Espiritualidade, Vida

Numerologia e Vida Organizada

Um dos assuntos esotéricos que eu mais gosto e que acho que têm a ver com organização é a numerologia. Este post é para trazer um pouco sobre por que eu acho que a numerologia tem a ver com a organização da vida.

Em primeiro lugar, o ciclo de 9 anos. Eu acho isso um barato. Basicamente, e resumidamente, o que a numerologia nos mostra é que todos nós vivemos em ciclos de 9 anos na nossa vida. O ano 1 é aquele do início, de começar a plantar as sementes para tudo aquilo que você quer colher no ano 8 e, talvez encerrar no ano 9. Toda pessoa está em um “ano pessoal”, que é um ano que começa na data do seu último aniversário e termina na data do próximo. Por exemplo, desde 25/09/2019 eu estou em um ano pessoal 1. Estarei nesse ano pessoal 1 até o dia 25/09/2020, quando entrarei em um ano pessoal 2. Você encontra esse número somando os números do dia, mês e ano vigente e reduzindo até um único numeral de 1 a 9. No meu caso, 2+5+9+2+1+9=28, =2+8=10, =1+0=1

Eu sei que os leitores do blog são inteligentes o suficiente para saber que isso não é algo que engessa as minhas decisões, mas sempre cai alguém de paraquedas que pode fazer essa pergunta mais cética. Eu não “acredito” nisso. Não se trata de uma crença. Trata-se de uma ferramenta de autoconhecimento, de análise, que pode ser usada para reflexão, para entender o momento que cada um está vivendo. Eu gosto muito e, acompanhando há pelo menos dois ciclos desses na minha vida, vejo que faz sentido. Logo, uso exatamente como uma ferramenta de reflexão e planejamento.

No Método Vida Organizada, ensino uma estratégia de planejamento de vida que se baseia no curto, médio e longo prazo. O médio prazo pode ser visto pela década de vida em que você está (ex: dos 30 aos 40 anos) ou dentro do ciclo de 9 anos, se você curtir numerologia. Ou seja, tudo o que não for curto prazo (até dois anos) ou longo prazo (“pra vida”), se encaixaria nesse médio prazo, em um ciclo de cerca de uma década. E tem bastante coisa que a gente pode fazer em quase uma década, apesar de também passar rápido.

Pensar em ciclos que começam e se encerram me ajudam a colocar os pensamentos em ordem. Um exemplo prático: quero reformar a nossa casa. Não é algo que vai acontecer em menos de dois anos (envolve outras questões), mas para esse ciclo de 9 anos, faz sentido. Não que obrigatoriamente vai levar 9 anos, entende? Mas é um período factível, pois nem sei quando começaremos a reforma. Tem coisas que simplesmente levam mais tempo. Fazer um doutorado, por exemplo. Enfim, é para esse tipo de construção que leva mais tempo.

Imagem: site da CVC

(Eu ainda sonho em ter essa vista da minha casa <3)

A numerologia também me ajuda no autoconhecimento. Há alguns anos, a minha amiga Wanice Bon’Ávigo me presenteou com um mapa numerológico, que explica a minha personalidade através dos números. E olhe, acredite você ou não, mas é uma análise fantástica.

Eu gravei um vídeo no YouTube reagindo aos comentários dela sobre o meu mapa, se você quiser conferir:

Alguns aspectos muitos legais que ela fala:

  • A questão da compassividade
  • A questão da criatividade
  • O aspecto transgressor
  • A habilidade de organização, planejamento etc.

Meu número de motivação é o 3, o que significa que o que me motiva é a criatividade. E sim! Criatividade é um valor fortíssimo para mim, e em tudo o que eu coloco a minha criatividade aquilo se torna mais atrativo para mim. Ela ainda cita que o 3 é aplicado (no meu caso) na própria comunicação, através deste trabalho que eu tenho com a Internet.

Um número de destino 8 diz que eu vim nesta vida para ter realizações. Eu sou uma pessoa que gosta de fazer acontecer. E que o fato de eu ter algumas lições cármicas, especialmente com relação ao número 9, significa que eu estou sempre em busca de um equilíbrio entre o mundo material e o espiritual. O 8 também é meu número de expressão, o que justifica muito a imagem que as pessoas têm de mim de “não sei como ela faz tanta coisa!”. Às vezes nem é tanta coisa, mas eu tenho essa habilidade de realização que de fato é percebida, expressada por mim, e acho curioso como isso aparece no meu mapa.

Toda vez que a Wan e eu conversamos e eu conto algo como “resolvi fazer um curso de formação em Ayurveda” ou “tirei 7 certificações do GTD” ela vira os olhos brincando e diz: “isso é a pessoa com número psíquico 7 – a pessoa que não sabe ficar na superfície”. E isso é muuuuito quem eu sou mesmo, me descreve perfeitamente mesmo quando antes eu nem sabia colocar isso em palavras.

Enfim, acho que é uma análise muito gostosa e que vale a pena de ser feita para se entender e entender um pouco os diversos ciclos de vida que vivemos.

A Wan vai fazer um especial de aulas sobre numerologia semana que vem para os seus alunos (de graça) e eu perguntei para ela se poderia divulgar para os leitores do VO, pois acredito que alguns de vocês também possam ter curiosidade para aprender sobre a sua numerologia pessoal. Se você tiver interesse, então, clique aqui para saber mais sobre o evento e se inscrever. 😉

3 Comments

  1. Ah, Thais, amei o post! É tão bom ver nossos amigos e qualquer pessoa (começando pela gente…hehehe) à luz dos números. Estou esperando a galera que acompanha o V.O. para descobrir também o seu código numerológico pessoal, a partir dessa segunda, 22! Bjs =)

  2. Marilene de Souza Silva says:

    Fantástico esse ponto de organização, preciso aprender para poder passar para as pessoas com quem convivo a serem mais organizadas.

  3. Kelly Vinco says:

    Nunca fui muito ligada, mas achei interessante. Já fiz as contas aqui e vi que estou no meu ano 4 e vou pesquisar a respeito. Obrigada!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar...

Posts mais acessados