Rotinas

Não compare a sua rotina com a rotina de outra pessoa

Há alguns anos eu percebi que comparar a minha vida, os meus resultados, com os resultados de outra pessoa, só me trazia frustração. Foi quando eu entendi que eu deveria comparar – se é que fosse para fazer alguma comparação – apenas comigo mesma em alguma versão anterior.

Mesmo comparar-me comigo mesma pode ser difícil, porque a pessoa que sou hoje não é mais a pessoa que fui ontem. Eu vivenciei coisas, vivi muitas situações, aprendi, e hoje sei e sinto de maneira diferente. Logo, esta Thais não teria sido a mesma de algum tempo atrás, pois não tenho como me teletransportar no tempo, com as condições que tenho hoje.

Esta semana, estava assistindo uma das aulas do meu curso de formação em Ayurveda, e a professora estava tirando dúvidas sobre a rotina diária (dinacharya). E ela disse que o grande propósito da rotina deve ser sempre a de construir um dia feliz para aquela pessoa nova que está acordando. Existem algumas boas práticas para o seu dia ser feliz – e essa é a proposta do Ayurveda, que você pode, obviamente, complementar com outras práticas que você já tenha. Eu, por exemplo, trago elementos do Budismo, do GTD, crenças pessoais, entre outras diversas influências que compõem quem eu sou.

Esse ponto me tocou bastante porque eu considero que venho vivendo dias muito bons. É óbvio que não tem como você viver um dia 100% feliz mediante tudo o que está acontecendo, mais de 80 mil mortes no Brasil e tantas pessoas sofrendo. Mas, aqui, no meu micro mundinho, tenho trabalhado diariamente, interna e externamente, para as coisas ficarem tranquilas, e elas estão. Se há um ano eu soubesse como estaria vivendo hoje, eu teria ficado menos preocupada com várias questões que me afligiam (e também teria ido para a Índia fazer um panchakarma antes da pandemia, hehe).

O que eu quero dizer é que o que eu compartilho aqui é a rotina que funciona para mim, com as condições que tenho hoje, para a pessoa que eu sou hoje. O que te ensino não é a fazer o que eu faço, mas como eu faço. Como eu estruturo a rotina, e não a viver a mesma rotina que eu tenho. Se você for um leitor ou uma leitora mais antigo/a, você provavelmente deve estar pensando que eu constantemente tenho que vir aqui e reforçar isso, mas é exatamente esse necessário que faz parte do meu trabalho. Porque, diariamente, quando compartilho que, por exemplo, acordo às 5h da manhã, não quero dizer que o certo é acordar às 5h da manhã. Quando meu filho era bebê, meu marido tinha dois empregos e eu não dormia quase nada toda noite, eu buscava soluções para aquela situação que eu vivia. Não se trata de copiar a rotina de ninguém, mas de entender como formatar a sua.

Por isto aqui ser um blog, e não um portal ou site de um neurologista especialista em ciência do sono, por exemplo, é óbvio que os textos vão se pautar na minha visão pessoal de cada tema. É assim que funcionam os blogs. Eu compartilho sobre como faço, não porque ache a minha vida maravilhosa (apesar de gostar muito dela, não é o ponto), mas porque acredito que, assim, eu possa inspirar e ajudar de alguma maneira cada pessoa a ter seus próprios insights e formatar sua própria vida, com base em uma rotina tranquila.

“Mas Thais, por onde eu começo?”. Comece onde você está. Não existe um ponto inicial, um marco zero igual para todos, do tipo “comece aqui”. Você deve pensar no que quer mudar ou melhorar na sua rotina hoje, buscar esse termo aqui no blog e ver minha percepção sobre o tema, se quiser saber como trato isso. Ou pode procurar a referência de outras pessoas. O que não dá é para delegar essa autonomia de busca, de AUTOconhecimento. Uma rotina só será construída de maneira personalizada se você a construir, respeitando sempre as condições que você vive no momento e as suas necessidades, acima de tudo.

Você também pode gostar...

Posts mais acessados

4 Comments

  1. Acompanho seu blog há muito tempo, mas não costumo comentar.
    Só queria agradecer sua generosidade em ajudar as pessoas e desejar que você e sua família sejam muito felizes

  2. Gisele Jardim says:

    Thais,
    Você é inspiradora em sua simplicidade.
    Continue!!!

  3. Oi, Thais! Puxa, essa frase me tocou muito:
    “…o grande propósito da rotina deve ser sempre a de construir um dia feliz para aquela pessoa nova que está acordando.”
    Obrigada por compartilhar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *