Prática atual do budismo

13
2735

Como muitos de vocês disseram que tinham interesse neste tema, estou escrevendo este post para contar um pouco como são as minhas práticas atuais no Budismo.

O Budismo tem várias tradições. Eu me identifico e faço parte da Nova Tradição Kadampa.

O Budismo associa muito o estudo à prática. Então o que a gente aprende a gente pratica no dia a dia. Ou seja, a gente vive de uma maneira muito mais significativa, porque absolutamente tudo é uma oportunidade de aplicar os votos tomados.

Cursos

Existem diversos cursos, de meditação a cursos básicos, sobre temas essenciais do Budismo. Depois há um curso de aprofundamento, em que você estuda um único livro durante meses e apoia o centro com atividades voluntárias, que te ensinam MUITO sobre as tradições. E também tem um curso de formação de professores, que é o que eu estou fazendo agora. Essa formação leva de seis a sete anos e os livros da tradição são estudados em detalhes.

O curso acontece duas vezes por semana e demanda estudo, decorar textos, práticas, discussões, apresentações e também você praticar como professor. Atualmente, estamos estudando o livro O voto do do bodissatva.

Você pode saber mais sobre o programa de estudos Kadampa neste link.

Datas especiais

Existem algumas datas que são celebradas na tradição:

  • Todo dia 8: Tara Verde
  • Todo dia 10: Oferenda ao Guia Espiritual
  • Todo dia 15: tomar preceitos
  • Todo dia 25: Oferenda ao Guia Espiritual

Acontecem então encontros, preces e meditações no centro. Não consigo participar sempre, devido à minha rotina de trabalho e viagens, mas participo sempre que possível.

Retiros

Acontecem retiros em diversas datas ao longo do ano, tanto no centro local quanto no templo (que fica no interior de São Paulo), em outros estados e países. Aí a ideia é você ir se organizando para participar quando puder. Vale dizer que todas as atividades dos centros são mantidas graças ao trabalho voluntário das pessoas, então tais retiros são uma oportunidade excelente de fazer isso.

Eu sempre quis participar de algum retiro fora do país e estou me organizando para fazer isso no ano que vem.

Os retiros podem acontecer em um único dia ou durar quase uma semana. Geralmente eles têm algum tema (ex: concentração), e as atividades, meditações e ensinamentos girarão em torno disso. É bem gostoso, e no templo você pode inclusive ficar no alojamento deles, o que proporciona uma imersão de verdade. Por causa do Paul (filhote), eu não costumo fazer retiros maiores, e sim aqueles de um só dia.

Prática diária

Tenho meu altarzinho em casa, onde faço prostrações e meditações diariamente.

Quando acordo, gosto de meditar. E, ao longo do dia, realizo novas meditações quando sinto vontade.

Costumo estudar pela manhã e à noite o livro do curso e também fazer outras leituras, de maneira leve. Me faz muito bem. Especialmente de noite mantém a minha mente feliz e tranquila.

Penso de verdade que o melhor do Budismo é a prática diária. É a prática que vai desde responder um e-mail mal-educado com paciência, até a maneira como lido com qualquer tipo de problema que aconteça na minha frente. Todo momento é uma oportunidade de praticar.

Não é mais uma “tarefa”, e sim algo que faz parte da minha vida e a torna ainda melhor.

Caso você tenha alguma dúvida, por favor, deixe um comentário. Procurei explicar tudo o que me veio à mente, mas sempre podem surgir questões que eu não identifiquei. Obrigada.

13 comentários

  1. Oi Thais!
    Tenho muita vontade de conhecer e tentar praticar o budismo, me parece algo muito interessante. Mas acontece que sempre que eu procuro pelo tema, na internet, acabo ficando confuso, pois são muitas pessoas falando sobre o assunto e parece que não estão falando a mesma coisa. Tens alguma dica para quem quer iniciar, ou onde começar a buscar informações? Pensei em ir em um templo budista, mas o mais próximo é muito longe da cidade onde moro.

  2. Relevante observar que há até curso à distante sobre budismo e meditação para quem não é do Estado. Estou pensando seriamente em inscrever. Obrigada Thais pela dica!.

  3. Oi Thaís
    Me tira uma dúvida. As atividades no centro de budismo são pagas? Aqui na minha cidade tem um centro mas até as meditações são pagas.

    • Sim, é assim que eles pagam o aluguel do espaço, conta de luz, faxina etc. 😉

      Assim como igrejas, existem atividades gratuitas, como preces, mas os cursos são pagos por um valor ínfimo, apenas para custear as despesas mesmo.

  4. Sempre fui uma pessoa muito calma, e essa semana tive um desentendimento no local de trabalho. Dizem que uma das maiores dores internas é a humilhação e sinto que a frequência com que isso tem aumentado talvez se reflita de algo em meu modo de agir, ou de deixar isso me afetar e creio que o budismo possa ajudar, mas não sei como exatamente ( minha cidade não tem centro budista). Se puder depois falar um pouco sobre isso.

    • Recomendo leituras de modo geral. Os livros de budismo já ajudam bastante a gente a lidar com essas coisas. Eu tive um emprego em que sofria assédio moral bravíssimo. Se não fosse pelo budismo, acho que teria entrado em um estado depressivo crônico. Dá uma olhadinha no post com indicação de livros, acho que pode ajudar. 😉

  5. Me interessei pelo budismo devido as publicações aqui do post e hoje em dia busco muita informação. Ainda não me encontrei em uma tradição, mas vou passar a frequentar um centro de Tradição Kadampa aqui de fortaleza. Sempre que possível, nos atualize sobre seu curso de professora. Obrigada pelas informações!

  6. Thais, uma curiosidade é saber como você se aproximou dessa tradição, e do budismo no geral? Eu vejo que isso hoje já está estabelecido para você, mas gostaria de saber do “início”. Se foi ao acaso, alguém que você gosta te apresentou, ou se você procurou ativamente.

Deixar uma resposta

Por favor, insira seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui