertadíssimo e foi o que manteve sã em períodos bastante difíceis, especialmente no primeiro semestre.

Confiar em tudo o que eu estava construindo foi fundamental e virou o jogo para mim. Não tive um dia sequer em que achasse meu trabalho chato ou desmotivador. Pelo contrário. Desafiador diariamente, me motivando a estudar, ajudar as pessoas. Todos os dias é assim. E, com o crescimento dele, foi natural trazer outras pessoas para trabalharem comigo. No entanto, por alguns motivos, isso me causa certa ansiedade, que estou cuidando.

  1. É bastante paradoxal você ser marxista e empresária. Pode parecer uma bobagem para a maioria das pessoas, mas isso sempre pegou demais para mim. No entanto, sei que vivemos em um sistema totalizante e estrutural, que é o capitalismo, e que todos nós temos que seguir a sua normativa de sociedade. Mas a preocupação com a exploração do trabalho sempre será um ponto delicado para mim e que eu diariamente busco amenizar ou fazer o melhor possível para viver.
  2. Já precisei contratar e demitir pessoas e foi uma das coisas mais difíceis que já fiz. Portanto, tudo precisa ser feito com o triplo da responsabilidade e sempre muita clareza com todos os envolvidos.
  3. Experiências traumatizantes nos últimos anos me deixaram marcas sobre como não gerir processos envolvendo pessoas e eu tomo um cuidado muito maior para nunca chegar perto desse modelo para não ser injusta com ninguém.

Além do aspecto principal, que são as pessoas, tem o aspecto financeiro. O maior propósito de cuidar das minhas finanças é poder garantir que eu possa executar esse trabalho para sempre. Ponto. Eu não me importo com bens materiais, eu não faço questão de ter gadgets ou carros novos, nem em consumir. Mas eu me preocupo com a saúde financeira da empresa, que depende de investimentos, além do corte de custos, para crescer. Eu preciso ter o sustento da nossa família para ficar com a mente boa. Etc. Então todos os passos precisam ser dados com muita responsabilidade, especialmente porque o faturamento de uma empresa é o dinheiro suado que outra pessoa recebeu por seu trabalho e está confiando a você.

Se for para o Vida Organizada crescer, e eu acredito nesse crescimento, ele precisa ser feito com responsabilidade, então por isso esse será o meu lema para 2021. Ter isso como lema do meu ano novo será simplesmente um lembrete claro e importante do que estou vivendo agora, pois é nos momentos mais escuros que a gente precisa acender a luz, e o lema se propõe a ser essa luz. 😉