Categoria(s) do post: Finanças, Vida Organizada, Vida

Todas as áreas da nossa vida são importantes – por isso faço mensalmente uma análise e revisão delas para buscar sempre o equilíbrio. No entanto, definir uma área para focar meus recursos pessoais no ano novo tem sido uma prática útil nos últimos anos. Por exemplo, para 2020 foi espiritualidade. Tendo essa área como foco, isso me permitiu escolher cursos nessa área, focar nas práticas diárias, leituras e muito mais.

Para 2021, minha área de foco será finanças porque, ao fazer essa análise de todas as áreas no momento, eu acredito que focar nessa área me permita impactar todas as outras de maneira significativa, além de me deixar mais tranquila com relação ao foco alocado.

Eu fiz um desenho então do meu planejamento de longo, médio e curto prazo para finanças, para iniciar essa reflexão.

Longo prazo

Para mim, o objetivo de longo prazo mais importante com relação a finanças é alcançar minha independência financeira. Independência financeira significa, para mim, ter dinheiro guardado para conseguir parar de depender do meu trabalho para viver, caso eu precise parar devido a uma condição física ou qualquer outra circunstância. Eu amo o meu trabalho e quero fazer o que faço até o último dia da minha vida, mas esse planejamento existe justamente porque não sei o dia de amanhã e do que posso precisar. Sei que existem “n” questões quando se fala em “acumulação de capital”, mas saber que estou guardando para a velhice me deixa mais segura e tranquila com relação à minha família. Esse é o maior objetivo de longo prazo, então.

Ah, vale dizer que eu tenho um valor ($$$) em mente, que vou recalcular este ano (já que essa será a área de foco), para ver se ele está realmente factível, pois tendo esse valor como meta fica mais prático planejar os investimentos e quanto pretendo guardar mês a mês.

Médio prazo

Aqui corresponde ao período de três a 10 anos na minha vida, adiante. Nós conversamos aqui em casa juntos sobre os nossos planos e a conclusão a que chegamos é que a prioridade é guardarmos dinheiro para a velhice e prestarmos assistência aos nossos familiares se eles precisarem.

No entanto, se as condições permitirem, se alcançarmos um valor X que estabelecemos entre nós, vamos considerar mudar de casa. Veja: moramos em nossa casa própria, mas ela tem algumas questões. É estreita, fechada demais, não tem uma área verde (mesmo que pequena), e tudo isso são fatores que influenciam na nossa qualidade de vida diária.

Eu não tenho a vontade ou a pretensão de morar em uma casa enorme, mas com tamanho suficiente para nós, que atenda alguns requisitos, digamos assim. Queria uma área verde, que fosse um jardim, mas ainda melhor um quintal com árvore, sabe? Que seja um limoeiro. Mas um espaço aberto. Eu abri mão do meu “sonho” de morar no interior ou na região serrana do litoral para ficarmos na cidade, então morar em um espaço que traga um pouco disso me faria bastante feliz. Mas não é algo que, se não fizermos, me tornará menos feliz. Estou satisfeita e tranquila com a nossa condição atual.

Em médio prazo, então, temos essa ideia de uma nova casa ou, pelo menos, um valor definido para investimentos, visando o objetivo de longo prazo citado anteriormente. Eu também coloco aqui o faturamento da minha empresa que acredito que leva de três a cinco anos para alcançar, levando em conta as minhas projeções.

Penso que seja natural que todos os objetivos girem em torno do montante a ser guardado porque, tendo o dinheiro, as escolhas serão feitas apropriadamente quando chegar a hora.

Curto prazo

Pensando de hoje até dois anos, quero ter todos os investimentos rodando muito bem e ter um valor X guardado. É um valor que considero factível com a situação atual e que também conversa bem com o valor do médio prazo. Claro que sempre posso aumentar se as condições mudarem. Todo planejamento sempre pode ser reajustado.

Também entra aqui a ideia que tenho de faturamento da empresa para os próximos dois anos, que vai permitir não apenas o desenvolvimento pessoal e da minha família como também da equipe que trabalha comigo.

Planejamento anual

Com base nas reflexões acima, consigo chegar a um recorte do que pretendo fazer com relação a essa área em 2021:

  • Ler meus livros sobre finanças, pois o conhecimento é uma das coisas que mais fazem diferença;
  • Reorganizar ainda mais nosso estilo de vida e custos diários;
  • Participarei de um Mastermind importante em 2021, que tenho certeza que me ajudará a crescer como profissional e a aumentar o faturamento da minha empresa;
  • Pretendo reajustar meus investimentos atuais;
  • Pretendo fazer uma consultoria financeira com um amigo meu que já está me apoiando nessa área;
  • Pretendo reorganizar essa área como um todo na minha vida, aparando arestas e resolvendo pendências.

Espero que o compartilhamento dessas ideias seja útil para você.

Pretendo, ao longo dos próximos meses, compartilhar o que venho fazendo.

Se tiver alguma dúvida, deixe um comentário. Obrigada.