Resumo do Mês – Agosto 2018

9
3898

Todo mês eu gosto de fazer um resumo de como foram os últimos 30 dias, para mim mesma, para análise pessoal, e também para mostrar para os leitores do blog como foi um pouco da minha vida (muitos têm curiosidade) e as coisas que eu fiz de maneira geral. Afinal, ter uma vida organizada não significa fazer mais coisas, mas curtir a vida, viver uma vida legal, encarar mudanças e desafios, e é o que eu sempre tento mostrar por aqui.

O mês de agosto trouxe uma evolução pessoal enorme para mim. Quando paro para analisar como eu estava no início do mês e como eu estou agora (e acho que esse é um dos maiores ganhos dessa análise), eu consigo perceber como eu melhorei.

Julho foi um mês bastante difícil. Ao final do mês, eu percebi que precisava dar um tempo. Não muita coisa – só uns dias mesmo, para descansar a cabeça. Por isso, no primeiro final de semana de agosto, fui com a minha família para Campos do Jordão. Comemos fondue, passeamos, nos divertimos, acendemos fogueira e, acima de tudo, ficamos juntos. Eu dormi muuuuito, desliguei do mundo, escrevi bastante, e voltei descansada. Eu sabia que precisava realmente recarregar as energias. Acho que, com o passar do tempo, a gente vai aprendendo o que funciona de verdade com a gente. No meu caso, foi certeiro: eu sabia que precisava daqueles dois ou três dias fora, e realmente eles fizeram diferença na minha vida.

De volta na semana seguinte, estava acontecendo a Bienal do Livro em São Paulo, e lá eu fui apenas um dia, para a minha palestra e tarde de autógrafos no estande da editora. Em outros anos fui mais vezes, mas este ano eu quis respeitar meu ritmo e fui apenas uma vez, que para mim foi legal. A palestra foi excelente. Foi a primeira vez que fiz uma palestra sem slides, só no gogó, e me senti muito tranquila e preparada para fazê-la. Eu gravei o áudio e disponibilizei no meu canal no YouTube, caso você queira conferir.

Um evento bastante marcante na minha vida no mês de agosto foi a decisão de continuar com o mestrado, a entrega dos trabalhos, a conversa com os meus professores e todo o apoio que tive deles. Eu comentei um pouco sobre esse processo e a minha organização para o segundo semestre do mestrado neste vídeo.

Aliás, a volta às aulas do mestrado foi essencial para eu voltar ao meu ritmo normal como um todo. Como comentei no vídeo linkado acima, ter voltado ao mestrado com todos os propósitos dele muito claros fez toda a diferença para mim. Estou encarando até as leituras para as aulas de maneira diferente. Virei efetivamente a Hermione da turma, e não me importo de ser chamada de caxias, aluna dedicada, a que lê tudo etc. O mestrado é um investimento de tempo, energia, dinheiro, e eu quero que ele valha a pena. Não faço as coisas “por fazer”. E tenho curtido demais, porque é o meu momento ali da semana de viver uma outra realidade diferente daquela que eu estava acostumada nos últimos anos, desde que resolvi me dedicar 100% ao meu próprio negócio.

Eu não gosto de deixar muitos compromissos encadeados, para ter uma rotina mais tranquila, mas eu já sabia que agosto (e setembro) teria uns períodos mais cheinhos. Um deles foi na segunda semana, quando eu me dediquei a semana inteira para a capacitação dos novos instrutores do GTD, na Call Daniel (franquia brasileira do método). Foram todos os dias, de segunda a sexta, dando aula das 9h às 17h. Além disso, todos os dias à noite tive “algo” também: aulas no mestrado, jantar de confraternização, ou uma viagem para Curitiba (na sexta). Foi uma semana puxada, mas fiquei menos cansada do que imaginei que ficaria. Aprendi a gerenciar bem a minha energia.

Na sexta, como falei, viajei para Curitiba, onde faria dois cursos no final de semana (ministraria os cursos) e, na segunda, teria a noite de autógrafos do meu novo livro (“Trabalho Organizado”) na Livrarias Curitiba. Uma semana inteira comendo fora de casa não fez bem para o meu estômago (que, vocês sabem, foi operado), e já no final de semana não fiquei muito legal. Na segunda, cheguei a realmente passar mal durante o evento. Precisei cancelar a minha ida no dia seguinte para Porto Alegre, infelizmente, e voltei mais cedo pra casa.

No final das contas, tinha pego uma virose que me deu um certo trabalho. Fiquei mais de uma semana com enjôo, fraqueza, mal-estar e sem conseguir comer direito sem sentir dores abdominais. Foi bem chato, mas agora já me sinto melhor.

Depois que voltei de Curitiba, pude me dedicar a dois projetos importantes no momento, que são a organização do novo escritório e a reforma da casa. Minha mesa do escritório chegou enquanto eu estava em Curitiba, e na semana seguinte eu já consegui trabalhar alguns dias lá, o que me deixou muito feliz.

Postei o seguinte no meu Instagram:

“Pode parecer besteira ou super simples para outras pessoas, mas hoje eu tive um momento tão feliz. Eu estava no escritório da minha empresa, que finalmente está começando a tomar forma depois de tudo o que aconteceu nos últimos meses. Eu levei a minha cafeteira para lá. Comprei uns quadrinhos. Chegou a minha mesa. Foi quando eu lembrei de todos os escritórios que eu já trabalhei desde que comecei a trabalhar nesta vida. E percebi que agora eu tenho um espaço que é uma tela em branco, que pode ser criada como eu quiser, com o que eu acho bonito e certo. Assim como todo o direcionamento da empresa, os valores, os projetos. Foi uma felicidade tão grande ter percebido isso! Me sinto extremamente grata ao universo por todas as coisas. E, se você quiser chamar isso de Deus, está tudo bem. ❤️ Pouco a pouco, a vida vai melhorando.”

Eu tomei algumas medidas interessantes para configurar uma nova rotina de trabalho agora que estou colocando tudo em ordem com os novos espaços de trabalho (comentei sobre isso aqui no blog, inclusive). Tenho conseguido cada vez mais equilibrar a minha rotina para descansar, ficar bem, estudar, ficar com o filhote, enfim, fazer as coisas de modo geral. Ainda tenho muito a melhorar, mas bastante tranquila em resolver uma coisa de cada vez e pensando mais em mim.

Chego ao final do mês incrivelmente feliz.

9 comentários

  1. Muito legal ver como transcorreu o seu mês, Thais =) Priorizar o descanso é realmente mágico, as pessoas tem que conscientizar disso logo! rs Obrigada por contar um pouco da sua vida, é bem gostosinho ler ^^

  2. Fico feliz que você está feliz! 🙂 Pode parecer esquisito, mas por te acompanhar todos os dias, quando você se sente mal, eu torço para que você fique bem logo e quando você está feliz, eu fico feliz!
    Um abraço;

  3. Bacana, Thais!! Sabe o que eu me lembrei esses dias? Da linkagem de domingo… você não pretende fazer mais? bjos

  4. Thais, tenho 22 anos e te acompanho desde os meus 16 (ou antes). Você é uma das minhas maiores inspirações diárias. Na maior parte dos dias eu me sinto muito cansada, exausta, pois faço faculdade, estou fazendo o TCC, faço estágio e moro sozinha. São muitas as responsabilidades e tarefas, e quando vejo como você consegue dar conta de tudo que faz (que é muito mais coisa e responsabilidade do que as que eu tenho), eu me sinto mais capaz (se a Thais consegue, eu também posso conseguir) e mais motivada a conquistar todos os meus objetivos e a vida organizada que eu quero pra mim.

    Muito obrigada por tudo que me contribuiu e contribui em todos esses anos!

  5. Que bom, Thais, fico super feliz por você, que a caminhada prossiga, sempre equilibrando bem-estar de um modo geral. Teu blog, que conheci há um mês, veio num momento certo da minha vida, e tenho muito da tua filosofia, adorei o verbo “destralhar” tenho usado direto. Muito obrigada por compartilhar teus conhecimentos. Um abração.

  6. Ah, que bom saber que você está bem e feliz!!! Com certeza, isso também me anima a passar minha própria tempestade.
    Seu filho está muito lindo, que olhar doce ele tem! Parabéns!
    Grande abraço!

Deixar uma resposta

Por favor, insira seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui