Comida, Rotinas, Ayurveda, Veganismo

“Thais, sua família segue a sua dieta?”

Existem algumas perguntas que eu recebo com muita frequência, então, sempre que eu identificar alguma assim, vou criar um post com a resposta, pois pode ser a dúvida de outras pessoas também e me ajuda a dar a referência em caso de a pergunta aparecer novamente.

Resposta rápida: não, não segue. A explicação vem abaixo.

Ayurveda é a ciência da vida indiana. Uma abordagem indiana da medicina. Nós estamos inseridos na medicina ocidental, o que inclui também o papel de nutrólogos e nutricionistas. Não tenho a pretensão sequer de dizer que quero saber mais do que eles. Mas eu preciso dizer que sigo uma abordagem diferente para a alimentação, que é um conceito de saúde integrada. Ou seja, não é exatamente uma dieta que eu sigo, ou uma comida com mais ou menos calorias que deixo de comer. É uma abordagem com perspectiva na longevidade. E um entendimento de que saúde envolve um mix de coisas.

Dentro do Ayurveda, o tratamento da saúde não tem como não ser individual. Logo, mesmo que meu marido e nosso filho seguissem a mesma linha, nossa alimentação teria variações, pois cada pessoa tem necessidades diferentes que são resolvidas com a alimentação. Cada pessoa tem um biotipo e a alimentação deve ser guiada em benefício individual. Claro que existem recomendações gerais, e é o que seguimos.

Além do fator Ayurveda, tem a questão de eu ser vegana. Meu marido é simpático à causa, é ovolactovegetariano a maior parte do tempo (come carne tipo uma vez por mês), mas nosso filho come carne (compramos só orgânicos). Já expliquei em outro post como costumo organizar a nossa alimentação atualmente mas, de modo geral, eles aproveitam a maior parte do que eu cozinho para mim, e apenas complementam com outras coisas, ou meu marido prepara uma refeição diferente. Por exemplo, se eu preparar arroz, ou uma massa, ou legumes no forno – eles comem isso normalmente, e apenas complementamos com outros alimentos, a gosto. Vale dizer que sempre foi meu marido que cozinhou em casa e eu passei a preparar minhas refeições quando me tornei vegana.

Eu estou em um momento de transição na minha saúde com várias questões. Faz três anos que fiz a cirurgia de redução do estômago, e só agora meu corpo estabilizou. Foi o que me deu a liberdade de me tornar vegetariana há um ano, e a integrar as práticas de Ayurveda para o resto da vida. No momento, tenho uma terapeuta de Ayurveda que está me orientando e estamos no meio de vários processos por aqui, especialmente hormonais, e a alimentação complementa muito. Sim, ainda pretendo falar mais sobre isso em outros posts. 😉

Então não, a minha família não segue a minha dieta, pois o que cada um deve comer deve atender suas necessidades individuais, gostos, necessidades de saúde, projetos pessoais, princípios, enfim, uma série de questões.

Não posso deixar de expressar minha preocupação em receber esse tipo de pergunta porque geralmente não vejo a mesma sendo colocada em perfis de homens que trabalham com produtividade, então fica meu convite a perguntar para eles também como é a alimentação da família. Isso não é responsabilidade apenas da mulher. Dentro do meu papel aqui, vejo-me obrigada a comentar a questão do gênero, pois ela é um pilar fundamental quando a gente fala de sobrecarga principalmente nas atividades domésticas. Por que perguntar esse tipo de coisa apenas às mulheres? Fica o questionamento.

10 Comments

  1. Sandra Valéria Piccolo says:

    Thais, boa tarde!

    Parabéns pelo post, especialmente em relação à questão de gênero. Isto vem impactando demais minha vida no momento e acho muito, muito necessário refletirmos e mudarmos a postura. Parabéns, mais uma vez!

  2. Thais, parabéns pela consciência em seus posts. A discussão sobre gênero é urgente em nossa sociedade.

  3. je colodel says:

    Bem isso!!! com certeza daria uma live.. ninguem pergunta nada disso pra homens.. nada sobre a familia, sobre a casa. sobre tudo que nao seja produtividade.. adorei.

  4. Evelyn Dos Santos Mata says:

    Incrível! Especialmente o último parágrafo!

    E digo mais: em livros sobre produtividade, se atém a assuntos como ‘produtividade’ profissional. Pois é mais fácil falar aos homens e mulheres né? Já que “essa parte”, ínfima (ironia mode on) parte familiar, alimentícia, doméstica, cabe só às mulheres… não tem de estar em livros sobre produtividade né?

    Machismo estrutural: vemos aos montes. Parabéns por se posicionar, Thais!

  5. ANA LETICIA PEREIRA BARONE says:

    Não quero polemizar, sei que há muito machismo na sociedade, mas será que a pergunta não é só pra saber como a família se organiza em questões de compras, preparo etc.? Tenho dois filhos: uma alérgica a leite; outro, a ovo. Meu marido não come legumes e eu gosto pouco da carne vermelha que ele adora. Cozinho para 4 pessoas com necessidades diferentes porque sou a única na casa que sabe cozinhar. Meu marido tem outras tarefas, inclusive lavar a louça dessa comida toda. Cozinhar assim demanda tempo e organização, e se alguém me perguntar sobre isso, vou dizer o que sei sobre gestão do tempo, não vou ligar diretamente ao machismo.

    1. Oi Ana. Sim, eu sei que a pergunta foi sobre isso. Mas ela foi feita para uma mulher, não para um homem. Não estou problematizando a pergunta, estou problematizando que não se vê esse tipo de pergunta direcionada a homens. E é um fato. Precisa ser problematizado sim. 😉

      1. Thaís, o post foi ótimo! Você aborda a produtividade de uma forma que abraça todas as áreas da vida, incluindo vida familiar e cuidados com a casa. E isso é ótimo. Deixa os seus leitores à vontade para perguntar sobre a dieta da família… Acredito que poucos perguntariam para alguém que não dá atenção a isto nos textos que escreve (homens ou mulheres). Então não é simplesmente por uma questão de gênero! Em muitos casos pode ser uma questão de identificação dos seus leitores com você. Você é 10 😊

  6. Mas então gente…essa é a questão. Por que homens que falam de produtividade não falam de comida, organização da rotina familiar, arrumação da casa, se tudo isso é fundamental para garantir a produtividade (ninguém chega ao seu auge de produtividade comendo miojo em todas as refeições e vivendo no caos)? Provavelmente, porque esses homens ou não ajudam na organização doméstica (e nesse caso estão sobrecarregando as esposas/mães/etc que tem que cuidar de tudo sozinhas) ou até ajudam/dividem tarefas em casa, mas não acham que esse tipo de assunto “merece” ser comentado, porque não tem a ver com o mundo profissional, porque homens não vão se interessar por esse conteúdo etc. Mas o trabalho reprodutivo é fundamental inclusive para o sucesso profissional, e é preciso reconhecer e valorizar esse trabalho, falando sobre ele como a Thais faz. Também é necessário normalizar a divisão desse trabalho entre homens e mulheres, já que hoje a maior parte dele fica com as mulheres, que fazem isso geralmente depois de chegar do seu trabalho remunerado, resultando em uma carga de trabalho total maior do que a dos homens. É preciso cobrar sim dos homens um maior envolvimento com esse tema.

  7. Márcia Carús says:

    Obrigado, Thaís!
    Confesso que tive esta curiosidade. Inclusive perguntei no Instagram.
    Acho bárbaro teu marido cozinhar 🙌
    Tenho um filho que está no espectro do autismo e tem uma baita seletividade alimentar. Fiquei curiosa mais nesse sentido.
    Adoro o conteúdo! 😘

    1. Tudo bem, querida, a problematização não foi exatamente com relação a essa pergunta mas a perguntas de maneira geral que não são feitas para homens. É um aprendizado para mim inclusive. Obrigada. <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar...

Posts mais acessados