Estudos, Ayurveda, Universidade Pessoal

Como eu estudo Ayurveda

Desde que comecei a estudar Ayurveda de maneira mais “oficial”, sempre recebo comentários de vocês nas diversas redes sociais perguntando que curso estou fazendo e como estou estudando, então o post de hoje é para esclarecer essas dúvidas.

Meu interesse com o Ayurveda nasceu há pouco mais de um ano, quando li o livro “Mude de horário, mude de vida”, que foi publicado recentemente no Brasil com o título “Mude seus horários, mude sua vida”, pela Ed. Sextante.

A partir dali, fui me interessando pelo assunto e acompanhando vários profissionais que são especialistas nesse assunto pela Internet: Mateus do Vida Veda, a Laura Pires, a Márcia de Lucca, o Erick do Naradeva Shala, entre outros.

Comecei também a ler livros e ir montando uma biblioteca relacionada, que até mostrei aqui, em um vídeo e post sobre o assunto. De modo geral, estou sempre lendo algum livro sobre Ayurveda e vou fazendo minhas anotações de aprendizados no commonplace book e juntando referências no Evernote.

Em fevereiro, eu me matriculei em um curso de formação pela Escola de Ayurveda. Conversei com muitas pessoas, pesquisei e pensei demais antes de me decidir por eles. É um curso de três anos, com muito material e estudo e aulas um final de semana por mês. Infelizmente, o curso começava em abril e, com a pandemia, está suspenso. Mas ainda quero fazer, pois meu objetivo é me especializar em dinacharya, a rotina diária do Ayurveda (que tem a ver com o que eu já faço hoje).

Agora, eu cheguei no ponto mais importante deste post, que eu queria compartilhar. Após ter entrado no curso e depois de ter lido tantos livros, eu cheguei em um modelo de estudo que, para mim, parece o mais significativo para o Ayurveda, dentro das condições que tenho hoje (não estou fazendo faculdade de medicina na Índia, por exemplo), que é o estudo dos samhitas. Os samhitas são os livros clássicos do Ayurveda. Eles são verdadeiros tratados. Eu os recebi como parte do material do curso de formação (não achei para comprar) e venho estudando por eles desde então.

Todos os dias, basicamente, eu estudo um pouco. Faço sempre revisões quando estou com meu commonplace book por perto. Estudo, leio, vejo vídeos. Como costumo dizer, o que direciona a forma de estudar é a definição do propósito. No meu caso, estou me formando como terapeuta ayurvédica. Esse curso, que tem três anos, é o primeiro de uma formação extensa que ainda pretendo fazer, talvez até em alguns cursos na Índia futuramente (não sei o que vai ser do mundo depois dessa pandemia, se vou querer fazer viagens longas novamente etc).

Com base nesse propósito, quero me aprofundar com cursos e estudando os samhitas. Mas se eu quisesse apenas incorporar na minha vida, eu estudaria por livros, faria consultas com uma terapeuta ayurvédica, estudando questões pontuais que ela me passasse, veria vídeos ou faria um curso online. Então depende muito do seu propósito mesmo estudando esse assunto.

2 Comments

  1. Oi Thais! Vc ja viu a série “vida veda nos samhitas” do Matheus? É maravilhosa! Nao sei qual samhita vc tá lendo agora, mas ele já está no 5o capítulo do Ashtanga Hrdayam! Tudo destrinchadinho e explicadinho, uma maravilha! E às 4as ele lé ao vivo e tira dúvidas! Super recomendo!

  2. […] quando muda a estação é readaptar a minha rotina a um novo dia a dia. Desde que iniciei meus estudos no Ayurveda, eu percebi a importância de entender o meu corpo e analisar como ele está alinhado (ou […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar...

Posts mais acessados