Plenitude & Felicidade, Equilíbrio emocional

Como ter força de vontade nesse momento que estamos vivendo no mundo?

Praticamente todos os dias eu recebo essa pergunta em todas as minhas redes sociais.

Não está nada fácil, e eu mesma tive momentos de ansiedade ao longo desses mais de quatro meses de quarentena. É uma luta diária, pois todos os dias surgem novos desafios. Minha mãe, que estava em quarentena, precisou sair de casa. Meu sogro teve que ir ao hospital. A dúvida sobre a volta às aulas nas escolas. Enfim, o dia a dia, por mais que a gente tenha um certo “controle” sobre as emoções e nossos pensamentos, é bastante desafiador.

Na terapia, minha psicóloga disse algo muito verdadeiro e que reconheço em mim: eu já sou budista. Já tenho uma mente compassiva de modo geral. Nesse momento do mundo, com tantas pessoas sofrendo e morrendo, não tem como eu ou qualquer outro ser humano ficar indiferente. Isso bate, e bate forte. Impacta na gente se a gente ter muita noção ainda, eu acho. Mas impacta, faz diferença, interfere em como a gente se sente, se relaciona, vive o dia. Por isso precisa atentar para não entrar em um estado depressivo maior.

Eu vou contar então quais as coisas que eu tenho feito e que me ajudam. Espero que sejam dicas úteis para você, mas é importante lembrar que cada um é de um jeito e a melhor maneira de saber o que fazer é se conhecer e trazer soluções personalizadas para a sua vida diariamente.

  • Evitar notícias. Sinceramente, não me acrescentam em nada. Quando é algo importante, meu marido me fala, alguém me fala – chega até mim. Às vezes tenho vontade de ler o jornal, mas é pontual, e não uma rotina diária. Meu estado mental melhorou 400% depois que passei a fazer isso.
  • Evitar a timeline das redes sociais. Twitter, Facebook, Instagram e até Twitter. Entro, posto (porque uso a trabalho) e saio. Entro, respondo comentários, e saio. Entro, vejo algo pontual, e saio. Essa coisa de ficar “scrollando” a tela é um péssimo hábito e não me agrega em absolutamente nada, então parei. Era muita negatividade.
  • Dormir cedo, acordar cedo. Me alimentar corretamente. Reduzir a cafeína (só tomo de manhã). Não deixar nunca minhas atividades me levarem a um estado de exaustão. Fazer menos coisas. Oleação corporal antes do banho. Yoga. Autocuidado. Brincar com o cachorro. Trabalhar 1h, descansar, trabalhar mais um pouco. E assim vai o dia.
  • Meditação. Todos os dias, várias vezes ao dia. O app Insight Timer tem sido meu companheiro atual, quando quero fazer meditações guiadas.
  • Muita água. Uns 3 litros de água por dia, todos os dias. Chá. Sopinhas. Alimentos reconfortantes. Ficar quentinha. Usar touca, meia fofa, pequenas bobagens que fazem toda a diferença. Meu corpo sofre pacas no tempo frio, e ressecamentos de modo geral são uma tendência.
  • Observar o nascer do sol e o crepúsculo pra sentir “menos” a mudança de luminosidade e diminuir a ansiedade (é uma recomendação ayurvédica).
  • Ler. Sair da Internet. Mergulhar em alguma leitura.
  • Fazer terapia.
  • Pintar e desenhar. Resgatei aqueles livros de colorir e isso tem me ajudado a distrair e viver o momento.
  • Trazer meu filho ainda mais para as atividades do meu dia a dia. Ele trabalha comigo no escritório, conversamos, cozinhamos juntos, lemos, damos risada, tudo junto, o dia todo.
  • Manter minhas rotinas organizadas: caixas de entrada zeradas, processar papelada, fazer minha Revisão Semanal etc.
  • Alimentar minha mente pela manhã com afirmações positivas e leituras de desenvolvimento pessoal.
  • Acima de qualquer coisa: me respeitar. Se eu estiver triste, me reconhecer triste, fazer algo para ficar bem, que seja dormir. Se eu estiver cansada, descansar, dormir mais cedo. Coisas simples, mas que fazem toda a diferença.

Cada dia é um dia. Mas estabelecer uma rotina, saber que estou me cuidando, que estou respeitando o meu ritmo, que tem dias que trabalho mais, outros menos, tudo isso me ajuda a manter a cabeça no lugar e a tentar ficar pelo menos um pouco melhor diante de tudo o que está acontecendo. Espero de verdade que o post ajude de alguma maneira.

11 Comments

  1. Ana Melo says:

    Obrigada.

  2. Evelyn Dos Santos Mata says:

    Talvez minha pergunta vá de encontro a tudo que você postou… e tenha até postagens sobre…
    Mas como não procrastinar até mesmo o que você ponderou nos fazer bem nesse tempo tão tenebroso e incerto da pandemia? Porque sim, tenho procrastinado… mesmo sabendo que rolar a tela das redes me prejudica e ter diminuído e até colocado tempo para ficar online… A procrastinação ou preguiça de me alimentar bem, me exercitar, etc… por justamente estar nesse estado “de não saber quando isso tudo acaba”… Alguém já trouxe essa questão pra você? Ando péssima com tudo isso. Mas não consigo sair desse estado… Abandonei todos os progressos.

    1. Vai no básico, Evelyn. Coloca dois copinhos vazios na sua frente. Quando fizer algo bom pra você na sua rotina, coloca no copinho 1. Quando fizer algo ruim, coloca no copinho 2. No final do dia você vê o resultado e, amanhã, tenta novamente. Você vai pensando duas vezes. 😉 O segredo está em deixar na sua rotina o que te faz bem e tirar o que não faz, mas não se cobre, porque é um trabalho pra vida inteira. 😉

  3. Ana Paula Moraes Marinho says:

    Verdade Thais! Não é fácil, eu mesma me vejo como uma privilegiada: mantenho meu emprego, minha renda, sigo trabalhando no conforto da minha casa. Eu e meus familiares estamos bem de saúde, mas ainda assim não dá pra fechar os olhos e achar que está tudo bem. O mundo inteiro está passando por um grande desafio que está mudando a forma de viver e se relacionar, e se é verdade que tem muito aprendizado com tudo isso também é verdade que há muito sofrimento para muitas pessoas. Muito obrigada a você por trazer tantas reflexões para seus leitores.

  4. Stela Maris Barbosa says:

    Muito obrigado, você está sempre me inspirando.Gratidao!

  5. Mayara Oliveira says:

    Thais obrigada pelo post. Sobre a timeline das redes sociais realmente está impossível, só coisa ruim, só de eu entrar já me sinto mais carregada.
    Amo ver o pôr do sol, me faz muito bem e dá um quentinho no coração.
    E uma coisa qe estou gostando muito de fazer é ficar olhando lugares bonitos pelo google maps, coloco uma música gostosa no fone e fico “passeando” por ele.

  6. Patricia says:

    Obrigada pelas dicas!

  7. Muito obrigada pelas dicas, querida Thaís!

  8. Fernanda says:

    Maravilhoso!Ajudou muito.

  9. Oi Thais,
    Obrigada pelo post. Compartilho a minha experiência onde pedi demissão em plena pandemia. O home office com a jornada de trabalho aumentada (a empresa onde eu estava agendava reuniões diariamente fora do horário comercial – tipo 8 da noite, meio dia..), expediente iniciando às 8 da manhã e terminando às 10 da noite todos os dias.
    As empresas em geral NÃO estão preparadas no aspecto de capacitar os gestores para lidar com o home office e o respeito à agendas e horários…
    Eu já planejava tirar um tempo para mim e para estruturar um novo trabalho autônomo e a pandemia acelerou esta decisão.
    Que tal um vídeo ou um post sobre o tema?
    Beijos

    1. Oi Kelly, tudo bem?
      Entendo sua decisão. Boa sorte nessa nova jornada e obrigada por compartilhar.
      Por entender essa demanda, em junho e julho fiz 3 semanas de lives diárias e um curso gratuito justamente com esse foco para ajudar a galera que estava em transição para o online ou um novo trabalho em tempos de pandemia. Infelizmente não consigo fazer novamente pois agora preciso priorizar outros trabalhos. 😉 Não sei se você conseguiu acompanhar, mas espero que sim.
      Beijo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar...

Posts mais acessados