Home-office

Entrega da sala comercial e a reorganização do nosso trabalho em casa (agosto 2020)

Hoje completo 160 dias de “quarentena”.

Nesses 160 dias, fui duas vezes ao mercado, dei a volta no quarteirão com o cachorro uma meia dúzia de vezes no máximo, tive que ir ao dentista devido a uma emergência, levei mantimentos para a minha mãe uma vez e fui uma vez no meu escritório (no domingo, com o prédio vazio), buscar alguns materiais que estava precisando. Tirando isso, continuo em casa.

Em fevereiro, nós saímos de uma sala comercial com o nosso escritório e fomos para uma menor, mais barata, perto da escola do Paul, de modo que meu marido e eu pudéssemos trabalhar lá durante o período escolar do filhote. Deu tempo apenas de mudar. Veio o Carnaval e, na sequência, entramos em quarentena. Algumas caixas ainda estão fechadas.

A decisão de manter a sala comercial fazia sentido pela questão da escola do Paul, em primeiro lugar, e em segundo, porque meu marido precisava de um espaço maior para trabalhar. Terceiro, porque tínhamos um outro projeto profissional que colocaríamos em andamento logo após a mudança, que dependia do espaço. Com a pandemia, os planos foram repensados, como aconteceu com todo mundo.

No início, eu disse para o meu marido que o que a gente queria fazer ainda continuava, mas tínhamos que deixar em suspenso durante algum tempo apenas. Então valia a pena a gente manter o espaço, mesmo porque o contrato é de dois anos. Mas, como fiz em outro momento de “estagnação”, quando a minha avó morreu, em 2018, eu sabia que não dava pra decidir sobre TUDO de uma só vez. Algumas coisas podiam ser decididas de imediato – outras não. Eu coloquei alguns prazos para algumas delas. Decidir sobre o escritório estava para agosto. Isso me daria um respiro para entender como ficariam as coisas e, então, decidir de maneira mais assertiva.

Para ser muito, muito sincera, eu sabia que as coisas seriam complicadas no Brasil, que é um país imenso e com muitas pessoas, mas eu não imaginei que seria tanto. Pensei que a solidariedade das pessoas falaria mais alto e que conseguiríamos pensar uns nos outros e ficar em casa para que quem não pudesse se protegesse mais. O que todos nós vimos foi totalmente ao contrário. Ainda existem lugares no Brasil que sequer começaram uma condição de isolamento. Nem sei mais o que pensar.

Eu imaginei que, se fizéssemos quarentena durante um tempo, no segundo semestre conseguiríamos voltar às atividades sem aglomeração, como o trabalho no escritório, por exemplo, e que todo o restante apenas quando saísse a vacina mesmo. Com o andar da carruagem, fui estudando mais e acompanhando notícias, entrevistas, e cheguei à conclusão que comentei naquele outro post. Minha perspectiva sincera é de quatro anos. Assim, fico menos ansiosa.

O trabalho no nosso escritório poderia voltar sem problemas quando a flexibilização social fosse liberada. Trabalhamos apenas nós dois juntos, sem qualquer aglomeração. Mas o fato é que esse trabalho dependia de o filhote estar na escola. Se ele não ficar na escola, teria que ficar na casa da avó – o que é inviável, pois ela é grupo de risco. E, se parar para pensar, não tem motivo algum a gente sair de casa para trabalhar sendo que poderíamos estar todos juntos e seguros dentro de casa.

Logo, este mês, a partir da decisão que já contei aqui semana passada, eu decidi entregar a sala. Ao longo das próximas semanas, vamos organizar tudo o que precisa ser organizado. Já fiz o planejamento natural do projeto e, agora, é só ir fazendo.

Aí a gente volta para o tema principal do post, que é: reorganizar o nosso trabalho em casa. Eu tenho esse imenso privilégio de ter um quartinho onde eu consigo fazer o meu home-office. Meu marido tem a estação de trabalho dele super bem montada e bonitinha na sala. Mas eu estou em um momento em que preciso renovar os meus contextos de trabalho para ficar bem.

Por mais que a gente não pretenda liberar geral a circulação por aqui e continue trabalhando e estudando em casa, ainda assim eu preciso gravar aulas, mexer com equipamentos, estocar os meus livros e uma série de outras questões, até de sanidade mental, que o fato de ter um escritório fora me proporcionavam.

Ainda não sabemos os efeitos desse isolamento social e da pandemia a longo prazo. Como tudo na história da humanidade, sei que demanda distanciamento para a gente enxergar e entender as coisas.

Com sinceridade, eu gostava de ter um espaço fora de casa. Acho que ajuda inclusive a mudar essa vibração diária, dá um ar mais profissional ao meu negócio e também me permite ter um local só do Vida Organizada para gravar aulas, produzir materiais, guardar suprimentos e equipamentos maiores. Ter tudo isso em casa deixa a casa cheia de coisas, o que eu não gosto. Mas eu não quero sair daqui e ir morar em uma casa maior – pelo menos, não no momento.

Os próximos meses serão então de ajustes e, como sempre, quis compartilhar um pouco desse processo com vocês. Vou comentando por aqui à medida que as coisas forem evoluindo.

46 Comments

  1. Opa Thais! depois que reorganizar os contextos, compartilha com a gente pra inspirar! abraço e boa sorte nessa reorganização.

      1. Sempre generosa 💕

    1. Elisa Mello Ribeiro says:

      Será possível aproveitar a garagem ou algum espaço no seu terreno para fazer um outro escritório? Talvez assim não sinta tanta falta do escritório externo…

  2. Thais, é incrível como a gente tem insights nos seus posts. Algumas informações parecem que ficam incubadas só esperando para se conectar. Eu faço o planejamento de projetos seguindo esse mesmo template (que eu vi aqui no blog, inclusive), mas sempre ficava meio em dúvida em alguns itens. Hoje, vendo o seu planejamento para entregar a sala, me deu um clique. Obrigada <3

    1. Que bom, fico contente! <3

      1. Realmente Rachel, só de ler os posts da Thais já fico mais motivada e vira e mexe eu me identifico com as emoções que ela relata, como por exemplo agora em relação ao quê ela deseja de espaço x como está sendo no momento. Thais, estou definitivamente voltando a ler blogs depois que pairei de volta sobre o seu hoje! Mulher, sua consistência é inspiradora!

  3. Eu acho muito legal o jeito que você coloca as coisas no papel. É bem aquilo de tirar da cabeça mesmo…isso reduz demais a ansiedade né?

    1. Com certeza! 🙂

  4. Oi, @Thais! Gostei muito de ver a organização do seu projeto e no papel ficou ótimo. Quando tiver projetos que possa compartilhar, eu gostaria muito de ver. Também gostaria de ver sobre os contextos, como o colega sugeriu, sempre tiramos boas ideias. #MVOturma3

    1. Ameeeei a hashtag do curso. <3
      Obrigada, Denise.

  5. Priscilla Harada says:

    Obrigada por compartilhar esse processo, Thais!
    É inspirador ver como uma pessoa organizada age para tomar decisões importantes, inclusive adiando e colocando prazo em algumas, sabendo que não é possível resolver tudo de uma vez!
    Como você sempre diz “tudo é aula” e já estou aproveitando mais essa sua lição.
    Boa sorte com a mudança! E fiquem bem 🙂

    1. Obrigada, Priscilla. É isso mesmo, gosto de compartilho meu modo de pensamento. Fico contente que ajude de alguma maneira. <3

  6. Quanto ao espaço fora de casa, talvez uma ideia seja redirecionar o dinheiro que você gastava com aluguel e despesas para a reforma que você queria fazer na área externa da sua casa (não sei se o momento é viável para isso), assim você teria uma espaço fora de casa, dentro de casa, rs

  7. Desejo que a mudança traga ainda mais coisas boas para você e sua família e para nós que aprendemos tanto com você.

    1. Obrigada, Marisa.

    2. Por enquanto não dá, mas estamos pensando em algumas coisas. 😉

  8. Cristiane says:

    Sempre aprendo com suas postagens! É incrível como você consegue fazer mudanças, alcançar metas e tomar decisões de forma tão organizada e leve.

  9. Muito legal, Thais!
    Lembro de você falar, há muito tempo, que “tudo” pode ser considerado um projeto. Não se trata apenas de algo grande, a longo prazo. Obrigada por compartilhar conosco a forma como você organizou o projeto de entrega da sua sala comercial. Para mim, acabou sendo um exemplo prático e muito eficiente!

    Valeu!!
    Renata

    1. Gabriela D'Albuquerque says:

      Pensei a mesma coisa. Tinha ideia que projeto era algo grande e é na verdade algo que precisa ser pensado, analisado com próximas ações. Percebi que sou visual também e me deparar com essa foto me ajudou muito a pensar em como organizar as minhas ideias que ficam pulando, rsrs!

  10. Te desejo muita serenidade e paz de espírito para lidar com tudo que está acontecendo, Thaiz! Tudo ficará bem. <3

    1. Mas tá tudo bem. 🙂

  11. Poxa, me deu um sentimento bittersweet essa notícia… Chateada por seus planos terem sido postergados /revisados (adoro seu trabalho, torço muito para que tudo que você faz dê certo) e feliz por ver sua firmeza mesmo perante esse cenário. Tomara que tudo dê certo nesse distrato e que os planos evoluam, maiores e melhores, daqui a alguns anos!

    1. Estou super feliz! Eu gosto de mudanças.

  12. Thaís, desejo o sucesso para tudo o que fizer. É isso aí mesmo, é a vida sendo VIDA. Tudo se acerta e nem dá pra gente pensar no que seria se fosse de tal forma… porque as coisas são da forma que estão ; ) Sucesso : ) Sim, nem sei o que dizer sobre pessoas nas ruas sem máscaras… meses depois do início da pandemia… Essas são as pessoas. Se houvesse remuneração para usar a máscara só assim, talvez esses alguns usariam.

  13. Obrigada por compartilhar, Thais. Também estou com um imóvel locado antes da pandemia e preciso tomar uma decisão em relação a ele. No meu caso estou trabalhando com o prazo de até dezembro para decidir. Seu post me deu um alívio, um sentimento bom de que não estou sozinha em situações como essa!!!

    1. Boa sorte na decisão. Eu ainda manteria, mas já que me decidi por pensar mais a médio prazo na pandemia, prefiro focar em outros projetos e, futuramente, talvez voltar.

  14. Valeria Canedo says:

    Thais, ja posso imaginar uma local semi-minimalista, mega-organizada, leve, Buda entre os espacos…..enfim, sei que sera divertido essa jornada. Sawabona! sigo-Te ❣️

  15. Gabriela D'Albuquerque says:

    Thais, toda a paz e tranquilidade do mundo para que continues seguindo firme com seus projetos e não deixe sua energia cair. Vai dar tudo certo = )

  16. Oi, tudo bem? Lembro quando mudei meu escritório para casa, há alguns anos, foi bem complicado, mas fiquei feliz no final, economizava tempo no trânsito e tudo mais.
    Aproveitando… Alguma chance de vídeo tour nas estantes de livros após reorganização delas? 😍

    1. Pretendo fazer sim. 😉

  17. oi, Thais! Obrigada pelo seu trabalho e por sempre dividir conosco.
    Talvez você já falou sobre isso, mas olhando a sua foto do planejamento do projeto fiquei com uma dúvida: você tem um caderno específico para planejar os seus projetos? (E então todos os seus planejamentos de projeto ficam nesse caderno físico). Ou esse seu caderno da foto é a sua caixa de entrada e depois você coloca esse planejamento em alguma ferramenta digital? Obrigada desde já!

    1. Uso um caderno como commonplace book, que significa basicamente que é um caderno para todos os assuntos. 😉

  18. Acho que vc tomou uma decisão acertada para o momento em que estamos vivendo. E vc irá poupar uma quantia que poderá ser usada em outros sonhos. Tudo de bom. Adorei o esquema visual que vc fez. Vou adotar para mim. Obrigada

  19. Sandra Maria Tieppo says:

    Oi Thais! Também espera mais da nossa população e dos nossos dirigentes no combate a pandemia. Que decepção! Que tristeza!
    Também preciso muito deste sair, de outros ambientes e pessoas para me sentir bem. Fazer tudo de casa tem sido bem desafiador.
    Sorte para você, sorte para nós.
    Um abraço.

  20. Cássio Sousa says:

    De fato, acho que você tomou a decisão mais sensata. E o cuidado com sua saúde e da sua família são mais importantes. Abçs

  21. Post muito legal Thais! Admiro bastante seu trabalho.
    Ver esses exemplos práticos mostram como o método é intuitivo.
    Esse caderno que vc usou para fazer esse planejamento é o Commonplace book ou é um caderno só para planejamentos?
    Abraços e obrigada por tanto!

    1. É o commonplace book mesmo.

  22. Obrigada Thais por mais esse relato inspirador.

  23. Adorei a postagem, obrigado

  24. ELOISA AURELIA COELHO says:

    Thais, você merece a felicidade diante de tanta generosidade. Quando segui planejamento para 2 trimestre prevejo que também não adiantava Nat meu escritório. O mais difícil, está organizar o que era físico. Muito arquivo morto de 8 anos de advocacia. Este fechamento favoreceu em antecipar a parte financeira. A economia permitiu extinguir algumas áreas. Foi ótimo. Gratidão por sua vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar...

Posts mais acessados