Categoria(s) do post: Ferramentas de organização

Estudando sobre o tema, percebi que não tinha postado no blog nenhum texto com esse passo a passo, então está mais do que na hora de ele entrar!

Eu cheguei a gravar uma LIVE no YouTube ensinando a criar um Bullet Journal de maneira simples, fácil, minimalista, prática, e pode ser que você curta assistir esse vídeo (ou ouvir o áudio dele):

Vamos ao passo a passo então:

  1. Escolha um caderno para fazer o seu BuJo. Pode ser o caderno mais simples que você tiver. Hoje, eu recomendo duas coisas para o seu caderno: 1) que ele tenha capa dura, para durar mais, e 2) que ele seja quadriculado ou pontilhado, para melhor aproveitamento do espaço nas páginas. Mas são apenas preferências minhas que facilitaram a minha experiência com o método. Você pode querer usar um caderno com capa mole e sem pauta, por exemplo.
  2. Numere as páginas de 1 a 4 e entitule a primeira página com “Índice”. É nessas páginas que você vai inserir os temas no seu BuJo. Mais adiante vou especificando o que entra e o que não entra aqui.
  3. Numere as páginas de 5 a 8 e entitule a primeira (5) com “Registro futuro” ou “Log do futuro”. Divida a página em seis células e coloque um dos próximos meses em cada uma. Por exemplo, se estamos em abril, você vai colocar maio, junho, julho e assim por diante. Acrescente tarefas e eventos futuros, se já os tiver. Inclua “Registro futuro” no índice, com a página correspondente.
  4. Numere as páginas de 9 a 10. Na página 9, coloque o mês e ano atual (exemplo: abril 2019). Na página 10, nomeie com “tarefas do mês”. Insira o mês no índice e a página correspondente. Na página 9, você vai listar todos os dias do mês, um em cada linha. Você pode acrescentar os eventos que vão acontecer ou depois que acontecerem. O nome dessa seção é “registro mensal” ou “log do mês”. Na página de tarefas, você vai listar o que precisa ser concluído no mês em questão.
  5. Depois de criar o log do mês, você pode virar a página, numerá-la e iniciar seu registro diário / ou log do dia. Coloque a data de hoje no topo da página e faça seus registros ao longo do dia. Os logs diários não entram no índice.

No vídeo acima eu explico e mostro cada página direitinho e como fazer em cada uma delas, com exemplos.

Na imagem acima você pode conferir como eu estava usando os símbolos na versão anterior do meu Bullet Journal, apenas para ilustrar.

Basta você ir usando diariamente e, ao início de um novo mês, você criar o registro mensal novamente. É um momento bastante interessante, quando você reavalia suas atividades e foco.

Algumas dúvidas comuns

Não sei ou não quero desenhar. Consigo usar o Bullet Journal mesmo assim?

Sim, claro. Não é uma obrigatoriedade desenhar. Algumas pessoas gostam. O próprio criador do método usa o seu da maneira mais minimalista possível. Não é isso o que caracteriza o Bullet Journal e sim o registro diário.

Tem que começar no início do ano, como uma agenda?

Não! O mais legal do BuJo é justamente o fato de você poder começar a qualquer momento e ter um caderno personalizado só para você.

Preciso guardar os meus Bullet Journals?

Um dos principais motivos de fazer esse registro no papel é justamente você guardar os BuJos como se fossem livros que contam a história da sua vida. Mas caso você não queira guardar, eu sugiro digitalizar e salvar no Evernote, e então reciclar os cadernos.

Dá para conciliar o Bullet Journal com o GTD?

Sim. Falarei mais sobre isso em breve. Veja um post introdutório sobre o tema.

Eu pretendo escrever outros posts esta semana sobre o Bullet Journal, então você pode deixar sua dúvida abaixo, nos comentários, para que eu possa fazer posts mais direcionados.

Sempre recomendo ir na fonte original: o livro sobre o método, escrito pelo autor do mesmo, publicado em português no ano passado (já tem resenha aqui no blog). O livro é super completo e a melhor maneira de aprender de verdade.

Obrigada!