Colocando a rotina em ordem

14
5093

Em novembro estamos refletindo sobre aspectos que colocam a nossa vida em ordem.

Falamos sobre arquivos e documentos (que são um volume imenso da tralha para a maioria das pessoas), falamos sobre alinhamento de expectativas e sobre ter um olhar compassivo para si mesmo/a nessa jornada que é a vida, e hoje eu quero falar sobre a rotina.

Alguns anos atrás eu escrevi um post sobre ter tempo para fazer tudo e conciliar pessoal / profissional. O texto continua atual. E, nele, eu falo sobre a Pirâmide de Maslow, que foi uma ferramenta criada para a publicidade. Apesar dessa finalidade original, eu acho que ela nos diz muito a respeito de como usamos o nosso tempo hoje e do que deve ser prioridade.

Eu estou preparando uma série de posts para o mês de dezembro, em que vamos falar sobre como foi este ano e como planejar o próximo. E uma das minhas descobertas em 2019 foi a medicina ayurveda. Durante o meu mestrado, um dos assuntos que eu estudei foram os ritmos circadianos. O ser humano mudou completamente os seus hábitos depois da invenção da luz elétrica. Enquanto antes quem ditava o ritmo da humanidade era a luz solar, depois da eletricidade tudo mudou e, essencialmente, tudo AUMENTOU em termos de volume. Para o trabalho, a evolução da tecnologia, em vez de nos ajudar a trabalhar menos tempo, pelo contrário – fez com que a gente trabalhasse mais para alcançar o ritmo das máquinas. O resultado é estamos todos exaustos pois o mundo agora é 24/7 e ninguém pediu para fazer parte desse cenário, mas aqui estamos.

Ayurveda significa, literalmente, ciência da vida. E um dos diversos aspectos que a ayurveda observa é a nossa relação com o ritmo da natureza – as estações e os dias (a luz solar). Recentemente meu livro de cabeceira tem sido o livro “Culinária Ayurvédica”, cujo foco está na alimentação realmente. Eu comecei a prestar mais atenção aos meus próprios ritmos circadianos desde o momento que li sobre isso a primeira vez, no ano passado, no mestrado. E aí cheguei na ayurveda, que observa e respeita tais ritmos. Estou completamente apaixonada. Ainda pretendo falar mais sobre esse assunto aqui no blog, pois estou bastante envolvida nele.

Minha interpretação da realidade dos ritmos circadianos diz que devemos começar ajustando o nosso sono. Dormir mal acaba com qualquer técnica de organização ou produtividade. Dormir bem muda tudo. E é claro que, nesse momento, você pode estar passando por uma fase da vida que não permita que você durma como gostaria, como por exemplo:

  • bebês
  • faculdade
  • emprego noturno
  • etc.

Quando meu filho era recém-nascido, eu considerava sono de sucesso conseguir dormir enquanto ele dormia e, depois, dormir 4 horas seguidas, 6 horas seguidas etc. Então não se trata de um ideal, mesmo porque isso não existe, mas de tirar o melhor proveito da sua situação atual.

Vale dizer que as situações acima são temporárias e a vida e as suas circunstâncias mudam.

Alguns pontos que, para mim, significam ter o sono em ordem são:

  1. Conhecer a quantidade de horas que preciso dormir para ficar bem (7h30, no meu caso), e também o mínimo de horas caso eu tenha algum dia complicado (ex: dormir no mínimo 4h em uma noite).
  2. Padronizar o horário de acordar todos os dias, incluindo finais de semana. “Compensar o sono” é um mito e só bagunça o nosso relógio biológico.
  3. Se algum dia eu dormir menos, dormir mal, bola pra frente e volto para o ritmo no dia seguinte em vez de deixar que bagunce e desregule tudo.
  4. Desligar telas pelo menos duas horas antes de ir dormir. Assistir menos tv à noite durante a semana e nunca mais mexer no celular na cama antes de dormir. Algumas vezes por semana eu vejo filme ou tv, mas é exceção. De modo geral, prefiro ler e fazer outras atividades off.
  5. Não comer comidas pesadas antes de dormir. Procuro fazer meu jantar por volta das 18h e, depois, só coisas leves SE tiver fome (sopas, saladas, chás, frutas).
  6. Meu parâmetro de sucesso é acordar no horário sem necessidade do despertador! Toda vez que isso acontece, fico muito contente.

Depois, tem a questão da alimentação. Tão importante quanto o sono, uma alimentação encaixada faz toda a diferença. Consulte médicos, teste comidas que te fazem bem ou mal, e vá implementando aos poucos na sua rotina. Eu sou uma das pessoas mais ocupadas que eu conheço e mesmo assim consigo me organizar para cozinhar pois isso é uma prioridade para mim. Depois que descobri algumas alergias e intolerâncias, cuidar da minha alimentação foi um processo fundamental, pois sem isso eu ficaria à mercê de comer na rua e poderia comer algo que me fizesse mal.

Só depois de colocar esses aspectos em ordem é que você pode começar a encaixar atividades diversas: exercícios, meditação, limpeza da casa, estudos e outros.

Veja que “colocar a vida em ordem” parece um todo enorme mas é apenas uma maneira de a gente ir começando com um passo de cada vez, sem perder as prioridades de vista.

Qualquer dica, método ou técnica de produtividade não vai fazer qualquer diferença se você não estiver descansada/o e se alimentando corretamente.

Como falei, pretendo trazer mais elementos da ayurveda para o blog nos posts futuros porque isso tem me ajudado em diversos aspectos e acredito que tenha tudo a ver com o que falamos aqui no blog.

Este foi então o último post da série sobre colocar a vida em ordem e eu espero que, além de ter gostado dos posts, você tenha implementado o que eu sugeri também. 🙂 Caso tenha alguma dúvida, deixe nos comentários. Muito obrigada!

14 comentários

  1. Gosto de mais do conteúdo que vc traz Thais. tenho repensado muitos aspectos da minha vida e vc, de muitas formas, faz parte disso. Até a forma de vestir tenho repensado, e através de vc conheci a Ana Soares- Moda Pé no Chão. E tudo vem de encontro ao que eu tenho buscado, um consumo mais consciente, auto conhecimento e a construção de um estilo de vida que reflita quem eu sou.
    Obrigada!

  2. A Ayurveda é muito interessante! Além de observar o ser humano de forma integral (denso e sutil), também prega que devemos considerar o clima do dia, as estações do ano, o equilíbrio das nossas qualidades fundamentais (doshas) para observar as práticas diárias de forma geral. Para aprofundamento sobre a Medicina Ayurvédica sugiro o canal no YT Vida Veda e também os conteúdos feitos pela Laura Pires (que, aliás, tem uma história de vida incrível e conversa com os temas que vc aborda aqui no blog). 🙂

  3. Oi Thais!

    É engraçado como alguns assuntos parecem estar sempre orbitando as nossas vidas. Sempre comi de tudo e em excesso e descobri intolerâncias e inflamações crônicas há 3 anos, quando completei 40. A primeira coisa foi mudar a alimentação – tive 1 ano de transição sendo vegetariana até abandonar de vez as proteínas animais, químicas de cosméticos e outros hábitos que me faziam muito mal. A vida mudou muito e para melhor! Neste meio tempo, li o livro do GTD e o seu livro (Trabalho Organizado) e decidi me colocar como prioridade máxima na agenda. Isso significou uma mudança de ritmo de trabalho (sou autônoma, o que ajuda muito!) e que nada entra na agenda nos horários em que destinei para mim. Estabeleci uma rotina de exercícios, outra para o preparo da alimentação, outra para a meditação e assim por diante. Sou uma pessoa completamente diferente daquela que completou 40 anos, muito mais disposta, realizada e feliz graças a esta mudança radical de hábitos. Ler seus posts sempre me ajuda muito e fico feliz por estarmos passando mais ou menos pelas mesmas experiências. É ótimo para trocar ideias e se inspirar.

    Um beijo!
    Paula

  4. Amo a Ayurveda! Conhecer e entender meu dosha mudou minha vida. Sou vata-pitta, mas tenho mais desequilíbrio de vata, principalmente nas estações com predominância vata… mas agora consigo perceber o que preciso para ajustar!

  5. Uma vez tentei seguir a alimentação de uma pessoa da ayurveda e não deu certo pra mim, pois tive muitos problemas estomacais. Depois foi que descobri que tem uma alimentação pra cada dosha, e eu estava comendo muita comida fria. Até hoje não sei direito qual o meu, mas acho que não batia com as receitas que eu estava fazendo, pois parece que tenho que comer um pouco de comida levemente aquecida

  6. Já que você colocou, Thais, a pirâmide de Maslow, você considera que ela seja “real” e funcione perfeitamente? Ou prefere as 12 camadas do Olavo ou não considera que exista uma ordem na satisfação/felicidade humana?

  7. Descobri a ayurveda esse ano! Me apaixonei…
    Recomendo o livro “Em busca da cura”… Sensacional!

    Por curiosidade, qual seu dosha? Eu sou kapha/vatta

    Abraços!

Deixar uma resposta

Por favor, insira seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui