Planejamentos

Quando a gente gosta de planejar mas acaba não executando muito

Como comentei em alguns posts anteriores, eu fiz uma pesquisa com os inscritos no Instagram do Vida Organizada, perguntando os temas mais urgentes neste momento que estamos vivendo da pandemia. Meu propósito é sempre o de servir vocês. Trazer, através da minha experiência e do meu conhecimento em produtividade, soluções, ideias e insights para que você possa viver uma rotina mais tranquila em todos os momentos e sob quaisquer circunstâncias, sempre focando na personalização às suas necessidades.

Uma questão colocada por muitas pessoas, e eu achei que seria legal abordar aqui, é essa condição de ser uma pessoa que gosta de planejar mas que percebe que está executando pouco, ou não tanto quanto gostaria – ou precisa.

Vamos começar vendo o lado bom: você gosta de planejar! Muitas pessoas não gostam, não se planejam, e esse é um problema. Gostar de planejar não é um problema. “Não executar” pode se tornar, na verdade, não um problema, mas uma condição que você precisa avaliar:

  1. A próxima ação do seu planejamento está clara o suficiente? Você sabe o que precisa fazer?
  2. Uma vez que ela esteja esclarecida, está organizada no lugar certo? Ou seja, aparece na sua agenda ou na sua lista de afazeres nos momentos mais apropriados para você, de modo que você se lembre de executar aquela ação?
  3. Você tem o hábito de olhar sua agenda e suas listas diariamente? Você mantém essas listas atualizadas?

Caso o problema seja com procrastinação, tente essas três técnicas simples:

  • Descubra o propósito da ação ou do projeto como um todo. Entender por que a ação é importante pode te ajudar em termos de motivação para fazê-la.
  • Use a Técnica Pomodoro. Acerte 25 minutos no timer do seu celular e trabalhe focada/o na atividade até o timer tocar. Quando ele tocar, você define se continua (e faz mais um Pomodoro) ou se para e faz outra coisa, retornando a ela depois. Muitas vezes, você conclui a ação em um único Pomodoro. O problema era realmente começar. rs
  • Quebre a ação em ações menores, passos muito simples mesmo, para facilitar a execução e te motivar à medida que você vai riscando ou tickando as tarefas.

Lembre-se: planejar não é algo ruim! É ótimo! Se você não está executando, no entanto, as orientações acima são assertivas para te ajudar. Teste e me conte depois se funcionou, se quiser. 😉

Você também pode gostar...

Posts mais acessados

7 Comments

  1. Oi Thais, obrigado pelo post. Acertivo, como sempre =)
    Complementando um pouco (olha a audacia…) percebo que para mim, pessoalmente, uso mais tempo planejando do que executando quando estrou trocando alguma ferramenta do sistema. Nessa fase de adaptacao acabo usando um tempo trocando e re-trocando nomes de categorias, cores para ajudar na visualizacao, divisoes e sub-divisoes, enfim. Mas uma vez com o sistema mais firme, depois de alguns dias, volto ao “estado de cruzeiro” e comeco a executar com mais eficiencia de novo.
    E um outro ponto para mim e’ quando tenho mais de um projeto grande que ainda nao esta’ claro. Enquanto fico tentando esclarecer eles ou colher informacoes e organiza-las, sinto que o sistema todo sofre um pouco e nao executo tanto quanto normalmente. Mas, novamente, a briga e’ por voltar ao estado de cruzeiro uma vez que tudo esta’ esclarecido e organizado novamente, certo?

  2. Outra coisa interessante de ver é que quando a gente procrastina alguma coisa pode ser que, no fundo, a gente não queria aquilo. Por exemplo, planejamos algo baseado na expectativa dos outros ou nos sonhos dos outros, e a gente mesmo nem queria. É como a Thais falou em uma live sobre analisar o que não fazemos. O que não realizamos pode dizer muito sobre o que realmente queremos ou não. “Larga o chicotinho e pega a lupa”, diria a psicóloga Cecília Dassi, hehehe.

  3. Gratidão Thais!!! Estava precisando.

  4. Vou fazer o Pomodoro de novo pra ver se entro no ritmo.
    O q me acontece é que eu “me perco” nas execuções! Mas identifiquei que na verdade qdo me enrolo é porque não entendi a tarefa em si! Tem dessas tbm…Daí fico me enrolando tentando entender e não finalizo ou concretizo…

  5. Esse texto podia ter o meu nome hehe. Sinto que acabo não executando porque planejo MUITO. Quero resolver o mundo em uma semana (já que não estou executando faz tempo). E aí a empolgação passa e não quero nem olhar a lista, porque vou ver tudo que deixei de fazer. Faz sentido? 🙂

    1. ANA PAULA MAGRI says:

      pra mim faz, porque também me sinto assim …

  6. Dominique says:

    Thais, meu problema é exatamente o que vc citou nos itens 1, 2 e 3. Tem alguma dica para melhorar isso? Estou com bastante dificuldade em personalizar o sistema de acordo com as minhas necessidades, então as próximas ações nunca estão organizadas nos lugares certos. Isso também resulta em procrastinar o hábito de olhar as listas diariamente, o que faz com que meu sistema não seja confiável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *