Categoria(s) do post: Finanças

A organização de qualquer área da vida não precisa ter um momento certo para a gente começar – basta começar de onde está.

Talvez você esteja pensando que já estamos no mês 4 e os seus problemas financeiros continuam os mesmos.

O que eu quero te dizer é que os problemas continuarão a não ser que você comece a fazer algumas coisas a respeito. E não precisa fazer TUDO, o “ideal”, o que deixaria a Natália Arcuri orgulhosa de você. Você pode começar aos poucos, mas comece! É essa a indicação que quero deixar aqui.

A organização das finanças é algo que não sai da minha mente diariamente, assim como a organização da casa, da minha saúde, da minha rotina com o filhote, estudos etc. Todos os dias a gente tem que fazer um pouquinho pelas diversas áreas da nossa vida para que elas não desmoronem. O segredo do sucesso está em descobrir qual é esse mínimo essencial e focar nele durante o dia a dia.

Vamos fazer juntos?

Não tem a ver com planilhas

Pare de pedir e procurar “planilhas para organizar as finanças”. Não tem a ver com planilhas. Tem a ver com uma série de hábitos que você incorpora no dia a dia. Você pode ter grana e nem usar planilhas. Vamos lá.

Metas de finanças

Você tem metas de finanças? Tipo, quero guardar tantos mil reais para a faculdade do meu filho ou quero guardar dinheiro para a viagem dos sonhos? Comece daí.

Quando eu penso nas minhas finanças hoje, eu tenho algumas metas de dívidas (concluir o financiamento do carro, finalizar o inventário), tenho projetos (reformar a garagem, depois reformar o quintal) e tenho investimentos para o futuro (faculdade do filhote, uma viagem grande em família, comprar um terreno etc).

Mas, para a gente saber quanto deve economizar para cada coisa, precisa ter noção de todas essas coisas.

Existem boas ferramentas que podem te ajudar a colocar essas metas no papel, calculando juros, por exemplo. Se você quer ter uma quantia X de dinheiro para sair de casa e ir morar sozinho/a, quanto precisa guardar todo mês? Esse tipo de coisa. Mas tudo começa com a definição da meta, certo?

Orçamento para ficar de pernas para o ar existe? Por que não?

Orçamento do pior cenário

Eu gosto de ajudar as pessoas a lidarem com as suas finanças pensando no pior cenário.

“Se você perder o emprego e não tiver NADA de dinheiro entrando todo mês, que cortes você faria?” Geralmente a gente mantém: aluguel/IPTU/condomínio, luz, água, internet. Depois entram escola dos filhos, convênio de saúde e outros.

Não quero que você perca seu emprego, mas quero que você priorize as suas finanças para identificar 1) o que precisa ser pago mensalmente e 2) o que talvez você possa fazer uns cortes.

Quando estamos em uma situação financeira mais confortável, é comum agregarmos contas que nem percebemos. Assinaturas de aplicativos, jornais, Netflix, YouTube Premium, pay per view, essas coisas. A gente precisa revisar tudo isso de tempos em tempos para ver se ainda fazem sentido.

Eu tenho 5 anos de empresa rodando sem eu ter um emprego em paralelo e ainda mantenho o mesmo pro-labore (salário do empresário) de quando comecei. Revisar o que gasta mensalmente é muito importante. Você precisa conhecer os seus custos básicos mensais para saber o que está agregando e o que está sendo gasto.

Pague suas dívidas

via GIPHY

Viver com dívidas é chato, mas muitas vezes necessário. A gente pode precisar fazer dívidas devido a emergências ou a investimentos em algo que a gente acredita valer a pena (que seja um carro).

Agora, essa dívida deve ser sua prioridade. Não é “passou o cartão e esqueceu”. Foque no pagamento das dívidas e financiamentos, pois quanto antes você concluir, mais dinheiro terá em caixa para outras coisas.

Posso aumentar meu faturamento?

Se você tem um emprego fixo, CLT ou concursado, tem seu salário fixo todo mês, no máximo com uma variação de comissão. Será que tem alguma coisa que você poderia fazer para aumentar esse faturamento? Vender algo, prestar um serviço? Se precisa de uma graninha extra para algum investimento, pode valer a pena um esforço de curto prazo.

Sinceramente, gente, o bem mais valioso hoje é o tempo. Se alguém me oferecesse algum serviço que me fizesse economizar tempo, e essa seja uma necessidade minha, eu pago com gosto. Tipo, ligar na operadora de telefonia para resolver um “pepino”. São coisas que parecem simples mas que fazem a gente perder um tempão. Veja aí como você pode ajudar outras pessoas e ainda ganhar uma graninha.

“Eu poderia estar roubando, mas estou aqui organizando gavetas…”

Economizar nas compras do dia a dia

Existem coisas que a gente compra de determinadas marcas porque o tempo que a gente economiza na decisão do que comprar compensa o preço que a gente paga. E tá tudo bem.

Mas existem produtos que a gente pode pagar mais caro apenas porque nem pensou a respeito. Essa variação pode ser enorme, de preço.

Quando precisar realmente comprar alguma coisa, pesquise. 20 reais que você economize aqui hoje podem fazer diferença amanhã.

Na pior das hipóteses, invista essa quantia, se achar que ela é pouca. Mas esse simples hábito de investir o que economizou vai mudar a sua vida.

Adendo sobre essa economia

Eu sou uma pessoa prática e estou ok com o fato de pagar por alguns serviços para investir meu tempo em outras atividades que façam melhor aproveitamento do meu tempo.

Por exemplo, eu prefiro pagar 30 reais para uma pessoa fazer as minhas unhas que perder 1h de trabalho com isso (1h do meu trabalho vale mais do que 30 reais).

Então é esse tipo de comparação que você precisa fazer.

Porque, por exemplo, se essa 1h que você para para fazer as unhas é seu momento terapêutico de desligar e cuidar de si mesma, não há 30 reais que paguem.

Ressignifique seu dia a dia. 😉

Pagar uma faxineira para limpar a casa pode significar mais tempo livre com o meu filho, que é algo que só eu posso fazer

Use o débito automático com sabedoria

Automatize o que puder mas, se o débito automático de determinada conta já te trouxe problemas, evite.

Isso é uma indireta para você, operadora de telefonia que coloca taxas nada a ver na minha fatura. Estamos de olho!

Comece a investir

Hoje em dia temos TANTA informação desmistificada sobre investimentos! Dá pra começar com 30 reais, que sejam. Pesquise, leia a respeito, assista vídeos, e simplesmente comece. Encare o investimento como uma conta que você paga primeiro. Não espere sobrar para investir.

Score positivo

Faça seu cadastro no Positivo do Serasa. Eles vão te enviar spam todos os dias, e isso é bem chato, mas esse cadastro vai te ajudar a ser considerado um bom pagador em investimentos futuros que você quiser fazer. Vale a pena. (isto NÃO É um publieditorial, mas poderia ser – fica a dica, Serasa! 😉

Delegue coisas para a galera desempregada da família

Sem querer ser chata, mas olha, temos 13 milhões de brasileiros desempregados. Na minha família, acho que 40% está desempregado. Delegue coisas para essas pessoas e pague por “bicos”. Você ajuda e ainda economiza seu tempo.

Repense seu estilo de vida

Seu estilo de vida depende de posses ou de ter uma qualidade de vida legal? É só isso mesmo. Repense. 😉

Organização das finanças envolve um montão de coisas além de planilha e faz parte do dia a dia. A pergunta é: o que você fez pelas suas finanças hoje?