Hábitos

Erros que as pessoas cometem quando querem implementar um novo hábito

Na primeira aula da nossa Semana da Vida Organizada, que aconteceu ontem, eu comentei sobre os principais erros que a maioria das pessoas comete quando quer implementar um novo hábito.

O que caracteriza um erro não é uma pessoa de fora (como eu) dizer que algo é certo ou errado, mas determinada atitude não funcionar para você. Então tenha em mente que você pode fazer todas as coisas que eu listar abaixo e elas funcionarem para você. Se não funcionarem, é porque são erros pessoais. Leve sempre a sua experiência em consideração, ok?

Eu identifiquei 15 erros.

O primeiro erro bate de frente com o valor “coerência”, que é um valor importante desse nosso trabalho com organização. Se você tentar implementar um hábito que não combina com você, as chances de fracassar ou se frustrar são enormes. Durante muitos anos eu tentei fazer uma atividade física que não tinha nada a ver comigo, apenas porque era a regra (aeróbico + musculação na academia). Quando passei a me conhecer melhor, vi que outros formatos de exercícios funcionavam melhor para mim. Me apaixonei pela yoga, porque uno mente e espírito fazendo a atividade, e posso personalizar a prática diariamente, de acordo com como me sinto, além de praticar em casa. Implementar a prática de yoga me ajudou a ver esses outros formatos (mesmo aeróbico e musculação) com outros lados, como necessidades que precisam ser atendidas. Mas não como a minha atividade física principal. Em resumo, o autoconhecimento me ajudou a enxergar que hábitos seriam mais fáceis de incorporar apenas porque eram mais coerentes com quem eu sou, mas eu levei anos pra entender esse da atividade física!

O segundo erro diz respeito a você querer incorporar um hábito que acha que deveria incorporar, por qualquer motivo, mas no fundo não tem um propósito que fale diretamente com o seu coração. Tipo, você quer aprender a meditar porque é cool e todo mundo no seu trabalho medita, mas sinceramente você não vê propósito real na prática no momento. Isso não quer dizer que meditar seja algo sem propósito – apenas quer dizer que, neste momento de vida, você tem outro foco, outras prioridades. E tá tudo bem.

Muitas vezes, um hábito tem propósito e é super coerente com a sua personalidade, mas você simplesmente não sabe como praticá-lo. Por exemplo, você quer sair de manhã para correr, mas não entende que, para isso acontecer, você precisa apenas separar a roupa na noite anterior. O cérebro prega peças na gente. No dia a dia, você pode deixar de praticar alguma atividade que quer muito simplesmente porque a próxima ação não está clara o suficiente.

É muito mais fácil incorporar um novo hábito se ele for associado a uma rotina que você já faz naturalmente. Por exemplo, se você gosta de ler antes de dormir e quer incorporar o hábito de escrever em um diário, aproveite esse momento de paz e cama em que você já senta para fazer algo semelhante e deixe seu diário e caneta ali do lado para escrever antes de ler. Se você fica tentando encaixar atividades que simplesmente não cabem na sua vida no momento, vai ficar difícil você incorporar isso como um hábito.

Uma vez uma amiga queria adotar um estilo de alimentação low carb, ou seja, uma dieta à base de proteínas. No primeiro dia da dieta, ela não levou almoço e não conseguiu sair para almoçar! Eram duas horas da tarde e ela estava passando mal porque estava apenas à base do café desde a hora em que começou a trabalhar! Veja, planejamento é uma coisa básica. Se você não quer falhar, planeje-se minimamente antes. Quer começar a correr sem ter um tênis apropriado? Pense bem! Isso vale para todos os hábitos.

Não se trata de planejar TANTO que você nunca começa efetivamente a agir, sabe? Mas um planejamento mínimo mesmo que te permita começar.

Pode ser que você consiga incorporar vários hábitos de uma só vez, especialmente se forem hábitos simples encadeados a uma rotina que já existe. Mas se forem vários hábitos que promoverão uma mudança radical na sua vida, isso pode causar um verdadeiro choque de personalidade! Calma! Escolha um hábito de cada vez, especialmente se for um hábito grande, que leva mais tempo e envolve muitas mudanças. Nem sempre querer incorporar vários hábitos ao mesmo tempo é um problema mas, se você já tentou e não deu certo, repense.

Você quer fazer sua revisão semanal do GTD toda sexta-feira mas, logo na primeira sexta, seu chefe te chama para uma reunião que dura mais tempo do que o esperado e você não consegue fazer. Em vez de realocar sua revisão para o sábado ou para outro dia, você desencana totalmente do hábito e deixa de fazê-lo antes mesmo de começar.

Imprevistos acontecem. E tá tudo bem sair da sua rotina de vez em quando. Mas trate como exceção, não como desistência total. Retome quando possível.

Para algumas pessoas, o radical funciona. Eu mesma, em determinados casos, prefiro ir no mais radical, porque isso me ajuda a prosseguir com a decisão. Mas se você já tentou e ser radical não funcionou para você, procure fazer mudanças graduais. Por exemplo, talvez você queira acordar às 5h da manhã todos os dias, mas você se considera uma pessoa noctívaga que não consegue ir dormir antes das 2h. Será que não vale a pena fazer uma mudança gradual? Só seu teste pode te ajudar a descobrir.

Por usar o método GTD, eu costumo dizer que um hábito, até se tornar um hábito, é apenas um projeto. Verdade. Precisa de um resultado final claro (“quando posso considerar que implementei esse hábito?”) e próximas ações definidas sempre, até concluir. Agora, o problema de ter apenas o resultado em mente é que isso cria um vão enorme onde você está agora e o resultado final, e isso pode causar desânimo. O processo é tão importante quanto o resultado final, porque é no processo que você aprende. Valorize o processo, e o resultado final será apenas consequência.

Muitas vezes, o ambiente em que vivemos não nos ajuda na questão dos novos hábitos que queremos implementar. Uma TV no quarto pode dificultar você ir dormir mais cedo. Quer beber mais água? Manter uma garrafinha de água na sua mesa de trabalho pode ajudar.

Você já deixou de realizar uma atividade porque, se não tiver as condições perfeitas, prefere não fazer? Pois muitas pessoas fazem isso, e o mesmo vale para os hábitos. Eu gosto de dizer que “feito é melhor que o perfeito não feito”. Se as condições perfeitas não existem, vale a pena você deixar de fazer algo importante apenas porque não ficará 100% do jeito que você queria? Ou você pode começar de alguma maneira e ir melhorando?

“Thais, me ajuda! Não consigo dormir e acordar cedo!”
“Mas há quanto tempo você está tentando?”
“Há uma semana…”

É pouco tempo!

Alguns hábitos, especialmente esses que mexem com o ritmo do nosso organismo (como sono, alimentação, atividade física) levam tempo pra gente se acostumar. Precisa ter isso em perspectiva para não desistir depois de tão pouco tempo fazendo.

Pela minha experiência, às vezes é questão de meses!

Você pode querer implementar o “milagre da manhã” mas não quer acordar às 5h para fazer isso. Você quer fazer quando acorda, às 7h. E tá tudo bem. Você não só pode como deve personalizar a sua experiência, especialmente no que diz respeito a horários.

Existem alguns hábitos que puxam todos os outros. Acordar cedo, por exemplo. Quando eu acordo cedo, eu consigo ter outros hábitos que são bons para mim, como: meditar, rotina de autocuidado, atividade física… se não acordo cedo, bagunça essa sequência que gosto de fazer antes de o dia começar de modo geral.

Hábitos assim são maiores, puxam outros, e por isso são mais importantes. Talvez você queira focar em um hábito assim no momento, pois sabe que a implementação dele te ajudará com vários outros que você também quer incorporar.

Muitas pessoas desistem dos seus hábitos porque, no começo, estão bastante empolgadas, mas a empolgação vai sumindo com o tempo e, com isso, o hábito vai embora antes mesmo de virar hábito! Parar de comer carne, por exemplo. Você deve ter tido uma motivação forte para começar. Mantenha esse motivo sempre presente. Desse modo, você vai sempre se lembrar dele e se manter motivado a continuar.

Você já cometeu algum desses “erros” ao tentar estabelecer um hábito? O que pode aprender com esse post para não repetí-los ou se observar melhor daqui em diante?

5 Comments

  1. Marcos Queiroz says:

    Nossa, Thais! Esse post foi um soco no estômago para mim. Estou tentando implementar uma rotina matinal de hábitos que envolve uma série de coisas (acordar cedo, ler minhas afirmações positivas, caminhar, tomar banho gelado, café da manhã saudável, etc), mas não consigo nem acordar cedo e quando consigo, perco a motivação para fazer as outras coisas. Várias dicas do seu post me fizeram perceber que talvez não seja esse o caminho ideal. Que acordar cedo pode ser o primeiro e único hábito a implementar no momento e ir acrescentando outros aos poucos.

    Obrigado!

    1. É isso mesmo. 😉

  2. Sabrina Soares says:

    Amei essa aula! estou super ansiosa para continuar acompanhando!

  3. Thais acho que irei implementar a falta do celular, sinto que estou de saco cheio das pessoas me acharem com cara de google e paginas amarelas da lista tefonica.
    Não entendo por qual motivo não se responsabilizam a procurar por si mesmas informações relevantes a vida delas não a minha.
    Estou lendo Tim Ferris e não vejo nada de util em ficar disponivel as pessoas que não mantem relacionamento afetivo VERDADEIRO para comigo

  4. Obrigada pelo post!

    Estou tentando implementar o hábito de fazer uma série de exercícios pra fortalecer a coluna cervical, mas estou falhando bastante em conseguir. Percebi que separei um momento do dia péssimo pra fazer esse exercício, que é o momento que quero sentar no computador e fazer outras coisas. Ao mesmo tempo, tenho outros momentos do dia que fico praticamente ociosa e usar esse tempo para fazer esses exercícios seria mais adequado. Ja vou deixar os equipamentos por perto pra voltar a fazer amanhã, vai ser bem mais eficaz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar...

Posts mais acessados