Bullet Journal, GTD e a produtividade

18
5869

O título do post é polêmico e trago como uma provocação para usar o post para explicar o que eu quero dizer.

Não uso o método Bullet Journal com fons artísticos, ou seja, desenhando. Uso da maneira mais minimalista possível.

Mesmo assim, eu senti que, conciliar com o método GTD talvez pudesse ser algo desnecessário.

O GTD já trata do gerenciamento das informações e demandam que chegam até nós, trazendo uma alternariva para organizar e, por fim, revisar e executar de acordo com as nossas prioridades. E isso funciona muito bem para mim.

O Bullet Journal é um método diferente, que dá SIM para conciliar com as práticas do método GTD, mas eu acho que não preciso usar os dois.

Nos últimos dias eu fiz um teste, ficando sem o BuJo, e me senti mais livre e produtiva. Eu usei o BuJo para fazer um registro final do dia, à noite, antes de dormir, e senti que assim ele funcionou melhor do que eu usá-lo ao longo do dia para planejar e fazer registros.

Sei que não existe um jeito certo e errado de usar. Que cada um deve adaptar às suas necessidades.

Penso que o método Bullet Journal funcione MUITO BEM para quem nunca teve qualquer contato com nenhum método, e não quer ter uma curva de aprendizado mais longa.

Mas para quem já usa o GTD há tantos anos, como eu, pode ser desnecessário no propósito da organização.

Na última semana tenho usado apenas o meu sistema GTD e dei uma “voada”, no sentido de conseguir agilizar as coisa e ao mesmo tempo me sentir descansada. O Bujo, querendo ou não, traz sempre o ar da “urgência”, do trazer tudo pra hoje (que ainda for relevante). Mais uma vez, enfim – funciona para quem não tem método algum, é simples. Mas, para quem já usa GTD, não sei se ele se faz necessário. É isso. Ele pode ser bom para registros de maneira geral, mas não como um único método que se baste.

Ainda não tenho essa pesquisa 100% concluída para poder afirmar, mas achei que seria importante compartilhar com vocês essas impressões.

O GTD super se basta e, para mim, acaba sendo suficiente. O BuJo funciona como registro, como captura, o que é excelente, mas só. Eles acabam se complementando.

18 comentários

  1. Que legal Thaís, comecei a implementar o bujo com vc e ele tem me ajudado bastante a não perder meus compromissos e a me organizar. A única coisa que tem me atrapalhado no bujo são os projetos de curto e longo prazo que sei que o Gtd é melhor para gerenciar isso. Mas ele tem me ajudado muito, pois foi muito simples de aprender e implementar… Mas aos poucos tenho aprendido algumas ferramentas do Gdt como o modelo de planejamento natural, e quem sabe futuramente ele não se torne o meu método. Agradeço muito por ter te conhecido, seu trabalho tem me ajudado bastante! Estou sempre recomendando! Bj

  2. Thaís, você não está mais usando da forma como descreveu no posto de implementação do GTD no Bullet Journal? Pq eu havia entendido lá que você já não estava usando o BuJo puro. Ou você definitivamente não está mais fazendo o log diário ou usando como captura. Não ficou claro para mim em qual parte da implementação você detectou que estava atrapalhando sua produtividade.

    • Vale a pena acompanhar os últimos posts na ordem cronológica, onde compartilhei meu uso, as mudanças e reflexões. É uma narrativa. 🙂

      O que eu deixei de fazer no BuJo foi usá-lo para organizar as listas do GTD. O resto continua igual. 😉

      Obrigada pelo comentário.

  3. Interessante Thaís, eu tive essa mesma impressão. Tentei usar o Bujo e acabei acrescentando mais alguma coisa para fazer ao longo do meu dia, que seria escrever no Bujo. Com relação ao GTD, algumas coisas implementei e tem funcionado bem pra mim, como por exemplo, a caixa de entrada. Bjs.

  4. Gosto de arte e de desenhar. Foi primeiramente a criatividade artística que me atraiu no Bullet Journall e depois a organização da vida proposta no método. Como eu preciso praticar as duas coisas, resolvi começar um BuJo neste Fevereiro. Em algum momento ele me trouxe aqui! Estou gostando profundamente do GTD e aplicando na minha vida! Me lembro de ter visto alguma coisa neste site anos atrás e também um dos teus vídeos no YT e me pergunto onde estava com minha cabeça que eu não anotei o endereço para voltar e por ter curtido o conteúdo tão rasamente na época… Mas agora estou inscrito e sinto necessidade de ler este site sempre! No início o BuJo me parecia ser o centro organizador, mas o GTD tem me ensinado outros mundos! Thais parabéns pelo excelente trabalho e pela generosidade deste site! Muito obrigado por ensinar tudo isso! Estou me tornando um virginiano de verdade agora! rs.

  5. Concordo com vc Thais. Acho que o GTD se basta . E tem que ser algo simples mesmo. Tudo em um único lugar. Se não, não funciona.

    • Acho que o GTD se basta sim, mas o David nnao recomenda ter tudo em um único lugar porque cada ferramenta significa um foco diferente, e diferenciar o foco é essencial.

  6. Comecei a fazer meu Bujo no momento que assisti vídeo de “implementação do Bujo do zero”.
    Estou tentando usar ele para tudo exceto a agenda. Mas, confesso, que tem dado mais trabalho do que achei que daria. Tenho ficado alguns dias sem escrever nele, dias em que não faço nada de compromisso agendado ou dias de descanso, feriados, domingos.
    Não sei se tem sido produtivo, mas vou manter mais alguns meses, talvez com algumas adaptações.
    Achei legal ter minhas listas no Bujo, porque só assim elas estarão comigo sempre. Mas ainda não sei se preciso disso tudo.
    Beijos

  7. depois de uns meses, andar com meu bujo começou a me dar certa ansiedade: sempre tinha á mão todo o planejamento da vida e olhar constantemente o esquema mensal, sei lá porquê, não me dava uma sensação boa. tenho migrado aos poucos de volta para a organização digital e utilizado um programa chamado notion.

  8. Legal Thais! Uso o BuJo como uma terapia, uma forma de me desestressar.. Mas dentro do meu sistema GTD ele assumiu o papel de caixa de entrada e para ajudar a oganizar a semana funcionou muito bem e apenas isso.. O restante uso o todoist para assuntos pessoais e evernote para o trabalho (O que ando com muita vontade de juntar os dois apesar de não querer misturar os assuntos..)
    Se achar interessante, mostra pra gente como tá seu sistema!
    Abraços e obrigada!

  9. Oi Thaís, tudo bem?
    Eu uso o GTD e o BuJo da seguinte maneira: optei por usar um planner como minha “central”, gosto de escrever e achei que usar aplicativos me deixaria mais conectada ainda, coisa que tenho trabalhado em diminuir. Daí em cada uma das minhas categorias do planner incluo listas, algumas delas de próximas ações. Concluir, esses bullets durante o trabalho por exemplo me dá um prazer legal, a sensação de “check” geralmente me leva a procurar próximas ações.

  10. Oi Thais! Sigo seu blog há anos, tentei implementar o GTD no passado (e falhei miseravelmente, diga-se de passagem). Já li o GTD (livro), gostei muito e vinha seguindo o conceito do BuJo, sem tentar. Quando lançou o livro, comprei e “comi”, gostei muito sinceramente. Concordo com você que dá pra conviver com os dois, vejo que com BuJo consegui começar de maneira mais sustentável o processo de organização. Um exemplo que pra mim funciona é reescrever no log diário do BuJo as ações que não fiz, pois me força a ver algo que ficou – apesar de meu trabalho sentir que isso pra mim funciona pois meu trabalho é padronizado. Estou patinando ainda no uso mais amplo de ambos os métodos, que é ampliar para vida pessoal e nossos objetivos de médio e longo prazo, assim como projetos. Sinto que ainda me inconsciente me bloqueia, mas estou assistindo insistentemente a sua série de implantação do GTD pra ver se “pega no tranco”. Continua compartilhando seus inputs sobre BuJo e GTD, é importante ver uma profissional como você compartilhando suas ideias para nós possamos nos inspirar. Abração!

  11. Eu estava querendo passar as listas do GTD pro BuJo desde que comecei um oficial em janeiro, pra desconectar. Mas esse projeto está caminhando a passos de tartaruga, pois não consigo abandonar as facilidades tecnológicas. Hoje meu celular foi pro espaço e como não tenho condições de comprar outro tão cedo, vou ter que transferir mesmo meu GTD pro papel, já que só tenho acesso a computador no trabalho.
    Vou sentir falta das suas excelentes sacadas e valiosas dicas de “fusão” dos dois sistemas. Mas entendo que, no seu caso, estava sendo inútil unir os dois.

  12. Oi Thais. Foi valioso acompanhar seu processo com o Bujo, porque depois de tentar de várias maneiras eu cheguei numa “conclusão” muito semelhante e foi bom perceber que faz sentido minha dificuldade.

    No entanto, o papel me ajudou em dois pontos que se tornaram essenciais:

    – Capturas e registros diários que evitem de ter que abrir o Trello/Notion/Keep/Calendar toda hora, uso como um organizador de prioridade no momento de execução.

    – Gerenciar a frequência de hábitos que não são obrigatórios em meus contextos diários mas que eu não quero deixar de lado, como escrever, ler conteúdos novos no Medium e blogs que gosto, ter um momento de reflexão diária, ou ter alguma vivência em inglês, por exemplo.

    Fazendo essa reflexão no final do dia, vejo a evolução e a consistência disso e me impeço de ser displicente.

    Obrigada pelos conteúdos sempre lindos e sinceros ❤️

Deixar uma resposta

Por favor, insira seu comentário
Por favor, insira seu nome aqui