Minha pesquisa do mestrado: atualização de status e reflexões atuais

27
4117

Ok, sei que tenho falado bastante sobre o mestrado aqui, mas o mais legal de qualquer blog é justamente trazer a visão do autor sobre os acontecimentos recentes da sua vida, falando com foco em um assunto específico (no meu caso, organização). Caso você queira saber sobre assuntos correlatos, aqui no blog tem muitos posts desde 2006 com temáticas variadas, e usando a busca você pode encontrar artigos que conversem com o seu momento de organização. Por isso, no post de hoje gostaria de compartilhar como está a minha pesquisa do mestrado atualmente, pois tem a ver.

Meu professor disse que ainda está muito cedo para começar a escrever, mas eu já tenho um “esqueleto” da dissertação mais ou menos feito, porque em nossas conversas ele já foi me ensinando a desenhar o que provavelmente vou abordar na pesquisa. Isso tem me ajudado inclusive no direcionamento das leituras e em trazer trechos legais dos fichamentos (que, como comentei, tenho feito no Evernote).

Eu tenho um mapa mental no Mind Meister onde insiro todas as informações relacionadas à pesquisa. Comecei a montar ainda em fevereiro e meu professor simplesmente adora o mapa (rs), e eu também.

O que estou fazendo no momento:

  • Lendo bastante coisa sobre midiatização. É um conceito novo, então não há tantas definições, e sim debates e abordagens diversas. Então tenho lido bastante coisa, até mesmo para trazer a parte teórica para a minha pesquisa. Até eu chegar na escrita dessa parte, no ano que vem, terei lido bastante coisa e espero ter bem mais bagagem para falar com certa propriedade (mais do que hoje, pelo menos).
  • Lendo bastante coisa sobre sociologia do trabalho, mas tomando o cuidado para não sair do campo da comunicação. Esse é o olhar, o viés, a abordagem. Quem pesquisa em comunicação sabe como é um desafio constante.
  • Estou indo para a pesquisa de campo realizar entrevistas com as pessoas. Neste exato momento, estou fechando as perguntas com o meu professor orientador, para efetivamente realizar as entrevistas nas próximas semanas. De acordo com o nosso cronograma, isso seria feito em maio, então estamos indo bem.

O que eu gostaria de falar de verdade é que tenho tentado desenvolver uma mentalidade mais pragmática – como forma de sobrevivência – para o mestrado como um todo, pois simplesmente não tenho como me dedicar 100% aos estudos neste momento. Tenho uma empresa para tocar, muito trabalho acontecendo, e eu estava me sentindo um pouco frustrada há algumas semanas (“não consigo ler tudo o que eu quero”, “não vou conseguir participar do evento X”). Aceitar meu ritmo possível tem me ajudado bastante a não me sentir mal por não fazer algumas coisas, e também tem sido ótimo no sentido de trazer o foco apropriado para os artigos que realmente farão diferença eu escrever, os eventos que realmente farão diferença eu participar etc.

Todos os meus próximos semestres do mestrado serão desafiadores, porque tenho compromissos grandes de trabalho vindo por aí, então eu estou, como diz o Gandalf, em “O retorno do rei”, dando aquela inspirada antes do mergulho. E ter esse mindset apropriado é fundamental para fazer isso.

“Você está vendo Mordor, Gandalf?”

Só para contextualizar: no segundo semestre deste ano, vou para a Holanda novamente tirar a terceira (e última) certificação do GTD. Isso me tomará duas semanas fora do país, além do volume de atividades que vêm com essa certificação, que começam a chegar um mês antes da minha ida (vou em setembro, então a partir de agosto), e durante mais de um ano depois dessas semanas em setembro, quando preciso realizar as atividades da certificação, que envolvem traduzir materiais, ministrar cursos piloto, capacitar instrutores etc.

PLUS, em agosto deste ano meu novo livro será lançado, e durante três meses eu tenho que fazer uma campanha intensiva de divulgação, o que envolve eventos, palestras, viagens, Bienal do Livro em São Paulo e outras atividades. Até o lançamento de um próximo livro (ainda não definido), esse livro é meu foco de atenção, e várias atividades acabam nascendo dele, como cursos, entrevistas e outras. Também está prevista a revisão do “Vida Organizada” (o livro) em 2019.

No primeiro semestre do ano que vem, estamos (na Call Daniel) organizando uma nova capacitação de instrutores e a implementação de outros projetos do GTD que me demandarão bastante. No segundo semestre de 2019, devo concluir a certificação, que envolve uma intensificação das atividades relacionadas, porque preciso capacitar os instrutores, acompanhá-los no processo etc. Isso só para o GTD. Nem estou falando sobre os planos do Vida Organizada que, por ser a minha empresa, é minha atividade principal e tem vários projetos importantes em andamento (99% ainda nem divulguei aqui porque ainda não aconteceram “publicamente” e “oficialmente”).

Quando paro para analisar esse planejamento como um todo, já pensei várias vezes se não deveria ter deixado para fazer o mestrado em 2020. Mas simultaneamente me vem a resposta à mente: não, porque sempre terei bastante trabalho e coisas a fazer, e cada vez mais, afinal essa é a ideia de você se tornar empresário. Então o quanto antes eu terminar o mestrado e puder me dedicar a outras coisas – buscar instituições para lecionar, começar a pensar no doutorado, além de outras atribuições profissionais, melhor. Minha empresa está crescendo e eu preciso focar em outras coisas também, que demandam bastante de mim em termos de… alocação mesmo, sabe? Viajar, fazer reuniões, estar presente.

Minha visão como um todo envolve me dedicar bastante à vida acadêmica nos próximos dez anos, pelo menos, no que diz respeito a aulas (mestrado e doutorado) e início da docência, porque depois desses dez anos já me vejo um pouco mais “estabilizada” nessa área, com pesquisas focadas e lecionando. Então agora é o momento de investir nisso. (Inclusive eu escrevi um post sobre o meu planejamento acadêmico de maneira geral, que pode ser que você se interesse em ler).

Minha visão de vida como um todo envolve chegar aos 50 anos em outro nível profissional, sabe? Com a empresa, com o GTD, com a vida acadêmica. Então este é o momento da vida de investir tempo, saúde e energia, e consolidar o que foi iniciado profissionalmente. Estou bem focada nisso, e nada me para quando estou focada assim, a não ser eu mesma.

27 comentários

  1. Descobri seu blog essa semana e estou ENCANTADA. Nunca tive muita organização na minha vida… tenho 24 anos e esse ano pensei: vou me organizar para estudar pras provas de mestrado e residência multiprofissional. Porém, com o término da graduação ainda não consegui muito, porém evolui bastante comparado ao ano de 2017 e os anteriores. Achar seu blog foi sensacional por conseguir observar na prática o que é uma vida organizada, além de me inspirar. Tenho vontade de ler todos os artigos, todas as publicações, mas estou aos poucos lendo um ou outro antigo! E tenho adora seu trabalho… Estou descobrindo aos poucos, mas já admiro. Parabéns!

  2. Thais, to adorando os posts sobre mestrado, mesmo sendo algo q não faz parte dos meus planos, tenho me inspirado para tocar os cursos que eu parei por conta da minha filha e que preciso retomar, agora que as coisas estão um pouco mais em ordem.

    Sempre faço buscas pelos seus posts sobre organização pós-filho, muitos eu já li em outras épocas mas agora releio aplicando na prática. Seu blog é rico demais em mta informação boa, acho uma pena que as pessoas “exijam” tanto conteúdo atualizado (e de graça, né?) e esqueçam de pesquisar os posts antigos.
    bjo

  3. Estou gostando tanto desses post sobre sua pesquisa.
    Me inspiram tanto, não só porque eu quero fazer mestrando, mas atualmente estou desenvolvendo pesquisas para o último ano da faculdade de psicologia, e a questão da organização faz toda a diferença (descobri isso dá pior maneira hahaha).
    As vezes eu me sinto bem triste por não ter começado desde o primeiro ano da faculdade a organizar o meu método de estudo, para ser sincera, nunca tive um. E agora com tantas coisas para fazer e muitas outras que acumularam, dá um certo desespero.

  4. Oi Thais,

    Obrigada por compartilhar conosco sua experiência com o mestrado. Estou no segundo semestre, enfrentando aida a fase das disciplinas e estou apreveitando muito suas dicas.

    O detalhe das entrevistas me chamou atenção na sua pesquisa. Você já conversou com seu orientador sobre a submissão do seu projeto ao Comitê de Ética de Pesquisa (CEP) da universidade? Todo o trabalho que envolve entrevistas necessita ser aprovado pelo comitê antes da coleta de dados, já que o CEP não avalia projetos que já estejam com a coleta de dados em andamento, o que pode inviabilizar a publicação do seu trabalho posteriormente.
    Bom, falo por experiência própria, porque submeti meu projeto ao CEP, mas é claro, seu orientador que conhece as particularidades e necessidades da sua pesquisa. Só te dei o toque porque a minha orientadora não tinha lembrado de me falar sobre isso, fui informada por outra pesquisadora. Pode acontecer o mesmo contigo, sei lá, bom verificar direitinho.

    Super abraço!!

  5. Thais, muita força pra ti nessa jornada. A parte acadêmica, como toda apreensão de conhecimento, exige um tempo de maturação que é próprio de cada pessoa. Minha sugestão é que você não se cobre tanto em relação ao **resultado** do mestrado. O objetivo do mestrado hoje em dia é o aprendizado da vida acadêmica e a passagem pro doutorado. Muita gente adoece porque almeja uma dissertação perfeita, que vai revolucionar o campo! Mas tenho certeza de que vc vai saber dimensionar isso e ver que o mestrado (e até o doutorado) é apenas o **começo** de uma vida acadêmica produtiva. Tem muita gente adoencendo nesse meio. Como gosto muito do seu blog e escrevo sobre esse assunto, quis vir aqui te dar esse abraço! Seu trabalho é lindo e seu entusiasmo pela vida é contagiante. Não deixa a academia te tirar essa alegria, tá? No mais, seja bem vinda. Com certeza vc será uma excelente professora universitária!!

  6. Thais; Ok, está sendo ótimo/maravilhoso esses seus compartilhamentos sobre o mestrado. rsrsrs Sério, você não imagina o quanto é valioso poder ler das suas dificuldades (que existem para todos), mas principalmente ler sobre suas ações/estratégias para driblar essas dificuldades (nem todos fazem esse exercício). Fantástico/Fantástica!

    • Oi Alexandra, tudo bem? Apenas você, como dona da conta do e-mail cadastrado, pode se descadastrar. Entre em um dos e-mails recebidos e clique em “descadastrar”. Obrigada.

  7. Oi Thais, estou gostando muito de suas postagens sobre a vida acadêmica. Gostaria apenas de compartilhar minha experiência como doutoranda que já passou pelo mestrado. Eu também trabalhava e minha filha estava bem pequena quando comecei o mestrado, e as vezes desejava poder me dedicar 100% a ele. No entanto, justamente por não estar submersa apenas no mundo acadêmico (que pode ser mesmo uma bolha) é que pude ter uma visão mais fresca e original sobre o meu objeto. Acredito que nunca conseguiremos ler tudo o que queremos, nem quem só se dedica a isso. Aliás, muitos colegas por estarem com esse único foco acabam se estressando em demasia quando as pressões dos prazos chegam. Acho que o equilíbrio é o ponto central, e com certeza você já domina esse tema. Um abraço e obrigada por seu trabalho.

  8. Tais. Sou sua leitora desde, se não me engano, 2012. Nunca deixo comentários, nunca faço perguntas… Mas, lendo os seus posts sobre o mestrado, e esse em especial, eu tive muita vontade de comentar. Recebo seus posts por e-mail, junto com muitos outros e-mails, e nunca deixo de te ler, raro algumas exceções. Bem, o que eu quero te dizer é que você é inspiradora. Até lendo sobre o mestrado, que não tem nada a ver com o meu momento de vida atual, consigo me sentir motivada e inspirada com o que você escreve. Parabéns. Que deus continue te abençoando e que você continue melhorando vidas, mesmo sem saber, muitas vezes, que faz isso

  9. Estou amando o seus posts sobre o mestrado, por favor não para!!! Comecei meu mestrado esse ano também e às vezes me perco naquilo que quero fazer, preciso fazer e, de fato, consigo fazer. A forma como você se organiza e consegue fazer várias coisas também me motiva motiva muito! Bjs

  10. Olá Thais! Leitor assíduo aqui.

    Nem precisa aprovar este comentário como público, apenas para informar: não sei se é problema com minha internet, porém não estou conseguindo vizualizar nenhuma imagem no site vidaorganizada.com, nem o logo principal lá em cima. Tentei abrir pelo celular, e também não tivesse sucesso.

    Estou interessadíssimo em ver sua organização, porém não abre.

    Apenas um toque. Abraços e sucesso contínuo no blog, que admiro demais.

Deixar uma resposta

Por favor, insira seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui